31 dezembro, 2012

Pétala nº 216

“Quando estamos seduzidos ajuda não pensar de mais e entregarmo-nos, apenas, ao prazer da sedução.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “O animal moribundo”, Ed. D. Quixote, 2006

30 dezembro, 2012

Pétala nº 215

“O mais forte é aquele que domina a sua força.”

Victor Hugo, escritor francês (1802-85)

29 dezembro, 2012

Pétala nº 214

“Esta vida é um acaso do princípio ao fim.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Némesis”, Ed. D. Quixote, 2011

28 dezembro, 2012

Pétala nº 213

“Ler é sonhar pela mão de outrem”.

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

27 dezembro, 2012

Pétala nº 212

“O sexo é o consolo de uma pessoa quando lhe falta o amor”.
 
Gabriel Garcia Márquez, escritor colombiano (1928-) in “Memória das minhas putas tristes”, Ed. Dom Quixote, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1982

26 dezembro, 2012

Pétala nº 211

“Se a emoção é uma embriaguez, a paixão é uma doença.”

Emanuel Kant, filósofo prussiano (1724-1804)

25 dezembro, 2012

Pétala nº 210

“A dor do desamor fustiga-nos como uma onda gigante de um maremoto”.

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

24 dezembro, 2012

Pétala nº 209

“O carácter do homem é o seu destino”.

Autor desconhecido.

23 dezembro, 2012

Pétala nº 208

“Demonstramos o nosso amor através de acções. E uma pessoa só se sente amada quando a outra lhe manifesta o seu amor com beijos, abraços, caricias e demonstrações de generosidade. Uma pessoa que ama procurará sempre o bem estar físico e emocional da pessoa amada.”
 
Laura Esquivel, escritora mexicana (1950-), in “Tão veloz como o desejo”, Ed. Asa, 2001

22 dezembro, 2012

Pétala nº 207

“O pobre prefere um copo de vinho a um pão, porque o estômago da miséria necessita mais de ilusões do que de alimento.”
 
Georges Bernanos, escritor francês (1888-1948)

21 dezembro, 2012

Pétala nº 206

“A coisa mais banal adquire encanto simplesmente quando não revelada”.
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

20 dezembro, 2012

Pétala nº 205

“Um mau humor que se torna hábito é uma espécie de doença do carácter.”
 
Autor desconhecido.

19 dezembro, 2012

Pétala nº 204

“Quando a tristeza é amplificada em vez de dominada, pode conduzir-nos a caminhos de desespero, imobilidade e ódio por nós próprios”.
 
Sussan Nolen-Hoeksema, escritora norte-americana (1957-), in “Mulheres que pensam de mais”, Ed. Estrela Polar, 2007

18 dezembro, 2012

Pétala nº 203

“A perplexidade é o início do conhecimento.”

Kahlil Gibran, filósofo e poeta libanês (1883-1931)

17 dezembro, 2012

Pétala nº 202

“Não existe um ‘caminho para a felicidade’. A felicidade é o caminho. A felicidade é um sentimento em que a pessoa se envolve e não um resultado dos acontecimentos.”
 
Richard Carlson, psicoterapeuta americano (1961-2006), in “Sinta-se feliz de novo”, Ed. Pergaminho, 2003

16 dezembro, 2012

Pétala nº 201

“Se a vida te dá limões, faz limonada.”

Autor desconhecido.

15 dezembro, 2012

Pétala nº 200

“É afortunada a amizade que não conhece a inveja nem o impulso perverso da cobiça.”
 
Robert Walser, escritor suíço (1878-1956), in “Histórias de amor”, Ed. Relógio d’Água, 2008

14 dezembro, 2012

Pétala nº 199

“Perante Deus somos todos igualmente sábios e igualmente tolos.”

Albert Einstein, físico alemão (1879-1955)

13 dezembro, 2012

Pétala nº 198

“O grau da nossa necessidade de criticar os outros é um bom barómetro em relação ao quanto nos desgostamos de nós próprios."
 
Debbie Mandel, especialista em gestão de stress, in “Quando o stress toma conta de nós”, Ed. AENL, 2011

12 dezembro, 2012

Pétala nº 197

“Se você não escalar a montanha não poderá ver a planície.”

Autor desconhecido.

11 dezembro, 2012

Pétala nº 196

“O problema de pensar demais é que isso não revela a realidade e o significado mais profundo e verdadeiro da nossa vida”.
 
Susan Nolen-Hoeksema, escritora norte-americana (1957-), in “Mulheres que pensam de mais”, Ed. Estrela Polar, 2007

10 dezembro, 2012

Pétala nº 195

“Há pouca amizade no mundo, sobretudo entre pessoas da mesma classe.”
 
Francis Bacon, filósofo inglês (1561-1626)

09 dezembro, 2012

Pétala nº 194

“A fantasia tem olhos que tudo veem.”
 
Robert Walser, escritor suíço (1878-1956), in “Histórias de amor”, Ed. Relógio d’Água, 2008

08 dezembro, 2012

Pétala nº 193

“Para que servem os livros senão para nos mudarem a vida?”
 
J.M. Coetzee, escritor sul-africano (1940-), in “Verão”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2003

07 dezembro, 2012

Pétala nº 192

“O homem livre é aquele que não receia ir até ao fim da sua razão”.
 
Jules Renard, escritor francês (1864-1910)

06 dezembro, 2012

Pétala nº 191

“Pensar demais faz com que pensemos de forma mais negativa sobre o nosso passado, o nosso presente e o nosso futuro. Interfere com a nossa capacidade de encontrar soluções para os problemas que enfrentamos e enfraquece a nossa confiança e motivação para pôr em prática quaisquer soluções que consideremos”.
 
Susan Nolen-Hoeksema, escritora norte-americana (1957-), in “Mulheres que pensam de mais”, Ed. Estrela Polar, 2007

05 dezembro, 2012

Pétala nº 190

 “Não é apenas psicológico: quanto mais nos aproximamos da morte, mais rapidamente o tempo passa.”
 
Woody Allen, cineasta americano (1935-)

04 dezembro, 2012

Pétala nº 189

“Depois do amor não há coisa mais importante que a confiança e um dos benefícios da vida a dois é precisamente a possibilidade de desfrutar dela plenamente.”
 
Laura Esquivel, escritora mexicana (1950-), in “Tão veloz como o desejo”, Ed. Asa, 2001

03 dezembro, 2012

Pétala nº 188

“Não vivam na mentira”.

Alexander Solzhenitsyn, escritor russo (1918-2008)

02 dezembro, 2012

Pétala nº 187

“O Natal é um tempo de benevolência, perdão, generosidade e alegria. A única época que conheço, no calendário do ano, em que homens e mulheres parecem, de comum acordo, abrir livremente seus corações. “
 
Charles Dickens, escritor inglês (1812-1970)

01 dezembro, 2012

Pétala nº 186

“Há imensas coisas na história de uma família que são pura fantasia: qualquer família. As histórias vão passando de geração em geração e a verdade vai-se perdendo”.
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

30 novembro, 2012

Pétala nº 185

“A experiência é uma noz, que Deus dá a partir quando já não se tem dentes.”
 
Autor desconhecido.

29 novembro, 2012

Pétala nº 184

“Democracia quer simplesmente dizer o desencanto do povo, pelo povo, para o povo.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

28 novembro, 2012

Pétala nº 183

“As únicas pessoas capazes de nos modificar somos nós mesmos."
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Querida Mathilda”, Ed. Presença, 1998

27 novembro, 2012

Pétala nº 182

“Aceita o conselho dos outros, mas nunca desistas da tua própria opinião.”
William Shakespeare, escritor inglês (1564-1616)

26 novembro, 2012

Pétala nº 181

“Tudo o que fazemos na vida acaba por recair sobre nós. Desde que vivamos o suficiente, isso acaba por acontecer.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

25 novembro, 2012

Pétala nº 180

“Tudo parece impossível até que seja feito.”

Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013)
Prémio Nobel da Paz, 1993

24 novembro, 2012

Pétala nº 179

“Se queremos fazer com que as pessoas deem atenção aos que dizemos, não levantamos a voz, baixamo-la: é isso que de facto prende a atenção.”
 
Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

23 novembro, 2012

Pétala nº 178

“Quem sabe que não sabe é nobre; quem quer fazer crer que sabe o que não sabe é débil mental”.
 
Autor desconhecido.

22 novembro, 2012

Pétala nº 177

“O destino costuma estar ao virar da esquina. Como se fosse um gatuno, uma rameira ou um vendedor de lotaria: as suas três encarnações mais batidas. Mas o que não faz é visitas ao domicílio. É preciso ir atrás dele.”

Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

21 novembro, 2012

Pétala nº 176

“O homem sem educação, por mais alto que o coloquem, será sempre um subalterno.”

Ramalho Ortigão, escritor português (1838-1915)

20 novembro, 2012

Pétala nº 175

“A dor do amor despedaçado é tão aguda! É um desespero que causa doença, uma desolação que nos deixa vazios.”
 
Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

19 novembro, 2012

Pétala nº 174

“As declarações de amor são muito semelhantes às declarações de guerra; mal se fazem começam as hostilidades.”
 
Autor desconhecido.

18 novembro, 2012

Pétala nº 173

“Sempre que atiramos lama para cima dos outros, o chão foge-nos mais um bocadinho debaixo dos pés.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

17 novembro, 2012

Pétala nº 172

“A vitória tem mil pais, mas a derrota é órfã.”

John Fitzgerald Kennedy, presidente dos Estados Unidos da América (1917-1963)

16 novembro, 2012

Pétala nº 171

“Há um pânico que nos vem com a idade. Para começar ficamos mais lentos. Em tudo.”

Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “A humilhação”, Ed. D. Quixote, 2011

15 novembro, 2012

Pétala nº 170

“O entendimento acha o que há; a vontade acha o que quer.”

António Vieira, padre e escritor português (1608-1697)

14 novembro, 2012

Pétala nº 169

“Concentra-te num único momento… se conseguires fazer funcionar um momento podes chegar aonde quiseres.”

Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “A humilhação”, Ed. D. Quixote, 2011

13 novembro, 2012

Pétala nº 168

“Infeliz o homem que não tem quem o admoeste quando precisa.”

Juan Luis Vives, humanista espanhol (1492-1540)

12 novembro, 2012

Pétala nº 167

“A paixão é um equívoco puro”.

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in "A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

11 novembro, 2012

Pétala nº 166

“Hoje desaprendo o que tinha aprendido até ontem e que amanhã recomeçarei a aprender.”
 
Cecília Meireles, poetisa brasileira (1901-1964)

10 novembro, 2012

Pétala nº 165

“Nada tem uma razão válida para acontecer. Perde-se, ganha-se - tudo é capricho. A omnipotência do capricho. A probabilidade da reviravolta. Sim, a imprevisível reviravolta e o eu poder.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “A humilhação”, Ed. D. Quixote, 2011

09 novembro, 2012

Pétala nº 164

“Se julgarmos o amor pela maior parte dos seus efeitos, ele assemelha-se mais ao ódio do que à amizade.”
 
La Rochefoucauld, escritor francês (1613-1680)

08 novembro, 2012

Pétala nº 163

“Eu não tenho inimigos. Não permito tal coisa”.

Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

07 novembro, 2012

Pétala nº 162

“Nunca é tempo perdido o tempo que nós perdemos a fazer aquilo que gostamos de fazer.”
 
Bertrand Russell, matemático e filósofo inglês (1872-1970)
 
(Enviada por Carlos Reys.)

06 novembro, 2012

Pétala nº 161

“As coisas importante – as coisas que dão solidez e sentido a uma existência – não estão à venda, vão-se conquistando passo a passo, lentamente, com perseverança e coerência. O dinheiro que as paga é o cansaço”.
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Querida Mathilda”, Ed. Presença, 1998

05 novembro, 2012

Pétala nº 160

“Uma paisagem conquista-se com as solas dos sapatos, não com as rodas de um automóvel.”
 
William Faulkner, escritor norte-americano (1897-1962)

04 novembro, 2012

Pétala nº 159

“… a morte também é leitora, por isso aconselho a que andem sempre com um livro na mão, porque, quando a morte chega e vê o livro, espreita para ver o que estamos a ler… e distrai-se.”
 
Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

03 novembro, 2012

Pétala nº 158

“Adopte o ritmo da natureza. O segredo dela é a paciência.”

Ralph Waldo Emerson, escritor norte-americano (1803-1882)

02 novembro, 2012

Pétala nº 157

“Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem.” 

Jean-Paul Sartre, filósofo e escritor francês (1905-80)

01 novembro, 2012

Pétala nº 156

“Quem entender a minha música nunca mais será infeliz.”

Ludwig Beethoven, compositor alemão (1770-1827)

31 outubro, 2012

Pétala nº 155

“Um arqueólogo é o melhor marido que uma mulher pode ter – quanto mais ela envelhece, mais interessado ele fica.”
 
Agatha Christie, escritora britânica (1890-1976)

30 outubro, 2012

Pétala nº 154

“Só no fim da vida é que conseguimos ver-nos tal como realmente somos e, ainda assim, podemos enganar-nos.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Este país não é para velhos”, Ed. Relógio d’Água, 2007

29 outubro, 2012

Pétala nº 153

“Os meus livros são como água; os dos grandes génios são vinho. (Felizmente) toda a gente bebe água.”
 
Mark Twain, escritor norte-americano (1835-1910)

28 outubro, 2012

Pétala nº 152

“Sobre aquilo de que não sabemos falar devemos guardar silêncio.”
 
Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

27 outubro, 2012

Pétala nº 151

“Aprendi com as primaveras a me deixar cortar para poder voltar sempre inteira.”
 
Cecília Meireles, poetisa brasileira (1901-1964)

26 outubro, 2012

Pétala nº 150

“O tempo tritura, deforma e apaga tudo”.

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

25 outubro, 2012

Pétala nº 149

“Quem quer que tenha dito que o dinheiro não pode comprar a felicidade não sabia onde ir às compras.”
 
Gertrude Stein, escritora norte-americana (1874-1946)

24 outubro, 2012

Pétala nº 148

“Esquecemo-nos do que queríamos recordar e recordarmos o que queríamos esquecer.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “A Estrada”, Ed. Relógio d’Água, 2007

23 outubro, 2012

Pétala nº 147

"A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde."
 
André Maurois, escritor francês (1885-1967)

(Enviada por Maria JB, do blog - Poesia... é música)

22 outubro, 2012

Pétala nº 146

“Um mundo sem livros é um mundo sem atmosfera, como Marte.”
 
Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

21 outubro, 2012

Pétala nº 145

“O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos.”

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

20 outubro, 2012

Pétala nº 144

“Quando somos jovens inventamos futuros diferentes para nós; quando somos velhos, inventamos passados diferentes para os outros.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

19 outubro, 2012

Pétala nº 143

"Amanhã fico triste, Amanhã. Hoje não. Hoje fico alegre. E todos os dias, por mais amargos que sejam, Eu digo: Amanhã fico triste, Hoje não. Para hoje e todos os outros dias!"
 
Texto encontrado na parede de um dormitório de crianças, no campo de extermínio nazi de Auschwitz.

18 outubro, 2012

Pétala nº 142

“O homem que acha que os segredos do mundo são para sempre insondáveis vive no mistério e no medo.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “Meridiano de sangue”, Ed. Relógio d’Água, 2004

17 outubro, 2012

Pétala nº 141

 “É o comer que faz a fome”.

Eça de Queirós, escritor português (1845-1900)

16 outubro, 2012

Pétala nº 140

“O amor salva-nos da solidão, a pior condenação da velhice”.
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “De amor e de sombra”, Ed. Difel, 1984

15 outubro, 2012

Pétala nº 139

“Viajar é nascer e morrer a todo o instante”.

Victor Hugo, escritor francês (1802-1885)

14 outubro, 2012

Pétala nº 138

“Ler não é mais do que criar um pequeno jardim no interior da nossa memória”.
 
Susanan Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Querida Mathilda”, Ed. Presença, 1998

13 outubro, 2012

Pétala nº 137

“Quanto menos comes, bebes, compras livros, vais ao teatro e ao café, pensas, amas, teorizas, cantas, sofres, praticas desporto, etc., mais economizas e mais cresce o teu capital. “És” menos mas “tens” mais. Todas as paixões e actividades são tragadas pela cobiça.”
 
Karl Marx, pensador alemão (1818-1883)

12 outubro, 2012

Pétala nº 136

“Para que servem os livros senão para nos mudarem a vida?"
 
J.M. Coetzee, escritor sul-africano (1940-), in “Verão”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2003

11 outubro, 2012

Pétala nº 135

“As doenças são os resultados não só dos nossos actos, mas também dos nossos pensamentos”.
 
Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

10 outubro, 2012

Pétala nº 134

“Para se voltar à juventude basta que se repitam as mesmas loucuras.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

09 outubro, 2012

Pétala nº 133

“A pintura é poesia muda e a poesia, pintura que fala.”

Simónides de Ceos, poeta grego (556 a.C. - 468 a.C.)

08 outubro, 2012

Pétala nº 132

“Sê dono apenas do que podes transportar contigo; conhece línguas, conhece países, conhece pessoas. Deixa que a tua memória seja o teu saco de viagem.”
 
Alexander Solzhenitsyn, escritor russo (1918-2008)

07 outubro, 2012

Pétala nº 131

“O tempo passa tanto mais depressa quanto mais vazio está.”
 
Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

06 outubro, 2012

Pétala nº 130

“Uma greve de intelectuais, que é um pressuposto improvável, paralisaria a marcha do mundo.”
 
Camilo José Cela, escritor espanhol (1916-2002)
Prémio Nobel de Literatura, 1989

05 outubro, 2012

Pétala nº 129

“É tão bom estar contigo como ter saudades tuas.”
 
António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

04 outubro, 2012

Pétala nº 128

“A mentira é um manto esfarrapado e curto, que não consegue esconder a verdade.”
 
Autor desconhecido.

03 outubro, 2012

Pétala nº 127

“Perdoar não significa esquecer. Significa compreender.”
 
Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “O passado cura”, Ed. Pergaminho, 1999

02 outubro, 2012

Pétala nº 126

“A maçada da morte é que se fica morto muito tempo.”
 
António Lobo Antunes, escritor português (1942-)

01 outubro, 2012

Pétala nº 125

“As fotografias enganam o tempo, suspendendo-o num pedaço de papel onde não cabe a alma.”
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “De amor e de sombra”, Ed. Difel, 1984

30 setembro, 2012

Pétala nº 124

"Há aquilo que se sabe e há aquilo que se ignora. Entre uma coisa e outra está aquilo que se supõe."
 
André Gide, escritor francês (1869-1951)

29 setembro, 2012

Pétala nº 123

“O único encanto do passado é o de ser passado”.
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

28 setembro, 2012

Pétala nº 122

"És como és. Mantém-te!”

Autor desconhecido.

27 setembro, 2012

Pétala nº 121

“Espero que no outro mundo cada um de nós tenha a oportunidade de pedir desculpa às pessoas com quem nos portámos mal.”
 
J.M. Coetzee, escritor sul-africano (1940-), in “Verão”, Ed. D. Quixote, 2010.
Prémio Nobel de Literatura, 2003

26 setembro, 2012

Pétala nº 120

"O segredo do sucesso não é fazer o que se gosta, mas sim gostar do que se faz."
 
Cecilia Meireles, poetisa brasileira (1901-1964)

25 setembro, 2012

Pétala nº 119

“A fome e a violência são absurdos de tal modo estampados na cara do mundo que, quem a isso não é sensível, é porque não se chegou a integrar na espécie humana.”
 
António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

24 setembro, 2012

Pétala nº 118

“A felicidade encontra-a cada qual onde a procura ou deseja encontrar. Não se dá. Não se empresta. Transmite-se um pouco. Mas, sobretudo, usa-se. Porque ela existe!”
 
Autor desconhecido.

23 setembro, 2012

Pétala nº 117

“A vida é tudo menos sábia.”
 
Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

22 setembro, 2012

Pétala nº 116

“Foi em pleno inverno que aprendi que há em mim um verão invencível.”
Albert Camus, escritor francês (1913-1960) 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

21 setembro, 2012

Pétala nº 115

“… a gente vai aprendendo, aprendendo e, quando já está quase a saber quase tudo, morre…”

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

20 setembro, 2012

Pétala nº 114

“Onde os homens podem ser deuses, os animais podem ser homens.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-)

19 setembro, 2012

Pétala nº 113

“Que importa a idade. Há quem morra novo e quem nasça velho.”

John Updike, escritor americano (1932-), in “Corre, Coelho”, Ed. Civilização, 2006

18 setembro, 2012

Pétala nº 112

“Quantos mais erros faço, mais esperta fico”.
 
Inês, 8 anos.

17 setembro, 2012

Pétala nº 111

“O dinheiro é como qualquer outro vírus: uma vez podre a alma que o alberga, parte à procura de sangue fresco.”
 
Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

16 setembro, 2012

Pétala nº 110

“É a escrever mal que se aprende a escrever bem.”
 
Samuel Johnson, escritor e pensador inglês (1709-1784)

15 setembro, 2012

Pétala nº 109

“Perdoe o passado. Já passou.”

Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “A divina sabedoria dos mestres”, Ed. Pergaminho, 2000

14 setembro, 2012

Pétala nº 108

“Ainda bem que não temos tudo o que desejamos.”

Filipa, 12 anos.

13 setembro, 2012

Pétala nº 107

“O bem e o mal não caem do céu. Nós, nós é que os causamos, como a desgraça.”

John Updike, escritor americano (1932-), in “Corre, Coelho”, Ed. Civilização, 2006

12 setembro, 2012

Pétala nº 106

"A inocência tem na alma uma pérola, e as pérolas não se dissolvem no lodo.”

Victor Hugo, escritor francês (1802-1885)

11 setembro, 2012

Pétala nº 105

“Não caminhes à minha frente porque eu posso não te seguir. Não caminhes atrás de mim porque eu posso não te conduzir. Caminha ao meu lado e sê meu amigo”.

Albert Camus, escritor e filósofo (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

10 setembro, 2012

Pétala nº 104

“Atrás do universo e da vida humana permanece um imenso mistério e as soluções dos homens foram sempre precárias e, para remediar uns males, sempre juntaram outros.”

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

09 setembro, 2012

Pétala nº 103

“Descobri que, à medida que vou envelhecendo, amo mais todos aqueles que amei primeiro.”

Thomas Jefferson, Presidente norte-americano (1762-1826)

08 setembro, 2012

Pétala nº 102

“A essência da loucura é a solidão”.

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “A louca da casa”, Ed. Asa, 2004

07 setembro, 2012

Pétala nº 101

“Ninguém merece as tuas lágrimas e quem quer que as mereça não te vai fazer chorar.”

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-)
Prémio Nobel de Literatura, 1982

06 setembro, 2012

Pétala nº 100

“O inocente caminha com tranquilidade.”

Textos judaicos.

05 setembro, 2012

Pétala nº 99

“Quantas vezes contamos a história da nossa vida. Quantas vezes adaptamos, embelezamos, fazemos cortes matreiros? E, quanto mais a vida avança, menos são os que à nossa volta desafiam o nosso relato, para nos lembrar que a nossa vida não é a nossa vida, é só a história que contámos sobre a nossa vida. Que contámos aos outros mas - principalmente - a nós próprios.”

Julian Barnes, escritor inglês (1946-), in “O sentido do fim”, Ed. Quetzal, 2011

04 setembro, 2012

Pétala nº 98

“Temos que ser felizes se queremos espalhar a felicidade.”

Bernhard Schlink, escritor alemão (1944-), in “O outro homem”, Ed. Asa, 2004

03 setembro, 2012

Pétala nº 97

“Todas as coisas possuem o seu mistério e a poesia é o mistério de todas as coisas.”

Federico Garcia Lorca, poeta e dramaturgo espanhol (1898-1936)

02 setembro, 2012

Pétala nº 96

“Vivemos numa época em que sobram decibéis e estrépito; mas faltam pessoas e ideias que iluminem.”

José Luis Sampedro, escritor espanhol (1917-)

01 setembro, 2012

Pétala nº 95

“Dizem que os pobres têm outra sabedoria”.

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

31 agosto, 2012

Pétala nº 94

“O mais escandaloso dos escândalos é que nos habituamos a eles.”

Simone de Beauvoir, escritora francesa (1908-1986)

30 agosto, 2012

Pétala nº 93

“Só há uma coisa no mundo pior do que falarem de nós; é que de nós ninguém fale.”

Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900), in “O retrato de Dorian Gray”, Ed. Vega, 2000

29 agosto, 2012

Pétala nº 92

“Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a.”

Johann Goethe, escritor alemão (1762-1826)

28 agosto, 2012

Pétala nº 91

“A vida é a espera do que pode ser vivido”.

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

27 agosto, 2012

Pétala nº 90

“Só há um processo de conhecer intimamente uma mulher: despindo-a.
Por isso evita despi-las em demasia; e lembra-te de que há mulheres que, por as termos despido uma vez, nos obrigam a vesti-las toda a vida.”

Autor desconhecido.

26 agosto, 2012

Pétala nº 89

“No momento em que paramos a pensar se gostamos de alguém, já deixámos de gostar dessa pessoa para sempre.”

Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

25 agosto, 2012

Pétala nº 88

“Quanto mais sublimes forem as verdades mais prudência exige o seu uso.”

Nikolai Gogol, escritor russo (1809-1852)

24 agosto, 2012

Pétala nº 87

“Se fosse sábia dir-te-ia as últimas palavras, aquelas palavras grandes e belas que marcam uma vida.”

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

23 agosto, 2012

Pétala nº 86

“Nenhuma guerra se relata. Onde há sangue, não há palavra.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-)

22 agosto, 2012

Pétala nº 85

“Estou triste, mas a vida continua a interessar-me.”

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

21 agosto, 2012

Pétala nº 84

“As esperanças são como as estrelas; brilham mas não trazem luz, lindas mas ninguém as alcança.”

Autor desconhecido.

20 agosto, 2012

Pétala nº 83

“Gosto tanto de comer que não quero morrer, porque depois nunca mais como.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

19 agosto, 2012

Pétala nº 82

“Procuro rir-me de tudo, com medo de um dia mais tarde chorar.”

Molière, dramaturgo francês (1622-1673)

18 agosto, 2012

Pétala nº 81

“Quem nunca aprendeu a querer como pode preferir?”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

17 agosto, 2012

Pétala nº 80

“Os homens casam-se por fadiga, as mulheres por curiosidade; ambos se desiludem.”

Oscar Wilde, poeta e dramaturgo irlandês (1854-1900)

16 agosto, 2012

Pétala nº 79

 “Há muitas tragédias que são devidas a falhas de comunicação.”

SusannaTamaro, escritora italiana (1957-), in “Um país para além do céu azul”, Ed. Presença, 2003

15 agosto, 2012

Pétala nº 78

“Nunca te comprometas demasiado; o próprio Deus já não chega para as encomendas.”

Autor desconhecido.

14 agosto, 2012

Pétala nº 77

“O problema da vida pública é aprender a dominar o terror; o problema da vida conjugal é aprender a dominar o tédio.”

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “O amor nos tempos da cólera”, Ed. Círculo de Leitores, 1987
Prémio Nobel de Literatura, 1982

13 agosto, 2012

Pétala nº 76

“Ser mulher é uma tarefa terrivelmente difícil, uma vez que consiste principalmente em lidar com homens.”

Joseph Conrad, escritor britânico (1857-1924)

12 agosto, 2012

Pétala nº 75

“A letra de Deus nem sempre é decifrável e ninguém conhece a língua em que escreveu a alma humana."

António Alçada Baptista, escritor português (1927-2008), in “O riso de Deus”, Ed. Presença, 1994

11 agosto, 2012

Pétala nº 74

“Somos feitos de carne mas temos de viver como se fossemos de ferro.”

Sigmund Freud, médico inglês, fundador da psicanálise (1856-1939)

(Enviada pela minha amiga Ana)

10 agosto, 2012

Pétala nº 73

“Só há um modo de escapar de um lugar: é sairmos de nós. Só há um modo de sairmos de nós: é amarmos alguém.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-)

09 agosto, 2012

Pétala nº 72

"Faz o que o coração te manda. O coração deve ser o teu único guia."

John Updike, escritor americano (1932-), in “Corre, Coelho”, Ed. Civilização, 2006

08 agosto, 2012

Pétala nº 71

“Quanto mais longe fores, mais perto do fim estarás.”

Autor desconhecido.

07 agosto, 2012

Pétala nº 70

“Nada foi, nada será; tudo é, tudo tem realidade e presente.”
Hermann Hesse, escritor alemão (1877-1962), in “Siddhartha”, Ed. Casa das Letras, 1998
Prémio Nobel de Literatura, 1946

06 agosto, 2012

Pétala nº 69

“O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.”

Orson Welles, realizador e actor norte-americano (1915-1985)

05 agosto, 2012

Pétala nº 68

“Existimos enquanto alguém nos recorda.”

Carlos Ruiz Zafón, escritor espanhol (1964-), in “A sombra do vento”, Ed. D. Quixote, 2004

04 agosto, 2012

Pétala nº 67

“Há vitórias que exaltam, outras que corrompem; derrotas que matam, outras que despertam.”

Antoine de Saint-Exupéry, escritor e aviador francês (1900-1944)

03 agosto, 2012

Pétala nº 66

“Um bom livro é o precioso sangue vital de um espírito mestre, embalsamado e entesourado de propósito para uma vida para lá da vida, e como tal deverá seguramente ser um bem de primeira necessidade.”

Penelope Fitzgerald, escritora inglesa (1916-2000), in “A livraria”, Ed. Clube do Autor, 2011

02 agosto, 2012

Pétala nº 65

“A nova cultura começa quando o trabalhador e o trabalho são tratados com respeito.”

Maximo Gorky, escritor russo (1868-1936)

01 agosto, 2012

Pétala nº 64

“Do coração dos homens não sei nada, nada de nada.”

Ford Madox Ford, escritor inglês (1873-1939), in “O bom soldado”, Ed. Teorema, 2004.

31 julho, 2012

Pétala nº 63

"Quando o cérebro humano se distende para abrigar uma ideia nova, nunca mais volta à dimensão anterior."

Oliver Wendell Homes, escritor norte-americano (1809-94)

Pétala nº 62

“O amor tem as suas estações.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

30 julho, 2012

Pétala nº 61

“Toda a terra pequena tem braços grandes. Por muito que partamos, nunca dela saímos.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

Pétala nº 60

“A confiança que temos em nós mesmos reflete-se, em grande parte, na confiança que temos nos outros.”

La Rochefoucauld, escritor francês (1613-1680)

29 julho, 2012

Pétala nº 59

"... se não conseguia chorar, não conseguia amar.”

Howard Jacobson , escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

Pétala nº 58

“A viagem da descoberta consiste não em achar novas paisagens, mas em ver com novos olhos.”

Marcel Proust, escritor francês (1871-1922)

28 julho, 2012

Pétala nº 57

“O mundo não é um baile de máscaras.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

Pétala nº 56

“Mais importante do que vigiar os outros é controlar os próprios passos.”

Textos judaicos.

27 julho, 2012

Pétala nº 55

“A competição é só civilizadora enquanto estímulo; como pretexto de abater a concorrência é uma contribuição para a barbárie.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-2019)

Pétala nº 54

“Não podemos viver separados dos nossos filhos desde pequenos, não os criar, e depois esperar que nos ofereçam o ombro para chorarmos nele.”

Howard Jacobson , escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

26 julho, 2012

Pétala nº 53

“Existem dois tipos de história. Há a história dos grandes acontecimentos, a marcha do progresso científico, o choque das ideologias, as guerras e os desastres. E depois há a história como ela é vivida por milhões de pessoas, pela Europa, pelo mundo.”

Jim Powell, escritor inglês (1949-), in “O partir dos ovos”, Ed. Civilização, 2011

Pétala nº 52

“O amor nasce num sorriso, cresce num beijo e morre nas lágrimas”.

Autor desconhecido.

25 julho, 2012

Pétala nº 51

“Ser-se feliz é apenas deixar Deus acontecer”.

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

Pétala nº 50

“Não presumo ter respostas para todas as perguntas. Mas o certo é que vale a pena pensar nas perguntas.”

Arthur C. Clarke, escritor inglês (1917-2008)

24 julho, 2012

Pétala nº 49

“Quando não se tem nada para comer, pode-se pelo menos aquecer a fome ao sol.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de literarura, 2009

Pétala nº 48

“Se o nosso espírito pudesse compreender a eternidade ou o infinito, saberíamos tudo. Até podermos entender esse facto, não podemos saber nada.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

23 julho, 2012

Pétala nº 47

“O brilho e os encontros do dia seriam indiferentes sem as tristezas da noite.”

Autor desconhecido.

Pétala nº 46

“É a humilhação que nos torna humanos”.

Howard Jacobson , escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

22 julho, 2012

Pétala nº 45

“As cidades são camaleões, mudam e renovam a sua aparência com as estações.”

Jim Powell (Inglaterra 1949-), in “O partir dos ovos”, Ed. Civilização, 2011

Pétala nº 44

“A experiência é um troféu composto de todas as armas que nos feriram.”

Autor desconhecido.

21 julho, 2012

Pétala nº 43

“O toque de alguém é o verdadeiro lado de cá da pele. Quem não é tocado não se cobre nunca, anda como nu. De ossos à mostra.”

Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-), in “O filho de mil homens”, Ed. Alfaguara, 2011

Pétala nº 42

“Os tolos crescem sem ser regados.”

Autor desconhecido.

20 julho, 2012

Pétala nº 41

“A gente vive sem pedir e morre sem ter licença”.

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

Pétala nº 40

“ILUSÕES: flores que se desfolham ao sopro daquela aragem tão fria que se chama realidade.”

Autor desconhecido.

19 julho, 2012

Pétala nº 39

“Não tens o direito de ser feliz sozinho; abre o teu coração aos outros.”

Autor desconhecido.

Pétala nº 38

“Não há palavras adequadas ao sofrimento da fome.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

18 julho, 2012

Pétala nº 37

“Até tu agora vais ter de mudar. E se não mudares, o mundo não vai ficar à tua espera. Nunca fica.”

Jim Powell, escritor inglês (1949-), in “O partir dos ovos”, Ed. Civilização, 2011

Pétala nº 36

“Desperta em ti emoções para que possas dizer: Vivi!”

Raul Brandão, escritor português (1867-1930)

17 julho, 2012

Pétala nº 35

“Vê-se o passado melhor do que foi; acha-se o presente pior do que é; espera-se o futuro mais feliz do que será.”

Mme. D’Épinay, escritora francesa (1726-1783)

Pétala nº 34

“Uma meia-verdade é uma completa mentira.”

Howard Jacobson, escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

16 julho, 2012

Pétala nº 33

“A fala é o método e a medida da nossa passagem de botão a flor.”

Tom McCarthy, escritor inglês (1969-), in “C”, Ed. Presença, 2011

Pétala nº 32

“Amar é nunca ter que pedir perdão”.

Autor desconhecido.

15 julho, 2012

Pétala nº 31

“Amarás as mulheres para aprenderes a valorizá-las, e só depois te conhecerás de verdade.”

Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-), in “O filho de mil homens”, Ed. Alfaguara, 2011

Pétala nº 30

“O melhor espectáculo do homem será sempre o próprio homem”.

Eça de Queirós, escritor português (1845-1900)

14 julho, 2012

Pétala nº 29

“O nosso lar é onde estiver o nosso coração”.

Jim Powell, escritor inglês (1949-), in “O partir dos ovos”, Ed. Civilização, 2011

Pétala nº 28

“A vida é um conjunto das forças que resistem à morte.”

Autor desconhecido.

13 julho, 2012

Pétala nº 27

"Tenha cuidado ao ler livros sobre saúde. Pode morrer de um erro de impressão."

Mark Twain, escritor norte-americano (1835-1910)

Pétala nº 26

“Uma mulher de oitenta anos não tem silhueta. Está finalmente livre de ser desejada pelas suas formas.”

Howard Jacobson , escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

12 julho, 2012

Pétala nº 25

"Quem supera, vence."

Goethe, escritor alemão (1749-1832)

Pétala nº 24

“Há uma eternidade que não chorava, tinha ensinado a saudade a ter os olhos secos.”

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

11 julho, 2012

Pétala nº 23

 “As coisas mais importantes nunca dependem de nós. O nascimento, a morte. E o amor. E aquilo que o amor nos delega antes de nascermos.”

Jeffrey Eugenides, escritor americano (1960-), in “Middlesex”, Ed. Dom Quixote, 2002

Pétala nº 22

"Pouco se pode esperar de alguém que só se esforça quando tem a certeza de vir a ser recompensado."

José Ortega Y Gasset, filósofo espanhol (1883-1955)

10 julho, 2012

Pétala nº 21

"Há duas coisas que ninguém perdoa: as nossas vitórias e os nossos fracassos."

Millôr Fernandes, escritor brasileiro (1923-2012)

Pétala nº 20

“No ciúme, uma sensação é uma razão”.

Howard Jacobson, escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

09 julho, 2012

Pétala nº 19

"Não basta apenas soerguer os fracos; devemos ampará-los depois."

William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

Pétala nº 18

“Para desmentir uma meia verdade é preciso bem mais que a verdade inteira."

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

08 julho, 2012

Pétala nº 17

“Cada etapa da vida prenuncia a sua próxima etapa, de outra maneira não se chegaria lá. Mas talvez as escolhas que não são feitas, as opções que não se tomam, sejam tão reveladoras como as que fazemos.”

Jim Powell, escritor inglês (1949-), in “O partir dos ovos”, Ed. Civilização, 2011

Pétala nº 16

"Sê como o sândalo que perfuma o machado que o fere."

Autor desconhecido.

07 julho, 2012

Pétala nº 15

"Se o homem falhar em conciliar a justiça e a liberdade, então falha tudo."

Albert Camus, escritor e filósofo (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

Pétala nº 14

"Hoje eu sei: colocamos uma lápide sobre os mortos, não é por respeito. É por medo. Temos receio de que regressem.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

06 julho, 2012

Pétala nº 13

“Há palavras que fazem de mim aquilo que querem”.

Herta Müller, escritora romena (1953-), in “Tudo o que eu tenho trago comigo”, Ed. D. Quixote, 2010
Prémio Nobel de Literatura, 2009

Pétala nº 12

"CALADO, aprendi a ouvir."

Autor desconhecido.

05 julho, 2012

Pétala nº 11

"Há horas na vida em que a mais leve contrariedade toma as proporções de uma catástrofe."

Camilo Castelo Branco, escritor português (1825-1890)

Pétala nº 10

“Em qualquer idade há um futuro que não se tem. Nunca há vida suficiente quando somos felizes.”

Howard Jacobson , escritor inglês (1945-), in “A questão Finkler”, Ed. Porto Editora, 2011

04 julho, 2012

Pétala nº 9

“Tal como o gelo, também as vidas estalam.”

Jeffrey Eugenides, escritor americano (1960-), in “Middlesex”, Ed. Dom Quixote, 2002

Pétala nº 8

"É indispensável boa memória, após se haver mentido."

Pierre Corneille, dramaturgo francês (1606-1684)

03 julho, 2012

Pétala nº 7

"Não levantes a espada sobre a cabeça de quem te pediu perdão."

Machado de Assis, escritor brasileiro (1839-1908)

(Enviada por Maria JB, do blog - Poesia... é música)

Pétala nº 6

“Quem tem menos medo de sofrer, tem maiores possibilidades de ser feliz.”

Valter Hugo Mãe, escritor português (1971-), in “O filho de mil homens”, Ed. Alfaguara, 2011

Pétala nº 5

"O riso não é nada mau começo para uma amizade e é, de longe, a melhor maneira de terminá-la."

Autor desconhecido.

02 julho, 2012

Pétala nº 4

“Ao respirar, vivemos; ao falar, comungamos do sublime. Nas nossas conversas uns com os outros – quando ouvimos e respondemos – criamos as nossas ligações: amizades, inimizades, amores.”

Tom McCarthy, escritor inglês (1969-), in “C”, Ed. Presença, 2011

Pétala nº 3

"À minha volta reprovava-se a mentira, mas fugia-se cuidadosamente da verdade."

Simone de Beauvoir, escritora francesa (1908-1986)

01 julho, 2012

Pétala nº 2

"Aquilo que nós mesmos escolhemos é muito pouco: a vida e as circunstâncias fazem quase tudo."

John R.R. Tolkien, escritor sul-africano (1892-1973)

Pétala nº 1

“Tristeza não é chorar. Tristeza é não ter para quem chorar.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in "A confissão da leoa", Ed. Caminho, 2012

Baú de memórias perfumadas


Inicio hoje um novo blog.
Para mim será um enorme baú onde vou guardar frases, pensamentos, provérbios e tudo o mais que me toca e emociona.
Ao longo de muitos anos fui amontoando papelinhos em caixas e gavetas e, agora, decidi guardá-los num enorme baú.
Se por aqui passar deixe aquele pequeno texto que o tocou. Eu publicá-lo-ei com o seu nome e o seu blog. Utilize a minha caixa de email e siga o modelo das minhas publicações.
Desta forma, construiremos um jardim de memórias perfumadas.
Já agora, deixe a sua opinião.