31 julho, 2018

Pétala nº 2257

“A soberba nunca desce de onde sobe, mas cai sempre de onde subiu.” 
FRANCISCO QUEVEDO, escritor espanhol (1580-1645)

30 julho, 2018

Pétala nº 2256

“O passado, quando ressurge na vida de um homem, nunca o faz sob as feições de um só rosto, mas delega toda uma cadeia de amigos, de amores, de remorsos esquecidos.” 
IRÈNE NÉMIROWSCKY, escritora ucraniana de origem judaica (1903-42), in “O senhor das almas”, Ed. Dom Quixote, 2008

29 julho, 2018

Pétala nº 2255

“O grande problema do nosso sistema democrático é que permite fazer coisas nada democráticas democraticamente.” 
JOSÉ SARAMAGO, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel da Literatura, 1998

28 julho, 2018

Pétala nº 2254

“Alguém disse que não se imagina às cegas, mas isso é ignorância.” 
JOÃO PINTO COELHO, arquitecto, professor de Artes Visuais e escritor português (1967-), in “Os loucos da Rua Mazur”, Ed. Leya, 2017

27 julho, 2018

Pétala nº 2253

“É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem.” 
SIMONE DE BEAUVOIR, escritora e feminista francesa (1908-86)

26 julho, 2018

Pétala nº 2252

“Não há nada mais verdadeiro do que o agora.” 
JOÃO PINTO COELHO, arquitecto, professor de Artes Visuais e escritor português (1967-), in “Os loucos da rua Mazur”, Ed. Leya, 2017

25 julho, 2018

Pétala nº 2251

“Não está em causa para nenhum de nós, a não ser que se seja megalómano, querer salvar a humanidade.” 
ANTÓNIO GUTERRES, engenheiro e político português, nono secretário-geral da Organização das Nações Unidas (1949-).”

24 julho, 2018

Pétala nº 2250

“Que interessa o que pensei? No fim, só conta aquilo que fazemos.” 
JOÃO PINTO COELHO, arquitecto, professor de Artes Visuais e escritor português (1967-), in “Os loucos da Rua Mazur”, Ed. Leya, 2017

23 julho, 2018

Pétala nº 2249

“A música clássica do amor é em tom maior, a romântica em tom menor."
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

22 julho, 2018

Pétala nº 2248

“A memória é uma paisagem contemplada de um comboio em movimento.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

21 julho, 2018

Pétala nº 2247

“O que há de mais belo na nossa vida é o sentimento do mistério. É este sentimento fundamental que se detém junto ao berço da verdadeira arte e da ciência.” 
ALBERT EINSTEIN, físico alemão (1879-1955)

20 julho, 2018

Pétala nº 2246

“Os melhores retratos não são aqueles que conseguem resumir uma personalidade, são aqueles que resumem uma época.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

19 julho, 2018

Pétala nº 2245

“Uma certa medida de orgulho é um ingrediente útil do génio.”
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

18 julho, 2018

Pétala nº 2244

“Nada parece verdadeiro que não possa parecer falso.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

17 julho, 2018

Pétala nº 2243

“Lerás bem quando leres o que não existe entre uma página e outra da mesma folha.” 
AGOSTINHO DA SILVA , filósofo e ensaísta português (1906-96)

16 julho, 2018

Pétala nº 2242

“Abomino a mentira porque é uma inexactidão.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

15 julho, 2018

Pétala nº 2241

"A oração torna os nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar Deus!"
MADRE TERESA DE CALCUTÁ, missionária católica de etnia albanesa (1910-97) 
Prémio Nobel da Paz, 1979

14 julho, 2018

Pétala nº 2240

“Somos felizes durante os breves instantes em que fechamos os olhos.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

13 julho, 2018

Pétala nº 2239

“A moda é aquilo que os designers oferecem quatro vezes por ano. O estilo é aquilo que escolhes usar.” 
LAUREN HUTTON, actriz e modelo norte-americana ( 1943-)

12 julho, 2018

Pétala nº 2238

“A realidade fere, mesmo quando, por instantes, nos parece um sonho.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

11 julho, 2018

Pétala nº 2237

“Não há nenhum pecado, excepto a estupidez”.
OSCAR WILDE, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

10 julho, 2018

Pétala nº 2236

“A realidade é dolorosa e imperfeita.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

09 julho, 2018

Pétala nº 2235

“Quando eu era jovem, pensava que o dinheiro era a coisa mais importante do mundo. Hoje tenho a certeza.” 
OSCAR WILDE, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

08 julho, 2018

Pétala nº 2234

“A minha infância está cheia de bons sabores. Cheira bem a minha infância!" 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

07 julho, 2018

Pétala nº 2233

“O carácter é o que mais difícil se torna de conhecer no homem, porque depende de acasos que no-lo revelem.” 
CONDESSA DIANE, escritora francesa (1829-99)

06 julho, 2018

Pétala nº 2232

“Deus deu-nos os sonhos para que possamos espreitar o outro lado.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

05 julho, 2018

Pétala nº 2231

“Antigamente havia
a casa de estar
e a casa de jantar
e havia fome
como hoje” 
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

04 julho, 2018

Pétala nº 2230

“A literatura é a maneira que um verdadeiro mentiroso tem para se fazer aceitar socialmente.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

03 julho, 2018

Pétala nº 2229

“Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo; a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará jamais.” 
MÁRIO QUINTANA, poeta brasileiro (1906-94)

02 julho, 2018

Pétala nº 2228

“Ao chegarmos a velhos apenas nos resta a certeza de que em breve seremos ainda mais velhos.”
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

01 julho, 2018

Pétala nº 2227

“A pintura ensinou a literatura a descrever.”
ORHAN PAMUK, escritor turco (1952-) 
Prémio Nobel de Literatura 2006