28 fevereiro, 2014

Pétala nº 642

 “A vida é maravilhosa. A vida é maravilhosa. Pra mim ela dá verso e dá prosa.”
 
Eça de Queiroz, escritor português (1845-1900)

27 fevereiro, 2014

Pétala nº 641

“… preconceitos são os esteios da civilização”.
 
André Gide, escritor francês (1869-1951), in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004
Prémio Nobel de Literatura, 1947

26 fevereiro, 2014

Pétala nº 640

“Deus nos deu asas, mas as religiões inventaram gaiolas.” 

Rubem Alves, teólogo, pedagogo, poeta e filósofo brasileiro (1933-2014)

25 fevereiro, 2014

Pétala nº 639

"Um serviço que é grato prestar, não pode ser aborrecido pedir.”
André Gide, escritor francês (1869-1951) , in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004
Prémio Nobel de Literatura, 1947

24 fevereiro, 2014

Pétala nº 638

“Um dia sem rir é um dia desperdiçado.”

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

23 fevereiro, 2014

Pétala nº 637

“Não sabermos quem é o nosso pai cura-nos do medo de nos parecermos com ele.”
 
André Gide, escritor francês (1869-1951) , in “Os moedeiros falsos”, Ed. Ambar, 2004
Prémio Nobel de Literatura, 1947

22 fevereiro, 2014

Pétala nº 636

“Não quero ser um génio... Já tenho problemas suficientes ao tentar ser um homem.” 

Albert Camus, escritor e filósofo (1913-1960) 
Prémio Nobel de Literatura, 1957

21 fevereiro, 2014

Pétala nº 635

“Os olhos dos outros as nossas prisões; os seus pensamentos as nossas jaulas.”

Virginia Woolf, escritora inglesa (1882-1941), in “Contos – Um romance que não foi escrito”, Ed. Relógio d’Água, 2004

20 fevereiro, 2014

Pétala nº 634

“A morte é um sono sem sonhos.”

Napoleão Bonaparte, líder político e militar francês (1769-1821)

19 fevereiro, 2014

Pétala nº 633

“A vida é o que se vê nos olhos das pessoas.”

Virginia Woolf, escritora inglesa (1882-1941), in “Contos – Um romance que não foi escrito”, Ed. Relógio d’Água, 2004

18 fevereiro, 2014

Pétala nº 632

"Prefiro morrer de pé que viver sempre ajoelhado."

Che Guevara, político, escritor e médico argentino-cubano (1928-67).

17 fevereiro, 2014

Pétala nº 631

“... qualquer objecto se mistura tão perfeitamente com a matéria do pensamento que perde a sua forma real e se reconstitui de modo ligeiramente diferente numa forma ideal que assombra a mente quando menos se espera.”
 
Virginia Woolf, escritora inglesa (1882-1941), in “Contos – Objectos sólidos”, Ed. Relógio d’Água, 2004

16 fevereiro, 2014

Pétala nº 630

“Nenhuma coisa deste mundo pára ou permanece, todas passam.”

António Vieira, padre português (1608-97)

15 fevereiro, 2014

Pétala nº 629

“É curioso... como uma pessoa protege a sua própria imagem de toda a idolatria ou de qualquer outro sentimento que a possa tornar ridícula ou demasiado diferente do original para ser verosímil.”
 
Virginia Woolf, escritora inglesa (1882-1941), in “Contos – A marca na parede”, Ed. Relógio d’Água, 2004

14 fevereiro, 2014

Pétala nº 628

“A mentira, como o ódio, flutua à superfície da verdade.”

Henry Sienkiewicz, escritor polaco (1846-1916)

13 fevereiro, 2014

Pétala nº 627

“Ser menino é estar cheio de céu por cima”.
 
Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

12 fevereiro, 2014

Pétala nº 626

“A alma reina seja onde for: do fundo das masmorras pode elevar-se até ao céu.”
 
Napoleão Bonaparte, líder político e militar francês (1769-1821)

11 fevereiro, 2014

Pétala nº 625

“Não é o voarmos sobre os lugares que marca a memória. É o quanto esses lugares continuarão voando dentro de nós.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

10 fevereiro, 2014

Pétala nº 624

“O que se quer existe – só que está coberto. Por isso se chama à busca feita pelos portugueses: Descobrimentos.”

Agostinho da Silva, filósofo, poeta e ensaísta português (1906-96)

09 fevereiro, 2014

Pétala nº 623

“Nunca prestei grande atenção ao calendário, nunca comemorei datas. Tenho para mim um relógio íntimo que marca outro compasso nisso que chamamos de tempo.”

Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

08 fevereiro, 2014

Pétala nº 622

"Nunca se afaste dos seus sonhos, pois se eles se forem, você continuará vivendo, mas terá deixado de existir".
 
Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

07 fevereiro, 2014

Pétala nº 621

“... o paraíso não é um lugar, é um breve momento que conquistamos dentro de nós.”
 
Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

06 fevereiro, 2014

Pétala nº 620

“A glória é fugaz, mas a obscuridade dura para sempre.”

Napoleão Bonaparte, líder político e militar francês (1769-1821)

05 fevereiro, 2014

Pétala nº 619

“... a cidade não é um lugar. É a moldura de uma vida, um chão para a memória.”
 
Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

04 fevereiro, 2014

Pétala nº 618

“Há pessoas que falam, falam, até encontrarem, finalmente, qualquer coisa para dizer.”
 
Sacha Guiltry, actor e dramaturgo francês (1885-1957)

03 fevereiro, 2014

Pétala nº 617

“O amor não tem “depois”. O amor é o tempo inteiro consumindo-se no instante.”
 
Mia Couto, escritor moçambicano (1955-), in “Pensageiro frequente”, Ed. Caminho, 2010

02 fevereiro, 2014

Pétala nº 616

“As nossas tragédias são sempre de uma profunda banalidade para os outros.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês ( 1854-1900)

01 fevereiro, 2014

Pétala nº 615

“Para que o mundo sobreviva, é preciso revigorá-lo todos os dias.”
 
Cormac McCarthy, escritor americano (1933-), in “A Travessia”, Ed. Relógio d’Água, 2012