31 agosto, 2012

Pétala nº 94

“O mais escandaloso dos escândalos é que nos habituamos a eles.”

Simone de Beauvoir, escritora francesa (1908-1986)

30 agosto, 2012

Pétala nº 93

“Só há uma coisa no mundo pior do que falarem de nós; é que de nós ninguém fale.”

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

29 agosto, 2012

Pétala nº 92

“Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a.”

Johann Goethe, escritor alemão (1762-1826)

28 agosto, 2012

Pétala nº 91

“A vida é a espera do que pode ser vivido”.

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

27 agosto, 2012

Pétala nº 90

“Só há um processo de conhecer intimamente uma mulher: despindo-a.
Por isso evita despi-las em demasia; e lembra-te de que há mulheres que, por as termos despido uma vez, nos obrigam a vesti-las toda a vida.”

Autor desconhecido.

26 agosto, 2012

Pétala nº 89

“No momento em que paramos a pensar se gostamos de alguém, já deixámos de gostar dessa pessoa para sempre.”

Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

25 agosto, 2012

Pétala nº 88

“Quanto mais sublimes forem as verdades mais prudência exige o seu uso.”

Nikolai Gogol, escritor russo (1809-1852)

24 agosto, 2012

Pétala nº 87

“Se fosse sábia dir-te-ia as últimas palavras, aquelas palavras grandes e belas que marcam uma vida.”

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

23 agosto, 2012

Pétala nº 86

“Nenhuma guerra se relata. Onde há sangue, não há palavra.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-)

22 agosto, 2012

Pétala nº 85

“Estou triste, mas a vida continua a interessar-me.”

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

21 agosto, 2012

Pétala nº 84

“As esperanças são como as estrelas; brilham mas não trazem luz, lindas mas ninguém as alcança.”

Autor desconhecido.

20 agosto, 2012

Pétala nº 83

“Gosto tanto de comer que não quero morrer, porque depois nunca mais como.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

19 agosto, 2012

Pétala nº 82

“Procuro rir-me de tudo, com medo de um dia mais tarde chorar.”

Molière, dramaturgo francês (1622-1673)

18 agosto, 2012

Pétala nº 81

“Quem nunca aprendeu a querer como pode preferir?”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

17 agosto, 2012

Pétala nº 80

“Os homens casam-se por fadiga, as mulheres por curiosidade; ambos se desiludem.”

Oscar Wilde, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

16 agosto, 2012

Pétala nº 79

 “Há muitas tragédias que são devidas a falhas de comunicação.”

SusannaTamaro, escritora italiana (1957-), in “Um país para além do céu azul”, Ed. Presença, 2003

15 agosto, 2012

Pétala nº 78

“Nunca te comprometas demasiado; o próprio Deus já não chega para as encomendas.”

Autor desconhecido.

14 agosto, 2012

Pétala nº 77

“O problema da vida pública é aprender a dominar o terror; o problema da vida conjugal é aprender a dominar o tédio.”

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “O amor nos tempos da cólera”, Ed. Círculo de Leitores, 1987
Prémio Nobel de Literatura, 1982

13 agosto, 2012

Pétala nº 76

“Ser mulher é uma tarefa terrivelmente difícil, uma vez que consiste principalmente em lidar com homens.”

Joseph Conrad, escritor britânico (1857-1924)

12 agosto, 2012

Pétala nº 75

“A letra de Deus nem sempre é decifrável e ninguém conhece a língua em que escreveu a alma humana."

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

11 agosto, 2012

Pétala nº 74

“Somos feitos de carne mas temos de viver como se fossemos de ferro.”

Sigmund Freud, médico inglês, fundador da psicanálise (1856-1939)

(Enviada pela minha amiga Ana)

10 agosto, 2012

Pétala nº 73

“Só há um modo de escapar de um lugar: é sairmos de nós. Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-)

09 agosto, 2012

Pétala nº 72

"Faz o que o coração te manda. O coração deve ser o teu único guia."

John Updike, escritor americano (1932-), in “Corre, Coelho”, Ed. Civilização, 2006

08 agosto, 2012

Pétala nº 71

“Quanto mais longe fores, mais perto do fim estarás.”

Autor desconhecido.

07 agosto, 2012

Pétala nº 70

“Nada foi, nada será; tudo é, tudo tem realidade e presente.”
Hermann Hesse, escritor alemão (1877-1962), in “Siddhartha”, Ed. Casa das Letras, 1998
Prémio Nobel de Literatura, 1946

06 agosto, 2012

Pétala nº 69

“O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.”

Orson Welles, realizador e actor norte-americano (1915-1985)

05 agosto, 2012

Pétala nº 68

“Existimos enquanto alguém nos recorda.”

Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

04 agosto, 2012

Pétala nº 67

“Há vitórias que exaltam, outras que corrompem; derrotas que matam, outras que despertam.”

Antoine de Saint-Exupéry, escritor e aviador francês (1900-1944)

03 agosto, 2012

Pétala nº 66

“Um bom livro é o precioso sangue vital de um espírito mestre, embalsamado e entesourado de propósito para uma vida para lá da vida, e como tal deverá seguramente ser um bem de primeira necessidade.”

Penelope Fitzgerald, escritora inglesa (1916-2000), in “A livraria”, Ed. Clube do Autor, 2011

02 agosto, 2012

Pétala nº 65

“A nova cultura começa quando o trabalhador e o trabalho são tratados com respeito.”

Maximo Gorky, escritor russo (1868-1936)

01 agosto, 2012

Pétala nº 64

“Do coração dos homens não sei nada, nada de nada.”

Ford Madox Ford, escritor inglês (1873-1939), in “O bom soldado”, Ed. Teorema, 2004.