30 novembro, 2014

Pétala nº 918

“O que não nos mata torna-nos mais fortes.” 

Friedrich Nietzsche, filólogo, filósofo, poeta e compositor alemão (1844-1900)

29 novembro, 2014

Pétala nº 917

“O facto de alguém estar morto pode querer dizer que não está vivo, mas não quer dizer que não exista.”

 Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

28 novembro, 2014

Pétala nº 916

“O que não temos encontramos no amigo.”

Carlos Fuentes, escritor mexicano (1928-2012)

27 novembro, 2014

Pétala nº 915

“… quando procuro ir ao fundo da memória, falho.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

26 novembro, 2014

Pétala nº 914

"Escrevemos porque não queremos morrer. É esta a razão profunda do ato de escrever." 

José Saramago, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

25 novembro, 2014

Pétala nº 913

“Os desgostos não se explicam uns aos outros, mas podem coincidir.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

24 novembro, 2014

Pétala nº 912

“O erro está no meio, bem mais do que nos princípios.”

Napoleão Bonaparte, imperador francês (1769-1821)

23 novembro, 2014

Pétala nº 911

“O desgosto é uma condição humana e não médica e, se há comprimidos para nos ajudar a esquecê-lo – e tudo o resto – não há comprimidos para o curar.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

22 novembro, 2014

Pétala nº 910

“Não basta ver para ver, é necessário olhar para o que se vê.” 

 António Vieira, padre e escritor português (1608-97)

21 novembro, 2014

Pétala nº 909

Mas. É uma palavra que a vida nos impõe mais vezes do que desejamos, mais vezes do que imaginamos.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

20 novembro, 2014

Pétala nº 908

"Não te satisfaças com o programa de um partido; inventa melhor.”

 Agostinho da Silva, filósofo e ensaísta português (1906-96)

19 novembro, 2014

Pétala nº 907

“Para ensinar, há uma formalidade a cumprir – saber.” 
Eça de Queirós, escritor e diplomata português (1845-1900)

18 novembro, 2014

Pétala nº 906

“O historiador é um homem que põe os factos nos seus devidos lugares. Não é como foi; é assim mesmo.”

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

17 novembro, 2014

Pétala nº 905

“Juntamos duas pessoas que ainda não se tinham juntado; e às vezes o mundo transforma-se, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

16 novembro, 2014

Pétala nº 904

“Aquilo que nós mesmos escolhemos é muito pouco: a vida e as circunstâncias fazem quase tudo.” 

John R.R.Tolkien, escritor sul-africano (1892-1973)

15 novembro, 2014

Pétala nº 903

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado; e umas vezes resulta, outras vezes não.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

14 novembro, 2014

Pétala nº 902

“Discussão prolongada significa que ambas as partes estão erradas.” 

Voltaire, filósofo e historiador francês (1694-1778)

13 novembro, 2014

Pétala nº 901

“Juntamos duas coisas que ainda não se tinham juntado. E o mundo transforma-se.” 

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “Os níveis da vida”, Ed. Quetzal, 2013

12 novembro, 2014

Pétala nº 900

“Perder uma ilusão torna-nos mais sábios do que encontrar uma verdade.” 

Karl Ludwig Bore, escritor alemão (1786-1837)

11 novembro, 2014

Pétala nº 899

“A pobreza nota-se nos olhos” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-2014), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

10 novembro, 2014

Pétala nº 898

“Há pessoas neste mundo que gastam todo o seu tempo à procura da justiça, não lhes sobrando tempo algum para a praticarem.” 
Henry Billings Brown, juiz norte-americano (1836-1913)

09 novembro, 2014

Pétala nº 897

“Até à adolescência, a memória tem mais interesse no futuro do que no passado.” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1982

08 novembro, 2014

Pétala nº 896

“Quem teme ser vencido tem a certeza da derrota.”

Napoleão Bonaparte, imperador francês (1769-1821)

07 novembro, 2014

Pétala nº 895

“As mentiras das crianças são sinais de um grande talento”. 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Viver para contá-la”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1982

06 novembro, 2014

Pétala nº 894

“A força não provém da capacidade física, mas da vontade férrea.” 

Mahatma Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

05 novembro, 2014

Pétala nº 893

“Aquilo que se passa em casa é o que tentamos proteger, o melhor que podemos, pelo tempo que podemos.” 

Alice Munro, escritor canadiana (1931-), in “Fugas”, Ed. Relógio d’Água, 2007
Prémio Nobel de Literaruta, 2013

04 novembro, 2014

Pétala nº 892

“O óbvio é a verdade mais difícil de se enxergar.”

CLARICE LISPECTOR, escritora e jornalista brasileira nascida na Ucrânia (1920-77)

03 novembro, 2014

Pétala nº 891

“Certas vidas são mais apagadas do que outras, mas é só porque temos tanta coisa em que pensar, acabamos por não reparar nelas e lá vem o dia em que os arrependemos.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

02 novembro, 2014

Pétala º 890

“A maioria das pessoas que pede conselho aos outros já decidiu actuar como lhe apraz.” 

Khalil Gibran, poeta libanês (1883-1931)

01 novembro, 2014

Pétala nº 889

“Pudéssemos nós atar os fios soltos, e o mundo seria a mais forte e justificada de todas as coisas.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Levantado do chão”, Ed. Caminho, 1998  
Prémio Nobel de Literatura, 1998