31 outubro, 2018

Pétala nº 2349

“A maravilha da vida é tudo nela ter justificação."
MIGUEL TORGA, escritor português (1907-95)

30 outubro, 2018

Pétala nº 2348

“Não importa o que temos, o importante é quem temos.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

29 outubro, 2018

Pétala nº 2347

“Conhecerás o futuro quando ele chegar; antes disso, esquece-o.” 
ÉSQUILO, escritor da Grécia Antiga (-525/-456)

28 outubro, 2018

Pétala nº 2346

“… sou uma coleção de personalidades – mas não somos todos?” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

27 outubro, 2018

Pétala nº 2345

“Falar é uma necessidade, escutar é uma arte.”
GOETHE, escritor alemão (1749-1832)

26 outubro, 2018

Pétala nº 2344

“O passado vai mudando consoante o passado.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

25 outubro, 2018

Pétala nº 2343

“Não há caminho fácil para a liberdade.”
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

24 outubro, 2018

Pétala nº 2342

"Esquecer exige disciplina.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

23 outubro, 2018

Pétala nº 2341

“A maneira como os bancos ganham dinheiro é tão simples que é repugnante.” 
JOHN KENNETH GALBRAITH, economista, filósofo e escritor norte-americano (1908-2006)

22 outubro, 2018

Pétala nº 2340

“Vivo a intervalos. Amo a intervalos.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

21 outubro, 2018

Pétala nº 2339

“O Estado é como o corpo humano. Nem todas as funções que desempenha são nobres.” 
ANATOLE FRANCE, escritor francês (1844-1924)

20 outubro, 2018

Pétala nº 2338

“Em sua maior parte, o matrimónio é um maltrimónio. Os dois pensando somar, afinal, se traem e subtraem.” 
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-), in “Contos do nascer da terra”, Ed. Caminho, 1997

19 outubro, 2018

Pétala nº 2337

“O crítico é um fracassado que nos quer ensinar como se triunfa.” 
SOFOCLETO, pseudónimo de Luis Felipe Angell de Lama, humorista, escritor e poeta peruano (1926 - 2004)

18 outubro, 2018

Pétala nº 2336

“A vida é um por enquanto no que há-de vir.” 
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-), in “Contos do nascer da terra”, Ed. Caminho, 1997

17 outubro, 2018

Pétala nº 2335

“Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente. A maioria das pessoas jamais ouve.”
ERNEST HEMINGWAY, escritor norte-americano (1899-1961) 
Prémio Nobel de Literatura, 1954

16 outubro, 2018

Pétala nº 2334

“Sempre onde chego é um lugar. Mas abrigo maior não encontrei senão nas paragens da memória.”
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-), in “Contos do nascer da terra”, Ed. Caminho, 1997

15 outubro, 2018

Pétala nº 2333

“Viver é um paradoxo.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

14 outubro, 2018

Pétala nº 2332

“A fé consiste em não crer no que está a acontecer.” 
SOFOCLETO, pseudônimo de Luis Felipe Angell de Lama, humorista, escritor e poeta peruano (1926 - 2004)

13 outubro, 2018

Pétala nº 2331

“A soberba é o chapéu dos nus.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

12 outubro, 2018

Pétala nº 2330

“A arte é uma manifestação do sensível.”
GUSTAVAO CIRÍACO, bailarino e coreógrafo brasileiro (1969-)

11 outubro, 2018

Pétala nº 2329

“Devíamos poder morrer temporariamente, como quem vai de férias.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

10 outubro, 2018

Pétala nº 2328

“Quero ser a flor que morre antes de envelhecer.” 
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-), in “Contos do nascer da terra”, Ed. Caminho, 1997

09 outubro, 2018

Pétala nº 2327

“O amor é pura experiência. Só eternamente mergulhados no presente é que amamos.” 
GUSTAVO CIRÍACO, bailarino/coreógrafo brasileiro (1969-)

08 outubro, 2018

Pétala nº 2326

“A cozinha é onde se fabrica a inteira casa.” 
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-), in “Contos do nascer da terra”, Ed. Caminho, 1997

07 outubro, 2018

Pétala nº 2325

“Não há dia nenhum em que a vida não me atinja.” 
NÉLIDA PIÑON, escritora brasileira (1937-)

06 outubro, 2018

Pétala nº 2324

“O que eu mais adoro ouvir é o silêncio”
ROSE TREMAIN, escritora inglesa (1943-), in “Transgressão”, Porto Ed., 2011

05 outubro, 2018

Pétala nº 2323

“A crueldade tem coração humano; a inveja, cara humana; o terror, corpo humano, e os segredos, a roupagem dos humanos.” 
WILLIAM BLAKE, poeta e pintor inglês (1757-1827)

04 outubro, 2018

Pétala nº 2322

“A idade chega em curtos momentos de nostalgia, e entre esses momentos há uma espécie de pausa.”
ROSE TREMAIN, escritora inglesa (1943-), in “Transgressão”, Porto Ed., 2011

03 outubro, 2018

Pétala nº 2321

“Uma pitada de poesia é suficiente para perfumar um século inteiro.” 
JOSÉ SARAMAGO, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

02 outubro, 2018

Pétala nº 2320

“Na pintura – e talvez em todas as formas de arte –, o sucesso leva ao sucesso, enquanto o fracasso nos atira para os braços de mais fracassos." 
ROSE TREMAIN, escritora inglesa (1943-), in “Transgressão”, Porto Ed., 2011

01 outubro, 2018

Pétala nº 2319

“A arte deve ser deixada livre para fluir.” 
GUSTAVO CIRÍACO, bailarino/coreógrafo brasileiro (1969-)