31 julho, 2019

Pétala nº 2622

“A consciência da inconsciência da vida é o maior martírio imposto à inteligência. “ 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

30 julho, 2019

Pétala nº 2621

“Um amigo é o lugar do mundo onde as maçãs brancas são mais doces.” 
EUGÉNIO DE ANDRADE, poeta português (1923-2005)

29 julho, 2019

Pétala nº 2620

“A burocracia, apercebo-me quando viajo, não tem nação.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

28 julho, 2019

Pétala nº 2619

“O pudor só é útil se fingido; o verdadeiro é quase sempre prejudicial”. 
OVÍDIO, poeta romano (43 a.C.–17 d.C.)

27 julho, 2019

Pétala nº 2618

“Não há ruínas mais comoventes do que os rostos.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

26 julho, 2019

Pétala nº 2617

“E que a distância não impeça o abraço…” 
PEDRO CHAGAS FREITAS, escritor português (1979-)

25 julho, 2019

Pétala nº 2616

“Ao tempo do lamento e da meditação melancólica pelo que se perdeu sucede o tempo de certeza feliz de que depois de nós virão outros, depois das nossas histórias outras histórias, depois das ruínas um novo mundo.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

24 julho, 2019

Pétala nº 2615

“A poesia nasce de uma mente serena”
OVÍDIO, poeta romano (43 a.C.–17 d.C.)

23 julho, 2019

Pétala nº 2614

“O pouco brilho da decência enquanto virtude é compreensível. Ela é uma espécie de serviços mínimos da moral.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

22 julho, 2019

Pétala nº 2613

“Querem a extinção da poesia mas ela entra por todas as janelas abertas, e sobretudo pelas fechadas.”
PEDRO CHAGAS FREITAS, escritor português (1979-)

21 julho, 2019

Pétala nº 2612

“A fotografia sugere muito mas afirma muito pouco, é evocativa mas não é narrativa, é um fragmento de vida mas não a sua explicação.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

20 julho, 2019

Pétala nº 2611

“No amor existem duas coisas: corpos e palavras.”
JOYCE CAROL OATES, escritora norte-americana (1938-)

19 julho, 2019

Pétala nº 2610

“O amor pode não resolver todos os dilemas, mas é, tal como a solidariedade, um caminho, uma estrada.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

18 julho, 2019

Pétala nº 2609

"O individualismo é uma ilusão de adolescente." 
G. K. CHESTERTON, escritor, poeta, filósofo, dramaturgo inglês (1874-1936)

17 julho, 2019

Pétala nº 2608

“Costuma dizer-se que tememos o desconhecido. Por mim, julgo que o medo surge quando um dia passamos a saber o que ainda na véspera ignorávamos.” 
PHILIPPE CLAUDEL, escritor francês (1962-), in “Almas cinzentas”, Ed. ASA, 2004

16 julho, 2019

Pétala nº 2607

“Quanto maior for a sorte, menos se deve acreditar nela.”
TITO LÍVIO, historiador romano (59 a.C. – 17 d.C.)

15 julho, 2019

Pétala nº 2606

“A decência é… a virtude indispensável ao exercício da cidadania. Onde a decência reina sobra pouco espaço para a mitologia dos homens providenciais e dos salvadores da pátria.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

14 julho, 2019

Pétala nº 2605

“Compara-se muitas vezes a crueldade dos homens à das feras, mais isso é injuriar estas últimas.” FIÓDOR DOSTOIÉVSKI, escritor russo (1821-81)

13 julho, 2019

Pétala nº 2604

“É o tempo, e não a fotografia, que conta histórias diferentes.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

12 julho, 2019

Pétala nº 2603

"Uma desventura vai sempre pisando o vestido de outra, tão próximas caminham. 
WILLIAM SHAKESPEARE, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

11 julho, 2019

Pétala nº 2602

“A quem, como eu, assim, vivendo não sabe ter vida, que resta senão, como a meus poucos pares, a renúncia por modo e a contemplação por destino.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

10 julho, 2019

Pétala nº 2601

“As verdadeiras viagens são aquelas que nos entusiasmam e iniciam no regresso a nós próprios, sem o qual a viagem é só dispersão e em vez de conhecimento, um amontoar ruidoso e desconexo de experiências em vez de sabedoria.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, teólogo e poeta português (1965-)

09 julho, 2019

Pétala nº 2600

“Todas as fotografias de infância têm um halo de perda.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

08 julho, 2019

Pétala nº 2599

“A honra é a poesia do dever.”
ALFRED DE VIGNY, poeta francês (1797-1863)

07 julho, 2019

Pétala nº 2598

“O riso nem sempre é celebração da vida.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

06 julho, 2019

Pétala nº 2597

“A vida é demasiado curta para que desperdicemos uma parte preciosa a fingirmos.” 
ALFRED DE VIGNY, poeta francês (1797-1863)

05 julho, 2019

Pétala nº 2596

“O humor pode ser uma droga que nos torna progressivamente cínicos, distantes dos outros, incapazes de um verdadeiro diálogo. A sua utilização requer parcimónia.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

04 julho, 2019

Pétala nº 2595

“A precipitação tudo destrói, porque é cega e nada prevê.” 
TITO LÍVIO, historiador romano (59 a.C. – 17 d.C.)

03 julho, 2019

Pétala nº 2594

“… não haverá ferida mais profunda do que a morte daqueles que amamos.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

02 julho, 2019

Pétala nº 2593

“A tolerância é a virtude do homem sem convicções” 
G. K. CHESTERTON, escritor, poeta, filósofo, dramaturgo inglês (1874-1936)

01 julho, 2019

Pétala nº 2592

“O Paraíso é o espaço que ocupamos no coração dos outros”. 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Teoria Geral do Esquecimento” (2012), Ed. Quetzal, 2018