28 fevereiro, 2021

Pétala(s) nº 3198

 
"Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo. "

"Sou um monte intransponível no meu próprio caminho. Mas às vezes por uma palavra tua ou por uma palavra lida, de repente tudo se esclarece. "

"Sou como você me vê. 
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, 
Depende de quando e como você me vê passar."

"Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."

"Agora sei: sou só. Eu e minha liberdade que não sei usar. Grande responsabilidade da solidão."

Frases soltas de CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

E mais uma frase de CLARICE, esta partilhada pela Fê Blue Bird:
"Quem sou eu ? 
Sou um coração batendo no mundo."

(foto net)

27 fevereiro, 2021

Pétala nº 3197

“Remorso: o depósito no fundo do copo da vida.” 
AMBROSE BIERCE, escritor e jornalista norte-americano (1842-1914)

26 fevereiro, 2021

Pétala nº 3196

“Temos que deitar abaixo o passado 
e tal como se constrói
andar por andar, janela por janela, 
e o edifício sobe 
assim, vamos descendo 
telhas quebradas primeiro, 
depois orgulhosas portas, 
até que do passado 
começa a sair pó 
como se se batesse
contra o chão"
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), versos do poema “Passado”. 
Prémio Nobel de Literatura, 1971

25 fevereiro, 2021

Pétala nº 3195

"As palavras dançam nos olhos das pessoas conforme o palco dos olhos de cada um."
ALMADA NEGREIROS, artista plástico, poeta, ensaísta, romancista, dramaturgo português (1893-1970)

24 fevereiro, 2021

Pétala nº 3194

“Odiar alguém é como bebermos um copo de veneno achando que assim vamos matar quem odiamos.”
JAVIER CERCAS, escritor espanhol (1962-), in “Terra Alta”, Porto Editora, 2020

Thriller emocionante e empolgante.  "Uma reflexão lúcida sobre o valor da lei, a possibilidade de se fazer justiça e a legitimidade da vingança. A epopeia de um homem em busca do seu lugar no mundo." Recomendo!

23 fevereiro, 2021

Pétala nº 3193

“O amor é o único assunto. Na vida humana tudo é acerca do amor ou da sua ausência. "
SALMAN RUSHDIE, ensaísta e autor de ficção britânico de origem muçulmana indiana (1947-)

22 fevereiro, 2021

Pétala nº 3192

“o pânico é o abutre que se senta no teu peito” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

21 fevereiro, 2021

Pétala(s) nº 3191


"Que sei eu do que serei eu que não sei o que sou? Ser o que penso? Mas penso ser tanta coisa! E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!"

"Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. À parte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo." 

"Eu sou o intervalo entre o meu querer e o que a vontade dos outros fez de mim." 

"Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés. O mesmo sempre, graças ao céu e à terra. E aos meus olhos e ouvidos atentos. E à minha clara simplicidade de alma..."

"Sou feito das ruínas do inacabado e é uma paisagem de desistências que definiria meu ser." 

 "Conhece alguém as fronteiras à sua alma, para que possa dizer - eu sou eu?"

Frases soltas de FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935) 

(foto net)

20 fevereiro, 2021

Pétala nº 3190

“Se eu tivesse de resumir o que é uma família, diria que é o lugar mais relevante da nossa existência, no sentido em que sabemos como decifrar os seus códigos. Todos pertencemos a estruturas sociais, políticas, económicas, mas não sabemos realmente como interpretar os códigos. Essa facilidade de descodificação é o coração de uma família.” 
DAVID GROSSMAN, escritor israelita (1954-), revista “E” do Jornal Expresso de 17 Outubro 2020

19 fevereiro, 2021

Pétala nº 3189

AS PALAVRAS 
A minha palavra
é um braço
com que te enlaço
e um punho erguido
necessário, sentido

A minha palavra
é um gesto lento
é um lamento
um grito ouvido
de um homem ferido

A minha palavra 
sem sempre é bela
é um comer saído da gamela
é um sorvo, um beber
é um dar do meu saber

A minha palavra
pretendendo-a justa, é louca
é uma boca
com lábios de beijar
e dentes de morder, de trincar


Rogério, obrigada!

18 fevereiro, 2021

Pétala nº 3188

“Podemos ter mais pandemias, mas também um futuro diferente daquele que vislumbramos agora. Se desistirmos da ilusão de controlar tudo o que está à nossa volta, podemos voltar a focar-nos no prazer que obtemos de outros seres e da própria vida.” 
TIMOTHY MORTON, filósofo inglês (1968), em entrevista à revista "Ípsilon", do jornal Público de 14 Maio 2020.

17 fevereiro, 2021

Pétala nº 3187

“… os professores humanizam a escola, evitando que ela se torne uma máquina de processos e técnicas.”
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "A minha professora", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 5 Setembro 2020

16 fevereiro, 2021

Pétala nº 3186

“À força de nos disfarçarmos perante os outros acabamos por nos mascarar perante nós mesmos.”
FRANÇOIS DE LA ROCHEFOUCAULD, escritor francês (1613-1680)

15 fevereiro, 2021

Pétala nº 3185

“há palavras que nos arrancam pedaços de carne, como se tivessem boca” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

14 fevereiro, 2021

Pétala nº 3184

"Dá-me mil beijos, a seguir cem, depois outros mil, a seguir mais cem, a seguir mil, depois cem; por fim, quando tivermos somado muitos milhares, baralharemos a conta para não a sabermos e para que nenhum invejoso nos possa lançar mau olhado quando souber que nos demos tantos beijos.” 
ISABEL ALLENDE, escritora chilena (1942-), in “Afrodite – Histórias, Receitas e outros Afrodisíacos”, Ed. DIFEL, 1997


(Hoje, Dia dos Namorados)



(foto net)

13 fevereiro, 2021

Pétala nº 3183

“os olhos são órgãos traiçoeiros, denunciam o que vai por dentro” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019
Um romance estonteante. Recomendo!

12 fevereiro, 2021

Pétala nº 3182

“O sorriso é alimento fundamental da alma humana, assim, como o estribilho é alimento necessário das composições musicais!”
DOUGLAS MELO, conhecido no seu blogue "DOUG-BLOGcomo  Doug, é um jornalista, escritor, blogueiro, professor/PhD (Philosophiæ Doctor) brasileiro (1970-) 

11 fevereiro, 2021

Pétala nº 3181

“Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.” 
MIGUEL  DE UNAMUNO, ensaísta, romancista, dramaturgo, poeta e filósofo espanhol (1864-1936)

(Flores para a amiga EMÍLIA, pelo 12º aniversário do "COMEÇAR DE NOVO")

(foto net)

10 fevereiro, 2021

Pétala nº 3180

“Neste mundo que parece virado pelo avesso, precisamos fazer do fim um recomeço, precisamos fazer o bem brotar também do mal.” 
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

09 fevereiro, 2021

Pétala nº 3179

“Temos de estar conscientes de que somos maus a detetar a mentira, mas também devemos compreender os benefícios que advêm da nossa natureza essencialmente confiante.” 
MALCOLM GLADWELL, jornalista e escritor britânico (1963-)

08 fevereiro, 2021

Pétala nº 3178

“porque se levantam os velhos tão cedo? É para terem dias mais compridos, já que se esgotam os anos”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

07 fevereiro, 2021

Pétala nº 3177

“A vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo que lhe acontece e a maneira como o recorda.” 
GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ, escritor colombiano (1927-2014) 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

06 fevereiro, 2021

Pétala nº 3176

“O conhecimento do cérebro retira a divindade de dentro da pessoa, mas não o encantamento.” 
NUNO LOBO ANTUNES, médico neuropediatra e escritor português (1954-)

05 fevereiro, 2021

Pétala nº 3175

“O café sobe na cafeteira e, qual dama encalorada, gorgulha em breves volutas. E logo um oloroso e aquecido aroma engole a frieza da cozinha. O resfolegar de um café ecoa na imaginação e acende não sei que artimanhas de companhia e mesa posta. Dispõe. Ou talvez seja apenas um doce prazer solitário, motor que, prescindindo da paciência temporal, suaviza os dias e os restaura. Parecem novos.” 
(Finzinho da crónica "Marasmo". Leia toda!)


(foto net)

04 fevereiro, 2021

Pétala nº 3174

“A música tem uma coisa boa: quando bate você não sente dor.” 
BOB MARLEY, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)


03 fevereiro, 2021

Pétala nº 3173

“Que a política tenha o dever de tratar todos os cidadãos como indivíduos de igual e imensurável valor, é uma das constatações fundamentais e poderosas, do pensamento ocidental.” 
MARTHA NUSSBAUM , filósofa, escritora, professora universitária norte-americana (1947-) 

(Pétala partilhada pela Teresa https://ematejoca-ematejoca.blogspot.com/. Obrigada!)

02 fevereiro, 2021

Pétala sem número

Pronto,  pronto, eu partilho a receita!
Mas cautela, Isabel Allende diz que os ovos são afrodisíacos.


"MOLHO ERÓTICO 
Ingredientes 
1/2 chávena de maionese
2 ovos cozidos
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de vinagre aromático
1 colher de chá de estragão fresco finamente picado
1 colher de chá de sumo de limão
1 colher de sopa de cebolinho picado muito fino
1 pitada de pimentão (ou 1 colher de chá de mostarda)
Sal

Preparação
Esmigalhe os ovos com um garfo, condimente-os, misture bem com a maionese e esqueça-se do colesterol."


(No seguimento da pétala de ontem, e da resposta a um comentário da Bea.)

01 fevereiro, 2021

Pétala nº 3172

"Afirma que a violência de uma sociedade se mede pela violência que exerce ou não sobre as mulheres.
Elas são os canários na mina de carvão (the canary in a cool mine). O modo como são tratadas espelha o grau de doença de uma sociedade.
O que diz às mulheres que não lutam pelos seus direitos? 
Há dois tipos de mulheres nesta situação. As privilegiadas, para as quais já se atingiu tudo o que era preciso – e questionam para quê continuar uma luta tão pouco sexy. E as que não tiveram acesso à informação, aos instrumentos para pensar criticamente. O que pode fazer uma mulher pobre e analfabeta numa aldeia da Índia? Se não consegue alimentar os filhos, como lhe vamos pedir que lute pelo feminismo? (…) 
Como é que a idade é uma armadilha? 
À medida que envelhecemos, a sociedade descarta-nos. A natureza faz isso em todas as espécies. Mas, entre os humanos, não nos descarta a todos por igual – descarta as mulheres. É preciso ter orgulho da idade que se tem. 
Como é envelhecer? 
Ser velho é despedir-se de alguns atributos da juventude. Para mim, a juventude acabou quando fiz 50 anos e a minha filha morreu. (…) 
E como é apaixonar-se aos 70 anos? 
É igual do que apaixonar-se aos 30, mas com uma sensação de urgência – não há tempo a perder. Cada dia é um dia a menos. Percebes isso quando as pessoas à tua volta começam a morrer, quando morrem os teus pais, quando os teus netos são adultos. Cada dia que perdes por uma zanga, uma impaciência ou um mal-entendido, é um dia menos no calendário. Então, aprendes a usar a cabeça."

ISABEL ALLENDEescritora chilena (1942-), excertos da entrevista concedia a Luciana Leiderfarb, publicada na revista «"E", do jornal Expresso de 18 Dezembro 2020