19 julho, 2018

Pétala nº 2245

“Uma certa medida de orgulho é um ingrediente útil do génio.”
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

18 julho, 2018

Pétala nº 2244

“Nada parece verdadeiro que não possa parecer falso.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

17 julho, 2018

Pétala nº 2243

“Lerás bem quando leres o que não existe entre uma página e outra da mesma folha.” 
AGOSTINHO DA SILVA , filósofo e ensaísta português (1906-96)

16 julho, 2018

Pétala nº 2242

“Abomino a mentira porque é uma inexactidão.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

15 julho, 2018

Pétala nº 2241

"A oração torna os nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar Deus!"
MADRE TERESA DE CALCUTÁ, missionária católica de etnia albanesa (1910-97) 
Prémio Nobel da Paz, 1979

14 julho, 2018

Pétala nº 2240

“Somos felizes durante os breves instantes em que fechamos os olhos.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

13 julho, 2018

Pétala nº 2239

“A moda é aquilo que os designers oferecem quatro vezes por ano. O estilo é aquilo que escolhes usar.” 
LAUREN HUTTON, actriz e modelo norte-americana ( 1943-)

12 julho, 2018

Pétala nº 2238

“A realidade fere, mesmo quando, por instantes, nos parece um sonho.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

11 julho, 2018

Pétala nº 2237

“Não há nenhum pecado, excepto a estupidez”.
OSCAR WILDE, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

10 julho, 2018

Pétala nº 2236

“A realidade é dolorosa e imperfeita.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

09 julho, 2018

Pétala nº 2235

“Quando eu era jovem, pensava que o dinheiro era a coisa mais importante do mundo. Hoje tenho a certeza.” 
OSCAR WILDE, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

08 julho, 2018

Pétala nº 2234

“A minha infância está cheia de bons sabores. Cheira bem a minha infância!" 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

07 julho, 2018

Pétala nº 2233

“O carácter é o que mais difícil se torna de conhecer no homem, porque depende de acasos que no-lo revelem.” 
CONDESSA DIANE, escritora francesa (1829-99)

06 julho, 2018

Pétala nº 2232

“Deus deu-nos os sonhos para que possamos espreitar o outro lado.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

05 julho, 2018

Pétala nº 2231

“Antigamente havia
a casa de estar
e a casa de jantar
e havia fome
como hoje” 
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

04 julho, 2018

Pétala nº 2230

“A literatura é a maneira que um verdadeiro mentiroso tem para se fazer aceitar socialmente.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

03 julho, 2018

Pétala nº 2229

“Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo; a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará jamais.” 
MÁRIO QUINTANA, poeta brasileiro (1906-94)

02 julho, 2018

Pétala nº 2228

“Ao chegarmos a velhos apenas nos resta a certeza de que em breve seremos ainda mais velhos.”
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

01 julho, 2018

Pétala nº 2227

“A pintura ensinou a literatura a descrever.”
ORHAN PAMUK, escritor turco (1952-) 
Prémio Nobel de Literatura 2006

30 junho, 2018

Pétala nº 2226

“O passado costuma ser estável, está sempre lá, belo ou terrível, e lá ficará para sempre.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

29 junho, 2018

Pétala nº 2225

“O tempo é o nosso maior património.” 
MIGUEL ESTEVES CARDOSO, jornalista e escritor português (1955-)

28 junho, 2018

Pétala nº 2224

“A felicidade é quase sempre uma irresponsabilidade.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O vendedor de passados”, Ed. Quetzal, 2017

27 junho, 2018

Pétala nº 2223

“Se quiseres poder suportar a vida, fica pronto para aceitar a morte.” 
SIGMUND FREUD, médico inglês, fundador da psicanálise (1856-1939)

26 junho, 2018

Pétala nº 2222

“Dói-me na alma um excesso de passado e de vazio.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

25 junho, 2018

Pétala nº 2221

“O ciumento é um mártir que martiriza.”
CONDESSA DIANE, escritora francesa (1829-99)

24 junho, 2018

Pétala nº 2220

“Preciso de cismar.”
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

23 junho, 2018

Pétala nº 2219

“Gentileza nunca é forçada, é espontânea ou não é, não pode ser explicada, não pode ser cobrada.”
FABRÍCIO CARPINEJAR, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

22 junho, 2018

Pétala nº 2218

“Literatura pode ser ternura, carinho. Textos pesados, muito negros, podem ser literatura ou podem ser uma treta, uma grande treta.” 
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

21 junho, 2018

Pétala nº 2217

“Todo o crime é vulgar, exactamente como toda a vulgaridade é um crime.” 
OSCAR WILDE, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

20 junho, 2018

Pétala nº 2216

"Só gosto das pessoas boas 
quero lá saber que sejam inteligentes artistas sexy 
sei lá o quê 
se não são boas pessoas
não prestam"
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

19 junho, 2018

Pétala nº 2215

“O presente impõe formas. Sair dessa esfera e produzir outras formas constitui a criatividade.” 
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

18 junho, 2018

Pétala nº 2214

"No gato no cão no periquito acredito em pessoas não acredito" 
ADÍLIA LOPES, poetisa portuguesa (1960-), in “Estar em casa”, Ed. Assírio & Alvim, 2018

17 junho, 2018

Pétala nº 2213

“O fatalismo é sempre uma doença do pensamento ou uma fraqueza da vontade.” 
PAOLO MANTEGAZZA, neurologista, fisiologista e antropólogo italiano (1831-1910)

16 junho, 2018

Pétala nº 2212

“… na arte tudo se joga na distância que vai de algo que nos parece bonito a algo que nos cativa… as variáveis que modificam essa perceção podem e costumam ser as mais insignificantes.” 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

15 junho, 2018

Pétala nº 2211

“A velhice é um estado de repouso e de liberdade no que respeita aos sentidos.” 
PLATÃO, filósofo da Grécia Antiga (-428/-348)

14 junho, 2018

Pétala nº 2210

“… as pequenas alegrias da minha vida têm sempre um pé fora da realidade.” 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

13 junho, 2018

Pétala nº 2209

“Nada é tão contagiante como o entusiasmo.” 
EDWARD BULWER-LYTTON, escritor, romancista, poeta, dramaturgo e político inglês (1803-1873)

12 junho, 2018

Pétala nº 2208

“Quanto mais perfeito é o artista, mais completamente separados estarão nele o homem que sofre e o espírito que cria.”
T. S. ELLIOT, poeta americano (1888-1965) citado por MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018 Prémio Nobel de Literatura, 1948

11 junho, 2018

Pétala nº 2207

“A poesia tem ligação secreta com o sofrimento do homem”.
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73) 
Prémio Nobel de Literatura, 1871

10 junho, 2018

Pétala nº 2206

“No que diz respeito aos homens, são mais perversas as virtudes do que os vícios.” 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

09 junho, 2018

Pétala nº 2205

“A gratidão é um fruto de grande cultura; não se encontra entre gente vulgar.” 
SAMUEL JOHNSON, escritor e pensador inglês (1709-1784

08 junho, 2018

Pétala nº 2204

“Voar é a única maneira de ver o mundo.” 
BUZZ ALDRIN, astronauta norte-americano (1930-) citado por MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

07 junho, 2018

Pétala nº 2203

“Vivemos num mundo onde nos escondemos para fazer amor! Enquanto a violência é praticada em plena luz do dia.” 
JOHN LENNON, cantor e compositor britânico (1940-1980)

06 junho, 2018

Pétala nº 2202

“Mal administrada, a história da arte pode ser letal como a estricnina.”
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

05 junho, 2018

Pétala nº 2201

“O passado, tal como o futuro, é indefinido e existe apenas como um espectro de possibilidades.”
STEPHEN HAWKING, físico e cosmólogo britânico (1942-2018)

04 junho, 2018

Pétala nº 2200

“… ninguém se interessa com felicidade alheia” 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

03 junho, 2018

Pétalanº 2199

“Deus silencioso, fala-nos!” 
JULES RENARD, escritor francês (1864-1910) citado por MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

02 junho, 2018

Pétala nº 2198

“Não se pode conseguir uma paz verdadeira se se basear a conduta na eventualidade dum conflito.” 
ALBERT EINSTEIN, físico alemão (1879-1955)

01 junho, 2018

Pétala nº 2197

“Escrever para alguém é como escrever a alguém. Sentes-te imediatamente obrigado a mentir.” 
JULES RENARD, escritor francês (1864-1910) citado por MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

31 maio, 2018

Pétala nº 2196

“A esperança é uma droga alucinogéna.” 
RUBEM ALVES, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

30 maio, 2018

Pétala nº 2195

“Que monótona seria a neve se Deus não tivesse criado os corvos.” 
JULES RENARD, escritor francês (1864-1910) citado por MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018


29 maio, 2018

Pétala nº 2194

“O pavor da solidão é maior que o medo da escravidão: por isso nos casamos.” 
CYRIL CONNOLY, romancista inglês (1903-74)

28 maio, 2018

Pétala nº 2193

"Nunca tive uma crise religiosa porque nunca acreditei”. 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

27 maio, 2018

Pétala nº 2192

“O presente impõe formas. Sair dessa esfera e produzir outras formas constitui a criatividade.”
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

26 maio, 2018

Pétala nº 2191

“O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.”
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

25 maio, 2018

Pétala nº 2190

“A gratidão da maioria dos homens não passa de um desejo secreto de receber maiores favores.” 
LA ROCHEFOUCAULD, escritor francês (1613-1680)

24 maio, 2018

Pétala nº 2189

“A minha vida é como se me batessem com ela.”
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

23 maio, 2018

Pétala nº 2188

“Prefiro o sonho à ilusão; no sonho sabe-se que temos os olhos fechados; na ilusão julgamos tê-los abertos.” 
CONDESSA DIANE, escritora francesa (1829-99)

22 maio, 2018

Pétala nº 2187

“Minha alma é uma orquestra oculta, não sei que instrumentos tangem e rangem, cordas e harpas, timbales e tambores, dentro de mim. Só me conheço como sinfonia."
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

21 maio, 2018

Pétala nº 2186

“Se o tempo envelhecer o seu corpo, mas não envelhecer a sua emoção, você será sempre feliz.”
AUGUSTO CURY, médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro (1958-)

20 maio, 2018

Pétala nº 2185

“O calor como uma roupa invisível, dá vontade de o tirar.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

19 maio, 2018

Pétala nº 2184

“Quando se planta cuidado, colhe-se gratidão”. 
CHARLIE CHAPLIN, comediante britânico (1889-1977)

18 maio, 2018

Pétala nº 2183

“Sofro de não sofrer, de não saber sofrer.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

17 maio, 2018

Pétala nº 2182

“A vida não pode ser economizada para amanhã. Acontece sempre no presente.” 
RUBEM ALVES, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

16 maio, 2018

Pétala nº 2181

“A morte? Mas a morte está dentro da vida. Morro totalmente? Não sei da vida. Sobrevivo-me? Continuo a viver.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

15 maio, 2018

Pétala nº 2180

“A música clássica do amor é em tom maior, a romântica em tom menor.” 
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

14 maio, 2018

Pétala nº 2179

“Hesito em tudo, muitas vezes sem saber porquê.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

13 maio, 2018

Pétala nº 2178

"Uma bela velhice é, comumente, recompensa de uma bela vida." 
PITÁGORAS, matemático da Grécia-Antiga (582-497 a.C.)

12 maio, 2018

Pétala nº 2177

“Uma alma não tem corpo, então como é que pode estar a olhar para nós?” 
HAN KANG, escritora sul-coreana (1970-), in “Atos humanos”, Ed. D. Quixote, 2017

11 maio, 2018

Pétala nº 2176

“Falhei em tudo. Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fosse nada.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935)

10 maio, 2018

Pétala nº 2175

“Há homens que se vangloriam de conhecer as mulheres. Esses são quase sempre os mais ignorantes. Quem fala não sabe, quem sabe não fala».” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

09 maio, 2018

Pétala nº 2174

“A vida não é a cápsula que nos mantém intactos, como nós pensamos: a vida é troca, permuta, escâmbio, mutuação, transação, transferência e metamorfose.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, presbítero e poeta português (1965-)

08 maio, 2018

Pétala nº 2173

“… a maior parte dos homens receia as mulheres inteligentes.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017


07 maio, 2018

Pétala nº 2172

“Viver é algo tão espantoso que sobra pouco tempo para qualquer outra coisa.” 
EMILY DICKINSON, poetisa norte-americana (1830-86)

06 maio, 2018

Pétala nº 2171

“As principais vítimas das mulheres são realmente as outras mulheres.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

05 maio, 2018

Pétala nº 2170

“Podemos imaginar tudo do que nada sabemos.”
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935)

04 maio, 2018

Pétala nº 2169

"A crueldade feminina fascina os homens.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

03 maio, 2018

Pétala nº 2168

“É fundamental arrumar o passado para viver melhor o presente e olhar em frente. Eu não sou de onde venho, sou para onde vou e não tenho saudades de mim mesmo.” 
TOZÉ BRITO (António José Correia de Brito), cantor, letrista, compositor português (1951-)

02 maio, 2018

Pétala nº 2167

“Viver num mundo como este, virado do avesso, não exige apenas enorme coragem; requer, sobretudo, inesgotável paciência e uma lucidez inabalável.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

01 maio, 2018

Pétala nº 2166

“A política é constituída por homens sem ideias e sem grandeza.”
ALBERT CAMUS, escritor e filósofo (1913-1960) 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

30 abril, 2018

Pétala nº 2165

“É muito mais fácil… lembrar sentimentos do que rostos." 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

29 abril, 2018

Pétala nº 2164

"O sofrimento é o melhor remédio para acordar o espírito." 
EMILE ZOLA, escritor francês (1840-1902)

28 abril, 2018

Pétala nº 2163

“A indignação é um purgante do espírito”. 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

27 abril, 2018

Pétala nº 2162

"A tragédia da velhice consiste não no facto de sermos velhos, mas sim no facto de ainda nos sentirmos jovens." 
OSCAR WILDE, escritor irlandês (1854-1900)

26 abril, 2018

Pétala nº 2161

“O futuro, por vezes, dá-me saudades do passado.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017


25 abril, 2018

Pétala nº 2160

“Uma injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todos os lugares.”
MARTIN LUTHER KING, activista político norte-americano (1929-68)

24 abril, 2018

Pétala nº 2159

“Com o tempo, o tempo encolhe”. 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

23 abril, 2018

Pétala nº 2158

“O silêncio é a mais perfeita expressão do desprezo.”
GEORGE BERNARD SHAW, dramaturgo irlandês (1856-1950)

22 abril, 2018

Pétala nº 2157

“Um comum fio invisível prende as mulheres aos astros. Harmonizadas com as estrelas, ainda que não o saibam, todas as mulheres têm vocação para o infinito.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “A substância do Amor”, Ed. Quetzal, 2017

21 abril, 2018

Pétala nº 2156

“Perdoa sempre os teus inimigos; não há nada que os deixe mais irritados.” 
 OSCAR WILDE, escritor irlandês (1854-1900)


20 abril, 2018

Pétala nº 2155

“Entre mim e a vida houve sempre vidros foscos.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

19 abril, 2018

Pétala nº 2154

“Todo o meu património são os meus amigos.”
EMILY DICKINSON, poetisa norte-americana (1830-86)

18 abril, 2018

Pétala nº 2153

“Perdi um amigo que tinha uma visão do mundo. É bastante raro. As pessoas não têm visão do mundo. Têm apenas opiniões.” 
YASMINA REZA, escritora francesa (1959-), in “Felizes os felizes”, Ed. Quetzal, 2014

17 abril, 2018

Pétala nº 2152

“Aprendi que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos.” 
WILLIAM SHAKESPEARE, escritor inglês (1564-1616)

16 abril, 2018

Pétala nº 2151

“… a minha vida sempre foi o avesso do avesso de um sonho…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

15 abril, 2018

Pétalas nº 2150

“Educar é mostrar a vida a quem ainda não a viu.” 
RUBEM ALVES, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

14 abril, 2018

Pétala nº 2149

“Não morro porque não me conformo, ainda não acabei o meu papel nesta vida…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

13 abril, 2018

Pétala nº 2148

“A gratidão de quem recebe um benefício é sempre menor que o prazer daquele de quem o faz.”
MACHADO DE ASSIS, escritor brasileiro (1839-1908)

12 abril, 2018

Pétala nº 2147

“Que sentido faz morrer à beira de um novo começo.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

11 abril, 2018

Pétala nº 2146

“Mas a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada.” 
CECÍLIA MEIRELES, jornalista, escritora e professora brasileira (1901-64)

10 abril, 2018

Pétala nº 2145

"A visão dum moribundo é sempre espelho da nossa própria morte.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

09 abril, 2018

Pétala nº 2144

“Só há felicidade se não exigirmos nada do amanhã e aceitarmos do hoje, com gratidão, o que nos trouxer. A hora mágica chega sempre.” 
HERMANN HESSE, escritor alemão (1877-1962) 
Prémio Nobel de Literatura, 1946

08 abril, 2018

Pétala nº 2143

“… o ressentimento é uma espécie de velhice.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

07 abril, 2018

Pétala nº 2142

“Delicadeza é temperamento, não se obtém com a idade, não é uma promoção da sensibilidade, não vem com a educação ou com a imitação dos pais.” 
FABRÍCIO CARPINEJAR, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

06 abril, 2018

Pétala nº 2141

“Viver é um negócio perigoso…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

05 abril, 2018

Pétala nº 2140

“Estranhos fios ligam o tempo a alguns outros grandes mistérios em aberto: a natureza, a morte, o destino dos buracos negros, o funcionamento da vida.” 
CARLO ROVELLI, físico e cosmologista italiano (1956-)

04 abril, 2018

Pétala nº 2139

“… o passado é um chão de memórias calcadas apenas, não sepultadas.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

03 abril, 2018

Pétala nº 2138

“Por vezes levanto-me no coração da noite e paro todos os relógios”.
 HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929).

02 abril, 2018

Pétala nº 2137

“… quem só dá conta de pequenos males, enche-se tanto deles que acaba por não sobejar espaço para o mal grande.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016


01 abril, 2018

Pétala nº 2136

“Vale mais uma lágrima derramada ao lembrar da Paixão, do que o jejum a pão e água em cada semana.” 
SANTO AGOSTINHO (Agostinho de Hipona), teólogo e filósofo (354-430)


31 março, 2018

Pétala nº 2135

“… a impaciência sempre torna obesos os minutos.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

30 março, 2018

Pétala nº 2134

“A gratidão perfuma as grandes almas e azeda as almas pequenas.” 
HONORÉ DE BALZAC, escritor francês (1799-1850)

29 março, 2018

Pétala nº 2133

“A recta é um desvio da natureza.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

28 março, 2018

Pétala nº 2132

“O ciúme é aquela dor que dá quando percebemos que a pessoa amada pode ser feliz sem a gente.”
RUBEM ALVES, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

27 março, 2018

Pétala nº 2131

“… só desconfia quem conhece, só suspeita quem é avisado, só pressente quem experimentou uma porção, ainda que pouca, da vida…"
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

26 março, 2018

Pétala nº 2130

"A gratidão é uma dívida que os filhos nem sempre aceitam no inventário.” 
HONORÉ DE BALZAC, escritor francês (1799-1850)

25 março, 2018

Pétala nº 2129

“Os filhos ficam sempre no corpo da gente, como as tatuagens…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

24 março, 2018

Pétala nº 2128

“Não se pode pretender que alguém conheça tudo, mas sim que, conhecendo alguma coisa, tenha conhecimento de tudo.” 
HUGO VON HOFMANNSTHAL, escritor e dramaturgo austríaco (1874-1929)

23 março, 2018

Pétala nº 2127

“A felicidade no meio do infortúnio alheio é afronta pessoal.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

22 março, 2018

Pétala nº 2126

“Enquanto o poço não seca, não sabemos dar valor à água.” 
THOMAZ FULLER, físico e pregador inglês (1654-1734)

21 março, 2018

Pétala nº 2125

“Às vezes o amor é mais difícil de enfrentar do que o ódio.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

20 março, 2018

Pétala nº 2124

”Os homens agarram-se a ilusões quando não têm mais nada a que se agarrar.”
CZESLAW MILOSZ, poeta, romancista e ensaísta lituano. (1911-2004) 
Prémio Nobel da Literatura, 1980

19 março, 2018

Pétala nº 2123

“… a fome faz dos homens lobos.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

18 março, 2018

Pétala nº 2122

“A infância não é um tempo, não é idade, uma colecção de memórias. A infância é quando ainda não é demasiado tarde. É quando estamos disponíveis para nos surpreendermos, para nos deixarmos encantar.”
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-)

17 março, 2018

Pétala nº 2121

“O que se conta mete sempre muito mais medo do que o que se vê.”
 ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

16 março, 2018

Pétala nº 2120

“A estupidez nunca é positiva. Você pode ser uma pessoa verdadeira, sincera e até ser dura sem precisar ser estúpida.”
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

15 março, 2018

Pétala nº 2119

“Quando se tem muita fome só há fome.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

14 março, 2018

Pétala nº 2118

“Que tipo de sociedade não está estruturada na ganância?”
MILTON FRIEDMAN, economista e escritor norte-americano (1912-2006)

13 março, 2018

Pétala nº 2117

“Deixa-me dizer-te os meus silêncios, sei que um dia os vais conseguir ouvir.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

12 março, 2018

Pétala nº 2116

“Eu nunca serei um homem velho. Para mim, a velhice é sempre 15 anos mais velha do que eu.”
FRANCIS BACON, filósofo inglês (1561-1626)

11 março, 2018

Pétala nº 2115

“É muito mais fácil chorar um morto com rosto.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

10 março, 2018

Pétala nº 2114

“Não poder viajar para o passado, para aquela casa e aquela afeição,
 E ficar lá sempre, sempre criança e sempre contente!”
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935)

09 março, 2018

Pétala nº 2113

“Não são os deuses que dormem, nós é que os sonhamos.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

08 março, 2018

Pétala nº 2112

“A história é testemunha do passado, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida, anunciadora dos tempos antigos.”
CÍCERO, filósofo da Roma-Antiga (-106/-43)

07 março, 2018

Pétala nº 2111

“Que se dane a eternidade quando se tem pela frente a fera urgência de sobreviver.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

06 março, 2018

Pétala nº 2110

“A psiquiatria não me fez entender o amor, mas tornou-me mais humano.” 
DANIEL SAMPAIO, psiquiatra português (1946-)

05 março, 2018

Pétala nº 2109

“… a morte sempre nos vigiou a vida.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

04 março, 2018

Pétala nº 2108

“Estatística: a ciência que diz que se eu comi um frango e tu não comeste nenhum, teremos comido, em média, meio frango cada um.” 
PITIGRILLI, pseudônimo de Dino Segrè, escritor italiano (1893-1975)

03 março, 2018

Pétala nº 2107

“Não brinqueis com o fogo quando a madeira é que vos sustenta…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

02 março, 2018

Pétala nº 2106

“Ninguém conquista um sonho sem persegui-lo.” 
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

01 março, 2018

Pétala nº 2105

“… a timidez é o adubo da cobardia.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

28 fevereiro, 2018

Pétala nº 2104

“Não faças planos para a vida, para não estragares os planos que a vida possa ter para ti.” 
AGOSTINHO DA SILVA , filósofo e ensaísta português (1906-96)

27 fevereiro, 2018

Pétala nº 2103

“Se queres aprender a orar, entra no mar!” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

26 fevereiro, 2018

Pétala nº 2102

"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde." 
ANDRÉ MALRAUX, escritor francês (1901-76)

25 fevereiro, 2018

Pétala nº 2101

“Quem de novo não morre, de velho não escapa.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

24 fevereiro, 2018

Pétala nº 2100

“Toda a saudade é uma espécie de velhice. É por isso que os olhos dos velhos vão se enchendo de ausências.” 
RUBEM ALVES, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

23 fevereiro, 2018

Pétala nº 2099

“… duas pessoas em silêncio dão sempre muito que dizer.” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

22 fevereiro, 2018

Pétala nº 2098

“Nosso verdadeiro amigo é aquele que não nos desculpa nada e nos perdoa tudo.” 
CONDESSA DIANE, escritora francesa (1829-99)

21 fevereiro, 2018

Pétala nº 2097

“Nunca mostreis um copo de água a um afogado, nem uma corda a um enforcado, que vos digo eu.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

20 fevereiro, 2018

Pétala nº 2096

“Para o desejo do meu coração, o mar é uma gota” 
 ADÉLIO PRADO, poetisa, professora, filósofa e contista brasileira (1935-)

19 fevereiro, 2018

Pétala nº 2095

“Quem vê o mar não o conhece, olha e sente-o, só não o pode saber.”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

18 fevereiro, 2018

Pétala nº 2094

“Só há felicidade se não exigirmos nada do amanhã e aceitarmos do hoje, com gratidão, o que nos trouxer. A hora mágica chega sempre.” 
HERMANN,  HESSE escritor alemão (1877-1962), in “Siddhartha”, Ed. Casa das Letras, 1998 
Prémio Nobel de Literatura, 1946

17 fevereiro, 2018

Pétala nº 2093

“Se os deuses não dormem, porque os sonham os homens?” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “Não se pode morar nos olhos de um gato”, Ed. Teorema, 2016

16 fevereiro, 2018

Pétala nº 2092

“O mar não é um obstáculo; é um caminho.” 
AMYR KLINK, navegador e escritor brasileiro (1955-)

15 fevereiro, 2018

Pétala nº 2091

“Quase todos os homens querem voltar a ser meninos, ou reis, ou craques de futebol, ou multimilionários.” 
PHILIP ROTH, escritor americano (1933- ), in “O escritor fantasma”, Ed. D. Quixote, 2017

14 fevereiro, 2018

Pétala nº 2090

“Aos incapazes de gratidão nunca faltam pretextos para não a ter.” 
GUSTAVE FLAUBERT, escritor francês (1821-80)

13 fevereiro, 2018

Pétala nº 2089

“Por teus olhos que nunca olharam
os meus que te olham trocaria.” 
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), in "Crepusculário", 1923 
Prémio Nobel da Literatura, 1971

12 fevereiro, 2018

Pétala nº 2088

“Que é pois o tempo? Se ninguém me pergunta, eu sei; mas se quiser explicar a quem me indaga, já não sei.” 
SANTO AGOSTINHO (Agostinho de Hipona), teólogo e filósofo (354-430)

11 fevereiro, 2018

Pétala nº 2087

“ «Simpatizar com pessoas» é muitas vezes uma fraude como outra qualquer.”
PHILIP ROTH, escritor americano (1933- ), in “O escritor fantasma”, Ed. D. Quixote, 2017

10 fevereiro, 2018

Pétala nº 2086

“E é nisto que se resume o sofrimento: 
cai a flor, — e deixa o perfume 
no vento!” 
CECILIA NEIRELES, jornalista, escritora e professora brasileira (1901-64)

09 fevereiro, 2018

Pétala nº 2085

“A Vida É Embaraçosa.”
Philip Roth, escritor americano (1933- ), in “O escritor fantasma”, Ed. D. Quixote, 2017

08 fevereiro, 2018

Pétala nº 2084

“A gratidão perfuma as grandes almas e azeda as almas pequenas.” 
Honoré de Balzac, escritor francês (1799-1850)

07 fevereiro, 2018

Pétala nº 2083

“Quem me dera saber tanto sobre qualquer assunto…”
PHILIP ROTH, escritor americano (1933- ), in “O escritor fantasma”, Ed. D. Quixote, 2017

06 fevereiro, 2018

Pétala nº 2082

"O ego é um bom escravo, mas não é um senhor capaz.”
MARIA FERNANDA, autora do blogue “ALEATORIAMENTE”

05 fevereiro, 2018

Pétala nº 2081

“Minha vida é um castelo sem janelas e portas
e para que não venhas por este caminho,
                                                                  eu o desvio."
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), in "Crepusculário", 1923 
Prémio Nobel da Literatura, 1971

04 fevereiro, 2018

Pétala nº 2080

“A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.” 
MACHADO DE ASSIS, escritor brasileiro (1839-1908)

03 fevereiro, 2018

Pétala nº 2079

“Que a vida se esgote, irmão, 
não no divino mas no homem, 
não nas estrelas mas nas tuas mãos."
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), in "Crepusculário", 1923 
Prémio Nobel da Literatura, 1971

02 fevereiro, 2018

Pétala nº 2078

“Homem livre, tu sempre gostarás do mar”.
CHARLES BAUDELAIRE, poeta francês (1821-67)

01 fevereiro, 2018

Pétala nº 2077

“Nunca, mulher, raio de luz, branca polpa de maçã,
abrandes os passos que não te fizerem sofrer,
semeemos a planície antes de arar a colina.
Viver será primeiro, depois será morrer.
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), in "Crepusculário", 1923 
Prémio Nobel da Literatura, 1971

31 janeiro, 2018

Pétala nº 2076

“A riqueza influencia-nos como a água do mar. Quanto mais bebemos, mais sede temos.” 
ARTHUR SCHOPENHAUER, filósofo alemão (1788-1860)

30 janeiro, 2018

Pétala nº 2075

“Se preferes não nos digas de que cacho somos, 
 não nos digas o quando, não nos digas o como, 
 mas diz-nos para onde é que a morte nos leva…” 
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), in "Crepusculário", 1923 
Prémio Nobel da Literatura, 1971

29 janeiro, 2018

Pétala nº 2074

“O mundo pode ser um palco; mas o elenco é um horror.”
OSCAR WILDE, escritor irlandês (1854-1900)

28 janeiro, 2018

Pétala nº 2073

“Partilhar uma casa com um gato é uma forma elegante de solidão.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960-), in “A sociedade dos sonhadores involuntários”, Ed. Quetzal, 2017

27 janeiro, 2018

Pétala nº 2072

"A cultura é o melhor conforto para a velhice."
ARISTÓTELES, filósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

26 janeiro, 2018

Pétala nº 2071

“A guerra não acabou, amigo. Apenas dorme.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960-), in “A sociedade dos sonhadores involuntários”, Ed. Quetzal, 2017