31 dezembro, 2015

Pétala nº 1314

“Não existe o bom e o mau: é o pensamento que os faz assim.” 

William Shakespeare, poeta e dramaturgo inglês (1564-1616)

30 dezembro, 2015

Pétala nº 1313

“A vida é sempre agora. Toda a nossa vida se desenrola neste constante Agora. Até os momentos passados ou futuros só existem se nos lembrarmos deles ou se os anteciparmos, e fazemo-lo pensando neles no único momento que existe: o momento presente.” 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “Um novo mundo”, Ed. Pergaminho, 2006

29 dezembro, 2015

Pétala nº 1312

“As sociedades que não seguram a justiça, criam a desordem.” 

Lídia Jorge, escritora portuguesa (1946-)

28 dezembro, 2015

Pétala nº 1311

“Não procure a felicidade. Se a procurar, não a encontrará, pois a busca é a antítese da felicidade.”

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “Um novo mundo”, Ed. Pergaminho, 2006

27 dezembro, 2015

Pétala nº 1310

“Procura fazer uma coisa que não fazes para ser pago; faz uma coisa que pagarias para fazer.”

António Homem, galerista português (1939-)

26 dezembro, 2015

Pétala nº 1309

“Ser uno com a vida é ser uno com o Agora”. 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “Um novo mundo”, Ed. Pergaminho, 2006

25 dezembro, 2015

Pétala nº 1308

“As nações são todas mistérios. Cada uma é todo o mundo a sós.” 

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

24 dezembro, 2015

Pétala nº 1307

“Facilmente desculpamos a criança que tem medo do escuro; a verdadeira tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz.” 

Platão, filósofo da Grécia Antiga (-428/-348)

23 dezembro, 2015

Pétala nº 1306

“Morra para o passado a cada instante. Você não precisa dele.” 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “O poder do agora”, Ed. Pergaminho, 2002

22 dezembro, 2015

Pétala nº 1305

"O livro é o elemento estrutural, o objecto que constitui o pilar fundamental de todas as artes.” 

Lídia Jorge, escritora portuguesa (1946-)

21 dezembro, 2015

Pétala nº 1304

“Não leia unicamente com a mente. Enquanto lê, fique atento a qualquer reacção emocional e a qualquer sensação de reconhecimento vinda do fundo de si.” 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “O poder do agora”, Ed. Pergaminho, 2002

20 dezembro, 2015

Pétala nº 1303

“O tempo tudo clarifica e não há estado de espírito que se mantenha inalterado com o passar das horas.” 

Thomas Mann, escritor alemão (1875-1955)

19 dezembro, 2015

Pétala nº 1302

“A negatividade nunca é a maneira ideal de lidar com qualquer situação.” 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “O poder do agora”, Ed. Pergaminho, 2002

18 dezembro, 2015

Pétala nº 1301

“Ninguém se julgue novo de mais para não estar morto amanhã! E ninguém é velho de mais para não poder durar mais um ano.” 

 Jorge Luis Borges, escritor argentino (1899-1986)

17 dezembro, 2015

Pétala nº 1300

“É vital dar espaço aos outros – e a si próprio. O amor não pode florescer sem espaço."          

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “O poder do agora”, Ed. Pergaminho, 2002

16 dezembro, 2015

Pétala nº 1299

“Não faças nada para o futuro; ocupa-te de cada dia. Não comprometas o teu presente por causa do futuro, porque o futuro é sempre surpreendente.” 

António Homem, galerista português (1939-)

15 dezembro, 2015

Pétala nº 1298

“A morte é uma maneira de se despir de tudo o que não é você próprio.” 

Eckhart Tolle, escritor e líder espiritual alemão 1948-), in “O poder do agora”, Ed. Pergaminho, 2002

14 dezembro, 2015

Pétala nº 1297

“A vida é um caminho de sombras e luzes. O importante é que se saiba vitalizar as sombras e aproveitar as luzes.”

Henri Bergson, filósofo e diplomata francês (1859-1941)

13 dezembro, 2015

Pétala nº 1296

“Os livros que tenho nas estantes formam um desenho de mim: o que quero lembrar e o que não quero esquecer.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Livro”, Ed. Quetzal, 2010

12 dezembro, 2015

Pétala nº 1295

“Os olhos e os ouvidos são maus testemunhos quando a alma não presta.” 

Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

11 dezembro, 2015

Pétala nº 1294

“Se desconfiarmos de nós próprios, desconfiamos sempre dos outros.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Livro”, Ed. Quetzal, 2010

10 dezembro, 2015

Pétala nº 1293

“Não é que tenhamos pouco tempo. Não podemos é esbanja-lo.” 

Séneca, filósofo da Roma Antiga (4aC- 65dC)

09 dezembro, 2015

Pétala nº 1292

“A solidão absoluta é infértil.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Livro”, Ed. Quetzal, 2010

08 dezembro, 2015

Pétala nº 1291

“Num tempo de engano universal, dizer a verdade é um acto revolucionário.” 

George Orwell, escrito inglês (1903-50)

07 dezembro, 2015

Pétala nº 1290

“As saudades turvam o tempo e, à distância, qualquer coisa má, péssima, pode transformar-se em qualquer coisa maravilhosa, uma especialidade.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Livro”, Ed. Quetzal, 2010

06 dezembro, 2015

Pétala nº 1289

“O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê.” 

Platão, filósofo da Grécia Antiga (-427/-347)

05 dezembro, 2015

Pétala nº 1288

“É preciso viver, não apenas existir.”

 Plutarco, historiador romano (45 dC-120 dC)

04 dezembro, 2015

Pétala nº 1287

“Não há absolutamente ninguém que faça um sacrifício sem esperar uma compensação. É tudo uma questão de mercado.” 

Cesare Pavese, escritor italiano (1908-50)

03 dezembro, 2015

Pétala nº 1286

“Um objectivo sem plano não passa de um desejo".

 Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44)

02 dezembro, 2015

Pétala nº 1285

“Olha à direita e à esquerda do tempo, e que o teu coração aprenda a estar tranquilo.” 

Federico García Lorca, poeta espanhol (1898-1936)

01 dezembro, 2015

Pétala nº 1284

“Nunca faltaram caminhos para chegar aonde a oculta vontade ambiciona: basta que se encontrem os pretextos.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983 
Prémio Nobel de Literatura,1998

30 novembro, 2015

Pétala nº 1283

“Todas as famílias felizes são mais ou menos diferentes; todas as famílias desgraçadas são mais ou menos iguais”.

Vladimir Nabokov, escritor russo (1899-1977)

29 novembro, 2015

Pétala nº 1282

“Despeço-me dos mortos, mas não para os esquecer. Esquecê-los, creio, seria o primeiro sinal de morte minha.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983 
Prémio Nobel de Literatura,1998

28 novembro, 2015

Pétala nº 1281

“Se não sabes escutar, não sabes falar.” 

 Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

27 novembro, 2015

Pétala nº 1280

“Que ninguém tenha pena de si próprio, é o primeiro mandamento do respeito humano…” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983 
Prémio Nobel de Literatura,1998

26 novembro, 2015

Pétala nº 1279

“Quem não desconfia de si não merece a confiança dos outros.” 

 Marquês de Maricá, filósofo e político brasileiro (1773-1848)

25 novembro, 2015

Pétala nº 1278

“A realidade é intraduzível porque é plástica, dinâmica.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983
Prémio Nobel de Literatura,1998

24 novembro, 2015

Pétala nº 1277

“Paremos de indagar o que o futuro nos reserva e recebamos como um presente o que quer que nos traga o dia de hoje.” 

Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

23 novembro, 2015

Pétala nº 1276

“No deserto, só o nada é tudo”.

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983 
Prémio Nobel de Literatura,1998

22 novembro, 2015

Pétala nº 1275

“O ciúme é absoluta confissão”.

 Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

21 novembro, 2015

Pétala nº 1274

“Mandam as regras do nosso jogo mundano não fazer perguntas quando se dá com amigos em transe sentimental: eles o dirão quando acharem necessário, se acharem necessário…” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983
Prémio Nobel de Literatura,1998

20 novembro, 2015

Pétala nº 1273

“Um único minuto de reconciliação vale mais do que toda uma vida de amizade.” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1927-2014 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

19 novembro, 2015

Pétala nº 1272

“Que é o tempo para quem neste exacto momento morre, sem ter sabido, pelo saber do entendimento, onde nasceu?” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983
Prémio Nobel de Literatura,1998

18 novembro, 2015

Pétala nº 1271

“O futuro permanece escondido até dos homens que o fazem.” 

 Anatole France, escritor francês (1844-1924)

17 novembro, 2015

Pétala nº 1270

"Nunca existiram grandes homens enquanto vivos. É a posteridade que os cria.” 

GUSTAVE FLAUBERT, escritor francês (1821-80)

16 novembro, 2015

Pétala nº 1269

“Quando se apanha um mentiroso, ele pode perguntar-nos – o que é a verdade? E o mais provável é termos de o deixar seguir.” 

Vergílio Ferreira, escritor português (1816-96)

15 novembro, 2015

Pétala nº 1268

“O comportamento das pessoas vive num mundo de possibilidades.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983
Prémio Nobel de Literatura,1998

14 novembro, 2015

Pétala nº 1267

“Há algo de ameaçador num silêncio prolongado.”

Sófocles, poeta da Grécia Antiga (-498/-406)

13 novembro, 2015

Pétala nº 1266

“Na pintura, vem sempre o momento em que o quadro não suporta nem mais uma pincelada.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de pintura e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983 
Prémio Nobel de Literatura,1998

12 novembro, 2015

Pétala nº 1265

“O exemplo é a escola da humanidade e só nela os homens poderão aprender.” 

 Edmund Burke, escritor e político irlandês (1729-97)

11 novembro, 2015

Pétala nº 1264

“No termo do verdadeiro amor há a morte e só o amor, no termo do qual está a morte, é amor.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

10 novembro, 2015

Pétala nº 1263

“O homem prudente não diz tudo quanto pensa, mas pensa em tudo quanto diz.” 

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

09 novembro, 2015

Pétala nº 1262

“Alguém que foi nosso e que nos ama e a quem amamos, transforma-se no nosso espelho, é a medida da nossa importância e do nosso mérito.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

08 novembro, 2015

Pétala nº 1261

“Aquele que não tem confiança nos outros não lhes pode ganhar a confiança.” 

 Lao-Tsé, filósofo da Grécia Antiga (570 a.C./490 a.C.)

07 novembro, 2015

Pétala nº 1260

“Se só fossemos responsáveis por as coisas de que temos consciência, então os imbecis estariam, a priori, isentos de qualquer culpa.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

06 novembro, 2015

Pétala nº 1259

“O sucesso torna as pessoas modestas, amigáveis e tolerantes; é o fracasso que as faz ásperas e ruins.”

Somerset Maugham, escritor inglês (1874-1965)

05 novembro, 2015

Pétala nº 1258

“O homem é responsável pela sua ignorância”. 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

04 novembro, 2015

Pétala nº 1257

“Diz não à liberdade que te oferecem, se ela é só a liberdade dos que ta querem oferecer.” 

Vergílio Ferreira, escritor português (1916-1996)

03 novembro, 2015

Pétala nº 1256

"Um suicídio resulta não de uma causa única mas, normalmente, de toda uma constelação de causas.”

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

02 novembro, 2015

Pétala nº 1255

“A memória guardará o que valer a pena. A memória sabe de mim mais do que eu; e ela não perde o que merece ser salvo.” 

Eduardo Galeano, escritor uruguaio (1940-2015)

01 novembro, 2015

Pétala nº 1254

“Noventa e nove por cento das palavras que se pronunciam são palavras vãs.” 

 Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

31 outubro, 2015

Pétala nº 1253

“Aquele que acreditar que o dinheiro fará tudo, pode bem ser suspeito de fazer tudo por dinheiro.” 

Benjamin Franklin, escritor e cientista norte-americano (1706-90)

30 outubro, 2015

Pétala nº 1252

“Atravessamos o presente de olhos vendados. No máximo, conseguimos pressentir e adivinhar aquilo que estamos a viver. Só mais tarde, quando se desata a venda e examinamos o passado, é que nos apercebemos daquilo que vivemos e compreendemos o seu sentido.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

29 outubro, 2015

Pétala nº 1251

“Nenhuma arte simula a vida como o cinema. Porque é uma acumulação, uma síntese de todas as artes.” 

Manoel de Oliveira, cineasta português (1908-2015)

28 outubro, 2015

Pétala nº 1250

“Qualquer vida tem um significado incalculável.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

27 outubro, 2015

Pétala nº 1249

“Os homens deviam ser o que parecem ou, pelo menos, não parecerem o que não são.” 

William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

26 outubro, 2015

Pétala nº 1248

“O corpo é uma coisa fortuita e impessoal; um mero artigo que se recebe de empréstimo e já confeccionado.” 

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “O livro dos amores risíveis”, Ed. BYS-Leya, 2014

25 outubro, 2015

Pétala nº 1247

“Há sempre mais miséria entre as classes mais baixas do que humanidade nas mais altas.” 

Victor Hugo, escritor francês (1802-85)

24 outubro, 2015

Pétala nº 1246

“A perfeição existe de passagem.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

23 outubro, 2015

Pétala nº 1245

“Prefiro o paraíso pelo clima e o inferno pelas companhias.” 

 Manoel de Oliveira, cineasta português (1908-2015)

22 outubro, 2015

Pétala nº 1244

“Com a idade aprendemos a cuidar das palavras.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

21 outubro, 2015

Pétala nº 1243

“Para o êxito, a atitude é tão importante como a capacidade.” 

 Walter Scott, poeta escocês (1771-1832)

20 outubro, 2015

Pétala nº 1242

“Nascer, viver, morrer são verdades universais e sequência natural.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

19 outubro, 2015

Pétala nº 1241

“O dinheiro que temos é o instrumentos da liberdade; aquele de que andamos atrás é o da servidão.” 

Jean-Jacques Rousseau, filósofo e escritor francês (1712-78)

18 outubro, 2015

Pétala nº 1240

“Nunca faltaram caminhos para chegar aonde a oculta vontade ambiciona: basta que se encontrem os pretextos.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

17 outubro, 2015

Pétala nº 1239

“Não se deve prejudicar ninguém, nem mesmo o mundo, para alcançar uma vitória.”

 Franz Kafka, escritor checo (1883-1924)

16 outubro, 2015

Pétala nº 1238

“Despeço-me dos mortos, mas não para os esquecer. Esquecê-los, creio, seria o primeiro sinal de morte minha.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

15 outubro, 2015

Pétala nº 1237

“A verdade é como o sol. Pode esconder-se durante algum tempo, mas não desaparece.”

 Elvis Presley, cantor norte-americano (1935-77)


14 outubro, 2015

Pétala nº 1236

“É preciso espantar o medo para que a vida não se encolha.” 

Rubem Alves, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

13 outubro, 2015

Pétala nº 1235

“O povo português é, essencialmente, cosmopolita. Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo.” 

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

12 outubro, 2015

Pétala nº 1234

“Mandam as regras do nosso jogo mundano não fazer perguntas quando se dá com amigos em transe sentimental: eles o dirão quando acharem necessário, se acharem necessário…” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

11 outubro, 2015

Pétala nº 1233

“A prudência é uma arma defensiva que supre ou desarma todas as outras.” 
MARQUÊS DE MARICÁ, filósofo e político brasileiro (1773-1848)

10 outubro, 2015

Pétala nº 1232

“No deserto, só o nada é tudo.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

09 outubro, 2015

Pétala nº 1231

“Muitos conseguem suportar a adversidade, mas poucos toleram o desprezo."

 Thomas Fuller, médico e orador inglês (1654-1734)

08 outubro, 2015

Pétala nº 1230

“A realidade é o intraduzível porque é plástica, dinâmica”. 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

07 outubro, 2015

Pétala nº 1229

“A origem da mentira está na imagem idealizada que temos de nós próprios e que desejamos impor aos outros.” 

Anais Nin, escritora francesa (1003-77)

06 outubro, 2015

Pétala nº 1228

“Que ninguém tenha pena de si próprio, é o primeiro mandamento do respeito humano.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 Prémio Nobel de Literatura,1998

05 outubro, 2015

Pétala nº 1227

“É muito mais triste merecer um castigo do que sofrê-lo”. 

Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

04 outubro, 2015

Pétala nº 1226

“O comportamento das pessoas vive num mundo de possibilidades.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

03 outubro, 2015

Pétala nº 1225

"Tudo deve ser discutido. Sobre isso não há discussão.”

Pitigrilli, escritor italiano (1893-1975)

02 outubro, 2015

Pétala nº 1224

“A memória não fixa o prazer, regista-o como uma qualidade, não como um valor.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Manual de escrita e caligrafia”, Ed. Caminho, 1983
Prémio Nobel de Literatura,1998

01 outubro, 2015

Pétala nº 1223

“Se não receio o erro, é porque estou sempre pronto a corrigi-lo.” 

 Bento de Jesus Caraça, matemático português (1901-48)

30 setembro, 2015

Pétala nº 1222

“Um dia, de repente, os filhos deixam de ser crianças e há que descobrir uma nova linguagem.” 

 Karin Fossum, escritora norueguesa (1954-), in “O olhar de um desconhecido”, Ed. Presença, 2005

29 setembro, 2015

Pétala nº 1221

“Sem esperança, não encontrarás o inesperado.”

Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

28 setembro, 2015

Pétala nº 1220

“Quando amamos verdadeiramente alguém, importa aceitar a sua parte de mistérios…” 

 Patrick Modiano, escritor francês (1945-.), in “No café da juventude perdida”, Ed. Asa, 2009 
 Prémio Nobel de Literatura, 2014

27 setembro, 2015

Pétala nº 1219

“Com ordem e tempo, descobre-se o segredo de tudo fazer, e fazer bem.” 

 Pitágoras, matemático da Grécia-Antiga (582-497 a.C.)

26 setembro, 2015

Pétala nº 1218

“Sempre acreditei que há lugares magnéticos que nos atraem quando nos encontramos nas proximidades.”

Patrick Modiano, escritor francês (1945-.), in “No café da juventude perdida”, Ed. Asa, 2009 
Prémio Nobel de Literatura, 2014

25 setembro, 2015

Pétala nº 1217

“O tempo não existe. É apenas uma convenção.”

Jorge Luis Borges, escritor argentino (1899-1986)

24 setembro, 2015

Pétala nº 1216

“Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995
Prémio Nobel de Literatura,1998

23 setembro, 2015

Pétala nº 1215

“Não procures esconder nada; o tempo vê, escuta e revela tudo”. 

 Sófocles, poeta da Grécia Antiga (-496/-406)

22 setembro, 2015

Pétala nº 1214

“Um estômago que trabalha em falso acorda cedo.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

21 setembro, 2015

Pétala nº 1213

”A ausência é a causa de todos os males.”

 Jean de La Fontaine, escritor francês (1621-95)

20 setembro, 2015

Pétala nº 1212

“Se não formos capazes de viver inteiramente como pessoas, ao menos façamos tudo para não viver inteiramente como animais.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a cegueira”, Ed. Caminho, 1995 
Prémio Nobel de Literatura,1998

19 setembro, 2015

Pétala nº 1211

“O mais terrível dos sentimentos é o de ter a esperança perdida.” 

 Federico García Lorca, poeta espanhol (1898-1936)

18 setembro, 2015

Pétala nº 1210

“Conheço o fracasso quando o vejo.” 

 Ian McEwan, escritor inglês (1948- ), in “Na praia de Chesil”, Ed. Gradiva, 2007

17 setembro, 2015

Pétala nº 1209

“Se comprares aquilo de que não careces, não tardarás a vender o que te é necessário.” 

 Benjamin Franklin, escritor e cientista norte-americano (1706-90)

16 setembro, 2015

Pétala nº1208

“O amor é o sentido de todas as palavras impossíveis.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

15 setembro, 2015

Pétala nº 1207

“A oposição produz a concórdia. Da discórdia surge a mais bela harmonia.” 

Heraclito, filósofo da Grécia-Antiga (-576/-480)

14 setembro, 2015

Pétala nº 1206

“Não se podem fazer pedidos à vida” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

13 setembro, 2015

Pétala nº 1205

“Alimentar-se de ilusões, é pôr o espírito a dieta.” 

 Jean Commerson, escritor francês (1802-79)

12 setembro, 2015

Pétala nº 1204

“Há momentos em que o medo é difícil de distinguir do pudor. A vergonha e o pudor são uma parte do medo.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

11 setembro, 2015

Pétala nº 1203

“É só quando esquecemos todos os nossos conhecimentos que começamos a saber.” 

 CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

10 setembro, 2015

Pétala nº 1202

“Não se deve ter vergonha de ser feliz por momentos.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

09 setembro, 2015

Pétala nº 1201

“Quanto mais grave é uma doença, maior tem de ser a esperança. Porque a função da esperança é preencher o que nos falta.” 

Vergílio Ferreira, escritor português (1916-96)

08 setembro, 2015

Pétala nº 1200

“O ciúme é o ódio e o medo.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

07 setembro, 2015

Pétala nº 1199

“Manter o corpo saudável é um dever… de outra forma não seremos capazes de manter a nossa mente forte e clara.” 

Buda, líder espiritual dos budistas (563aC-483 aC)

06 setembro, 2015

Pétala nº 1198

“O amor é o sangue do sol dentro do sol.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

05 setembro, 2015

Pétala nº 1197

“De tentação em tentação, de fraqueza em fraqueza, os compromissos de consciência levam um homem honrado à prática de todos os crimes.” 

Florbela Espanca, poetisa portuguesa (1894-1930)

04 setembro, 2015

Pétala nº 1196

“A beleza, como o amor, são mistérios proibidos.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Uma casa na escuridão”, Ed. Quetzal, 2000

03 setembro, 2015

Pétala nº 1195

“Sê a mudança que queres ver no mundo.”

 Mahatma Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

02 setembro, 2015

Pétala nº 1194

“Só morre 
Quem nunca viveu.” 

 Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Vagas e lumes”, Ed. Caminho, 2014

01 setembro, 2015

Pétala nº 1193

“É sempre melhor que quem nos incute medo tenha mais medo do que nós.” 

 Umberto Eco, escritor italiano (1932-)

31 agosto, 2015

Pétala nº 1192

“A certeza é feita de muitas dúvidas.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Nenhum olhar”, Ed. Quetzal, 2000

30 agosto, 2015

Pétala nº 1191

“Há pessoas tão pobres no mundo, que Deus não lhes pode aparecer a não ser sob a forma de pão.”

Mahatma Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

29 agosto, 2015

Pétala nº 1190

“Um homem sem certezas perde quase tudo de ser homem.” 

 José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Nenhum olhar”, Ed. Quetzal, 2000

28 agosto, 2015

Pétala nº 1189

“Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com que o mundo pareça um deserto.” 
FRANCIS BACON, filósofo inglês (1561-1626)

27 agosto, 2015

Pétala nº 1188

“Já sei muito. Sei uma coisa, Sei que não são os vestidos que fazem as mulheres mais ou menos bonitas, nem os cuidados de beleza, nem o preço dos cremes, nem a raridade, o preço dos enfeites.” 

Marguerite Duras, escritora francesa (1914-96), in “O amante”, Ed. Difel, 1992

26 agosto, 2015

Pétala nº 1187

“Coragem é a resistência ao medo, domínio do medo, e não a ausência do medo.” 

 Mark Twain, escritor norte-americano (1835-1910)

25 agosto, 2015

Pétala nº 1186

“Os beijos pelo corpo fazem chorar. Dir-se-ia que consolam.” 

 Marguerite Duras, escritora francesa (1914-96), in “O amante”, Ed. Difel, 1992

24 agosto, 2015

Pétala nº 1185

“A caricatura é mais forte que as restrições e que as proibições. É imortal porque é uma das facetas daquele diamante que se chama verdade.” 

 Eça de Queirós, escritor e diplomara português (1845-1900)

23 agosto, 2015

Pétala nº 1184

“A bondade não salva o ser humano.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A ilha”, Ed. Dom Quixote, 2012

22 agosto, 2015

Pétala nº 1183

“Os interesses particulares fazem esquecer os interesses públicos.” 

Montesquieu, filósofo francês (1689-1755)

21 agosto, 2015

Pétala nº 1182

“Toda a gente, incluindo nós próprios, forma uma ideia precipitada sobre o carácter de outra pessoa. Depois sofremos, durante a vida, as consequências dessa opinião precipitada.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A ilha”, Ed. Dom Quixote, 2012

20 agosto, 2015

Pétala nº 1181

“Há uma hora de partida mesmo quando não há lugar certo para onde ir.” 

Tennessee Williams, dramaturgo norte-americano (1911-83)

19 agosto, 2015

Pétala nº 1180

“O ser humano não é mais do que solidão. Uma solidão rodeado de solidões.” 

 Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “A festa da insignificância”, Ed. D. Quixote, 2014

18 agosto, 2015

Pétala nº 1179

“A insatisfação é o primeiro passo para o progresso de um homem ou de uma nação.” 

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

17 agosto, 2015

Pétala nº 1178

“A vida é uma luta de todos contra todos.” 

 Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “A festa da insignificância”, Ed. D. Quixote, 2014

16 agosto, 2015

Pétala nº 1177

“Devemos o progresso aos insatisfeitos.”

Aldous Huxley, escritor inglês (1894-1963)

15 agosto, 2015

Pétala nº 1176

“Normalmente, se mentimos é para enganar alguém e retirar disso uma qualquer vantagem.” 

 Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “A festa da insignificância”, Ed. D. Quixote, 2014

14 agosto, 2015

Pétala nº 1175

“A claridade é uma justa repartição de sombras e de luz.” 

Goethe, escritor alemão (1749-1832)

13 agosto, 2015

Pétala nº 1174

“O tempo corre. Graças a ele, em primeiro lugar somos seres vivos, o que quer dizer: acusados e julgados. Depois, morremos, e permanecemos ainda alguns anos com aqueles que nos conheceram, mas depressa se produz uma outra mudança: os mortos tornam-se velhos mortos, ninguém mais se lembra deles e desaparecem no nada.” 

 Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “A festa da insignificância”, Ed. D. Quixote, 2014

12 agosto, 2015

Pétala nº 1173

“É uma falta de responsabilidade esperarmos que alguém faça as coisas por nós.” 

John Lennon, cantor e compositor britânico (1940-1980)

11 agosto, 2015

Pétala nº 1172

“A insignificância, meu amigo, é a essência da existência. Está connosco sempre e em toda a parte. Está presente mesmo onde ninguém a quer ver: nos horrores, nas lutas sangrentas, nas piores infelicidades. Exige-se-nos muita coragem para a reconhecer em condições tão dramáticas e para a chamar pelo seu nome. Mas, não se trata apenas de a reconhecer, é preciso amá-la, à insignificância, é preciso aprender a amá-la.”

Milan Kundera, escritor checo (1929-), in “A festa da insignificância”, Ed. D. Quixote, 2014

10 agosto, 2015

Pétala nº 1171

“Para quê aproximar as pessoas, se é sabido que quanto mais se conhecem mais se odeiam?” 

 Archibald Ross, diplomata inglês (1867-1931)

09 agosto, 2015

Pétala nº 1170

“Leva-se milhares de anos a criar um ser humano. E só uns segundos a morrer.” 

 Jostein Gaarder, escritor norueguês (1952-), in “Maya – o romance da criação”, Ed. Presença, 2001

08 agosto, 2015

Pétala nº 1169

“O patriotismo é uma doença infantil, o sarampo da humanidade.” 

 Albert Einstein, físico alemão (1879-1955)

07 agosto, 2015

Pétala nº 1168

“A guerra não é ganha pela vitória”. 

Ernest Hemingway, escritor norte-americano (1899-1961), in “O adeus às armas”, Ed. Livros do Brasil, 2001 
 Prémio Nobel de Literatura, 1954

06 agosto, 2015

Pétala nº 1167

“Só aquele que não está a remar é que tem tempo para balançar o barco.” 

 Jean-Paul Sartre, filósofo francês (1905-80)

05 agosto, 2015

Pétala nº 1166

“Que casal não é infeliz pelo menos durante parte do tempo?” 

 Michael Cunningham, escritor norte-americano (1952-), in “Ao cair da noite”, Ed. Gradiva, 2010

04 agosto, 2015

Pétala nº 1165

“As dificuldades são o aço estrutural que entra na construção do carácter”.

Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro (1902-87)

03 agosto, 2015

Pétala nº 1164

“Num casamento prolongado, aprende-se a identificar uma imensidade de atmosferas e climas diferentes.”

 Michael Cunningham, escritor norte-americano (1952-), in “Ao cair da noite”, Ed. Gradiva, 2010

02 agosto, 2015

Pétala nº 1163

“É tão fácil enganar-se a si mesmo sem o perceber, como é difícil enganar os outros sem que percebam.”

 François de La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

01 agosto, 2015

Pétala nº 1162

“O modo como os segredos ardem na alma talvez seja semelhante ao incêndio de uma mina, que vai queimando em fumo lento.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “Divórcio em Buda”, Ed. D. Quixote, 2010

31 julho, 2015

Pétala nº 1161

“Conhecer um homem e conhecer o que tem dentro da cabeça são assuntos diferentes.” 

Ernest Hemingway, escritor norte-americano (1899-1961) 
Prémio Nobel de Literatura, 1954

30 julho, 2015

Pétala nº 1160

“Os afectos resfriam.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “Divórcio em Buda”, Ed. D. Quixote, 2010

29 julho, 2015

Pétala nº 1159

“De qualquer tipo que seja a pobreza, ela não é a causa da imoralidade, mas o efeito.” 

 Thomas Carlyle, historiador inglês (1795-1881)

28 julho, 2015

Pétala nº 1158

“Deus nos defenda das pessoas que se julgam mais inteligentes do que na verdade são.” 

 Michael Cunningham, escritor norte-americano (1952-), in “A rainha da neve”, Ed. Gradiva, 2014

27 julho, 2015

Pétala nº 1157

“Os perigo crescem se os desprezarmos.” 

Edmun Burke, escritor e político irlandês (1729-97)

26 julho, 2015

Pétala nº 1156

“Estar vivo é formidável.” 

 Michael Cunningham, escritor norte-americano (1952-), in “A rainha da neve”, Ed. Gradiva, 2014

25 julho, 2015

Pétala nº 1155

“A violência é o último refúgio dos incompetentes.” 

 Isaac Asimov, cientista e escritor norte-americano (1920-92)

24 julho, 2015

Pétala nº 1154

“As visões são respostas. Respostas implicam perguntas.” 

 Michael Cunningham, escritor norte-americano (1952-), in “A rainha da neve”, Ed. Gradiva, 2014

23 julho, 2015

Pétala nº 1153

“Quanto maior o poder, mais perigoso é o abuso”.

 Edmund Burke, político e filósofo irlandês (1729-97)

22 julho, 2015

Pétala nº 1152

“Os idosos sabem tudo sobre a sua morte, exceto exatamente quando vão morrer.” 

 Philip Roth, escritor- americano (1933-), in “Os factos”, Ed. D. Quixote, 2014

21 julho, 2015

Pétala nº 1151

“Cuidado com aqueles que estão sempre a ler livros.” 

 Charles Bukowski, poeta e romancista norte-americano (1920-94)

20 julho, 2015

Pétala nº 1150

“As recordações do passado não são recordações de factos mas recordações da nossa imaginação dos factos.” 

Philip Roth, escritor- americano (1933-), in “Os factos”, Ed. D. Quixote, 2014

19 julho, 2015

Pétala nº 1150

“Saber não ter ilusões é absolutamente necessário para se poder ter sonhos.” 

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

18 julho, 2015

Pétala nº 1149

“Quando passamos dos cinquenta temos necessidade de encontrar formas de nos tornarmos visíveis aos nossos próprios olhos.” 

Philip Roth, escritor- americano (1933-2018), in “Os factos”, Ed. D. Quixote, 2014

17 julho, 2015

Pétala nº 1148

“O medo não é real. Se enfrentarmos os nossos medos, podemos encontrar muito conforto.” 

Garrett McNamara, surfista americano (1967-)

16 julho, 2015

Pétala nº 1147

“Não sabemos nada de nós próprios.”

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

15 julho, 2015

Pétala nº 1146

“Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.” 

Vinicius de Moraes, poeta e compositor brasileiro (1913-80)

14 julho, 2015

Pétala nº 1145

“Uma pessoa compreende o mundo, pouco a pouco, e depois morre.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

13 julho, 2015

Pétala nº 1144

“O campo de batalha não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer.”
ABRAHAM LINCOLN, Presidente dos Estados Unidos da América (1809-65)

12 julho, 2015

Pétala nº 1143

“O destino entra pela porta que nós mesmos abrimos, convidando-o a passar.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

11 julho, 2015

Pétala nº 1142

“Não basta adquirir sabedoria; é preciso, além disso, saber utilizá-la.” 

 Cícero, filósofo da Roma-Antiga (-106/-43)

10 julho, 2015

Pétala nº 1141

“O homem e o seu destino seguram-se um ou outro, evocam-se e criam-se mutuamente.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

09 julho, 2015

Pétala nº 1140

“Nenhum dia é festivo por já ter nascido assim: seria igualzinho aos outros, se não fôssemos nós a “fazê-lo” diferente.” 

 José Saramago, escritor português (1922-2010) 
 Prémio Nobel de Literatura,1998

08 julho, 2015

Pétala nº 1139

“A amizade não é um estado de espírito ideal. A amizade é uma lei humana rigorosa.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

07 julho, 2015

Pétala nº 1138

"As contradições são uma parte essencial da vida e nunca deixam de dividir a pessoa.” 

Nelson Mandela, estadista sul-africano, (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

06 julho, 2015

Pétala nº 1137

“Não há nada na vida que possa compensar uma amizade.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

05 julho, 2015

Pétala nº 1136

“Nunca sabemos o valor da água até o poço secar.”

 Thomas Fuller, médico e orador inglês (1654-1734)

04 julho, 2015

Pétala nº 1135

“A memória da velhice aumenta e mostra cada pormenor com desenho nítido.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

03 julho, 2015

Pétala nº 1134

“Há ilusões que se parecem com a luz do dia; quando acabam, tudo com elas desaparece.” 

 Marguerite Duras, escritora francesa (1914-96)

02 julho, 2015

Pétala nº 1133

“Temos de suportar que as pessoas que amamos, não nos amem, ou que não nos amem como gostaríamos.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

01 julho, 2015

Pétala nº 1132

“É claramente mais importante tratar bem o nosso próximo do que estar sempre a rezar, a jejuar e a tocar com a cabeça num tapete de oração.” 

Naguib Mahfouz, escritor egípcio (1911-2006)         
Prémio Nobel de Literatura, 1998

30 junho, 2015

Pétala nº 1131

“Uma pessoa não peca com aquilo que faz, mas com a intenção, com a qual comete isto ou aquilo. A intenção é tudo.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

29 junho, 2015

Pétala nº 1130

“A moralidade é a melhor de todas as regras para orientar a humanidade.” 

 Friedriche Nietzsche, filósofo alemão (1844-1900)

28 junho, 2015

Pétala nº 1129

“A amizade é a relação humana mais nobre que pode haver entre os seres vivos humanos.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

27 junho, 2015

Pétala nº 1128

“Nada na vida deve ser receado. Tem apenas que ser compreendido.” 

 Marie Curie, cientista polaca (1867-1934)

26 junho, 2015

Pétala nº 1127

“Dois velhos amigos, quando o sol já se pôs sobre eles, têm muitas recordações.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

25 junho, 2015

Pétala nº 1126

“A diferença entre o possível e o impossível está na vontade humana.” 

Louis Pasteur, biólogo francês (1822-95)

24 junho, 2015

Pétala nº 1125

“Uma pessoa vive enquanto tem coisas para fazer nesta terra.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

23 junho, 2015

Pétala nº 1124

“Sejam quais forem os resultados, com êxito ou não, o importante é que no final cada um possa dizer: fiz o que pude.” 

Louis Pasteur, biólogo francês (1822-95)

22 junho, 2015

Pétala nº 1123

“A memória filtra tudo de uma maneira maravilhosa.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

21 junho, 2015

Pétala nº 1122

“A ciência não tem pátria.”

Louis Pasteur, biólogo francês (1822-95)

20 junho, 2015

Pétala nº 1121

“Aquilo que é importante não esqueces nunca.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

19 junho, 2015

Pétala nº 1120

“O primeiro requisito para um hospital é que não deve magoar o doente.” 

 Florence Nightingale, enfermeira britânica (1820-1910)

18 junho, 2015

Pétala nº 1119

“Uma pessoa sabe sempre a verdade, essa outra verdade que é oculta pelas representações, pelas máscaras e pelas circunstâncias da vida.” 

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

17 junho, 2015

Pétala nº 1118

“Quando vejo uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura, pelo que é, e respeito pelo que pode vir a ser.” 

Louis Pasteur, biólogo francês (1822-95)

16 junho, 2015

Pétala nº 1117

“Não há nada tão desejado pelo homem, como uma amizade desinteressada.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

15 junho, 2015

Pétala nº 1116

“O homem é aquilo que ele próprio faz.” 

 André Malraux, escritor e político francês (1901-76)

14 junho, 2015

Pétala nº 1115

“Existe um tipo de amizade que é mais profunda e mais densa do que a dos gémeos no útero materno.”

 Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

13 junho, 2015

Pétala nº 1114

“Alague o seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

12 junho, 2015

Pétala nº 1113

“O sentimento é mais forte que nós, mais fatal”. 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “As velas ardem até ao fim”, Ed. Dom Quixote, 2001

11 junho, 2015

Pétala nº 1112

“Cada novo início tem origem no final de um outro início.”

Séneca, filósofo e pensador romano (4 aC/-65)

10 junho, 2015

Pétala nº 1111

“Só os que tiveram fome podem saber o que significa a fome”. 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Islamismo”, Ed. Lua de papel, 2014

09 junho, 2015

Pétala nº 1110

“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.”

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

08 junho, 2015

Pétala nº 1109

“As pessoas esquecem a sua origem divina e este erro necessita de ser corrigido repetidas vezes.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Islamismo”, Ed. Lua de papel, 2014

07 junho, 2015

Pétala nº 1108

“O mundo recompensa com mais frequência as aparências do mérito do que o próprio mérito.” 

François de La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

06 junho, 2015

Pétala nº 1107

“Reconheçam que sabem o que sabem, e que são ignorantes no que não sabem.” 

Confúcio, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

05 junho, 2015

Pétala nº 1106

“Não há liberdade individual sem segurança e independência económicas. Populações com fome e sem emprego são a base das ditaduras.” 

Franklin Roosevelt, presidente dos EUA (1882-1945)

04 junho, 2015

Pétala nº 1105

“Nem compreendes a vida. Como poderás entender a morte.” 

Confúcio, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

03 junho, 2015

Pétala nº 1104

“Raramente pensamos no que temos, mas sempre no que nos falta.”

Arthur Schopenauer, filósofo alemão (1788-1860)

02 junho, 2015

Pétala nº 1103

“Aquele que ofende os deuses não tem ninguém a quem rezar.” 

Confúcio, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

01 junho, 2015

Pétala nº 1102

“A violência não é força, mas fraqueza, nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora.” 

Benedetto Croce, historiador, escritor e político italiano (1866-1952)

31 maio, 2015

Pétala nº 1101

“A vida é dura. Podemos desejar que assim não fosse, mas o desejo não muda a realidade.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

30 maio, 2015

Pétala nº 1100

“O exagero é sempre a exageração de algo que não o é.”

José Ortega Y Gasset, filósofo espanhol (1883-1955)

29 maio, 2015

Pétala nº 1099

“Quando todas as pessoas do mundo se amarem umas às outras, então a vontade forte não se imporá à fraca, a maioria não oprimirá a minoria, os ricos não troçarão dos pobres, os dignitários não desdenharão dos humildes e os espertos não enganarão os simples de espírito.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

28 maio, 2015

Pétala nº 1098

“Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família.” 

Benjamim Franklin, escritor, inventor, cientista americano (1706-90)

27 maio, 2015

Pétala nº 1097

“Os seres humanos são na natureza bons”. 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

26 maio, 2015

Pétala nº 1096

“Um beijo é um segredo dito à boca em vez de ao ouvido.”

Jean Rostand, biólgo, filósofo, historiador francês (1894-1977)

25 maio, 2015

Pétala nº 1095

“Não imponhas aos outros o que tu próprio não desejas.” 

Confúcio, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

24 maio, 2015

Pétala nº 1094

“Somos todos ilhas que gritam mentiras umas às outras através de mares de desentendimento.” 

Rudyard Kipling, escritor britânico (1865-1936)

23 maio, 2015

Pétala nº 1093

“Se o povo não tem confiança no seu governo, ele não se aguenta.” 

Confúcio, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Confucionismo e Taoísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

22 maio, 2015

Pétala nº 1092

“De nada vale tentar ajudar aqueles que não se ajudam a si mesmos.” 

Confúcio, sábio chinês  (-551/-479)

21 maio, 2015

Pétala nº 1091

“Os que têm muito devem ajudar a suportar o fardo dos menos afortunados.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-), in “A essência das religiões – Islamismo”, Ed. Lua de papel, 2014

20 maio, 2015

Pétala nº 1090

“O verdadeiro viajante é aquele que a cada novo lugar recomeça a aventura do seu nascimento.” 

Jacques Lacarrière, escritor francês (1925-2005)

19 maio, 2015

Pétala nº 1089

“Para ajudar alguém, é preciso que essa pessoa peça ajuda.” 

Alice Munro, escritora canadiana (1931-), in “O progresso do amor”, Ed. Relógio d’Água, 2013 
Prémio Nobel de Literatura, 2013

18 maio, 2015

Pétala nº 1088

“A melhor maneira de manter a sua palavra é não a dar.” 

Napoleão Bonaparte, imperador francês (1769-1821)

17 maio, 2015

Pétala nº 1087

“… quem quer uma mulher com dinheiro, tem de lhe aguentar também as manias.” 

Alice Munro, escritora canadiana (1931-), in “O progresso do amor”, Ed. Relógio d’Água, 2013 
Prémio Nobel de Literatura, 2013

16 maio, 2015

Pétala nº 1086

“Não temas tanto a morte mas sobretudo a vida desaproveitada.” 

Bertolt Brecht, dramaturgo alemão (1898-1956)

15 maio, 2015

Pétala nº 1085

“Os laços do matrimónio não se desatam sem dor, só com o puxão da distância. É preciso que tenham havido golpes e torções.” 

Alice Munro, escritora canadiana (1931-), in “O progresso do amor”, Ed. Relógio d’Água, 2013 
Prémio Nobel de Literatura, 2013

14 maio, 2015

Pétala nº 1084

“É fácil ser rico sem ser arrogante. Já não é tão fácil ser pobre sem murmurar.” 

Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

13 maio, 2015

Pétala nº 1083

“Um pingo de ódio na tua alma é o suficiente para descolorir tudo, como um pingo de tinta preta no leite.”

Alice Munro, escritora canadiana (1931-), in “O progresso do amor”, Ed. Relógio d’Água, 2013 
Prémio Nobel de Literatura, 2013

12 maio, 2015

Pétala nº 1082

“O ganho é transitório e incerto; mas durante a vida, a despesa é constante e certa.” 

Benjamim Franklim, escritor e cientista norte-americano (1706-90)

11 maio, 2015

Pétala nº 1081

“Mesmo que vivamos atormentados por problemas, que sejamos doentes e pobres e feios, temos uma alma para carregar vida fora como um tesouro numa salva.” 

Alice Munro, escritora canadiana (1931-), in “O progresso do amor”, Ed. Relógio d’Água, 2013 
Prémio Nobel de Literatura, 2013

10 maio, 2015

Pétala nº 1080

“A canção, expressão da melancolia, do amor, do entusiasmo, só morrerá se estes sentimentos morrerem; ela é, como o suspiro, como o grito, um dos movimentos naturais da alma.”

Eça de Queirós, escritor e diplomata português (1845-1900)

09 maio, 2015

Pétala nº 1079

“Aquele que dá os maiores passos não é o que viajará mais longe.” 

Ditado chinês, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Budismo”, Ed. Lua de papel, 2014

08 maio, 2015

Pétala nº 1078

“A riqueza de um homem é proporcional não ao número de bens que ele pode possuir, mas ao número de coisas a que ele pode renunciar.” 

Henry David Thoreau, escritor e filósofo americano (1817-62)

07 maio, 2015

Pétala nº 1077

"Entender uma coisa é libertarmo-nos dela.” 

Espinoza, citado por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Budismo”, Ed. Lua de papel, 2014

06 maio, 2015

Pétala nº 1076

“Caminhais em direcção da solidão. Eu não, eu tenho os livros.”

Marguerite Duras, escritora e realizadora francesa (1914-96)

05 maio, 2015

Pétala nº 1075

“Todas as coisas podem ser dominadas pela consciência.” 

Máxima budista, citada por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Budismo”, Ed. Lua de papel, 2014

04 maio, 2015

Pétala nº 1074

“Aquele que nunca viu a tristeza nunca reconhecerá a alegria.” 

Khalil Gibran, poeta libanês (1883-1931)

03 maio, 2015

Pétala nº 1073

“Tudo o que somos é resultado de tudo o que pensámos.” 

Máxima budista, citada por Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Budismo”, Ed. Lua de papel, 2014

02 maio, 2015

Pétala nº 1072

“Não é bom ser criança; bom é quando somos velhos, pensar em quando eramos crianças.” 

Cesare Pavese, escritor italiano (1908-50)

01 maio, 2015

Pétala nº 1071

“… sabe qual é o único meio de avaliar o quanto ama uma pessoa? É perdê-la.” 

Joël Dicker, escritor suíço (1985-), in “A verdade sobre o caso Harry Quebert”, Ed. Alfaguara, 2013

30 abril, 2015

Pétala nº 1070

“O amor é muito complicado. É, ao mesmo tempo, a mais extraordinária e a pior das coisas que pode acontecer.” 

Joël Dicker, escritor suíço (1985-), in “A verdade sobre o caso Harry Quebert”, Ed. Alfaguara, 2013

29 abril, 2015

Pétala nº 1069

“Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar as minhas opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-77)

28 abril, 2015

Pétala nº 1068

“A vida é uma longa queda… O importante é saber cair.” 

Joël Dicker, escritor suíço (1985-), in “A verdade sobre o caso Harry Quebert”, Ed. Alfaguara, 2013

27 abril, 2015

Pétala nº 1067

“Se não tivéssemos orgulho, não nos queixaríamos dos outros.” 

François de La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

26 abril, 2015

Pétala nº 1066

“Amor, sensualidade e sexualidade são consequências, manifestações disfarçadas de um fenómeno maravilhoso que habita no mundo dos seres humanos e, às vezes, consegue ganhar forma.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A Irmã”, Ed. Dom Quixote, 2013

25 abril, 2015

Pétala nº 1065

“O tempo é uma locomotiva que nos conduz a certa estação, na qual não há bilhetes de volta.” 

 Jean Commerson, escritor e dramaturgo francês (1802-79)

24 abril, 2015

Pétala nº 1064

“A vida é um veneno, quando apenas serve para a vaidade, a ambição e a inveja.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A Irmã”, Ed. Dom Quixote, 2013

23 abril, 2015

Pétala nº 1063

“Assim que nascemos, choramos por nos vermos neste imenso palco de loucos.” 

William Shakespeare, dramaturgo inglês (1564-1616)

22 abril, 2015

Pétala nº 1062

“A música é um laço impessoal entre o homem e o universo, um vínculo imaterial”. 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A Irmã”, Ed. Dom Quixote, 2013