31 dezembro, 2014

Pétala nº 949

"O negócio pode trazer dinheiro, mas a amizade raramente o faz." 

Jane Austen, escritora inglesa (1775-1817)

30 dezembro, 2014

Pétala nº 948

“Pode estar-se vezes sem fim diante do espelho sem realmente uma pessoa se ver.” 

John Steinbeck, escritor americano (1902-68), in “O inverno do nosso descontentamento”, Ed. Circulo de Leitores, 1993 
Prémio Nobel de Literatura, 1962

29 dezembro, 2014

Pétala nº 947

"Depois da virtude, é o conhecimento o que eleva um homem sobre os demais." 

Joseph Addison, poeta e ensaísta inglês (1672-1719)

28 dezembro, 2014

Pétala nº 946

“Há dois géneros essenciais de solidão: a de não termos encontrado ninguém a quem amar, e a de termos sido privados da pessoas que amávamos. A primeira é pior.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

27 dezembro, 2014

Pétala nº 945

“Ao querermos, enganamo-nos muitas vezes. Mas quando nunca queremos, enganamo-nos sempre.”

Romain Rolland, escritor e compositor francês (1866-1944)

26 dezembro, 2014

Pétala nº 944

“… nem todos dão valor ao amor conjugal. Alguns veem nele timidez, outros possessividade.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

25 dezembro, 2014

Pétala nº 943

“A persistência é o caminho do êxito”.

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

24 dezembro, 2014

Pétala nº 942

“… o facto de alguém estar morto pode querer dizer que não está vivo, mas não quer dizer que não exista.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

23 dezembro, 2014

Pétala nº 941

“Não é verdade que as pessoas param de perseguir os sonhos porque estão a ficar velhas, elas estão a ficar velhas porque pararam de perseguir os sonhos.” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1927-2014) 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

22 dezembro, 2014

Pétala nº 940

“A memória – o arquivo da mente – falha.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

21 dezembro, 2014

Pétala nº 939

“Vence quem pensa só o que precisa para vencer”.

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

20 dezembro, 2014

Pétala nº 938

“Os desgostos não se explicam uns aos outros, mas podem coincidir.” 

 Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

19 dezembro, 2014

Pétala nº 937

“Uma relação nem sempre termina porque não é feliz. Às vezes termina para preservar a felicidade da memória.”

 Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

18 dezembro, 2014

Pétala nº 936

“O desgosto é uma condição humana e não médica e, se há comprimidos para nos ajudar a esquecê-lo – e tudo o resto – não há comprimidos para o curar.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

17 dezembro, 2014

Pétala nº 935

"A escrita não é senão ritmo."

Virginia Woolf, escritora inglesa (1882 - 1941)

16 dezembro, 2014

Pétala nº 934

“Mas. É uma palavra que a vida nos impõe mais vezes do que desejamos, mais vezes do que imaginamos.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

15 dezembro, 2014

Pétala nº 933

“Se não formos capazes de perdoar não vale a pena vencer.”

 Victor Hugo, escritor francês (1802-59)

14 dezembro, 2014

Pétala nº 932

“… o amor é o ponto onde se encontram a verdade e a magia.” 

 Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

13 dezembro, 2014

Pétala nº 931

“Seja imprudente porque quando se anda em linha recta, não há histórias para contar.” 

 Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

12 dezembro, 2014

Pétala nº 930

“Todas as histórias de amor são potenciais histórias de dor. Se não no princípio, depois. Se não para um, para o outro. Às vezes para ambos.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

11 dezembro, 2014

Pétala nº 929

"Os progressos obtidos por meio do ensino são lentos; já os obtidos por meio de exemplos são mais imediatos e eficazes.” 

Séneca, filósofo da Roma Antiga (-4/65)

10 dezembro, 2014

Pétala nº 928

“Juntamos duas pessoas que ainda não se tinham juntado; e às vezes o mundo transforma-se, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

09 dezembro, 2014

Pétala nº 927

“O mais difícil não é inventar novas ideias, mas sim escapar às velhas.” 

John Keynes, economista britânico (1883-1946)

08 dezembro, 2014

Pétala nº 926

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado; e umas vezes resulta, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

07 dezembro, 2014

Pétala nº 925

“Porque se representa a Verdade nua? Para que cada um a vista como lhe pareça.” 

Raymond Aron, sociólogo, filósofo e político francês (1905-83)

06 dezembro, 2014

Pétala nº 924

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado. E o mundo transforma-se.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

05 dezembro, 2014

Pétala nº 923

“Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.” 

George Bernard Show, escritor irlandês (1856-1950)

04 dezembro, 2014

Pétala nº 922

“Se quiser amar alguém, ame-o agora. Ame-o, porque ninguém sabe o que vai acontecer no momento que se segue." 

 Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

03 dezembro, 2014

Pétala nº 921

“Há dois géneros essenciais de solidão: a de não termos encontrado ninguém para amar, e a de termos sido privados da pessoa que amávamos. A primeira é pior.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

02 dezembro, 2014

Pétala nº 920

“Uma vez que é incapaz de se amar a si próprio, nunca mais será capaz de amar alguém. Essa é a verdade absoluta, sem quaisquer excepções." 

 Huston Smith, professor de religião chinês (1914-), in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

01 dezembro, 2014

Pétala nº 919

“… nem todos dão valor ao amor conjugal. Alguns veem nele timidez, outros possessividade.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

30 novembro, 2014

Pétala nº 918

“O que não nos mata torna-nos mais fortes.” 

Friedrich Nietzsche, filólogo, filósofo, poeta e compositor alemão (1844-1900)

29 novembro, 2014

Pétala nº 917

“O facto de alguém estar morto pode querer dizer que não está vivo, mas não quer dizer que não exista.”

 Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

28 novembro, 2014

Pétala nº 916

“O que não temos encontramos no amigo.”

Carlos Fuentes, escritor mexicano (1928-2012)

27 novembro, 2014

Pétala nº 915

“… quando procuro ir ao fundo da memória, falho.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

26 novembro, 2014

Pétala nº 914

"Escrevemos porque não queremos morrer. É esta a razão profunda do ato de escrever." 

José Saramago, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

25 novembro, 2014

Pétala nº 913

“Os desgostos não se explicam uns aos outros, mas podem coincidir.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

24 novembro, 2014

Pétala nº 912

“O erro está no meio, bem mais do que nos princípios.”

Napoleão Bonaparte, imperador francês (1769-1821)

23 novembro, 2014

Pétala nº 911

“O desgosto é uma condição humana e não médica e, se há comprimidos para nos ajudar a esquecê-lo – e tudo o resto – não há comprimidos para o curar.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

22 novembro, 2014

Pétala nº 910

“Não basta ver para ver, é necessário olhar para o que se vê.” 

 António Vieira, padre e escritor português (1608-97)

21 novembro, 2014

Pétala nº 909

Mas. É uma palavra que a vida nos impõe mais vezes do que desejamos, mais vezes do que imaginamos.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

20 novembro, 2014

Pétala nº 908

"Não te satisfaças com o programa de um partido; inventa melhor.”

 Agostinho da Silva, filósofo e ensaísta português (1906-96)

19 novembro, 2014

Pétala nº 907

“Para ensinar, há uma formalidade a cumprir – saber.” 
Eça de Queirós, escritor e diplomata português (1845-1900)

18 novembro, 2014

Pétala nº 906

“O historiador é um homem que põe os factos nos seus devidos lugares. Não é como foi; é assim mesmo.”

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

17 novembro, 2014

Pétala nº 905

“Juntamos duas pessoas que ainda não se tinham juntado; e às vezes o mundo transforma-se, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

16 novembro, 2014

Pétala nº 904

“Aquilo que nós mesmos escolhemos é muito pouco: a vida e as circunstâncias fazem quase tudo.” 

John R.R.Tolkien, escritor sul-africano (1892-1973)

15 novembro, 2014

Pétala nº 903

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado; e umas vezes resulta, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

14 novembro, 2014

Pétala nº 902

“Discussão prolongada significa que ambas as partes estão erradas.” 

Voltaire, filósofo e historiador francês (1694-1778)

13 novembro, 2014

Pétala nº 901

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado. E o mundo transforma-se.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

12 novembro, 2014

Pétala nº 900

“Perder uma ilusão torna-nos mais sábios do que encontrar uma verdade.” 

Karl Ludwig Bore, escritor alemão (1786-1837)

11 novembro, 2014

Pétala nº 899

“A pobreza nota-se nos olhos” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-2014), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

10 novembro, 2014

Pétala nº 898

“Há pessoas neste mundo que gastam todo o seu tempo à procura da justiça, não lhes sobrando tempo algum para a praticarem.” 
Henry Billings Brown, juiz norte-americano (1836-1913)

09 novembro, 2014

Pétala nº 897

“Até à adolescência, a memória tem mais interesse no futuro do que no passado.” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1982

08 novembro, 2014

Pétala nº 896

“Quem teme ser vencido tem a certeza da derrota.”

Napoleão Bonaparte, imperador francês (1769-1821)

07 novembro, 2014

Pétala nº 895

“As mentiras das crianças são sinais de um grande talento”. 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1982

06 novembro, 2014

Pétala nº 894

“A força não provém da capacidade física, mas da vontade férrea.” 

Mahatma Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

05 novembro, 2014

Pétala nº 893

“Aquilo que se passa em casa é o que tentamos proteger, o melhor que podemos, pelo tempo que podemos.” 

Alice Munro, escritor canadiana (1931-), in “Fugas”, Ed. Relógio d’Água, 2007
Prémio Nobel de Literaruta, 2013

04 novembro, 2014

Pétala nº 892

“O óbvio é a verdade mais difícil de se enxergar.”

CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

03 novembro, 2014

Pétala nº 891

“Certas vidas são mais apagadas do que outras, mas é só porque temos tanta coisa em que pensar, acabamos por não reparar nelas e lá vem o dia em que os arrependemos.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

02 novembro, 2014

Pétala º 890

“A maioria das pessoas que pede conselho aos outros já decidiu actuar como lhe apraz.” 

Khalil Gibran, poeta libanês (1883-1931)

01 novembro, 2014

Pétala nº 889

“Pudéssemos nós atar os fios soltos, e o mundo seria a mais forte e justificada de todas as coisas.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998  
Prémio Nobel de Literatura, 1998

31 outubro, 2014

Pétala nº 888

"Quem procura a glória não a merece, quem a merece não a procura.” 

Vergílio Ferreira, escritor português (1916-96)

30 outubro, 2014

Pétala nº 887

“As vergonhas da ignorância são as que mais custam a confessar.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

29 outubro, 2014

Pétala nº 886

“A dificuldade é um severo instrutor.”

Edmund Burke, escritor irlandês (1729-97)

28 outubro, 2014

Pétala nº 885

“Quando um homem se queixa, alguma coisa lhe dói.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

27 outubro, 2014

Pétala nº 884

“As pessoas hoje conhecem o preço de tudo e o valor de nada.” 

Oscar Wilde, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

26 outubro, 2014

Pétala nº 883

“A ganância leva-nos à beira do abismo.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

25 outubro, 2014

Pétala nº 882

“É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta.” 

Simone de Beauvoir, escritora e feminista francesa (1908-86)

24 outubro, 2014

Pétala nº 881

“Se a tua descrição de um amigo é alguém disposto a morrer por ti, então tu não tens amigos.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

23 outubro, 2014

Pétala nº 880

“Os erros passam, a verdade fica.”

Denis Diderot, filósofo francês (1713-84)

22 outubro, 2014

Pétala nº 879

"Não desejo pintar o mundo com cores mais sombrias do que aquelas que ele ostenta, mas à medida que o mundo dá lugar às trevas, torna-se cada vez mais difícil iludir a percepção de que o mundo é, afinal, a nossa pessoa. É uma coisa que nós próprios criámos, nem mais, nem menos. E, quando deixarmos de existir, o mesmo sucederá com o mundo. Haverá outros mundos.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

21 outubro, 2014

Pétala nº 878

“Os homens são como as obras de arte: é preciso que se não entenda tudo delas duma só vez”. 

Miguel Torga, escritor português (1907-95)

20 outubro, 2014

Pétala nº 877

“Não gosto de me enganar acerca da natureza humana.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

19 outubro, 2014

Pétala nº 876

“A vida não pode existir em sociedade senão através de concessões recíprocas." 

Samuel Johnson, escritor inglês (1709-84)

18 outubro, 2014

Pétala nº 875

“Não conhecemos uma pessoa até sabermos o que ela quer.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

17 outubro, 2014

Pétala nº 874

“Aprender várias línguas é questão de um ou dois anos; ser eloquente na sua própria exige metade de uma vida.” 

Voltaire, filósofo e historiador francês (1694-1778)

16 outubro, 2014

Pétala nº 873

“Não há nada mais nobre do que anunciarmos às trevas que não nos deixaremos amesquinhar pela brevidade das nossas vidas. Que não deixaremos que isso nos reduza à insignificância.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

15 outubro, 2014

Pétala nº 872

“Fazer filmes é bom, mas ver filmes é muito melhor”

Alain Resnais, cineasta francês (1922-2014)

14 outubro, 2014

Pétala nº 871

“… só os nossos segredos dão a medida do mal que temos cá dentro.” 

Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933-), in “O Conselheiro”, Ed. Relógio d’Água, 2013

13 outubro, 2014

Pétala nº 870

“Vista pelos jovens, a vida é um futuro infinitamente longo; vista pelos velhos, um passado muito breve.”

 Arthur Schopenhauer, filósofo alemão (1788-1860)

12 outubro, 2014

Pétala nº 869

“Somos limitados na alegria, no saber e no ser, as três coisas que as pessoas realmente querem”. 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

11 outubro, 2014

Pétala nº 868

“As pessoas acham que uma coisa que não pode ser explicada por palavras não existe. Julgam que capacidade de exprimir e existência são sinónimos. Mas não é verdade." 

 Osho, filósofo indiano (1931-90)

10 outubro, 2014

Pétala nº 867

“O que é um ser humano? Um corpo? Certamente. Mas algo mais. Uma personalidade que inclui pensamentos, recordações e inclinações resultantes de uma trajectória única de experiências de vida? Isto também, mas ainda algo mais?”

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

09 outubro, 2014

Pétala nº 866

”Tentar apagar a ânsia de riquezas com dinheiro é como tentar apagar um fogo deitando-lhe manteiga por cima.” 

Provérbio hindu.

08 outubro, 2014

Pétala nº 865

“Todos somos insaciavelmente curiosos.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

07 outubro, 2014

Pétala nº 864

“A verdade é o princípio soberano”.

Mahatma Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

06 outubro, 2014

Pétala nº 863

“Riqueza, fama e poder são exclusivos, daí competitivos, e daí precários.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

05 outubro, 2014

Pétala nº 862

“O silêncio é um amigo que nunca trai.”

Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

04 outubro, 2014

Pétala nº 861

“É indispensável um nadinha de sucesso mundano para se sustentar um lar e desempenhar deveres cívicos com responsabilidade.” 

Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

03 outubro, 2014

Pétala nº 860

"Quando amamos, o nosso amor é tão grande que é suficiente estarmos sentados de mãos dadas, sem pronunciarmos uma única palavra." 

Osho, filósofo indiano (1931-90)

02 outubro, 2014

Pétala nº 859

“Se é o prazer que quer, não suprima o desejo, procure-o com inteligência.” 

 Huston Smith, professor de religião chinês (1914-) in “A essência das religiões – Hinduísmo”, Ed. Lua de papel, 2014

01 outubro, 2014

Pétala nº 858

“O essencial carnavalesco não é pôr a careta, mas sim tirar a máscara.” 

 António Machado, poeta espanhol (1875-1939)

30 setembro, 2014

Pétala nº 857

“A solidão inventa espelhos”. 

 Juan Marsé, escritor espanhol (1933-), in “O amante bilingue", Ed. D. Quixote, 2013

29 setembro, 2014

Pétala nº 856

“A mesma rocha que bloqueia o caminho poderá funcionar como um degrau.”

 Osho, filósofo indiano (1931-90)

28 setembro, 2014

Pétala nº 855

“Certas relações harmoniosas criam-se e duram graças a um sistema complexo de pequenas inverdades, de renúncias, uma espécie de bailado cúmplice de gestos e posturas, tudo resumível no nunca assaz citado provérbio, ou sentença, que muito melhor lhe assenta esta designação, Tu que sabes e eu que sei, cala-te tu, que eu me calarei.” 

 José Saramago, escritor português (1922-2010), in “História do cerco de Lisboa”, Ed. Caminho, 1989
 Prémio Nobel de Literatura, 1998

27 setembro, 2014

Pétala nº 854

“O aspecto mais triste da vida actual é que a ciência ganha em conhecimento mais rapidamente que a sociedade em sabedoria.” 

Isaac Asimov, escritor americano, nascido na Rússia (1920-92)

26 setembro, 2014

Pétala nº 853

“… talvez os homens nasçam com a verdade dentro de si e só não a digam porque não acreditam que ela seja a verdade.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O Evangelho segundo Jesus Cristo”, Ed. Caminho, 1992 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

25 setembro, 2014

Pétala nº 852

“Uma das situações da vida mais cheias de esperanças é aquela em que estamos tão mal que já não poderíamos estar pior.” 

 Thomas Mann, escritor alemão (1875 - 1955)

24 setembro, 2014

Pétala nº 851

“O barro ao barro, o pó ao pó, a terra à terra, nada começa que não tenha de acabar, tudo o que começa nasce do que acabou.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O Evangelho segundo Jesus Cristo”, Ed. Caminho, 1992 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

23 setembro, 2014

Pétala nº 850

“O sábio procura o que está nele próprio; o tolo, o que está fora dele.”

Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

22 setembro, 2014

Pétala nº 849

“Em verdade, em verdade vos digo que muitas coisas neste mundo poderiam saber-se antes de acontecerem outras que dela são fruto, se, um com o outro, fosse costume falarem marido e mulher como marido e mulher. 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O Evangelho segundo Jesus Cristo”, Ed. Caminho, 1992 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

21 setembro, 2014

Pétala nº 848

“Se eu vi mais longe foi por estar de pé sobre os ombros de gigantes.” 

 Isaac Newton, cientista inglês (1643-1727)

20 setembro, 2014

Pétala nº 847

“O passado é um imenso pedregal que muitos gostariam de percorrer como se de uma auto-estrada se tratasse, enquanto outros, pacientemente, vão de pedra em pedra, e as levantam, porque precisam de saber o que há por baixo delas.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

19 setembro, 2014

Pétala nº 846

“A morte pode representar no itinerário pessoal, e nos caminhos entrecruzados e comuns, a oportunidade para olharmos a vida mais profundamente.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

18 setembro, 2014

Pétala nº 845

“Sinais e avisos são fáceis de interpretar se estivermos de olho atento.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

17 setembro, 2014

Pétala nº 844

“Nunca se pode planear o futuro pelo passado.”

Edmund Burke, escritor e político irlandês (1729-97)

16 setembro, 2014

Pétala nº 843

“Costuma-se dizer que as paredes têm ouvidos, imagine-se o tamanho que terão as orelhas das estrelas.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A viagem do elefante”, Ed. Caminho, 2008 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

15 setembro, 2014

Pétala nº 842

“Os homens erram, os grandes homens confessam que erraram.” 

Voltaire, filósofo e historiador francês (1694-1778)

14 setembro, 2014

Pétala nº 841

“… talvez as lágrimas não sejam mais do que isso, o alívio duma ofensa.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O memorial do convento”, Ed. Caminho, 1989 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

13 setembro, 2014

Pétala nº 840

“Todas as decepções são secundárias. O único mal irreparável é o desaparecimento físico de alguém a quem amamos.” 

Romain Rolland, novelista e compositor francês (1866-1944)

12 setembro, 2014

Pétala nº 839

“Além da conversa das mulheres, são os sonhos que seguram o mundo na sua órbita.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Memorial do convento”, Ed. Caminho, 1989 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

11 setembro, 2014

Pétala nº 838

“A paixão quer que tudo seja eterno, mas a natureza impõe que tudo acabe.” 

Denis Diderot, filósofo e escritor francês (1713-84)

10 setembro, 2014

Pétala nº 837

“O passado não se pode repetir.”

F. Scott Fitzgerald, escritor americano (1896-1940), in “O grande Gatsby”, Ed. Presença, 1985

09 setembro, 2014

Pétala nº 836

"Tantas pessoas que escrevem e tão poucas que leem!"

 André Gide, escritor francês (1869 - 1951)

08 setembro, 2014

Pétala nº 835

“Aprendamos a manifestar a nossa amizade a um homem enquanto ele é vivo, e não depois dele estar morto.” 

F. Scott Fitzgerald, escritor americano (1896-1940), in “O grande Gatsby”, Ed. Presença, 1985

07 setembro, 2014

Pétala nº 834

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os caminhos que nos levam sempre ao mesmo lugar." 

Fernando Pessoa, poeta português (poeta português (1888-1935)

06 setembro, 2014

Pétala nº 833

“Quando te sentires com vontade de criticar alguém, lembra-te disto: nem todos tiveram neste mundo as vantagens que tu tiveste.”

F. Scott Fitzgerald, escritor americano (1896-1940), in “O grande Gatsby”, Ed. Presença, 1985

05 setembro, 2014

Pétala nº 832

“As desventuras que mais atingem os homens são aquelas que são escolhidas por eles.”

Sófocles, poeta da Grécia Antiga (-496/-406)

04 setembro, 2014

Pétala nº 831

“Há um momento em que todos querem fugir de casa, mesmo que se dêem bem com a família. Sentem que têm de partir por causa de algo que fizeram, ou que querem fazer, ou talvez nem saibam porquê. Talvez seja como uma fome lenta que os faz sentir que têm de ir embora em busca de qualquer coisa.” 

 Carson McCullers, escritora americana (1917-67), in “Contos Escolhidos”, Ed. Relógio d’Água, 2012

03 setembro, 2014

Pétala nº 830

“É tão fácil enganar-se a si mesmo sem o perceber como é difícil enganar os outros sem que o percebam.”

 La Rochefoucauld, escritor e moralista francês (1613-80)

02 setembro, 2014

Pétala nº 829

“… não há nada de bom que possa nascer do pecado.” 

André Gide, escritor francês (1869-1951), in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004 
Prémio Nobel de Literatura, 1947

01 setembro, 2014

Pétala nº 828

“Do sublime ao ridículo, só um passo é necessário.”

Napoleão Bonaparte, líder político e militar francês (1769-1821)

31 agosto, 2014

Pétala nº 827

“O deserto é o lugar onde surgem as miragens, onde se desencadeiam os pensamentos, onde se manifestam os demónios.” 

 Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in "Todo o anjo é terrível”, Ed. Presença, 2013

30 agosto, 2014

Pétala nº 826

“Escrever é uma maneira de falar sem ser interrompido.”

Jules Renard, escritor francês (1864-1910)

29 agosto, 2014

Pétala nº 825

“Os filhos têm uma necessidade absoluta de admirar os pais, de se sentirem orgulhosos deles; estão dispostos a agarrar-se a qualquer coisa só para imaginarem neles algo de digno e de grande e, quando isto não acontece, uma sombra de humilhação e de degradação estende-se na sua vida.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in "Todo o anjo é terrível”, Ed. Presença, 2013

28 agosto, 2014

Pétala nº 824

“O horizonte está nos olhos e não na realidade.”

 Ángel Ganivt,e escritor espanhol (1865-98)

27 agosto, 2014

Pétala nº 823

“Que sórdida tolice pensar que os laços ditados pelo sangue são os mais importante!” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in "Todo o anjo é terrível”, Ed. Presença, 2013

26 agosto, 2014

Pétala nº 822

“Quanto mais envelhecemos, mais precisamos de ter que fazer. Mais vale morrer do que arrastarmos na ociosidade uma velhice insípida: trabalhar é viver.” 

 Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

25 agosto, 2014

Pétala nº 821

“… em todas as vidas flui uma secreta sabedoria que permite fazer com que as coisas certas aconteçam no momento certo.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in "Todo o anjo é terrível”, Ed. Presença, 2013

24 agosto, 2014

Pétala nº 820

“Um marido, como um Governo, nunca deve confessar os seus erros.” 

Honoré de Balzac, escritor francês (1799-1850)

23 agosto, 2014

Pétala nº 819

“A verdade pode doer e deixar marcas com as quais não seremos capazes de viver…" 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

22 agosto, 2014

Pétala nº 818

“O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.” 

Madre Teresa de Calcutá, missionária católica de etnia albanesa (1910-97) 
Prémio Nobel da Paz, 1979

21 agosto, 2014

Pétala nº 817

"A mente auto-edita. A mente pulveriza.” 

Jeffrey Eugenides, escritor americano (1960-), in “Middlesex”, Ed. Dom Quixote, 2002

20 agosto, 2014

Pétala nº 816

“Um homem que se curva não endireita os outros.”

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-382/-322)

19 agosto, 2014

Pétala nº 815

“As coisas mais importantes nunca dependem de nós. O nascimento, a morte. E o amor. E aquilo que o amor nos delega antes de nascermos.” 

Jeffrey Eugenides, escritor americano (1960-), in “Middlesex”, Ed. Dom Quixote, 2002

18 agosto, 2014

Pétala nº 814

“O tempo não pára. Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo.”

 Mário Quintana, poeta brasileiro (1906-94)

17 agosto, 2014

Pétala nº 813

"Apressa-te a viver bem e pensa que cada dia é, por si só, uma vida."
 Séneca, filósofo da Roma Antiga (-4/65)

16 agosto, 2014

Pétala nº 812

“Os verdadeiros carácteres da ignorância são a vaidade, o orgulho e a arrogância.” 

Samuel Butler, escritor britânico (1835-1902)

15 agosto, 2014

Pétala nº 811

“Nunca devemos, mesmo inadvertidamente, mesmo sem o queremos, exumar o horror, pois ele pode ressuscitar e propagar-se. Introduz-se nas cabeças, cresce, regenera.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

14 agosto, 2014

Pétala nº 810

“Como é bom morrer de amor e continuar vivendo…”.

 Mário Quintana, poeta brasileiro (1906-94)

13 agosto, 2014

Pétala nº 809

“Os homens são estranhos. Cometem as piores atrocidades sem se interrogarem, mas depois não são capazes de viver com a recordação do que fizeram.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

12 agosto, 2014

Pétala nº 808

“Quanto maiores somos em humildade, tanto mais próximos estamos da grandeza.” 

Rabindranath Tagore, poeta e romancista indiano (1861-1941)

11 agosto, 2014

Pétala nº 807

“Quando se proíbe uma criança de ler certos livros, ela lê-os às escondidas.” 

André Gide, escritor francês (1869-1951) , in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004 
Prémio Nobel de Literatura, 1947

10 agosto, 2014

Pétala nº 806

“O homem é um animal que recomeça sempre.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

09 agosto, 2014

Pétala nº 805

“A morte dos nossos pais é o lugar onde a nossa infância termina.” 

 Carlos Amaral Dias, psiquiatra português (1946-)

08 agosto, 2014

Pétala nº 804

“Trazemos dentro de nós os fermentos da decepção e da intranquilidade.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

07 agosto, 2014

Pétala nº 803

“É ilógico esperar sorrisos dos outros se nós mesmos não sorrimos.”

 Dalai Lama, monge tibetano.

06 agosto, 2014

Pétala nº 802

“Não acredito que os sonhos anunciem o que quer que seja, como pretendem alguns. Penso simplesmente que surgem no momento conveniente, e que nos dizem, do fundo da noite, o que talvez não ousemos confessar a nós próprios à luz do dia.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

05 agosto, 2014

Pétala nº 801

“A vida é uma sombra que passa.”

 William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

04 agosto, 2014

Pétala nº 800

“Às vezes, encontram-se coisas extravagantes nos livros.”

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

03 agosto, 2014

Pétala nº 799

“Quanto mais cresço, mais confuso fico em relação a mim próprio”.

 Carlos Amaral Dias, psiquiatra português (1946-)

02 agosto, 2014

Pétala nº 798

“Aqueles que negam a liberdade aos outros não a merecem.”

 Abraham Lincoln, Presidente dos Estados Unidos da América (1809-65)

01 agosto, 2014

Pétala nº 797

“As pessoas falam muito e muitas vezes para não dizerem nada.” 

 Philippe Claudel, escritor francês (1962-), in “O Relatório de Brodeck”, Ed. ASA, 2009

31 julho, 2014

Pétala nº 796

“O dinheiro não traz felicidade, mas provoca uma sensação tão semelhante que é preciso um especialista para verificar a diferença”. 

 Woody Allen, cineasta americano (1935-)

30 julho, 2014

Pétala nº 795

“Quem não sabe perdoar só sabe coisas pequenas.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

29 julho, 2014

Pétala nº 794

“A nossa vida é passar a vida a ter medo”.

Carlos Amaral Dias, psiquiatra português (1946-)

28 julho, 2014

Pétala nº 793

“As pessoas que não leem apagam-se do mapa de deus.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

27 julho, 2014

Pétala nº 792

“A alegria não está nas coisas, está em nós.”

 Goethe, escritor alemão (1749-1832)

26 julho, 2014

Pétala nº 791

“As mães têm um sonda que assinala os filhos num mapa emocional muito preciso.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

25 julho, 2014

Pétala nº 790

“Ser pela liberdade não é apenas tirar as correntes de alguém, mas viver de forma que respeite e melhore a liberdade dos outros.” 

Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

24 julho, 2014

Pétala nº 789

“Rezar é como dar corda à morte. Quanto mais rezamos, mais encomendados a deus estamos.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

23 julho, 2014

Pétala nº 787

“Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida”. 

 Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-470/-399)

22 julho, 2014

Pétala nº 788

“A poesia é a linguagem segundo a qual deus escreveu o mundo.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

21 julho, 2014

Pétala nº 786

“A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar por si, tornar-se feliz.” 

 Sigmund Freud, médico inglês, fundador da psicanálise (1856-1939)

20 julho, 2014

Pétala nº 785

“O tempo também se conta pelos desgostos.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

19 julho, 2014

Pétala nº 784

“Um homem que não se alimenta dos seus sonhos, envelhece cedo.” 

 William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

18 julho, 2014

Pétala nº 783

“Descobrir o nome e o significado de Deus não compete a ninguém.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

17 julho, 2014

Pétala nº 782

“Ninguém é mais escravo do que aquele que se julga livre.” 

 Goethe, escritor alemão (1749-1832)

16 julho, 2014

Pétala nº 781

“Quem tem filhos precisa do futuro.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

15 julho, 2014

Pétala nº 780

“As horas batem indiferentemente para todos e soam diferentemente para cada um.” 

 Marie de Beausacq, escritora francesa (1829-1899)

14 julho, 2014

Pétala nº 779

“A solidão não existe. É uma ficção das nossas cabeças.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

13 julho, 2014

Pétala nº 778

“O fracasso não tem amigos.”

 John Fitzgerald Kennedy, presidente dos EUA (1917-1963)

12 julho, 2014

´Pétala nº 777

“Aprender a solidão não é senão capacitarmo-nos do que representamos entre todos.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

11 julho, 2014

Pétala nº 776

“A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família.” 
LIEV TOLSTÓI, escritor russo (1828-1910)

10 julho, 2014

Pétala nº 775

“… a morte é um exagero. Leva demasiado. Deixa muito pouco.” 

 Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-),in “A Desumanização”, Porto Editora, 2013

09 julho, 2014

Pétala nº 774

“Ser contestado é ser constatado.”

 Victor Hugo, escritor francês (1802-59)

08 julho, 2014

Pétala nº 773

“Com a ajuda de Eros vamos caminhando, cada um de nós, em busca da metade que nos falta.” 

Saul Bellow, escritor americano (1915-2005), in “Ravelstein”, Ed. Teorema, 2001 
Prémio Nobel de Literatura, 1976

07 julho, 2014

Pétala nº 772

“Aceita o conselho dos outros, mas nunca desistas da tua própria opinião.” 

 William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

06 julho, 2014

Pétala nº 771

“Quanto mais te disfarçares, mais te parecerás a ti próprio.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

05 julho, 2014

Pétala nº 770

“A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita.”
MAHATMA GANDHI, líder espiritual indiano (1869-1948)

04 julho, 2014

Pétala nº 769

“O caos é um ordem por decifrar.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

03 julho, 2014

Pétala nº 768

“A maior parte das coisas que dizemos e fazemos não é necessária; quem as eliminar da própria vida será mais tranquilo e sereno.” 

Marco Aurélio, imperador da Roma Antiga, (121-180)

02 julho, 2014

Pétala nº 767

“Há coisas que nunca se poderão explicar por palavras.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

01 julho, 2014

Pétala nº 766

“O homem está sempre disposto a negar aquilo que não entende.” 

Luigi Pirandello, dramaturgo e romancista italiano (1867-1936)

30 junho, 2014

Pétala nº 765

“Não se pode exigir a toda a gente que seja sensata. Por isso o mundo está como está.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “O homem duplicado”, Ed. Caminho, 2002 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

29 junho, 2014

Pétala nº 764

“Uma fealdade e uma velhice confessadas são, a meu ver, menos velhas e menos feias do que outras disfarçadas e esticadas.” 

Michel de Montaigne, escritor francês (1533-92)

28 junho, 2014

Pétala nº 763

“Há uma diferença entre amar realmente alguém e amar a ideia que fazemos dessa pessoa.” 

Gillian Flynn, escritora americana (1971-), in “Em parte incerta”, ed. Bertrand, 2013

27 junho, 2014

Pétala nº 762

“A vingança é uma espécie de justiça selvagem.”

Francis Bacon, filósofo inglês (1561-1626)

26 junho, 2014

Pétala nº 761

“Algumas pessoas são infelizes porque não se dão ao trabalho de serem felizes.” 

Gretchen Rubin, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

25 junho, 2014

Pétala nº 760

“Um amor, uma carreira, uma revolução: outras tantas coisas que começam sem saber como acabarão.”

Jean-Paul Sartre, escritor e filósofo francês (1905-80)

24 junho, 2014

Pétala nº 759

“Os dias são longos, mas os anos são curtos.”

Gretchen Rubin, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

23 junho, 2014

Pétala nº 758

“A missão do homem sábio é ser feliz.”

Samuel Johnson, escritor e pensador inglês (1709-84)

22 junho, 2014

Pétala nº 757

“Fazendo um pouco todos os dias, podemos alcançar muito.” 

Gretchen Rubin, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

21 junho, 2014

Pétala nº 756

“Os olhos têm de viajar.”
 
Diana Veeland, francesa, ícone da moda internacional (1903-89)

20 junho, 2014

Pétala nº 755

“As pessoas não reparam tanto nos nossos erros quanto nós pensamos.”

Gretchen Rubin, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

19 junho, 2014

Pétala nº 754

“O amor não existe; só existem as provas de amor.”

Pierre Reverdy, poeta francês (1889-1960)

18 junho, 2014

Pétala nº 753

“O segredo de um casamento firme é deixar pelo menos três coisas por dizer em cada dia.”
 
Gretchen Rubin, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

17 junho, 2014

Pétala nº 752

“Nem sempre somos felizes quando somos bons; mas somos sempre bons quando estamos felizes.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

16 junho, 2014

Pétala nº 751

“Abraçar alivia o stress, aumenta a sensação de proximidade e até mitiga a dor.”
GRETCHEN RUBIN, escritora americana, in “Projecto felicidade”, ed. Estrela Polar, 2010

15 junho, 2014

Pétala nº 750

“Uma consciência atormentada é como um pelo na boca.”

Mark Twain, escritor americano (1835-1910)

14 junho, 2014

Pétala nº 749

“… depois de uma certa idade ficamos velhos de mais para aprender seja o que for.”
 
J. M. Coetzee, escritor sul africano (1940-), in “Desgraça”, ed. D. Quixote, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 2003

13 junho, 2014

Pétala nº 748

“Quando o aluno está pronto, o professor aparece.”

Ditado budista.

12 junho, 2014

Pétala nº 747

“A vingança é como um incêndio. Quanto mais devora, mais fome tem.”
 
J. M. Coetzee, escritor sul africano (1940-), in “Desgraça”, ed. D. Quixote, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 2003

11 junho, 2014

Pétala nº 746

“Tudo é demasiado caro quando não é necessário.”

James Joyce, escritor irlandês (1882-1941)

10 junho, 2014

Pétala nº 745

“Vinho e música: um ritual entre homens e mulheres. Não há nada de errado com os rituais, foram inventados para amenizar os momentos embaraçosos.”
 
J. M. Coetzee, escritor sul africano (1940-), in “Desgraça”, ed. D. Quixote, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 2003

09 junho, 2014

Pétala nº 744

“Para salvar o crédito é preciso ocultar a perda.”

Jean de La Fontaine, escritor francés (1621-95)

08 junho, 2014

Pétala nº 743

“Todo o apocalipse é uma revelação.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-)

07 junho, 2014

Pétala nº 742

"Os piores inimigos são os que aplaudem sempre."

Tácito, historiador, orador e político romano (55-120)

06 junho, 2014

Pétala nº 741

“Quem muito se desculpa, mais se acusa.”
 
 Stendhal, escritor francês (1783-1842), in “Vermelho e Negro”, ed. Inquérito.

05 junho, 2014

Pétala nº 740

“A felicidade é como a pluma que o vento vai levando pelo ar. Voa tão leve, mas tem a vida breve. Precisa que haja vento sem parar.”
 
Vinicius de Moraes, poeta e compositor brasileiro (1913-80)

04 junho, 2014

Pétala nº 739

“Não, o homem não pode confiar no homem.”
 
Stendhal, escritor francês (1783-1842), in “Vermelho e Negro”, ed. Inquérito.

03 junho, 2014

Pétala nº 738

“A verdade é que não há verdade!”

Pablo Neruda, poeta chileno (1904-1973)

02 junho, 2014

Pétala nº 737

“… as paixões são acidentes na vida…"
 
Stendhal, escritor francês (1783-1842), in “Vermelho e Negro”, ed. Inquérito.

01 junho, 2014

Pétala nº 736

“Tristeza não tem fim. Felicidade sim.”

Vinicius de Moraes, poeta e compositor brasileiro (1913-80)

31 maio, 2014

Pétala nº 735

“Cada um deve tratar de si neste deserto de egoísmo que se chama a vida.”
 
Stendhal, escritor francês (1783-1842), in “Vermelho e Negro”, ed. Inquérito.

30 maio, 2014

Pétala nº 734

“Nenhum homem é hipócrita nos seus prazeres.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

29 maio, 2014

Pétala nº 732

“É a misteriosa e gratuita dinâmica do encontro que nos permite seguir em frente.”
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Todo o anjo é terrível”, ed. Presença, 2013

28 maio, 2014

Pétala nº 731

“Por mais longa que seja a caminhada, o mais importante é dar o primeiro passo.”
 
Vinicius de Moraes, poeta e compositor brasileiro (1913-80)

27 maio, 2014

Pétala nº 730

“O deserto é o lugar onde surgem as miragens, onde se desencadeiam os pensamentos, onde se manifestam os demónios.”
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Todo o anjo é terrível”, ed. Presença, 2013

26 maio, 2014

Pétala nº 729

“Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre.”

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

25 maio, 2014

Pétala nº 728

“No desenvolvimento de uma pessoa, o sadismo e o não-amor podem criar profundas desconstruções às quais é difícil dar remédio.”
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Todo o anjo é terrível”, ed. Presença, 2013

24 maio, 2014

Pétala nº 727

“O segredo da sabedoria, do poder e do conhecimento é a humildade.”
 
Ernest Hemingway, escritor americano (1899-1961)
Prémio Nobel de Literatura, 1954

23 maio, 2014

Pétala nº 726

“O que sabemos realmente daquilo que se transmite, através dos genes, de uma geração para a outra? Aparentemente muito, cada vez mais, mas na verdade ainda quase nada.”
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Todo o anjo é terrível”, ed. Presença, 2013

22 maio, 2014

Pétala nº 725

“A saúde, como a fortuna, deixa de favorecer os que abusam dela.” 

Charles de Saint-Evremond, ensaísta francês (1613-1703)

21 maio, 2014

Pétala nº 724

“São necessários dois anos para aprender a falar e sessenta para aprender a calar.”
 
Ernest Hemingway, escritor americano (1899-1961)
Prémio Nobel de Literatura, 1954

20 maio, 2014

Pétala nº 723

“Ser menino é estar cheio de céu por cima”.

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, ed. Caminho, 2011

19 maio, 2014

Pétala nº 722

“Não julgue o homem pelos seus trapos, mas sim pelo seu carácter.”

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

18 maio, 2014

Pétala nº 721

“Pouco do mundo teremos visto se não tivermos olhado os pássaros.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, ed. Caminho, 2011

17 maio, 2014

Pétala nº 720

“Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão” .
 
Vinicius de Moraes, poeta e compositor brasileiro (1913-80)

16 maio, 2014

Pétala nº 719

“Iluminem a Escuridão!” 

BOB MARLEY, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)

15 maio, 2014

Pétala nº 718

“Eu continuo sendo apenas um palhaço, o que já me coloca em nível bem mais alto do que o de qualquer político.”
 
Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

14 maio, 2014

Pétala nº 717

“Os rios, dizia o poeta, são como os bichos: nascem e já estão a caminho.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente", ed. Caminho, 2011

13 maio, 2014

Pétala nº 716

“A obra clássica é um livro que todo o mundo admira, mas que ninguém lê.”
 
Ernest Hemingway, escritor americano (1899-1961)
Prémio Nobel de Literatura, 1954

12 maio, 2014

Pétala nº 715

“… o paraíso não é um lugar, é um breve momento que conquistamos dentro de nós.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente", ed. Caminho, 2011

11 maio, 2014

Pétala nº 714

“Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.”
 
Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

10 maio, 2014

Pétala nº 713

“O meu afazer é não me ocupar de nada. A minha felicidade é perder pensamento…"
 
Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente", ed. Caminho, 2011

09 maio, 2014

Pétala nº 712

“O sofrimento é o intervalo entre duas felicidades.”

Vinicius de Moraes, poeta brasileiro (1913-80)

08 maio, 2014

Pétala nº 711

“Se a ética não governar a razão, a razão desprezará a ética.”

JOSÉ SARAMAGO, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

07 maio, 2014

Pétala nº 710

“A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida.”

Vinicius de Moraeras, poeta brasileiro (1913-80)

06 maio, 2014

Pétala nº 709

“O amor não tem “depois”. O amor é o tempo inteiro consumindo-se no instante.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente", ed. Caminho, 2011

05 maio, 2014

Pétalas nº 708

“A história é uma galeria de quadros onde há poucos originais e muitas cópias.”
 
Alexis de Tocqueville, historiador francês (1805-59)

04 maio, 2014

Pétala nº 707

“As obras do acaso são infinitas.”
JOSÉ SARAMAGO, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

03 maio, 2014

Pétala nº 706

“Tudo o que pode substituir-se com facilidade pode ser abandonado mais facilmente ainda.”
 ALEXANDRE DUMAS (filho), escritor francês (1824-95)

02 maio, 2014

Pétala nº 705

“… é possível não vermos a mentira mesmo quanto a temos diante dos olhos.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

01 maio, 2014

Pétala nº 704

“Um homem é tão mais respeitável quanto mais numerosas são as coisas das quais se envergonha.”

George Bernard Show, escritor irlandês (1856-1950)

30 abril, 2014

Pétala nº 703

“… quando chegamos a velhos e percebemos que se nos está a acabar o tempo, dá-nos para imaginar que temos na mão o remédio de todos os males do mundo…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

29 abril, 2014

Pétala nº 702

“Quem vive esperando, morre penando.”

Carlo Goldoni, dramaturgo italiano (1707-93)

28 abril, 2014

Pétala nº 701

“Não sabes nada da vida se crês que há mais alguma coisa para saber…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

27 abril, 2014

Pétala nº 700

“Ser diplomata é discordar sem ser discordante”.

Millôr Fernandes, escritor brasileiro (1923-2012)

26 abril, 2014

Pétala nº 699

“… a pele é tudo quanto queremos que os outros vejam de nós, por baixo dela nem nós próprio conseguimos saber quem somos.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

25 abril, 2014

Pétala nº 698

“A educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida.”
 
Séneca, filósofo da Roma Antiga (4AC-65DC)

24 abril, 2014

Pétala nº 697

“Quem somos nós para falar de consequências, se da fila interminável delas que incessantemente vêm caminhando na nossa direcçãoo apenas podemos ver a primeira.
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

23 abril, 2014

Pétala nº 696

“Vivemos todos sob o mesmo céu, mas nem todos temos o mesmo horizonte.”
 
Konrad Adenauer, político alemão (1816-1987)

22 abril, 2014

Pétala nº 695

“A fama, ai de nós, é um ar que tanto vem como vai, é um cata-vento que tanto irá ao norte como ao sul…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

21 abril, 2014

Pétala nº 694

“Pelo que fizeram, se hão-de condenar muitos, pelo que não fizeram, todos.”
 
António Vieira, padre e escritor português (1608-1697)

20 abril, 2014

Pétala nº 693

“Só os deuses mortos são deuses sempre.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

19 abril, 2014

Pétala nº 692

“A primeira condição para a imortalidade é a morte.”

Stanislaw Jerzy Lec, poeta polaco (1909-66)

18 abril, 2014

Pétala nº 691

“… por muito que os velhos durem, a hora deles acabará sempre por chegar.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

17 abril, 2014

Pétala nº 690

“Nunca devemos negociar por termos medo e nunca devemos ter medo de negociar.”
 
John Fitzgerald Kennedy, Presidente dos Estados Unidos da América (1917-1963)

16 abril, 2014

Pétala nº 689

“… a morte, quer por incompetência de origem quer por má-fé adquirida na experiência, não escolhe as suas vítimas consoante a duração das vidas que viveram…”.
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Todos os nomes”, Ed. Caminho, 1997
Prémio Nobel de Literatura, 1998

15 abril, 2014

Pétala nº 688

“O que nunca foi posto em questão nunca foi aprovado.”

Denis Diderot, filósofo francês (1713-84)

14 abril, 2014

Pétala nº 687

“Não temos ouvidos para escutar a voz de Deus.”

André Gide, escritor francês (1869-1951), in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004
Prémio Nobel de Literatura, 1947

13 abril, 2014

Pétala nº 686

“Quando as coisas acontecem depressa demais, ninguém pode ter certeza de nada, de coisa nenhuma, nem de si mesmo.”
 
Milan Kundera, escritor checo (1929-)

12 abril, 2014

Pétala nº 685

“Há um bocado de cobardia em qualquer suicídio.”

André Gide, escritor francês (1869-1951), in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004
Prémio Nobel de Literatura, 1947

11 abril, 2014

Pétala nº 684

“Posso perdoar, mas esquecer é outra coisa.”
 
Napoleão Bonaparte, líder político e militar francês (1769-1821)

10 abril, 2014

Pétala nº 683

“O tempo que dura uma vida humana não chega para aprender tudo.”
Jostein Gaarder, escritor norueguês (1952-), in “Olá! Está aí alguém?”, Ed. Presença, 1998

09 abril, 2014

Pétala nº 682

“Há certos defeitos que, bem aproveitados, brilham mais do que a própria virtude.”
 
La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

08 abril, 2014

Pétala nº 681

“Nem sempre as coisas mais normais são tão normais como cremos.”
 
Jostein Gaarder, escritor norueguês (1952-), in “Olá! Está aí alguém?”, Ed. Presença, 1998

07 abril, 2014

Pétala nº 680

“Há certos acidentes na vida, dos quais só conseguimos sair bem se formos um tanto loucos.”
 
La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)