28 fevereiro, 2013

Pétala nº 276

“A guerra é o mal que desonra a espécie humana”

Autor desconhecido.

27 fevereiro, 2013

Pétala nº 275

“A felicidade é sempre prematura”.
 
David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

26 fevereiro, 2013

Pétala nº 274

“O casamento é um contrato permanente sobre um sentimento temporário.”
 
Augusto Abelaira, escritor português (1926-2003)

25 fevereiro, 2013

Pétala nº 273

“Que frágil é a coisa que sustém tudo”.
 
David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

24 fevereiro, 2013

Pétala nº 272

“Não sejas tão severo com os jovens. Lembra-te que já seguiste a sua esperança e que eles caminham para a tua desilusão.”
 
Autor desconhecido.

23 fevereiro, 2013

Pétala nº 271

“Todas as famílias felizes são infelizes à sua maneira.”

David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

22 fevereiro, 2013

Pétala nº 270

"Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos.”
 
Bob Marley, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)

21 fevereiro, 2013

Pétala nº 269

“Achaste mel? Come só o que te for suficiente…”
 
David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

20 fevereiro, 2013

Pétala nº 268

“Para o adulto, jogar é recreio, renovação da vida: para a criança, jogar é crescimento, conquista da vida.”
 
Joseph Lee, advogado americano, pai do movimento dos acampamentos de férias desportivas (1862-1937)

19 fevereiro, 2013

Pétala nº 267

“A família são altas matemáticas… demasiados parênteses e demasiadas elevações ao quadrado e toda essa complicação…”
 
David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

18 fevereiro, 2013

Pétala nº 266

“Quando me contrariam, despertam-me a atenção, não a cólera: aproximo-me de quem me contradiz e instrui.”
 
Michel Eyquem de Montaigne, escritor francês (1533-1592)

17 fevereiro, 2013

Pétala nº 265

“A solidão não é viver só, a solidão é não sermos capazes de fazer companhia a alguém ou a alguma coisa que está dentro de nós, a solidão não é uma árvore no meio duma planície onde só ela esteja, é a distância entre a seiva profunda e a casca, entre a folha e a raiz.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

16 fevereiro, 2013

Pétala nº 264

“Três coisas devem ser feitas por um juiz: ouvir atentamente, considerar sobriamente e decidir imparcialmente”.
 
Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-470/-399)

15 fevereiro, 2013

Pétala nº 263

“Revolvei a vossa casa, buscai a coisa mais vil de toda ela, e achareis que é a vossa própria alma.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

14 fevereiro, 2013

Pétala nº 262

“A vitalidade não se revela apenas na capacidade de persistir, mas também na de começar tudo de novo.”
 
Scott Fitzgerald, escritor norte-americano (1896-1940)

13 fevereiro, 2013

Pétala nº 261

“Cada um de nós devia saber muito bem quem é, pelo menos não tem faltado conselhos desde os gregos e latinos, conhece-te a ti mesmo.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

12 fevereiro, 2013

Pétala nº 260

“É preciso folhear meia biblioteca para fazer um livro.”
 
Samuel Johnson, escritor e pensador inglês (1709-1784)

11 fevereiro, 2013

Pétala nº 259

“A vida é toda feita de coincidências.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

10 fevereiro, 2013

Pétala nº 258

“Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais”.

Bob Marley, cantor e compositor jamaicano (1945-1981)

09 fevereiro, 2013

Pétala nº 257

“Quem disser que a natureza é indiferente às dores e preocupações dos homens, não sabe de homens nem de natureza.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

08 fevereiro, 2013

Pétala nº 256

“Das obras grandes ou pequenas, das acções generosas ou vis, cada um traz na própria cabeça a verdadeira medida.”
 
António Vieira, padre e escritor português (1608-1697)

07 fevereiro, 2013

Pétala nº 255

“Aos deuses peço só que me concedam o nada lhes pedir.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

06 fevereiro, 2013

Pétala nº 254

“O cofre do banco contém apenas dinheiro. Frustrar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza.”
 
Carlos Drummond de Andrade, escritor brasileiro (1902-1987)

05 fevereiro, 2013

Pétala nº 253

“Quem come terra deve carregar consigo o seu torrão.”
 
Gabriel García Márquez, escritor colombiano ( 1928-), in “A hora má: o veneno da madrugada”, Ed. Dom Quixote, 2008
Prémio Nobel de Literatura 1982

04 fevereiro, 2013

Pétala nº 252

“Suportam melhor a censura os que merecem elogios.”

Alexander Pope, poeta britânico (1688-1744)

03 fevereiro, 2013

Pétala nº 251

“O caminho de um homem está pejado de armadilhas.”

Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “A humilhação”, Ed. D. Quixote, 2011

02 fevereiro, 2013

Pétala nº 250

“Uma discussão prolongada significa que ambas as partes estão erradas.”

Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

01 fevereiro, 2013

Pétala nº 249

“O medo castra-nos. O medo degrada-nos.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Némesis”, Ed. D. Quixote, 2011