31 dezembro, 2018

Pétala nº 2410

“Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo.” 
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

30 dezembro, 2018

Pétala nº 2409

“… a miséria, isso é certo, não traz felicidade…” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O paraíso e outros infernos”, Ed. Quetzal, 2018

29 dezembro, 2018

Pétala nº 2408

“A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la.”
AUGUSTO BRANCO, pseudónimo de Nazareno Vieira de Souza, poeta e escritor brasileiro (1980-)

28 dezembro, 2018

Pétala nº 2407

“A banalidade pode ser tão aconchegante quanto um velho sofá.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O paraíso e outros infernos”, Ed. Quetzal, 2018

27 dezembro, 2018

Pétala nº 2406

“Nunca estrague o seu presente por um passado que não tem futuro.” 
DALAI LAMA, monge tibetano.

26 dezembro, 2018

Pétala nº 2405

“Todos queremos ser felizes; poucas vezes, porém, paramos para pensar naquilo que nos traz alegria, ou felicidade.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O paraíso e outros infernos”, Ed. Quetzal, 2018

25 dezembro, 2018

Pétala nº 2404

“Não existe maior loucura no mundo do que um homem entrar no desespero.” 
MIGUEL DE CERVANTES, escritor espanhol (1547-1616)

24 dezembro, 2018

Pétala nº 2403

“É Natal sempre que deixares Deus amar os outros através de ti.
É Natal sempre que sorrires ao teu irmão e lhe ofereceres a tua mão."
MADRE TERESA DE CALCUTÁ, missionária católica de etnia albanesa (1910-97) 
Prémio Nobel da Paz, 1979

23 dezembro, 2018

Pétala nº 2402

“O ressentimento é como beber veneno e esperar que ele mate seus inimigos.” 
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

22 dezembro, 2018

Pétala nº 2401

“A música não vence a entropia, mas adia-a.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “O paraíso e outros infernos”, Ed. Quetzal, 2018

21 dezembro, 2018

Pétala nº 2400

“A esperança tem asas. Faz a alma voar. Canta a melodia mesmo sem saber a letra. E nunca desiste. Nunca.” 
EMILY DICKINSON, poetisa norte-americana (1830-86)

20 dezembro, 2018

Pétala nº 2399

“Chove-me na alma quando e se tenho alegrias do coração. 
Chuva é exercício de melancolia da Natureza, mas nunca será uma tristeza.” 

19 dezembro, 2018

Pétala nº 2398

“Os homens apressam-se mais a retribuir um dano do que um benefício, porque a gratidão é um peso e a vingança, um prazer.” 
TÁCITO, historiador, orador e político romano (55-120)

18 dezembro, 2018

Pétala nº 2397

“A minha vida é tão triste, e eu nem penso em chorá-la; as minhas horas tão falsas, e eu nem sonho o gesto de parti-las.” 
FERNANDO PESSOA, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

17 dezembro, 2018

Pétala nº 2396

“O futuro dependerá daquilo que fazemos no presente.” 
TÁCITO, historiador, orador e político romano (55-120)

16 dezembro, 2018

Pétala nº 2395

“Quem a sós se ri, das suas maldades se lembra.” 
MARIO VARGAS LLOSA, escritor peruano (1936-), in “Cinco esquinas”, Ed. Quetzal, 2016
Prémio Nobel de Literatura, 2010

15 dezembro, 2018

Pétala nº 2394

“O erro só é bom enquanto somos jovens. À medida que avançamos na idade, não convém que o arrastemos atrás de nós.” 
GOETHE, escritor alemão (1749-1832

14 dezembro, 2018

Pétala nº 2393

“A amizade é a única coisa que importa verdadeiramente nesta vida.” 
MARIO VARGAS LLOSA, escritor peruano (1936-), in “Cinco esquinas”, Ed. Quetzal, 2016 
Prémio Nobel de Literatura, 2010

13 dezembro, 2018

Pétala nº 2392

“A humildade é a base e o fundamento de todas as virtudes e sem ela não há nenhuma que o seja.”
MIGUEL DE CERVANTES, escritor espanhol (1547-1616)

12 dezembro, 2018

Pétala nº 2391

“Devemos usar o tempo sensatamente e entender que o momento é sempre adequado para se fazer o bem.” 
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

11 dezembro, 2018

Pétala nº 2390

“A solidão é difícil de evitar. Seja em que sítio for.” 
MICHAEL CUNNINGHAM, escritor norte-americano (1952-), in “Uma casa no fim do mundo”, Ed. Gradiva, 2001

10 dezembro, 2018

Pétala nº 2389

“Um livro é um enigma como as pirâmides do Egito. É um laboratório em combustão. Uma saída de emergência. Um clube de socorro a náufragos. Um intercomunicador entre silêncios. Um lança-chamas. Um abrigo de floresta. Um trilho mais adiante.”
JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA, teólogo e poeta português (1965-)

09 dezembro, 2018

Pétala nº 2388

“Esta vida tem de ser levada frase a frase.” 
MICHAEL CUNNINGHAM, escritor norte-americano (1952-), in “Uma casa no fim do mundo”, Ed. Gradiva, 2001

08 dezembro, 2018

Pétala nº 2387

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo” 
NELSON MANDELA, estadista sul-africano (1918-2013)
Prémio Nobel da Paz, 1993

07 dezembro, 2018

Pétala nº 2386

“A vida é feita de mudanças que escapam ao nosso controlo”. 
MICHAEL CUNNINGHAM, escritor norte-americano (1952-), in “Uma casa no fim do mundo”, Ed. Gradiva, 2001

06 dezembro, 2018

Pétala nº 2385

“Só há uma treva: a ignorância.” 
ERNEST HEMINGWAY, escritor norte-americano (1899-1961) 
Prémio Nobel de Literatura, 1954

05 dezembro, 2018

Pétala nº 2384

“Os pesadelos costumam dissolver-se ao sol (basta pensar nos vampiros.) 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

04 dezembro, 2018

Pétala nº 2383

“Sem bibliotecas, não temos nenhum passado e não teremos um futuro.” 
RAY BRADBURY, escritor norte-americano (1920-2012)

03 dezembro, 2018

Pétala nº 2382

“Nunca saberemos se existe quem amamos. Mas sabemos que o amor existe.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018

02 dezembro, 2018

Pétala nº 2381

“Cada homem possui três personalidades: a que exibe, a que tem e a que pensa que tem.”
ALPHONSE KARR, escritor e jornalista francês (1808-1890)

01 dezembro, 2018

Pétala nº 2380

“Não há nada que aproxime mais duas pessoas do que o riso e o choro.” 
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA, escritor angolano (1960), in “Barroco tropical”, Ed. Quetzal, 2018