11 junho, 2021

Pétala nº 3297


"A felicidade é como a borboleta: quando a perseguimos nos escapa; quando desistimos de persegui-la, pousa em nós."
PROVÉRBIO CHINÊS

"A borboleta conta momentos e não meses, e tem tempo de sobra."
RABINDRANATH TAGORE, poeta e romancista indiano (1861-1941)

"Apenas viver não é suficiente, disse a borboleta, 
É preciso ter sol, liberdade e uma pequena flor."
HANS CHRISTIAN ANDERSEN, escritor e poeta dinamarquês (1805-75)


Feliz fim-de-semana!

(volto 2ª feira)

(foto do amigo A. Gomes)

10 junho, 2021

Pétala nº 3296

“Cada vez gosto mais de ser português e cada vez tenho mais orgulho no meu país. É-me insuportável ouvir dizer «somos um país pequeno e periférico». Para mim Portugal é central e muito grande.” 
ANTÓNIO LOBO ANTUNES, escritor e psiquiatra português (1942-)



(foto net)

09 junho, 2021

Pétala nº 3295

“A morte é o fim, a data de caducidade. Está aí, não é algo terrível. O ser humano morre há milhões de anos, é o normal.” 
ARTURO PÉREZ-REVERTE, escritor espanhol (1951, em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 janeiro 2021

08 junho, 2021

Pétala nº 3294

“As pessoas sabem aquilo que elas fazem; frequentemente sabem por que fazem o que fazem; mas o que ignoram é o efeito produzido por aquilo que fazem.” 
MICHEL FOUCAULT, filósofo, psicólogo, professor, escritor francês (1926-84)

07 junho, 2021

Pétala nº 3293

“UM HOMEM bêbedo voa. Só os lúcidos acreditam que ele vai aos esses e erres, quando, na realidade, voa em suas asas invisíveis, e chega a toda a parte mais cedo do que esperava. (…) Não se magoa a si mesmo, porque os homens bêbedos são transportados no avental da Virgem Maria.” 
DENZÓ KOSZTOLÁYI, escritor, poeta, tradutor e jornalista húngaro (1885-1936), in “Cotovia”, Ed. Dom Quixote, 2006

04 junho, 2021

Pétala nº 3292


"Não importa se os animais são incapazes ou não de pensar. O que importa é que são capazes de sofrer."
JEREMY BENTHAM, filósofo e jurista inglês (1748-1832)



(foto  net)

03 junho, 2021

Pétala nº 3291

“… quem está vivo faz perguntas. Se calhar é por isso que estamos vivos.” 
PHILIP ROTH, escritor americano (1933-2018 ), in “O professor do desejo”, Ed. D. Quixote, 2020

02 junho, 2021

Pétala nº 3290

Como é que ser um imigrante moldou a sua visão do mundo? 
Todos somos imigrantes. Todos viemos de um outro lugar. A ideia de «solo e sangue» é uma falsidade, porque ninguém é dono deste mundo. Ser um imigrante ajuda a ter uma perspetiva sobre a maldade da intolerância, a maldade de dizer: «Isto é meu!»”. Ajuda a identificar os vulneráveis, os que estão em baixo, e a saber qual é o nosso lugar no mundo.” 
DANIEL LIBESKIND, arquitecto polaco naturalizado americano (1946-), em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 9 Abril 2021 

(O futuro Tikvá Museu Judaico de Lisboa terá a assinatura de Daniel Libeskind.)


01 junho, 2021

Pétala nº 3289


“Que Deus te dê para cada tempestade, um arco-íris. 
Para cada lágrima, um sorriso. 
Para cada cuidado, uma promessa, e uma bênção para cada provação. 
Que para cada problema, a vida te traga alguém fiel com quem dividi-lo. 
Para cada olhar uma doce canção, e uma resposta para cada oração."
BÊNÇÃO IRLANDESA



(Hoje, Dia Mundial da CRIANÇA!)


(foto net)

31 maio, 2021

Pétala nº 3288

“«Há nos homens mais coisas a admirar que coisas a desprezar.» Nos homens, escreveu Camus. Não nos deuses, não nos santos, não nas bestas, mas nos homens. Aqueles que, em tempos de peste, escolhem a decência.” 
BRUNO VIEIRA AMARAL, escritor português (1978-), in “Manobras de guerrilha”, Ed. Quetzal, 2018

30 maio, 2021

Pétala nº 3287

“Desde o segundo em que começou a ler esta frase, o seu corpo produziu um milhão de glóbulos vermelhos. Já estão a acelerar dentro de si, a viajar nas suas veias, a mantê-lo vivo. Cada um destes glóbulos vermelhos dará a volta ao seu corpo cerca de 150 000 vezes, transportando repetidamente o oxigénio para as suas células, e depois, gasto e esgotado, apresentar-se-á perante outras células para ser silenciosamente liquidado em nome de um bem maior: você.” 

BILL BRYSON, escritor norte-americano (1951-), in “O CORPO – Um guia para ocupantes”, Bertrand Editora, 2019



Leia  esta investigação  bem humorada  sobre o corpo humano. 
É deliciosa!


(foto net)

29 maio, 2021

Pétala nº 3286

“Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores.” 
FHALIL GIBRAN, ensaísta, prosador, poeta, pintor libanês (1883-1931)


28 maio, 2021

Pétala nº 3285


UM POEMA NO PALPITAR DO CORAÇÃO 

Queria escrever um poema 
Que ninguém lesse 
Que ninguém visse 
Que nunca aparecesse 
Mas que alguém o sentisse 
Que tivesse o perfume de uma flor 
Que brilhasse como o sol 
Que tivesse o sossego da noite 
A candura do luar 
A beleza de um girassol 
Que descrevesse o meu amor 
A doçura do teu olhar 
Só para o poder oferecer 
Na suavidade do verbo amar 
Na paz da minha solidão 
E só tu o soubesses perceber 
No palpitar do teu coração 
Quando sozinha o fosses ler


(foto net)

27 maio, 2021

Pétala nº 3284

"… às vezes, tenho a impressão de que vivemos num mundo inventado por nós mesmos. Estabelecemos o que é bom e o que não é, desenhando mapas de significados… e, depois, passamos a vida inteira a lutar contra aquilo que concebemos. O problema é que cada um tem a sua versão do mundo, e por isso é tão difícil as pessoas entenderem-se."
OLGA TOKARCZUK, psicóloga e escritora polaca (1962-), in “Conduz o teu arado sobre os ossos dos mortos”, Ed. Cavalo de Ferro, 2019 
Prémio Nobel de Literatura, 2018


26 maio, 2021

Pétala nº 3283


“… sempre me fez a maior impressão o raio de semelhança que existe entre a palavra «adulto» e a palavra «adúltero».
Adultos, adúlteros. Curioso!” 
DAVID MOURÃO-FERREIRA, escritor e poeta português (1927-96), in “Um amor feliz”, Ed. Presença, 1986


25 maio, 2021

Pétala nº 3282

“Tão pobres somos que as mesmas palavras nos servem para exprimir a mentira e a verdade.” 
FLORBELA ESPANCA, poetisa portuguesa (1894-1930)

“As palavras são a nossa condenação. Com palavras se ama, com palavras se odeia. E, suprema irrisão, ama-se e odeia-se com as mesmas palavras.” 
EUGÉNIO DE ANDRADE, poeta português (1923-2005)
 

24 maio, 2021

Pétala nº 3281

“Algumas pessoas divertem-se à grande durante a vida e depois tropeçam naquelas que se limitam a caminhar!” 
KNUT HAMSUN, escritor norueguês (1859-1952), in “Os frutos da terra”, Ed. Cavalo de ferro, 2016
Prémio Nobel de Literatura 1920


23 maio, 2021

Pétala nº 3280


“… a lógica do universo gira em torno das lágrimas das mães.”

ORHAN PAMUK, escritor turco (1952-), in “Mulher de cabelo ruivo,” Ed. Presença, 2006 
Prémio Nobel de Literatura 2006


(desenho da flor, net)

22 maio, 2021

Pétala nº 3279

“O correr das águas, a passagem das nuvens, o brincar das crianças, o sangue nas veias. Esta é a música de Deus.” 
HERMANN HESSE, escritor alemão (1877-1962) 
Prémio Nobel de Literatura, 1946 


21 maio, 2021

Pétala nº 3278


perdi as palavras dentro de mim 
esconderam-se dentro dos mil pensamentos 
que guardo na estante do meu cérebro
vejo-as a espreitar
pelas folhas gastas dum livro de poesia
tento apanhá-las
mas elas caem e ficam no meu peito
muito quietinhas por detrás do coração
agora sim apanhei-vos
penso eu
pois aí as palavras ficam cativas
para sempre
mas estas são diferentes
desceram até ao ventre
não têm salvação 



(pintura de Françoise Collandre, net)

20 maio, 2021

Pétala nº 3277

“Caramba, como é fácil a vida quando é fácil, e como é difícil quando é difícil.” 
PHILIP ROTH, escritor americano (1933-2018 ), in “O professor do desejo”, Ed. D. Quixote, 2020

19 maio, 2021

Pétala nº 3276

“Um dia tudo será excelente, eis a nossa esperança; hoje tudo corre pelo melhor, eis a nossa ilusão.”
VOLTAIRE, filósofo francês (1694-1778)

18 maio, 2021

Pétala nº 3275

“… o meu instinto de sobrevivência leva-me sempre aos museus, como na guerra as pessoas corriam para os abrigos anti-bombas.” 
MARÍA GAINZA, crítica de arte e escritora argentina (1975-), in “O nervo ótico”, Ed. D. Quixote, 2018

17 maio, 2021

Pétala nº 3274

“Em criança tirei um pássaro de dentro de uma gaiola. O pássaro não voou. Ficou ali andando aos círculos, aos círculos, aterrorizado com a largueza do mundo e a responsabilidade enorme de ter de sobreviver por si.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960-), in “Estação das chuvas”, Ed. Quetzal, 2017

16 maio, 2021

Pétala nº 3273

Sou um homem invisível. Não, não sou um fantasma como aqueles que importunavam Edgar Allan Poe; também não sou um dos ectoplasmas dos filmes de Hollywood. Sou um homem de substância, de carne e osso, músculos e líquidos, e pode mesmo dizer-se que possuo uma mente. Sou invisível, compreendam, simplesmente porque as pessoas se recusam a ver-me. (...)
Não sou nenhuma aberração da natureza nem da história. Não me envergonho de os meus avós terem sido escravos. Só me envergonho de mim próprio por em certa altura me ter envergonhado.” 

Primeiro parágrafo do romance "Homem invisível", de RALPH ELLISON, escritor norte-americano (1914-1994)


"Não deixes que nenhum branco te faça confidências, porque depois 
ele fica envergonhado e passa a odiar-te. A verdade é que já te odiava."

Se ainda não leu este portentoso primeiro romance publicado em 1952 e considerado a melhor obra afro-americana de sempre, recomendo que o faça!


15 maio, 2021

Pétala nº 3272

“Por vezes as famílias estão repletas de segredos e de escuridão, de zonas de mistério.” 
DAVID GROSSMAN, escritor israelita (1954-), revista “E” do Jornal Expresso de 17/10/2020


14 maio, 2021

Pétala nº 3271

“… a tecnologia cria uma armadilha. Não mata o homem, mas encerra-o. Mete-o num campo de concentração tecnológico levando-o a acreditar que é livre quando não o é. O homem perdeu a liberdade no momento em que o mundo se converteu num lugar controlável tecnologicamente.” 
ARTURO PÉREZ-REVERTE, escritor espanhol (1951, em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 janeiro 2021

13 maio, 2021

Pétala nº 3270


"Precisamos de alguém que nos olhe com esperança."

"Os momentos mais difíceis são muitas vezes férteis em manifestações da esperança que acontecem por pura graça."

"Compreender que a esperança floresce no instante é experimentar o perfume eterno."

JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, teólogo e poeta português (1965-) in “Uma beleza que nos pertence”, Ed. Quetzal, 2019


(foto net)

12 maio, 2021

Pétala nº 3269

"Se todas as batalhas dos homens se dessem apenas nos campos de futebol, quão belas seriam as guerras." 
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-) 

"A felicidade de quem vence, a tristeza de quem perde, afinal, futebol é isso, uma mistura de dor e alegria!" 
AUTOR DESCONHECIDO



VIVA 
O SPORTING CAMPEÃO!

(foto net)

11 maio, 2021

Pétala nº 3268

“…existe a categoria dos sonhos lúcidos, quando você sabe que o sonho é sonho, mas não consegue ver a saída. Ou vê, mas não quer sair, ou sai e já volta porque aqui fora é o absurdo… “ 
CHICO BUARQUE (Chico Buarque de Holanda), escritor brasileiro (1944-) in “Essa gente”, Ed. Companhia das Letras, 2020

10 maio, 2021

Pétala nº 3267


«O Porto ergue-se em anfiteatro sobre o esteiro do Douro e reclina-se no seu leito de granito. Guardador de três províncias e tendo nas mãos as chaves dos haveres delas, o seu aspecto é severo e altivo, como o de mordomo de casa abastada.» 
ALEXANDRE HERCULANO, escritor português (1810-77) 

«Lisboa inveja ao Porto a sua riqueza, o seu comércio, as suas belas ruas novas, o conforto das suas casas, a solidez das suas fortunas, a seriedade do seu bem estar. O Porto inveja a Lisboa a Corte, o Rei, as Câmaras, S. Carlos e o Martinho. Detestam-se!» 
EÇA DE QUEIRÓS, escritor e diplomata português (1845-1900) 

«E quanto ao riso, o Porto gosta de rir e de rir com uma certa insolência: ri mais desbragadamente, mais primariamente, mais saudavelmente e com mais gosto do que Lisboa.» 
VASCO GRAÇA MOURA, escritor, tradutor e político português (1942-2014)


Porque promessas eu cumpro, Teresa Palmira Hoffbauer esta pétala (tripla) é para ti.


De Lisboa faltou mostrar o Castelo de São Jorge? Pronto, pronto, aqui está ele.

(fotos net)



09 maio, 2021

Pétala nº 3266


Porque será que estamos condenados a ser assim tão solitários? Qual a razão de tudo isto. Há tanta, tanta gente neste mundo, todos à espera de qualquer coisa uns dos outros, e, contudo, todos irremediavelmente afastados. Porquê? Continuará a Terra a girar unicamente para alimentar a solidão dos homens?”
HARUKI MURAKAMI, escritor e tradutor japonês (1949-), in “SPUTNIK meu amor", de Ed. Casa das Letras, 2005




Dia Feliz 
para todas as mães brasileiras... e alemãs.

(fotos net)

08 maio, 2021

Pétala nº 3265

“… presságios, é coisa que não existe. O Destino não se faz anunciar. Tem demasiado bom senso ou demasiada crueldade para o fazer.” 
OSCAR WILDE, escritor, poeta, dramaturgo irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray” “ Ed. Vega, 2000

07 maio, 2021

Pétala nº 3264


"TODOS OS DIAS
Todos os dias são dias de tudo 
Onde tudo acontece 
As sombras emergem 
As amarras se apertam 
O sol desaparece 
O mar se agiganta 
O vento fustiga 
A chuva aparece.

E então num instante… 
Mesmo que não esperemos 
Tudo vira ao contrário 
O que outrora era pedra 
Num toque de magia 
Vira diamante.

E assim são os dias 
Os meses os anos…
Em que isto acontece 
Porque somos humanos!"

Poema de MÁRIO MARGARIDEhttps://poesiaaquiesta.blogspot.com/


(Obrigada, Mário. Muito obrigada!)

06 maio, 2021

Pétala nº 3263

“Todas as histórias de amor são potenciais histórias de dor. Se não no princípio, depois. Se não para um, para o outro. Às vezes para ambos. Então por que aspiramos continuamente a amar? Porque o amor é o ponto onde se encontram a verdade e a magia." 
JULIAN BARNES, escritor inglês (1946-), in “A mesa limão”, Ed. ASA, 2008

05 maio, 2021

Pétala nº 3262


“Não tenho sentimento nenhum político ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriótico. Minha pátria é a língua portuguesa. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incomodassem pessoalmente. Mas odeio, com ódio verdadeiro, com o único ódio que sinto, não quem escreve mal português, não quem não sabe sintaxe, não quem escreve em ortografia simplificada, mas a página mal escrita, como pessoa própria, a sintaxe errada, como gente em quem se bata, a ortografia sem ípsilon, como um escarro direto que me enoja independentemente de quem o cuspisse.
Sim, porque a ortografia também é gente. A palavra é completa vista e ouvida. E a gala da transliteração greco-romana veste-ma do seu vero manto régio, pelo qual é senhora e rainha.” 

FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014



(Hoje, Dia Mundial da Língua Portuguesa!)


(foto net)

04 maio, 2021

Pétala nº 3261

“Se desta vida imperfeita eliminássemos tudo o que é inútil, a imperfeição deixaria ela própria de fazer sentido.” 
HARUKI MURAKAMI, , escritor e tradutor japonês (1949-), in “SPUTNIK meu amor", de Ed. Casa das Letras, 2005

03 maio, 2021

Pétala nº 3260



Recebi mais um miminho do meu amigo Douglas. 
Miminho gostoso, que continuo a olhar por entre uma cortina de lágrimas. Lágrimas de alegria, note-se!
Não duvidem, há gestos de amizade que concertam um coração partido no dia anterior. Um dia sem filhos, sem netas, sem beijos, sem abraços, sem risos, sem gestos de tocante doçura. Faltou tudo no meu Dia. 
Hoje será diferente. O sol já raiou e eu comecei o dia sorrindo. 
Obrigada, querido amigo. 
Obrigada pela pétala  do  Mário Quintana, pelo teu miminho, pela tua amizade.
Beijo.


02 maio, 2021

Pétala nº 3259


“SEMPRE QUE EU SAÍA PARA BRINCAR, A MINHA MÃE QUERIA SABER EXACTAMENTE ONDE É QUE EU ESTAVA 
Quando eu entrava, ela chamava-me ao seu quarto, tomava-me nos braços, e cobria-me de beijos. Afagava-me o cabelo e dizia, «Gosto tanto de ti», e quando eu espirrava, ela dizia, «Santinho, sabes como eu gosto de ti, não sabes?», e quando eu me levantava para ir buscar um lenço de papel ela dizia, «Deixa estar que eu vou-to buscar, gosto tanto de ti», e quando eu procurava uma caneta para fazer os trabalhos de casa ela dizia, «Usa a minha, tudo por ti» e quando eu tinha uma comichão na perna ela dizia, «É aqui neste sítio, deixa-me dar-te um abraço», e quando eu dizia que ia subir para o meu quarto ela vinha atrás de mim e dizia, «O que é que eu posso fazer por ti, gosto tanto de ti», e eu tinha sempre vontade de dizer, embora nunca o dissesse: não gostes tanto de mim."
 
NICOLE KRAUSS, escritora norte-americana (1974-) in “A história do amor”, Ed. Dom Quixote, 2006


DIA FELIZ
PARA TODAS AS MÃES!

(foto net)

01 maio, 2021

Pétala nº 3258



"COMUNICADO
Na frente ocidental nada de novo. 
O povo continua a resistir 
Sem ninguém que lhe valha, 
Geme e trabalha 
Até cair.”

MIGUEL TORGA, porta português (1907-95), in "Poesia completa", Ed. Dom Quixote, 2000


(foto net)

30 abril, 2021

Pétala nº 3257

“Escrever é motivação pessoal, é vocação profissional. Escrever transpira cultura e cultura é o suor do saber.” 
DOUGLAS MELO, conhecido no seu blogue "DOUG-BLOGcomo  Doug, é um jornalista, escritor, blogueiro, professor/PhD (Philosophiæ Doctor) brasileiro (1970-)

29 abril, 2021

Pétala nº 3256


"Dançar é sentir, sentir é sofrer, sofrer é amar... Tu amas, sofres e sentes. Dança!" 

ISADORA DUNCAN, coreógrafa e bailarina norte-americana, considerada a precursora da dança moderna (1877-1927) 


"Não é o ritmo nem os passos que fazem a dança, mas a paixão que vai na alma de quem dança."

AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)




(Hoje, Dia Mundial da DANÇA!)



(colagem com fotos da net)


28 abril, 2021

Pétala nº 3255

“Como toda a gente só disponho de três meios para avaliar a existência humana: o estudo de nós próprios, o mais difícil e o mais perigoso, mas também o mais fecundo dos métodos; a observação dos homens, que na maior parte dos casos fazem tudo para nos esconder os seus segredos ou para nos convencer de que os têm; os livros, com os erros particulares de perspectiva que nascem entre as suas linhas.” 
MARGUERITE YOURCENAR, escritora francesa (1903-1987), in “Memórias de Adriano”, Ed. Ulisseia, 1991

27 abril, 2021

Pétala nº 3254

“Se não há «por muito tempo», nem para «o resto da nossa vida», nem «de hoje em diante», mas apenas existe «agora», pois bem, é ao momento presente que é preciso dar graças...” 
ERNEST HEMINGWAY, escritor norte-americano (1899-1961), in “Por quem os sinos dobram”, Círculo de Leitores”, 1981 
Prémio Nobel de Literatura, 1954

26 abril, 2021

Pétala nº 3253

“Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.”
CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

25 abril, 2021

Pétala nº 3252


“ Aqui, onde o coração reclama uma pátria melhor,
volto ao lugar das palavras que nunca calei, por saber 
que o silêncio se articula na errância da voz e que nele cabe
a solidária multidão que ama, por inteiro, a liberdade. 
A boca sabe-me, inesperadamente, a sangue, em nome 
daqueles que desistiram do sonho, sem remorsos, à margem 
da esperança. Tardei a encontrar o exótico perfume
com que alucinei os dias e as noites, onde, de um trago só,
bebi a própria sede, guardada no barro da memória. 
Agora, sou dos que medem o desassossego dos lábios pelo silente 
sobrevoar dos pássaros, rente à coragem ou às lágrimas. 
As minhas mãos se dão com a inquieta força de quem vive
ancorado ao fascínio de ter no olhar um horizonte livre, 
tão límpido, como a luz transfigurada das manhãs."

GRAÇA PIRES, poetisa portuguesa (1946-), in "Poemas escolhidos 1990-2011"


(imagem Pinterest)

24 abril, 2021

Pétala nº 3251

“O meu passatempo favorito é deixar passar o tempo, ter tempo, aproveitar o meu tempo, perder tempo, viver a contratempo."
FRANÇOISE SAGAN (pseudónimo de Françoise Quoirez), escritora francesa (1935-2004)

23 abril, 2021

Pétala nº 3250


“Para mim o ser humano é a soma daquilo que viveu e do que leu. E o que lemos ajuda-nos a compreender o que vivemos. É uma espécie de enzima, de levedura, que faz com que o que vivemos fermente. (…) Os livros à mistura com a memória produzem uma fermentação, que é algo pessoal. É impossível digerir bem o resultado da vida se não houver livros que o permitam.” 

ARTURO PÉREZ-REVERTE, escritor espanhol (1951, em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 janeiro 2021


(Hoje, Dia Mundial do LIVRO!)

(foto net)

22 abril, 2021

Pétala nº 3249

“O pecado é uma coisa que fica estampada no rosto de um homem. Não se pode ocultar. As pessoas falam às vezes de vícios secretos. Isso são coisas que não existem. Se um desgraçado de um homem tiver um vício, este é visível nas comissuras dos lábios, no descair das pálpebras, até na forma das mãos.” 
OSCAR WILDE, escritor, poeta, dramaturgo irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray” “ Ed. Vega, 2000

21 abril, 2021

Pétala nº 3248

“Duas verdades em que os homens em geral nunca acreditarão: a primeira, a de não saber nada; a segunda, a de não ser nada. Acrescento a terceira, que depende muito da segunda, a de não ter nada a esperar depois da morte.” 
GIACOMO LEOPARDI, poeta e ensaísta italiano (1798-1837)

20 abril, 2021

Pétala nº 3247

“A tristeza desaparece com o sol. É como o nevoeiro.” 
ERNEST HEMINGWAY, escritor norte-americano (1899-1961), in “Por quem os sinos dobram”, Círculo de Leitores”, 1981 
Prémio Nobel de Literatura, 1954

19 abril, 2021

Pétala nº 3246

“Era uma vez um rapaz que amava uma rapariga, e o riso dela era uma pergunta que ele queria passar a vida inteira a responder.” 
NICOLE KRAUSS, escritora norte-americana (1974-) in “A história do amor”, Ed. Dom Quixote, 2006

18 abril, 2021

Pétala nº 3245


Era inevitável: o cheiro das amêndoas amargas recordava-lhe sempre o destino dos amores contrariados. O doutor Juvenal Urbino sentiu-o assim que entrou na casa, ainda mergulhada em penumbra, onde fora de urgência para tratar um caso que, para ele, já tinha deixado de ser urgente há muitos anos. O refugiado antilhano Jeremiah de Saint-Amour, inválido de guerra, fotógrafo de crianças e o seu mais tolerante adversário de xadrez, tinha-se posto a salvo das inquietações da memória com um defumador de cianeto de ouro.”

Primeiro parágrafo do romance "O amor nos tempos da cólera", de GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ, escritor colombiano (1927-2014)
Prémio Nobel de Literatura, 1982

Inicio hoje a publicação de primeiros parágrafos que sublinhei e guardei na caixinha das boas e inesquecíveis leituras.
Se recorda algum  primeiro parágrafo, compartilhe aqui. Eu agradeço.

17 abril, 2021

Pétala nº 3244

“Ninguém precisa de perder o norte – a vida já é suficientemente confusa.” 
PHILIP ROTH, escritor americano (1933-2018 ), in “O professor do desejo”, Ed. D. Quixote, 2020

16 abril, 2021

Pétala nº 3243

“Há noites em que se tem saudades de tudo. 
Essas saudades insinuam-se nos nossos sonhos 
e tanto sonhamos com a aflição de alguém em fuga 
ou com o desgosto de um traição, como sonhamos 
com uma felicidade desconhecida que não sabemos 
de onde vem. Neste caso, quando acordamos,
ainda sentimos no ar o perfume de quem passou pelo nosso sono.”

Aguarela e poema de LUIS RODRIGUEShttps://brancasnuvensnegras.blogspot.com/


(Obrigada, Luis. Muito obrigada!)

15 abril, 2021

Pétala nº 3242

“A morte é uma vitória, e, quando se viveu bem, o caixão é um arco de triunfo.” 
JOSÉ MARTÍ (José Julián Martí Pérez), político, filósofo, poeta cubano (1853-1895)

14 abril, 2021

Pétala nº 3241

“A memória é uma armadilha, pura e simples, que altera, e subtilmente reorganiza o passado, de forma a se encaixar no presente.” 
MARIO VARGAS LLOSA, escritor peruano (1936-), in “Cinco esquinas”, Ed. Quetzal, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 2010

13 abril, 2021

Pétala nº 3240

“Quem não quer pensar, é fanático; quem não pode pensar, é idiota; quem não ousa pensar, um cobarde.” 
FRANCIS BACON, filósofo inglês (1561-1626)

12 abril, 2021

Pétala nº 3239

“É difícil descobrir nas faces dos velhos as feições que tinham em jovens. Às vezes nem sequer conseguimos pensar que tiveram uma juventude.” 
ELENA FERRANTE, pseudónimo de uma escritora italiana cuja identidade é mantida secreta (1943-), in “Crónicas do mal de amor”, Ed. Relógio d’Água, 2016

11 abril, 2021

Pétala nº 3238


"Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos tem?
CONFÚCIO, sábio chinês (-551/-479)


(foto net)

10 abril, 2021

Pétala nº 3237

“Amar é... 
sorrir por nada e ficar triste sem motivos 
é sentir-se só no meio da multidão, 
é o ciúme sem sentido, 
o desejo de um carinho; 
é abraçar com certeza e beijar com vontade, 
é passear com a felicidade, 
é ser feliz de verdade! 

ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960) 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

09 abril, 2021

Pétala(s) nº 3236

“A simplicidade não pode ser complicada... Alguns de tanto que a querem mostrar, rebuscam e se atrapalham. Ela só vale se for DE VERDADE!” 

“… a simplicidade, é ser humilde, não ser arrogante, não se julgar acima de ninguém. E, acima de tudo, rejeitar extravagâncias.” 

 “A beleza está nas coisas mais simples... como uma pétala!” 

“… o simples não é para todos. Porque dá trabalho, conquista-se aos poucos.” 

"A beleza está na simplicidade e na autenticidade."

"A simplicidade tem que ser naturalmente espontânea, aí está sua beleza."


Amigo(a), 
sugiro que depois de ler a pétala do dia volte à do dia anterior. Isto porque outras pétalas inspiradoras poderão estar espalhadas nos comentários. Estas foram colhidas na Pétala nº 3233, da passada terça-feira. Obrigada!

FELIZ 
FIM-DE-SEMANA

08 abril, 2021

Pétala nº 3235

"Seja humilde, pois até o sol com toda a sua grandeza se põe e deixa a lua brilhar." 
BOB MARLEY, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)

07 abril, 2021

Pétala nº 3234

“Se tivesse que dividir o mundo em dois grandes núcleos de pessoas, não seria entre bons e maus. Seria entre os que sabem que vão morrer e os que não o sabem. As pessoas que sabem que vão morrer são melhores, até nas suas crueldades e nas suas violências – são realmente humanas. Os que acreditam que não vão morrer são estupidamente irresponsáveis, só prejudicam a humanidade, e a atualidade demonstra-o claramente. Saber que vou morrer talvez tenha sido o que, paradoxalmente, me manteve vivo.”
ARTURO PÉREZ-REVERTE, escritor espanhol (1951-), em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 janeiro 2021

06 abril, 2021

Pétala(s) nº 3233

“Que ninguém se engane: só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.” 
CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

“A simplicidade é a essência do grande, do verdadeiro e do belo na arte.” 
GEORGE SAND, pseudónimo de Amandine Aurore Lucile Dupin, escritora francesa (1804-76) 

“A simplicidade é a chave da verdadeira elegância.” 
COCO CHANEL (Gabrielle Bonheur Chanel), estilista francesa e fundadora da marca Chanel (1883-1971)

05 abril, 2021

Pétala nº 3232

“Quando não há solução, enfrentamos a realidade, fazemo-nos homens. Adaptamo-nos. Sobrevivemos. Vencemos, lutamos, ou pelo menos somos derrotados em grande no combate que é a vida.“ 
AFONSO REIS CABRAL, escritor português (1990), in “O meu irmão”, Ed. Leya, 2014

04 abril, 2021

Pétala nº 3231


PÁSCOA
Um dia de poemas na lembrança
(Também meus) 
Que o passado inspirou. 
A natureza inteira a florir 
No mais prosaico verso. 
Foguetes e folares, 
Sinos a repicar, 
E a carícia lasciva e paternal 
Do sol progenitor 
Da primavera. 
Ah, quem puder 
Ser de novo 
Um dos felizes 
Desta aleluia! 
Sentir no corpo a ressurreição. 
O coração, 
Milagre do milagre da energia, 
A irradiar saúde e alegria 
Em cada pulsação.

MIGUEL TORGA, porta português (1907-95), in "Poesia completa", Ed. Dom Quixote, 2000

FELIZ PÁSCOA, 
EM PAZ E HARMONIA


Obrigada, meu querido amigo!

(foto net)

03 abril, 2021

Pétala nº 3230

“Não preciso de dez mandamentos para viver, me basta só um: não interferir na vida dos outros.” 
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, escritor brasileiro (1902-87)

02 abril, 2021

Pétala nº 3229

“….por vezes, quando gostamos muito, muito de alguém, queremos encontrar uma maneira de descrever como os nossos sentimentos são grandes…mas…o amor não é coisa fácil de medir…” 
SAM McBRATNEY, escritor da Irlanda do Norte (1943-2020) in "Adivinha quanto eu gosto de ti", 1994

01 abril, 2021

Pétala nº 3228


"Um minimercado. Fila para a caixa. Diálogo entre o jovem que segura uma grande embalagem de comida para cão, e a mulher à sua frente na fila. 
MULHER: Tem um cão, é? 
JOVEM: Se eu tenho um cão. 
MULHER: (Sorri) Sim. 
JOVEM: Não, minha senhora. 
MULHER: (Ligeiramente desconcertada) Ah. 
JOVEM: Não tenho nenhum cão. 
MULHER: Certo. 
JOVEM: Estes biscoitos são para mim. 
MULHER: Para si?
JOVEM: Sim, minha senhora. É uma dieta. 
MULHER: Uma dieta? 
JOVEM: Sim, minha senhora. Bom. Provavelmente, eu nem sequer lhe devia contar isto. Já experimentei algumas vezes, e deixe-me dizer-lhe que resulta bastante bem. Uma pessoa não chega propriamente a comer. Dá-me a fome? Meto uns quantos biscoitos pela goela abaixo. (...) Acordo de noite? Não desço à cozinha para esvaziar o frigorífico. Tenho um pratinho destes biscoitos na mesa de cabeceira, e é só estender o braço e engolir uns poucos. É questão de ter sempre um copo cheio de água ali à mão. Da última vez, perdi doze quilos num mês. Recomendo este método a qualquer pessoa. (...)  É claro que, assim como outra coisa qualquer, é preciso saber usar a cabeça. Uma vez, acordei no hospital. (…) 
Ao fim de alguns dias uma pessoa já nem quer outra coisa. Recomendo este método a toda a gente, sem dúvida. (...)
MULHER: Mas você disse que acordou no hospital. O que é que lhe aconteceu? Teve uma reação alérgica ou quê? 
JOVEM: Ah, não, minha senhora. Não foi nada desse género. Estava agachado no meio da rua, a lamber os tomates, e veio um carro e atropelou-me. Tenha cuidado consigo. Ouviu?"

CORMAC McCKARTHY, escritor norte-americano (1933-), in "O Conselheiro", Ed. Relógio d'Água, 2013


(Hoje, Dia das MENTIRAS!)

(foto net)

31 março, 2021

Pétala nº 3227

“O corpo é uma máquina de curar que necessita de ser seguida e mantida, porque a falência de uma engrenagem decreta a falência das outras.” 
CLARA FERREIRA ALVES, jornalista e escritora portuguesa (1956-)

30 março, 2021

Pétala nº 3226

“A vida não é como um MP3 que toca o que você quer, a vida é como um rádio e você tem que aproveitar o que está tocando.” 
ONE DIRECTION, banda inglesa, formada em 2010

29 março, 2021

Pétala nº 3225

“O medo que as crianças têm do escuro e os adultos têm da doença e da morte. Como disse Shakespeare pela boca de Hamlet, «ser ou não ser» é mesmo a grande questão existencial.” 
JORGE CALADO, português e cientista português (1938-), in “O Medo, esse nosso desconhecido”, artigo publicado na revista "E", do jornal Expresso de 29 Janeiro 2021

28 março, 2021

Pétala nº 3224

“... a colheres de café andamos medindo a vida.” 
T. S. ELLIOT, poeta americano (1888-1965) 
Prémio Nobel de Literatura, 1948


(foto net)

27 março, 2021

Pétala nº 3223

"A paixão é um equívoco puro. Já Platão o dizia: «Amar é dar o que não se tem a quem não é.» Ou seja, uma confusão lamentável de identidades confusas, um erro perpétuo de avaliação.” 
ROSA MONTERO, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

26 março, 2021

Pétala nº 3222

“A Humanidade vive em pecado mortal há muitos séculos. O que acontece é que, à medida que o progresso avança, que a tecnologia se torna mais intensa, que as redes de comunicação funcionam com maior eficácia, o pecado é cada vez maior, mais rápido e mais destrutivo.” 
ARTURO PÉREZ-REVERTE, escritor espanhol (1951, em entrevista a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 janeiro 2021

25 março, 2021

Pétala nº 3221

“…da devoção ao ódio vai um passo.” 
JAVIER CERCAS, escritor espanhol (1962-), in “Terra Alta”, Porto Editora, 2020

24 março, 2021

Pétala nº 3220

"O que é que ainda o surpreende? O que o emociona? 
A amizade, o amor, a música. Ouço música o dia todo, e agora que temos música na televisão tenho-a ligada enquanto trabalho. Porque gosto muito de ver a cara e a expressão dos músicos quando tocam. É um acrescento ao prazer da audição.
A música é “a imagem do Universo”, como disse uma vez? 
Não há nada mais elevado. As salas de concerto são as minhas igrejas. É o lugar onde sinto que existe algo maior do que eu."

HUBERT REEVES, astrofísico franco-canadense (1932-), excerto da entrevista concedida a Luciana Leiderfarb, publicada na revista "E", do jornal Expresso de 25 Abril 2020

23 março, 2021

Pétala nº 3219

“… as pessoas têm um nome que lhes antecede, depois ganham a cara do nome que têm.” 
CHICO BUARQUE (Chico Buarque de Holanda), escritor brasileiro (1944-) in “Benjamim”, Ed. Presença, 1997

22 março, 2021

Pétala nº 3218

“Abusamos da terra onde nascemos destruindo florestas, cultivando intensivamente espécies exógenas, escavando minas em solos sensíveis; explorando petróleo na terra e no mar; retalhamos o campo com a expansão urbana e inúteis redes de autoestradas. As cidades transformam-se em florestas de cimento, aço e vidro, e a lavoura campestre redundou em florestas de painéis solares. Temos, todavia, a lata de chamar a isto progresso civilizacional!"
JORGE CALADO, professor e cientista português (1938-), in “O Medo, esse nosso desconhecido”, artigo publicado na revista "E", do jornal Expresso de 29 Janeiro 2021

21 março, 2021

Pétala nº 3217

 
Nada tão silencioso como o tempo 
no interior do corpo. Porque ele passa 
com um rumor nas pedras que nos cobrem, 
e pelo sonoro desalinho de algumas árvores 
que são os nossos cabelos imaginários. 
Até na íris dos olhos o tempo
faz estalar faíscas de luz breve. 
Só no interior sem nome do nosso corpo
ou esfera húmida de algum astro 
ignoto, numa órbita apartada, 
o tempo caladamente persegue 
o sangue que se esvai sem som. 
Entre o princípio e o fim vem corroer 
as vísceras, que ocultamos como a Terra. 
Trilam os lábios nossos, à semelhança
das musicais manhãs dos pássaros. 
Mesmo os ouvidos cantam até à noite 
ouvindo o amor de cada dia. 
A pele escorre pelo corpo, com o seu correr 
de água, e as lágrimas da angústia 
são estridentes quando buscam o eco. 
Mas nós sentimos dentro do coração que somos 
filhos dilectos do tempo e que, se hoje amamos, 
foi depois de termos amado ontem. 
O tempo é silencioso e enigmático 
imerso no denso calor do ventre.
Guardado no silêncio mais espesso, 
o tempo faz e desfaz a vida.

Poema sem título, de FIAMA HASSE PAIS BRANDÃO, escritora, poetisa, dramaturga, ensaísta e tradutora portuguesa (1938-2007)


(Hoje, Dia Mundial da POESIA.)

(foto net)

20 março, 2021

Pétala nº 3216

"Bom é não saber o quanto a vida dura, ou se estarei aqui na primavera futura. 
Posso brincar de eternidade agora, sem culpa nenhuma." 
ZÉLIA DUNCAN, atriz, cantora e compositora brasileira (1964-)


Feliz Primavera!

(foto net)

19 março, 2021

Pétala (s) nº 3215

“Olhar insistentemente o passado é mórbido, mas fugir dele é cobardia envergonhada.” 
 ROGÉRIO G.V. PEREIRA, https://conversavinagrada.blogspot.com/