31 outubro, 2012

Pétala nº 155

“Um arqueólogo é o melhor marido que uma mulher pode ter – quanto mais ela envelhece, mais interessado ele fica.”
 
Agatha Christie, escritora britânica (1890-1976)

30 outubro, 2012

Pétala nº 154

“Só no fim da vida é que conseguimos ver-nos tal como realmente somos e, ainda assim, podemos enganar-nos.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

29 outubro, 2012

Pétala nº 153

“Os meus livros são como água; os dos grandes génios são vinho. (Felizmente) toda a gente bebe água.”
 
Mark Twain, escritor norte-americano (1835-1910)

28 outubro, 2012

Pétala nº 152

“Sobre aquilo de que não sabemos falar devemos guardar silêncio.”
 
Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

27 outubro, 2012

Pétala nº 151

“Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira.”
 
Cecília Meireles, poetisa brasileira (1901-1964)

26 outubro, 2012

Pétala nº 150

“O tempo tritura, deforma e apaga tudo”.

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

25 outubro, 2012

Pétala nº 149

“Quem quer que tenha dito que o dinheiro não pode comprar a felicidade não sabia onde ir às compras.”
 
Gertrude Stein, escritora norte-americana (1874-1946)

24 outubro, 2012

Pétala nº 148

“Esquecemo-nos do que queríamos recordar e recordarmos o que queríamos esquecer.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “A Estrada”, Ed. Relógio d’Água, 2007

23 outubro, 2012

Pétala nº 147

"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde."
 
André Maurois, escritor francês (1885-1967)

(Enviada por Maria JB, do blog - Poesia... é música)

22 outubro, 2012

Pétala nº 146

“Um mundo sem livros é um mundo sem atmosfera, como Marte.”
 
Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

21 outubro, 2012

Pétala nº 145

“O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos.”

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

20 outubro, 2012

Pétala nº 144

“Quando somos jovens inventamos futuros diferentes para nós; quando somos velhos, inventamos passados diferentes para os outros.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

19 outubro, 2012

Pétala nº 143

"Amanhã fico triste, Amanhã. Hoje não. Hoje fico alegre. E todos os dias, por mais amargos que sejam, Eu digo: Amanhã fico triste, Hoje não. Para hoje e todos os outros dias!"
 
Texto encontrado na parede de um dormitório de crianças, no campo de extermínio nazi de Auschwitz.

18 outubro, 2012

Pétala nº 142

“O homem que acha que os segredos do mundo são para sempre insondáveis vive no mistério e no medo.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Meridiano de sangue”, Ed. Relógio d’Água, 2004

17 outubro, 2012

Pétala nº 141

 “É o comer que faz a fome”.

Eça de Queirós, escritor português (1845-1900)

16 outubro, 2012

Pétala nº 140

“O amor salva-nos da solidão, a pior condenação da velhice”.
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “De amor e de sombra”, Ed. Difel, 1984

15 outubro, 2012

Pétala nº 139

“Viajar é nascer e morrer a todo o instante”.

Victor Hugo, escritor francês (1802-1885)

14 outubro, 2012

Pétala nº 138

“Ler não é mais do que criar um pequeno jardim no interior da nossa memória”.
 
Susanan Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Querida Mathilda”, Ed. Presença, 1998

13 outubro, 2012

Pétala nº 137

“Quanto menos comes, bebes, compras livros, vais ao teatro e ao café, pensas, amas, teorizas, cantas, sofres, praticas desporto, etc., mais economizas e mais cresce o teu capital. “És” menos mas “tens” mais. Todas as paixões e actividades são tragadas pela cobiça.”
 
Karl Marx, pensador alemão (1818-1883)

12 outubro, 2012

Pétala nº 136

“Para que servem os livros senão para nos mudarem a vida?"
 
J.M. Coetzee, escritor sul-africano (1940-), in “Verão”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2003

11 outubro, 2012

Pétala nº 135

“As doenças são os resultados não só dos nossos actos, mas também dos nossos pensamentos”.
 
Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

10 outubro, 2012

Pétala nº 134

“Para se voltar à juventude basta que se repitam as mesmas loucuras.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

09 outubro, 2012

Pétala nº 133

“A pintura é poesia muda e a poesia, pintura que fala.”

Simónides de Ceos, poeta grego (556 a.C. - 468 a.C.)

08 outubro, 2012

Pétala nº 132

“Sê dono apenas do que podes transportar contigo; conhece línguas, conhece países, conhece pessoas. Deixa que a tua memória seja o teu saco de viagem.”
 
Alexander Solzhenitsyn, escritor russo (1918-2008)

07 outubro, 2012

Pétala nº 131

“O tempo passa tanto mais depressa quanto mais vazio está.”
 
Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

06 outubro, 2012

Pétala nº 130

“Uma greve de intelectuais, que é um pressuposto improvável, paralisaria a marcha do mundo.”
 
Camilo José Cela, escritor espanhol (1916-2002)
Prémio Nobel de Literatura, 1989

05 outubro, 2012

Pétala nº 129

“É tão bom estar contigo como ter saudades tuas.”
 
António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

04 outubro, 2012

Pétala nº 128

“A mentira é um manto esfarrapado e curto, que não consegue esconder a verdade.”
 
Autor desconhecido.

03 outubro, 2012

Pétala nº 127

“Perdoar não significa esquecer. Significa compreender.”
 
Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “O passado cura”, Ed. Pergaminho, 1999

02 outubro, 2012

Pétala nº 126

“A maçada da morte é que se fica morto muito tempo.”
 
António Lobo Antunes, escritor português (1942-)

01 outubro, 2012

Pétala nº 125

“As fotografias enganam o tempo, suspendendo-o num pedaço de papel onde não cabe a alma.”
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “De amor e de sombra”, Ed. Difel, 1984