08 março, 2021

Pétala nº 3205

"Somente a mulher sabe do que a mulher é capaz."
WILLIAM SOMERSET MAUGHAM, escritor, dramaturgo, romancista e contista britânico (1874-1965)


"Uma mulher é como um saquinho de chá; você nunca sabe o quão forte ele é até que esteja na água quente." 
ELEANOR ROOSEVELT, primeira-dama dos Estados Unidos, de 1993 a 1945 (1884-1962)


(Hoje, Dia Internacional  da MULHER.)

(fotos net)

07 março, 2021

Pétala nº 3204


Quem sou eu? Muito gostaria de saber... 
Quando escrevo, sou página e poesia. 
Quando me foge a inspiração, penso esquecer 
Quem ousou roubar minhas alegorias? 

Quase impalpável, me torno. 
Questiono com meu ego, 
Queixo-me do maldito suborno 
Que me causa desassossego. 

Qual pintor borra as tintas da minha imaginação? 
Qual química é capaz de transformar 
Quadro colorido em tela branca com uma simples demão? 
Quotidiano transpirado, versos mortos a sepultar! 

Quem sou eu, que de tão transmutada, 
Quase nem me reconheço envolta nessa teia? 
Quisera ouvir o sopro dos ventos da madrugada. 
Quase dia, eu amanheço com essa prosopopeia!


Poema da amiga DINÁ FERNANDES, publicado em 11/2/2018 no blogue  «pensandoempoesia».
A poeta carinhosa faleceu no passado dia 3 de Março.  
Paz à sua alma!


06 março, 2021

Pétala nº 3203

“... a justiça absoluta pode ser a mais absoluta das injustiças."
JAVIER CERCAS, escritor espanhol (1962-), in “Terra Alta”, Porto Editora, 2020

05 março, 2021

Pétala nº 3202

“Se todos os nossos infortúnios fossem colocados juntos e, posteriormente, repartidos em partes iguais por cada um de nós, ficaríamos muito felizes se pudéssemos ter apenas, de novo, só os nossos”. 
SÓCRATES, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

04 março, 2021

Pétala sem número

Faz exactamente hoje uma semana, que de manhã ao abrir o pc reparei que a pasta do Pétalas tinha sumido do monitor. Perdi o chão!
No interior da pasta tinha frases arrumadas por ordem alfabética do autor, para o ano todo. Tinha pétalas alinhadas para transferir para o blogue nos próximos seis meses. Tinha dezenas de imagens selecionadas em horas de buscas na net. 
A pasta não apareceu. Nada nem ninguém conseguiu recuperá-la. Foram anos de trabalho perdido.  E eu jamais saberei o que fiz mal quando encerrei o computador no dia anterior. E isso, é o que mais dói.
Escaparam ao desastre pétalas agendadas no blogue para duas semanas. Nem mais uma semana, nem mais uma pétala.
Gritei, desabafei, e quem me ouviu enviou-me frases, deu-me total acesso a citações publicadas nos seus blogues. Grata para sempre!
Ainda desalentada, recupero frases sublinhadas em livros, busco pétalas em todo o lado, o dia todo. 
Exijo de mim, continuar a publicar pétalas diariamente, às onze horas. É assim desde o início do Pétalas. Assim será.
As visitas a blogues de amigos talvez sejam mais espaçadas nas próximas semanas. Peço a vossa compreensão.
(Para que conste, tenho sobre a mesa de trabalho um disco rígido externo com milhares de frases… já publicadas no Pétalas. Estúpido? Claro que sim!)
 
ESTOU TRISTE, mas vai passar!

Obrigada, amiga. Sem saber, a rosa chegou no momento certo.

03 março, 2021

Pétala nº 3201

Solidão em tempo de adolescência: pode não matar, mas dói
(…) A solidão acontece mesmo sem isolamento social e tem uma dimensão subjetiva que reflete a forma como as pessoas percebem a sua vida social. Nos relacionamentos sociais, quando o que temos é menos do que o que desejamos, a solidão emerge. 
Sendo uma experiência emocional negativa, está associada a sentimentos de falta, de vazio, de desligamento, que muitas vezes parecem mais intensos do que aquilo que é suportável. Neste sentido, a solidão dói e remete aqueles que a sentem para uma condição de profunda infelicidade, de recolhimento sobre si próprio, de vazio e desesperança. (…) 
Adolescentes que sofrem de solidão têm menos possibilidades de serem aceites socialmente. Não se enquadrando naquilo que os pares consideram um comportamento normativo, estão mais sujeitos à rejeição, à exclusão e até à vitimização. Na saúde pode conduzir a uma desregulação do sistema imunitário, tornando estes adolescentes mais vulneráveis a contrair doenças. É ainda mais provável que iniciem comportamentos prejudiciais como o tabagismo, consumo excessivo de álcool e de drogas, obesidade e problemas de sono. A solidão está ainda associada e é preditora de sintomatologia depressiva, com a possibilidade de ocorrerem ideias de suicídio. (…)"

Excerto do Artigo de Opinião “Solidão em tempo de adolescência: pode não matar, mas dói", de OLÍVIA RIBEIRO, investigadora do WJCR do ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida, publicado no jornal «Público» de 30 Agosto 2020

02 março, 2021

Pétala nº 3200

“quem muito olha  o passado pode ficar preso dentro dele” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

01 março, 2021

Pétala nº 3199

“A esperança é a mão misteriosa que nos aproxima do que desejamos e nos afasta do que tememos.”
SEVERO CATALINA, escritor espanhol (1832-71)

28 fevereiro, 2021

Pétala(s) nº 3198

 
"Sou uma pessoa insegura, indecisa, sem rumo na vida, sem leme para me guiar: na verdade não sei o que fazer comigo. "

"Sou um monte intransponível no meu próprio caminho. Mas às vezes por uma palavra tua ou por uma palavra lida, de repente tudo se esclarece. "

"Sou como você me vê. 
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, 
Depende de quando e como você me vê passar."

"Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão. Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."

"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."

"Agora sei: sou só. Eu e minha liberdade que não sei usar. Grande responsabilidade da solidão."

Frases soltas de CLARICE LISPECTOR, escritora brasileira (1920-77)

E mais uma frase de CLARICE, esta partilhada pela Fê Blue Bird:
"Quem sou eu ? 
Sou um coração batendo no mundo."

(foto net)

27 fevereiro, 2021

Pétala nº 3197

“Remorso: o depósito no fundo do copo da vida.” 
AMBROSE BIERCE, escritor e jornalista norte-americano (1842-1914)

26 fevereiro, 2021

Pétala nº 3196

“Temos que deitar abaixo o passado 
e tal como se constrói
andar por andar, janela por janela, 
e o edifício sobe 
assim, vamos descendo 
telhas quebradas primeiro, 
depois orgulhosas portas, 
até que do passado 
começa a sair pó 
como se se batesse
contra o chão"
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73), versos do poema “Passado”. 
Prémio Nobel de Literatura, 1971

25 fevereiro, 2021

Pétala nº 3195

"As palavras dançam nos olhos das pessoas conforme o palco dos olhos de cada um."
ALMADA NEGREIROS, artista plástico, poeta, ensaísta, romancista, dramaturgo português (1893-1970)

24 fevereiro, 2021

Pétala nº 3194

“Odiar alguém é como bebermos um copo de veneno achando que assim vamos matar quem odiamos.”
JAVIER CERCAS, escritor espanhol (1962-), in “Terra Alta”, Porto Editora, 2020

Thriller emocionante e empolgante.  "Uma reflexão lúcida sobre o valor da lei, a possibilidade de se fazer justiça e a legitimidade da vingança. A epopeia de um homem em busca do seu lugar no mundo." Recomendo!

23 fevereiro, 2021

Pétala nº 3193

“O amor é o único assunto. Na vida humana tudo é acerca do amor ou da sua ausência. "
SALMAN RUSHDIE, ensaísta e autor de ficção britânico de origem muçulmana indiana (1947-)

22 fevereiro, 2021

Pétala nº 3192

“o pânico é o abutre que se senta no teu peito” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

21 fevereiro, 2021

Pétala(s) nº 3191


"Que sei eu do que serei eu que não sei o que sou? Ser o que penso? Mas penso ser tanta coisa! E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!"

"Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. À parte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo." 

"Eu sou o intervalo entre o meu querer e o que a vontade dos outros fez de mim." 

"Mas sou sempre eu, assente sobre os mesmos pés. O mesmo sempre, graças ao céu e à terra. E aos meus olhos e ouvidos atentos. E à minha clara simplicidade de alma..."

"Sou feito das ruínas do inacabado e é uma paisagem de desistências que definiria meu ser." 

 "Conhece alguém as fronteiras à sua alma, para que possa dizer - eu sou eu?"

Frases soltas de FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935) 

(foto net)

20 fevereiro, 2021

Pétala nº 3190

“Se eu tivesse de resumir o que é uma família, diria que é o lugar mais relevante da nossa existência, no sentido em que sabemos como decifrar os seus códigos. Todos pertencemos a estruturas sociais, políticas, económicas, mas não sabemos realmente como interpretar os códigos. Essa facilidade de descodificação é o coração de uma família.” 
DAVID GROSSMAN, escritor israelita (1954-), revista “E” do Jornal Expresso de 17 Outubro 2020

19 fevereiro, 2021

Pétala nº 3189

AS PALAVRAS 
A minha palavra
é um braço
com que te enlaço
e um punho erguido
necessário, sentido

A minha palavra
é um gesto lento
é um lamento
um grito ouvido
de um homem ferido

A minha palavra 
sem sempre é bela
é um comer saído da gamela
é um sorvo, um beber
é um dar do meu saber

A minha palavra
pretendendo-a justa, é louca
é uma boca
com lábios de beijar
e dentes de morder, de trincar


Rogério, obrigada!

18 fevereiro, 2021

Pétala nº 3188

“Podemos ter mais pandemias, mas também um futuro diferente daquele que vislumbramos agora. Se desistirmos da ilusão de controlar tudo o que está à nossa volta, podemos voltar a focar-nos no prazer que obtemos de outros seres e da própria vida.” 
TIMOTHY MORTON, filósofo inglês (1968), em entrevista à revista "Ípsilon", do jornal Público de 14 Maio 2020.

17 fevereiro, 2021

Pétala nº 3187

“… os professores humanizam a escola, evitando que ela se torne uma máquina de processos e técnicas.”
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "A minha professora", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 5 Setembro 2020

16 fevereiro, 2021

Pétala nº 3186

“À força de nos disfarçarmos perante os outros acabamos por nos mascarar perante nós mesmos.”
FRANÇOIS DE LA ROCHEFOUCAULD, escritor francês (1613-1680)

15 fevereiro, 2021

Pétala nº 3185

“há palavras que nos arrancam pedaços de carne, como se tivessem boca” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

14 fevereiro, 2021

Pétala nº 3184

"Dá-me mil beijos, a seguir cem, depois outros mil, a seguir mais cem, a seguir mil, depois cem; por fim, quando tivermos somado muitos milhares, baralharemos a conta para não a sabermos e para que nenhum invejoso nos possa lançar mau olhado quando souber que nos demos tantos beijos.” 
ISABEL ALLENDE, escritora chilena (1942-), in “Afrodite – Histórias, Receitas e outros Afrodisíacos”, Ed. DIFEL, 1997

(Hoje, Dia dos Namorados)


(foto net)

13 fevereiro, 2021

Pétala nº 3183

“os olhos são órgãos traiçoeiros, denunciam o que vai por dentro” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019
Um romance estonteante. Recomendo!

12 fevereiro, 2021

Pétala nº 3182

“O sorriso é alimento fundamental da alma humana, assim, como o estribilho é alimento necessário das composições musicais!”
DOUGLAS MELO, conhecido no seu blogue "DOUG-BLOGcomo  Doug, é um jornalista, escritor, blogueiro, professor/PhD (Philosophiæ Doctor) brasileiro (1970-) 

11 fevereiro, 2021

Pétala nº 3181

“Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.” 
MIGUEL  DE UNAMUNO, ensaísta, romancista, dramaturgo, poeta e filósofo espanhol (1864-1936)

(Flores para a amiga EMÍLIA, pelo 12º aniversário do "COMEÇAR DE NOVO")

(foto net)

10 fevereiro, 2021

Pétala nº 3180

“Neste mundo que parece virado pelo avesso, precisamos fazer do fim um recomeço, precisamos fazer o bem brotar também do mal.” 
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

09 fevereiro, 2021

Pétala nº 3179

“Temos de estar conscientes de que somos maus a detetar a mentira, mas também devemos compreender os benefícios que advêm da nossa natureza essencialmente confiante.” 
MALCOLM GLADWELL, jornalista e escritor britânico (1963-)

08 fevereiro, 2021

Pétala nº 3178

“porque se levantam os velhos tão cedo? É para terem dias mais compridos, já que se esgotam os anos”
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

07 fevereiro, 2021

Pétala nº 3177

“A vida de uma pessoa não é o que lhe acontece, mas aquilo que lhe acontece e a maneira como o recorda.” 
GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ, escritor colombiano (1927-2014) 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

06 fevereiro, 2021

Pétala nº 3176

“O conhecimento do cérebro retira a divindade de dentro da pessoa, mas não o encantamento.” 
NUNO LOBO ANTUNES, médico neuropediatra e escritor português (1954-)

05 fevereiro, 2021

Pétala nº 3175

“O café sobe na cafeteira e, qual dama encalorada, gorgulha em breves volutas. E logo um oloroso e aquecido aroma engole a frieza da cozinha. O resfolegar de um café ecoa na imaginação e acende não sei que artimanhas de companhia e mesa posta. Dispõe. Ou talvez seja apenas um doce prazer solitário, motor que, prescindindo da paciência temporal, suaviza os dias e os restaura. Parecem novos.” 
(Finzinho da crónica "Marasmo". Leia toda!)


(foto net)

04 fevereiro, 2021

Pétala nº 3174

“A música tem uma coisa boa: quando bate você não sente dor.” 
BOB MARLEY, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)


03 fevereiro, 2021

Pétala nº 3173

“Que a política tenha o dever de tratar todos os cidadãos como indivíduos de igual e imensurável valor, é uma das constatações fundamentais e poderosas, do pensamento ocidental.” 
MARTHA NUSSBAUM , filósofa, escritora, professora universitária norte-americana (1947-) 

(Pétala partilhada pela Teresa https://ematejoca-ematejoca.blogspot.com/. Obrigada!)

02 fevereiro, 2021

Pétala sem número

Pronto,  pronto, eu partilho a receita!
Mas cautela, Isabel Allende diz que os ovos são afrodisíacos.


"MOLHO ERÓTICO 
Ingredientes 
1/2 chávena de maionese
2 ovos cozidos
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de vinagre aromático
1 colher de chá de estragão fresco finamente picado
1 colher de chá de sumo de limão
1 colher de sopa de cebolinho picado muito fino
1 pitada de pimentão (ou 1 colher de chá de mostarda)
Sal

Preparação
Esmigalhe os ovos com um garfo, condimente-os, misture bem com a maionese e esqueça-se do colesterol."


(No seguimento da pétala de ontem, e da resposta a um comentário da Bea.)

01 fevereiro, 2021

Pétala nº 3172

"Afirma que a violência de uma sociedade se mede pela violência que exerce ou não sobre as mulheres.
Elas são os canários na mina de carvão (the canary in a cool mine). O modo como são tratadas espelha o grau de doença de uma sociedade.
O que diz às mulheres que não lutam pelos seus direitos? 
Há dois tipos de mulheres nesta situação. As privilegiadas, para as quais já se atingiu tudo o que era preciso – e questionam para quê continuar uma luta tão pouco sexy. E as que não tiveram acesso à informação, aos instrumentos para pensar criticamente. O que pode fazer uma mulher pobre e analfabeta numa aldeia da Índia? Se não consegue alimentar os filhos, como lhe vamos pedir que lute pelo feminismo? (…) 
Como é que a idade é uma armadilha? 
À medida que envelhecemos, a sociedade descarta-nos. A natureza faz isso em todas as espécies. Mas, entre os humanos, não nos descarta a todos por igual – descarta as mulheres. É preciso ter orgulho da idade que se tem. 
Como é envelhecer? 
Ser velho é despedir-se de alguns atributos da juventude. Para mim, a juventude acabou quando fiz 50 anos e a minha filha morreu. (…) 
E como é apaixonar-se aos 70 anos? 
É igual do que apaixonar-se aos 30, mas com uma sensação de urgência – não há tempo a perder. Cada dia é um dia a menos. Percebes isso quando as pessoas à tua volta começam a morrer, quando morrem os teus pais, quando os teus netos são adultos. Cada dia que perdes por uma zanga, uma impaciência ou um mal-entendido, é um dia menos no calendário. Então, aprendes a usar a cabeça."

ISABEL ALLENDEescritora chilena (1942-), excertos da entrevista concedia a Luciana Leiderfarb, publicada na revista «"E", do jornal Expresso de 18 Dezembro 2020

31 janeiro, 2021

Pétala nº 3171

“Acredito no conhecimento, numa sociedade que tem gosto em saber.” 
MARIA MANUEL MOTA, cientista portuguesa (1971-)

30 janeiro, 2021

Pétala nº 3170

“Mãe... 
São três letras apenas, 
As desse nome bendito: 
Três letrinhas, nada mais... 
E nelas cabe o infinito 
E palavra tão pequena - confessam mesmo os ateus -
É do tamanho do céu 
E apenas menor do que Deus!”
MÁRIO QUINTANA, poeta brasileiro (1906-94)

"Mãe! Ata as tuas mãos às minhas e dá um nó-cego muito apertado.
Mãe! Passa a tua mão pela minha cabeça.
Quando passas a tua mão na minha cabeça, é tudo tão verdade!"
Versos de um poema de ALMADA NEGREIROS, artista plástico, poeta, ensaísta, romancista, dramaturgo português (1893-1970)

Parabéns, mãe!
Saudade eterna.

foto net)

29 janeiro, 2021

Pétala nº 3169

“uma cara sem rugas é uma terra sem caminhos” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

28 janeiro, 2021

Pétala nº 3168

“Ver, falar e tocar são instrumentos que usamos para comunicar uns com os outros: a linguagem consiste na tessitura dos três.” 
ALBERTO MANGEL, escritor, ensaísta, professor canadiano nascido na Argentina (1948-), in crónica “Vai e toca em alguém”, publicada na revista “E”, do jornal Expresso de 18 de Julho 2020

27 janeiro, 2021

Pétala nº 3167

“Arrisco dizer que a vida é um longo caminho, e que nos desafia a ultrapassar o maior número de obstáculos com muita coragem, solidariedade e responsabilidade.” 
TAIS LUSO DE CARVALHO, cronista e artista plástica brasileira https://taisluso.blogspot.com/

26 janeiro, 2021

Pétala nº 3166

"Nega-me o pão, o ar, 
a luz, a primavera, 
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.” 
PABLO NERUDA, poeta chileno (1904-73) 
Prémio Nobel de Literatura, 1871

25 janeiro, 2021

Pétala nº 3165

“é preciso ser-se humano para entender tanta desumanidade” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

24 janeiro, 2021

Pétala nº 3164

“Democracia com fome, sem educação e saúde para a maioria, é uma concha vazia.” 
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

23 janeiro, 2021

Pétala 3163

“Os amigos que só cuidam dos seus amigos reduzem o horizonte da amizade.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "A amizade social", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 10 Outubro 2020

22 janeiro, 2021

Pétala nº 3162

“Já houve quem descobrisse,
que não há amor que morra
sem antes ter existido
e, essa é a única morte
de onde se pode voltar"

(A primeira de muitas pétalas. Obrigada, Luis!)

21 janeiro, 2021

Pétala nº 3161

“quantas dores pequeninas bastam para anular a grande, é a lei da compensação” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

20 janeiro, 2021

Pétala nº 3160

“Cada um é responsável por todos. Cada um é o único responsável. Cada um é o único responsável por todos.” 
ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY, piloto e escritor francês (1900-44)

19 janeiro, 2021

Pétala nº 3159

“se tem solução, não te rales. Se não tem solução, rala-te ainda menos” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (1969-), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

18 janeiro, 2021

Pétala nº 3158

"Conhecemos um homem pelo seu riso; se na primeira vez que o encontramos ele ri de maneira agradável, o íntimo é excelente.” 
FIÓDOR DOSTOIÉVSKI, escritor russo (1821-81)

(Hoje, Dia Internacional do Riso.)

Que época esta que nos rouba o riso.

17 janeiro, 2021

Pétala nº 3157

“Já gastámos as palavras 
Quando agora digo: meu amor, 
já se não passa absolutamente nada. 
E no entanto, antes das palavras gastas, 
tenho a certeza 
que todas as coisas estremeciam 
só de murmurar o teu nome 
no silêncio do meu coração. 
EUGÉNIO DE ANDRADE, poeta português (1923-2005)
 
(Apenas alguns versos do poema “Adeus”.)

16 janeiro, 2021

Pétala nº 3156

«A verdade não é o que tu dizes, nem é o que tu pensas.
A verdade é aquilo que tu fazes!»

(Obrigada Rogério, pela pétala e pelo livrinho encantador. Abraço... largo!)

Bom fim-de-semana. 
FIQUE EM CASA!
(Lisboa, Pç. do Comércio. Foto net.)

15 janeiro, 2021

Pétala nº 3155

“A bênção acorda nas profundezas do coração a certeza de que somos amados e essa certeza estende uma ponte de corda entre abismos. A bênção acompanha-nos ao longo da viagem como um bordão. A bênção atesta que a nossa necessidade de sentido e de consolação não são impossíveis de satisfazer.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "O desejo de uma bênção", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 29 Agosto 2020

14 janeiro, 2021

Pétala nº 3154

“O belo acalma, o sublime excita. São conceitos de sinal contrário e mutuamente exclusivos. O sublime nunca é belo, e o belo nunca pode ser sublime.” 
JORGE CALADO, professor e cientista português (1938-)

13 janeiro, 2021

Pétala nº 3153

“Velhice, a época em que se julga a vida e em que os prazeres do orgulho se revelam em toda a sua miséria....” 
STENDHAL, escritor francês (1783-1842)

12 janeiro, 2021

Pétala nº 3152

“tanto me foste ensinando, nos teus sábios silêncios…” 
ANA MARGARIDA DE CARVALHO, escritora portuguesa (?), in “O gesto que fazemos para proteger a cabeça” , Ed. Leya, 2019

11 janeiro, 2021

Pétala nº 3151


OBRIGADA, pelas suas visitas, pelos comentários, pelas pétalas.
OBRIGADA, pelo carinho, por aquela palavrinha que faz com que valha a pena estar aqui todos os dias.
OBRIGADA, por tudo!


(Hoje, Dia Internacional do Obrigado!)

10 janeiro, 2021

Pétala nº 3150

"A vida só é vivida se o sorriso dos lábios, obedecer à luz do olhar "
RICARDO VALÉRIO, http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.com/

09 janeiro, 2021

Pétala nº 3149

“Milhares de velas podem ser acesas de uma única vela, e a vida da vela não será encurtada. A felicidade nunca diminui ao ser compartilhada."
BUDA, líder espiritual dos budistas (563aC-483 aC)

08 janeiro, 2021

Pétala nº 3148

"Manhã de frio - 
Com o agasalho, visto 
Saudades de minha mãe." 
PAULO FRANCHETTI , professor e escritor e crítico literário brasileiro (1954-)

07 janeiro, 2021

Pétala nº 3147

“É no momento da desgraça que a gente se habitua à verdade…” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

06 janeiro, 2021

Pétala nº 3146

“Neste mundo que parece virado pelo avesso, precisamos fazer do fim um recomeço, precisamos fazer o bem brotar também do mal.” 
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

05 janeiro, 2021

Pétala nº 3145

“Aquilo que nos permite relançar a vida são coisas pequenas que precisamos de reaprender.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "Férias", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 25 Julho 2020

04 janeiro, 2021

Pétala nº 3144

“… não se felicita um professor por ensinar que dois e dois são quatro. Felicitar-se-á talvez por ter escolhido essa bela profissão.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

03 janeiro, 2021

Pétala nº 3143

“Lembro-me do adágio sobre pandemias e pestes, que diz que aqueles que têm medo são os que vivem mais tempo.” 
ORHAN PAMUK, escritor turco (1952-), em entrevista ao jornal "Expresso". 
Prémio Nobel de Literatura 2006

02 janeiro, 2021

Pétala nº 3142

“Hoje comunicamos mais, mas corremos o risco de não comunicar melhor.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "Falemos de cartas", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 17 Outubro 2020

Rosas e Cravos para  o  amigo Rogério G.V. Pereira. 
Flores e amigos dão colorido e alegria à vida.
(Estavam esgotadas as rosas brancas e os cravos vermelhos.)

(foto net)

01 janeiro, 2021

Pétala nº 3141

"ANO NOVO 
Vai-se esgotando a taça do festim. 
Sorvo a sorvo, no espelho de cristal 
Fica apenas a baba natural, 
O melaço do fim.
 
 Ah, não haver coragem verdadeira 
De se quebrar o copo antes da hora 
Em que se acaba o vinho, e a bebedeira 
De repente melhora!

MIGUEL TORGA, poeta português (1907-95)


TENHA UM 2021 ABENÇOADO! 

Viva intensamente, corra atrás dos seus sonhos, pense positivo, seja feliz.
Brinde à vida. Só temos uma.
Muita saúde!

No início do novo ano, eu ofereço flores. Retire as que quiser.
Obrigada pela sua presença no pétalas.
Beijos e abraços. 


(fotos da net)

31 dezembro, 2020

Pétala nº 3140

"Hoje é o último dia do ano. Em todo o mundo que este calendário rege andam as pessoas entretidas a debater consigo mesmas as acções que tencionam praticar no ano que entra, jurando que vão ser rectas, justas e equânimes, que da sua emendada boca não voltará a sair uma palavra má, uma mentira, uma insídia, ainda que as merecesse o inimigo, claro que é das pessoas vulgares que estamos falando, as outras, as de excepção, as incomuns, regulam-se por razões próprias para serem e fazerem o contrário sempre que lhes apeteça ou aproveite, essas são as que nunca se deixam iludir, chegam a rir-se de nós e das boas intenções que mostramos, mas, enfim, vamos aprendendo com a experiência, logo nos primeiros dias de Janeiro, teremos esquecido metade do que havíamos prometido, e, tendo esquecido tanto, não há realmente motivo para cumprir o resto, é como um castelo de cartas, se já lhe faltam as obras superiores, melhor é que caia tudo e se confundam os naipes."
JOSÉ SARAMAGO, in “O ano da morte de Ricardo Reis” (pág. 59)

(pôr-do-sol fotografado da minha varanda,  dia 25.12.2020)

30 dezembro, 2020

Pétala nº 3139

“Em alguns dias a vida vai bater-te com força na cabeça com um tijolo. Nunca percas a fé.” 
STEVE JOBS, inventor, empresário e magnata americano no sector da informática, co-fundador, presidente e director executivo da Apple Inc.(1955-2011)

29 dezembro, 2020

Pétala nº 3138

“Para que um mundo melhor surja após esta pandemia, devemos abraçar e fomentar os sentimentos de humildade e solidariedade gerados pelo momento atual.” 
ORHAN PAMUK, escritor turco (1952-), em entrevista ao jornal "Expresso". 
Prémio Nobel de Literatura 2006

28 dezembro, 2020

Pétala nº 3137

“Muita gente passará por passar nas nossas vidas… Mas, somente amigos verdadeiros deixarão pegadas e não rastros, em nosso coração.” 
DOUGLAS MELO, conhecido no seu blogue "DOUG-BLOGcomo  Doug, é um jornalista, escritor, blogueiro, professor/PhD (Philosophiæ Doctor) brasileiro (1970-)

27 dezembro, 2020

Pétala nº 3136

“Elege para teu amigo o homem mais virtuoso que conheces.” 
PITÁGORAS, matemático da Grécia-Antiga (582-497 a.C.)

26 dezembro, 2020

Pétala nº 3135

“Não há paz sem esperança.” 
ALBERT CAMUSescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

25 dezembro, 2020

Pétala nº 3134

NATAL 
O chefe de família limpou a boca ao guardanapo e afirmou 
assim como dois e dois são quatro e não são outra coisa 
O Natal é o Natal e não é outra coisa antes pelo contrário 
E para provar o que dizia comeu uma asa de peru 
com recheio de castanhas
e limpou os dedos gordurosos ao bordado da toalha 
À volta da mesa metade da família discutia a mensagem 
e comia 
e a outra metade mais intelectual comia a mensagem 
e discutia 
sim tal não tal 
sim tal não tal 
não tal 
não tal 
Natal!” 

YVETTE CENTENO, poeta, romancista, ensaísta, tradutora portuguesa (1940-)

(Lisboa, Pç do Comércio, 2020. Foto tirada e oferecida por um bom amigo. Obrigada!)

24 dezembro, 2020

Pétala nº 3133

"A FAMÍLIA 
Refazemos o dia, pacientemente, 
e mastigamos as raízes de um compromisso 
quotidiano e social. 
Temos em comum o coração 
e sabemos que o mesmo fio de sangue 
nos tece o equilíbrio. 
Por isso modelamos o itinerário de um conforto 
partilhado, como se, desse modo, nos fosse 
prorrogada a morte e ficássemos cúmplices 
uns dos outros na teia da vida."

GRAÇA PIRES, poetisa portuguesa (1946),  http://ortografiadoolhar.blogspot.com/
 

FELIZ NATAL, AMIGOS! 
Desejo-vos uma Santa Consoada, junto dos que vos são mais queridos. 
Que seja farta de luz, harmonia, mimos, sorrisos e… abracinhos (em segurança) tão ou mais doces que os mais açucarados manjares natalícios. 
Que no sapatinho encontrem muita saúde, amor, serenidade e felicidade.
Mil abraços cheios de gratidão.
(fotos net)

23 dezembro, 2020

Pétala nº 3132

“Feliz, feliz Natal, que nos traz de volta as ilusões da infância, recorda ao idoso os prazeres da juventude e transporta o viajante de volta à própria lareira e à tranquilidade do seu lar.” 
CHARLES DICKENS, escritor inglês (1812-1970)

22 dezembro, 2020

Pétala nº 3131

“O Natal parece-me ser um tempo festivo necessário. Precisamos de um tempo em que possamos lamentar as nossas falhas nos nossos relacionamentos humanos: é a festa do fracasso, triste mas consoladora.”
GRAHAM GREENE, escritor e jornalista inglês (1904-1991

21 dezembro, 2020

Pétala nº 3130

"O que mais ameaça o Natal é o próprio Natal, isto é, a sua representação diminuída, estagnada culturalmente entre a quinquilharia dos símbolos e a oportunidade comercial, domesticada pela pieguice das frases feitas e das boas maneiras."
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, teólogo e poeta português (1965-) in “Uma beleza que nos pertence”, Ed. Quetzal, 2019

20 dezembro, 2020

Pétala nº 3129

“… há nos homens mais coisas a admirar do que a desprezar.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

19 dezembro, 2020

Pétala nº 3128

“A principal lição do «Pai-Nosso» está no substantivo e no pronome possessivo iniciais. Ao dizer que há um Pai e que é nosso, reconheço-me no coletivo humano; eis a ideia da fraternidade humana; ter um mesmo pai e uma mesma origem deveria ser a grande lição religiosa.”
LEANDRO KARNAL, professor, historiador, escritor brasileiro (1963-), in "O coração das coisas", Ed. Contexto, 2019

(Pétala enviada pela amiga EMÍLIA PINTO, https://comecardenovopt.blogspot.com/)

18 dezembro, 2020

Pétala nº 3127

“… se há qualquer coisa que se pode desejar sempre e obter algumas vezes, essa qualquer coisa é a ternura humana.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

17 dezembro, 2020

Pétala nº 3126

" O choro é a última instância da emoção."
TAIS LUSO DE CARVALHO, cronista e artista plástica brasileira, https://taisluso.blogspot.com/

16 dezembro, 2020

Pétala nº 3125

“O mal que existe no mundo vem quase sempre da ignorância, e a boa vontade, se não for esclarecida, pode fazer tantos estragos como a maldade.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino(1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

15 dezembro, 2020

Pétala nº 3124

“Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos." 
SÓCRATES, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

14 dezembro, 2020

Pétala nº 3123

“O amor é assim. Um rio que corre, contorna obstáculos e segue o seu percurso.” 

(Obrigada Fanny! Que esta seja a primeira de muitas pétalas suas plantadas neste jardim.)

13 dezembro, 2020

Pétala nº 3122

“Saudade é um sentimento que, quando não cabe no coração, escorre pelos olhos.” 
BOB MARLEY, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)

12 dezembro, 2020

Pétala nº 3121

“O hábito do desespero é pior do que o próprio desespero.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

11 dezembro, 2020

Pétala nº 3120

“Conversar é uma arte, calar é sabedoria pura; em tempos que ninguém cala e jamais escuta o outro, conversar bem, calar e ouvir viram um tripé inovador.” 
LEANDRO KARNAL, professor, historiador, escritor brasileiro (1963-), in "O coração das coisas", Ed. Contexto, 2019

(Pétala enviada pela amiga EMÍLIA PINTO, https://comecardenovopt.blogspot.com/)

10 dezembro, 2020

Pétala nº 3119

“Mentir é demasiado fatigante.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

09 dezembro, 2020

08 dezembro, 2020

Pétala nº 3117

“Uma maneira mais cómoda de travar conhecimento com uma cidade é descobrir como lá se trabalha, como se ama e como se morre.” 
ALBERT CAMUS, escritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960), in “A Peste”, Porto Editora, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

07 dezembro, 2020

Pétala nº 3116

“A vida é a arte de sobreviver.” 

06 dezembro, 2020

Pétala nº 3115

“A política é uma planta que tem de ser regada todos os dias.” 
CLARA FERREIRA ALVES, jornalista e escritora portuguesa (1956-, in crónica “A tribuna dos falhados”, publicada na revista “E”, do jornal Expresso de 4 Julho 2020

05 dezembro, 2020

Pétala nº 3114

“Vivemos numa espécie de indústria da felicidade. É obrigatório estar sempre bem. 
A vida, contudo, está plena de desgraças.” 
MARTA ORRIOLS, escritora espanhola (1975-)

04 dezembro, 2020

Pétala nº 3113

“Ganharíamos tanto se em vez da pressa dos juízos nos dessemos ao trabalho de sintonizar com a solidão dos outros, aprendendo assim a reconciliar-nos com a nossa. A solidão é uma das primeiríssimas experiência de humanidade que fizemos.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "A solidão não se mede aos palmos", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 23 Maio 2020

03 dezembro, 2020

Pétala nº 3112

“As acções dos homens são os melhores interpretes dos seus pensamentos.” 
JAMES JOYCE, escritor irlandês (1882-1941)

02 dezembro, 2020

Pétala nº 3111

“A solidão dos (mais) novos é, porventura, aquela mais submersa, mais enigmática e confusa para os próprios sujeitos, aquela sobre a qual falamos menos.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "A solidão não se mede aos palmos", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 23 Maio 2020

01 dezembro, 2020

Pétala nº 3110

"Oração sem introspecção e verdade, é como se fosse uma cidade sem cidadãos!" 
DOUGLAS MELO, conhecido no seu blogue "DOUG-BLOGcomo  Doug, é um jornalista, escritor, blogueiro, professor/PhD (Philosophiæ Doctor) brasileiro (1970-)

30 novembro, 2020

Pétala nº 3109

“A amizade é, acima de tudo, certeza – é isso que a distingue do amor.” 
MARGUERITE YOURCENAR, escritora francesa (1903-1987)

29 novembro, 2020

Pétala nº 3108

“O amor é generoso”. 
IAN MCEWAN, escritor inglês (1948- ), in “Máquinas como eu”, Ed. Gradiva, 2019

28 novembro, 2020

Pétala nº 3107

“A amizade é um amor que nunca morre.” 
MÁRIO QUINTANA, poeta brasileiro (1906-94)

27 novembro, 2020

Pétala nº 3106

“É espantosa a vida que atribuímos aos olhos.” 
IAN MCEWAN, escritor inglês (1948- ), in “Máquinas como eu”, Ed. Gradiva, 2019

26 novembro, 2020

Pétala nº 3105

“Esquecer os deveres básicos da solidariedade é uma violência, uma cobardia escondida em nome do bom senso.” 
MIA COUTO, escritor moçambicano (1955-)

25 novembro, 2020

Pétala nº 3104

“Todos nós, mas todos, de forma mais declarada ou clandestina, no modo mais dolente, sobressaltado ou jubiloso, vivemos ainda em torno à mina que foi a nossa infância.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "AMARCORD", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 21 Março 2020

24 novembro, 2020

Pétala nº 3103

“Nós não paramos de brincar porque envelhecemos, mas envelhecemos porque paramos de brincar.”
GEORGE BERNARD SHAW, dramaturgo irlandês (1856-1950)

23 novembro, 2020

Pétala nº 3102

“O romance dá-nos três coisas. Antes de tudo uma visão complexa e integral da vida. Quando olhamos para o mundo através do romance ele nunca é plano nem unívoco: junta empírico e imaginário, visível e invisível, passado e futuro. Depois, o romance oferece um conhecimento concreto, não conceptual. A ótica do romance não demonstra: ela mostra, num esforço de desapropriação ideológica por fidelidade à existência em si.” 
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, cardeal, teólogo e poeta português (1965-), in crónica "O verbo romancear", publicada na revista "E", do jornal Expresso de 2 Setembro 2017