31 dezembro, 2013

Pétala nº 583

“A esperança é um empréstimo que se pede à felicidade.”

Joseph Joubert, ensaísta francês (1754-1824)

30 dezembro, 2013

Pétala nº 582

“Segundo alguns pensadores, todos os homens eram inimigos: receavam-se e odiavam-se mutuamente. Havia uma guerra de todos contra todos, no reino da natureza.”

Saul Bellow, escritor americano (1915-2005), in “Ravelstein",  Ed. Teorema, 2001
Prémio Nobel de Literatura, 1976

29 dezembro, 2013

Pétala nº 581

“Há homens que são como as velas; sacrificam-se, queimando-se para dar luz aos outros.”
 
António Vieira, padre e escritor português (1608-97)

28 dezembro, 2013

Pétala nº 580

“… dos escritores, esperamos que nos façam rir ou chorar.”

Saul Bellow, escritor americano (1915-2005), in “Ravelstein",  Ed. Teorema, 2001
Prémio Nobel de Literatura, 1976

27 dezembro, 2013

Pétala nº 579

“Não existe revelação mais nítida da alma de uma sociedade do que a forma como esta trata as suas crianças.”
Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013)
Prémio Nobel da Paz, 1993

26 dezembro, 2013

Pétala nº 578

"A maior glória de viver não consiste em jamais cair, mas em reerguermo-nos sempre que o fizermos."
 
Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013)
Prémio Nobel da Paz, 1993

25 dezembro, 2013

Pétala nº 577

“Nenhuma doçura de hoje será capaz de minorar o amargor de amanhã…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

24 dezembro, 2013

Pétala nº 576

“A ambição embriaga mais do que a glória.”

Marcel Proust, escritor francês (1871-1922)

23 dezembro, 2013

Pétala nº 575

“A boca é um órgão que será tanto mais de confiança quanto mais silencioso se mantiver.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

22 dezembro, 2013

Pétala nº 574

"Quando penso no passado, no tipo de coisas que me fizeram, sinto-me furioso, mas, mais uma vez, isso é apenas um sentimento. O cérebro sempre domina e diz-me: tens um tempo limitado de estada na Terra e deves tentar usar esse período para transformar o teu país naquilo que desejas."

Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013)
Prémio Nobel da Paz, 1993

21 dezembro, 2013

Pétala nº 573

“É uma estupidez deixar perder o presente só pelo medo de não vir a ganhar o futuro…”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

20 dezembro, 2013

Pétala nº 572

“Um homem que não se alimenta dos seus sonhos, envelhece cedo.”

William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

19 dezembro, 2013

Pétala nº 571

“Há coisas que são tanto aquilo que são, que não precisam que as expliquemos.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

18 dezembro, 2013

Pétala nº 570

“A paciência é a capacidade de não desesperar.”

São Tomás de Aquino, padre e filósofo dominicano (1225-75)

17 dezembro, 2013

Pétala nº 569

“Penso que as palavras só nasceram para poderem jogar umas com as outras, que não sabem mesmo fazer outra coisa, e que, ao contrário do que se diz, não existem palavras vazias.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

16 dezembro, 2013

Pétala nº 568

“Só depois de praticadas é que as faltas nos ensinam como podiam facilmente ter sido evitadas.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

15 dezembro, 2013

Pétala nº 567

“Os sonhos não avisam, A não ser quando os que sonham se sentem avisados.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

14 dezembro, 2013

Pétala nº 566

“Deve sempre conservar-se o temor, mas nunca mostrá-lo”.

Francisco Quevedo, escritor espanhol (1580-1645)

13 dezembro, 2013

Pétala nº 565

“O que não quero é o que não posso, o que não posso é o que não quero.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

12 dezembro, 2013

Pétala nº 564

“Todos os negócios que me propõem são maus, porque se fossem bons não mos propunham.”
 
André Maurois, escritor francês (1885-1967)

11 dezembro, 2013

Pétala nº 563

“A pena pior… não é a que se sente no momento, é a que se vai sentir depois, quando já não houver remédio.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

10 dezembro, 2013

Pétala nº 562

“Sê senhor da tua vontade e escravo da tua consciência.”

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-382/-322)

09 dezembro, 2013

Pétala nº 561

“O humor é como as marés, ora sobe ora desce.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

08 dezembro, 2013

Pétala nº 560

“Para aprender não basta só ouvir por fora, é necessário entender por dentro.”
 
António Vieira, padre e escritor português (1608-1697)

07 dezembro, 2013

Pétala nº 559

“… o tempo é um mestre de cerimónias que sempre acaba por nos pôr no lugar que nos compete, vamos avançando, parando e recuando às ordens dele, o nosso erro é imaginar que podemos trocar-lhe as voltas.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

06 dezembro, 2013

Pétala nº 558

“Nenhum inimigo é pior do que um mau conselho.”

Sófocles, poeta da Grécia Antiga (-496/-406)

05 dezembro, 2013

Pétala nº 557

“… como tudo na vida, o que deixou de ter serventia deita-se fora, Incluindo as pessoas, Exactamente, incluindo as pessoas, eu próprio serei atirado fora quando já não servir…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

04 dezembro, 2013

Pétala nº 556

“Uma conduta irrepreensível consiste em manter cada um a sua dignidade sem prejudicar a liberdade alheia”.
 
Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

03 dezembro, 2013

Pétala nº 555

“Todos os pais foram filhos, muitos filhos vêm a ser pais, mas uns esqueceram-se daquilo que foram, e aos outros não há ninguém que possa explicar-lhes o que serão.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

02 dezembro, 2013

Pétala nº 554

“Normalmente aqueles que são naturalmente ambiciosos gostam mais da opinião dos outros do que da sua.”
 
Madeleine de Scudéry, novelista francesa (1607-1701)

01 dezembro, 2013

Pétala nº 553

“Na vida tudo são fardas, o corpo só é civil verdadeiramente quando está despido…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

30 novembro, 2013

Pétala nº 552

“Quem sabe que não sabe é nobre; quem quer fazer crer que sabe o que não sabe é débil mental.”
 
Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

29 novembro, 2013

Pétala nº 551

“…a melhor maneira de fazer morrer uma rosa é abri-la à força quando ainda não passa de uma pequena promessa de botão.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

28 novembro, 2013

Pétala nº 550

“O amor nasce num sorriso, cresce num beijo… morre nas lágrimas.”
 
Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

27 novembro, 2013

Pétala nº 549

“… por mais espessas e negras que estejam as nuvens sobre as nossas cabeças, o céu lá por cima estará permanentemente azul…”.
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

26 novembro, 2013

Pétala nº 547

“A vida às vezes começa quando a julgamos perdida.”

Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

25 novembro, 2013

Pétala nº 546

“… de repente percebemos que já não somos necessários no mundo, se é que alguma vez o tínhamos sido antes, mas acreditar que o éramos parecia bastante, parecia suficiente, e era de certa maneira eterno pelo tempo que a vida durasse, que é isso a eternidade, nada mais do que isso.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

24 novembro, 2013

Pétala nº 545

“Esperar é ainda uma ocupação. Terrível é não ter nada que esperar.”

Cesare Pavese, escritor italiano (1908-1950)

23 novembro, 2013

Pétala nº 544

"Um cão sabe muito bem quando alguém precisa da sua companhia.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

22 novembro, 2013

Pétala nº 543

“Quem muito se ausenta, um dia deixa de fazer falta.”

Autor desconhecido.

21 novembro, 2013

Pétala nº 542

“… há quem leve a vida inteira a ler sem nunca ter conseguido ir mais além da leitura.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

20 novembro, 2013

Pétala nº 541

“Diga-me o que come e eu dir-lhe-ei quem é.”

Anthelme Brillat-Savarin, gastrónomo francês do séc. XVIII

19 novembro, 2013

Pétala nº 540

“Lendo, fica-se a saber quase tudo.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

18 novembro, 2013

Pétala nº 539

“Nesta vida, trabalha-se."

Vera Stravinsky, bailarina e pintora russa (1888-1992)

17 novembro, 2013

Pétala nº 538

“… até a própria ignorância é capaz de ter intuições proféticas.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

16 novembro, 2013

Pétala nº 537

“A verdadeira arte da memória é a arte de prestar atenção.”

Samuel Johnson, escritor e pensador inglês (1709-84)

15 novembro, 2013

Pétala nº 536

“Os dias são todos iguais, as horas é que não, quando os dias chegam ao fim têm sempre as suas vinte e quatro horas completas, mesmo quando elas não tiveram nada dentro.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

14 novembro, 2013

Pétala nº 535

“O conhecimento surge, mas a sabedoria perdura.”

Alfred Tennyson, poeta inglês (1809-82)

13 novembro, 2013

Pétala nº 534

“… trabalho que se faz sonhando nunca deixou obra feita.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 1998

12 novembro, 2013

Pétala nº 533

“O que quer que consiga fazer, ou sonhar que consegue, comece. A coragem tem genialidade, poder e magia intrínsecos. Comece agora.”
 
Goethe, escritor alemão (1749-1832)

11 novembro, 2013

Pétala nº 532

“É enquanto estamos vivos que podemos falar da morte, não depois.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 1998

10 novembro, 2013

Pétala nº 531

“Tenho em mim todos os sonhos do mundo.”
 
Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

09 novembro, 2013

Pétala nº 530

“… o barro é como as pessoas, precisa de que o tratem bem.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 1998

08 novembro, 2013

Pétala nº 529

“Só para ouvir passar o vento vale a pena ter nascido.”

Fernando Pessoa (Alberto Caeiro), poeta português (1888-1935)

07 novembro, 2013

Pétala nº 528

“É bem verdade que nem a juventude sabe o que pode, nem a velhice pode o que sabe.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “A Caverna”, Ed. Caminho, 2000
Prémio Nobel de Literatura, 1998

06 novembro, 2013

Pétala nº 527

“Ao fim de um tempo de vida em casa, são os tons e os gestos que definem a relação.”

José Gameiro, psiquiatra português (1949-)

05 novembro, 2013

Pétala nº 526

“Se te apetecer cantar, canta… faz bem à bílis.”
 
Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Ninguém escreve ao coronel”, Ed. Círculo de Leitores, 1994
Prémio Nobel de Literatura, 1982

04 novembro, 2013

Pétala nº 525

“É preciso particular cuidado com as sogras, que têm uma especial capacidade para apanhar as expressões faciais, o bambolear impaciente das pernas, o ar ausente e enfastiado das noras.”
 
José Gameiro, psiquiatra português (1949-)

03 novembro, 2013

Pétala nº 524

“A ingratidão humana não tem limites.”
 
Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Ninguém escreve ao coronel”, Ed. Círculo de Leitores, 1994
Prémio Nobel de Literatura, 1982

02 novembro, 2013

Pétala nº 523

“Vivemos o culto da palavra, da comunicação por tudo e por nada, como se o dito resolvesse tudo.”
 
José Gameiro, psiquiatra português (1949-)

01 novembro, 2013

Pétala nº 522

“As ilusões não se comem… não se comem, mas alimentam.”
 
Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Ninguém escreve ao coronel”, Ed. Círculo de Leitores, 1994
Prémio Nobel de Literatura, 1982

31 outubro, 2013

Pétala nº 521

“Como é que percebemos que duas pessoas se acompanham? Pela forma como conversam? Certamente. Mas talvez ainda mais pela forma como acolhem o silêncio uma da outra.”
 
José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

30 outubro, 2013

Pétala nº 520

“A metáfora do diamante que se vai delapidando aplica-se bem à vida. Para que em última instância só haja brilho. Se formos luzes acesas cada vez mais brilhantes acendemos cada vez mais luzes nos outros.”
 
Anamar, fadista portuguesa.

29 outubro, 2013

Pétala nº 519

"A vida é a coisa melhor que já se inventou.”
 
Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1928-), in “Ninguém escreve ao coronel ”, Ed. Círculo de Leitores, 1994
Prémio Nobel de Literatura, 1982

28 outubro, 2013

Pétala nº 518

“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

27 outubro, 2013

Pétala nº 517

“A vida dá-nos tudo, até a possibilidade de sonhar que a vida é bela.”

Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

26 outubro, 2013

Pétala nº 516

“A falta de dinheiro é uma dor a que nenhuma outra se compara.”

Francois Rabelais, escritor, padre e médico francês (1483-1553)

25 outubro, 2013

Pétala nº 515

“… nada justifica a destruição deliberada daquilo que um homem construiu com o seu suor…”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1949

24 outubro, 2013

Pétala nº 514

“Viverás a mais bela das vidas se fores indiferente às coisas indiferentes”.

Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

23 outubro, 2013

Pétala nº 513

“É difícil a vida. Mas a vida não foi feita para ser fácil.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1949

22 outubro, 2013

Pétala nº 512

“Um homem é realmente velho quando só pensa nisso.”

Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

21 outubro, 2013

Pétala nº 511

“O pecado o amor e o medo são apenas sons que as pessoas que nunca pecaram nem amaram nem tiveram medo têm para aquilo que nunca tiveram e não podem ter até esquecerem as palavras.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1949

20 outubro, 2013

Pétala nº 510

“Cada um de nós é uma lua e tem um lado escuro que nunca mostra a ninguém.”

Mark Twain, escritor americano (1835-1910)

19 outubro, 2013

Pétala nº 509

“Não sou de me meter na vida alheia. Cada homem que governe a vida como bem entender…”.
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1949

18 outubro, 2013

Pétala nº 508

“Tudo vale a pena se a alma não é pequena”.

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

17 outubro, 2013

Pétala nº 507

“… quando era pequeno, acreditava que a morte era apenas um fenómeno do corpo; mas agora sei que é meramente uma função da mente – e das mentes daqueles que sofrem a perda.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1949

16 outubro, 2013

Pétala nº 506

“O verdadeiro analfabeto é aquele que aprendeu a ler e não lê.”

Mário Quintana, poeta brasileiro (1906-94)

15 outubro, 2013

Pétala nº 505

“São precisas duas pessoas para nos fazer, e só uma para morrer. É por isso que o mundo vai acabar.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1949

14 outubro, 2013

Pétala nº 504

“Minha pátria é a língua portuguesa.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

13 outubro, 2013

Pétala nº 503

“Já ouvi homens amaldiçoar a sua sorte, e com razão, pois eram pecadores.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003 Prémio Nobel de Literatura, 1949

12 outubro, 2013

Pétala nº502

“O que se aprende, depois de saber tudo, é o que conta.”

Jean Rostand, filósofo e historiador francês (1894-1977)

11 outubro, 2013

Pétala nº 501

“Nunca se deve subestimar o poder dos livros."

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

10 outubro, 2013

Pétala nº 500

“Não hesito em declarar: o diploma é o inimigo mortal da cultura.”
 
Paul Valéry, filósofo, escritor e poeta francês (1871-1945)

09 outubro, 2013

Pétala nº 499

“Uma pessoa morre e, a pouco e pouco, todos os traços dessa vida desaparecem.”
 
Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

08 outubro, 2013

Pétala nº 498

“O homem é do tamanho do seu sonho”.

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

07 outubro, 2013

Pétala nº 497

“De que nos serve o conhecimento se não o usamos para impedir que os nossos amigos sejam destruídos?”
Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

06 outubro, 2013

Pétala nº 496

“Também tenho saudade do que não existiu, e dói bastante”.

Carlos Drummond de Andrade, escritor brasileiro (1902-87)

05 outubro, 2013

Pétala nº 495

“Quando o tudo mais falha, só há uma saída: bombardear o outro com provas do nosso amor.”

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

04 outubro, 2013

Pétala nº 494

“Apresso-me a rir de tudo, com medo de ser obrigado a chorar.”

Pierre Beaumarchais, dramaturgo francês (1732-99)

03 outubro, 2013

Pétala nº 493

“… toda a gente quer ser bela, mas a beleza, numa mulher, pode por vezes ser uma maldição”.

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

02 outubro, 2013

Pétala nº 492

“Amar a leitura é trocar horas de fastio por horas de inefável e deliciosa companhia”.

John Fitzgerald Kennedy, presidente dos Estados Unidos da América (1917-63)

01 outubro, 2013

Pétala nº 491

“A paixão pelo embuste… é universal, e, a partir do momento em que um homem lhe toma o gosto, nunca mais se cura.”
 
Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

30 setembro, 2013

Pétala nº 490

“Se tantas velhices são vazias, é porque outros tantos homens o eram e o escondiam”.
 
André Malraux, escritor francês (1901-76)

29 setembro, 2013

Pétala nº 489

“A perspectiva da morte – é inevitável – faz com que os pensamentos de umas pessoas se centrem em questões mais sérias.”

Paul Auster, escritor americano (1947-), in “As loucuras de Brooklyn”, Ed. ASA, 2006

28 setembro, 2013

Pétala nº 488

“Lê os melhores livros primeiro porque podes não ter tempo de os ler todos”.

Henry Thoreau, poeta, historiador e filósofo americano (1817-62)

27 setembro, 2013

Pétala nº 487

“Há música nas palavras, e isso ouve-se… através do pensamento”.
 
E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

26 setembro, 2013

Pétala nº 486

"Livros e solidão: eis o meu elemento."

Benjamin Franklin, escritor, cientista, inventor Americano (1907-90)

25 setembro, 2013

Pétala nº 485

“O martírio é uma invenção religiosa.”

E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

24 setembro, 2013

Pétala nº 484

“Como é que, sendo as crianças tão inteligentes, a maior parte dos homens é tão estúpida? 
Deve ser fruto da educação.” 

Alexandre Dumas, escritor e dramaturgo francês (1802-70)

23 setembro, 2013

Pétala nº 483

“Temos de fazer frente ao mundo – não seremos livres se for às custas do sofrimento de outra pessoa.”
 
E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

22 setembro, 2013

Pétala nº 482

"O talento não basta para fazer o escritor. Atrás do livro deve haver o homem."
 
Ralph Waldo Emerson, escritor americano (1803-82)

21 setembro, 2013

Pétala nº 481

“O ecrã de televisão… torna tudo plano, comprime o mundo, já para não falar da mente das pessoas.”
 
E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

20 setembro, 2013

Pétala nº 480

"O livro é uma extensão da memória e da imaginação."

Jorge Luis Borges, poeta argentino (1899-1986)

19 setembro, 2013

Pétala nº 479

“A identidade humana é uma coisa misteriosa. Poderemos nós sequer ter a certeza de que existe algo chamado o Eu?”
 
E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

18 setembro, 2013

Pétala nº 478

“Até o pior dos livros tem uma página boa. A última”.

John James Osborne, actor e roteirista britânico (1929-94)

17 setembro, 2013

Pétala nº 477

“Os poemas têm ideias.”

E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

16 setembro, 2013

Pétala nº 476

"Até os maus livros são livros e, por isso, sagrados”.

Günter Grass, escritor alemão (1927-)
Prémio Nobel de Literatura, 1999

15 setembro, 2013

Pétala nº 475

“Tudo na vida é substituído.”
 
E. L. Doctorow, escritor americano (1931-), in “Homer & Langley", Porto Editora, 2013

14 setembro, 2013

Pétala nº 474

“Pedras no caminho eu guardo todas. Um dia vou construir um castelo.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

13 setembro, 2013

Pétala nº 473

“... a razão para viver é prepararmo-nos para ficar mortos.”

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1949

12 setembro, 2013

Pétala nº 472

“Assim é a vida, sete vezes se cai e oito vezes nos pomos de pé.”
 
Roland Barthes, escritor francês (1915-80)

11 setembro, 2013

Pétala nº 471

“Num quarto estranho temos de nos esvaziar para o sono entrar.”
 
William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “Na minha morte”, Ed. Dom Quixote, 2003
Prémio Nobel de Literatura, 1949

10 setembro, 2013

Pétala nº 470

“Aprendi a usar a palavra impossível com grande precaução.”
 
Werhner von Braun, cientista espacial alemão (1912-77)

09 setembro, 2013

Pétala nº 469

“… havia que maquilhar o passado, inventar a toda a pressa um presente e projectar um futuro tão falso como esplendoroso.”
 
María Dueñas, escritor espanhola (1964-), in “O tempo entre costuras”, Porto Editora, 2010

08 setembro, 2013

Pétala nº 468

“A única verdade é a realidade”.

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

07 setembro, 2013

Pétala nº 467

“Os velhos não enchem a própria pele”.

Ian McEwan, escritor britânico (1948-), in “Mel”, Ed. Gradiva, 2012

06 setembro, 2013

Pétala nº 466

“Às vezes, dou comigo a ter pena de mim mesmo e, nesses momentos, a minha alma vagueia pelos céus ao sabor dos ventos.”
 
 Palavras sábias do povo Ojibwe.

05 setembro, 2013

Pétala nº 465

“A realidade nem sempre é classe média”.

Ian McEwan, escritor britânico (1948-), in “Mel”, Ed. Gradiva, 2012

04 setembro, 2013

Pétala nº 464

“Cada fracasso ensina ao homem que tem algo a aprender.”

Charles Dickens, escritor inglês (1812-70)

03 setembro, 2013

Pétala nº 463

“Concentre-se no futuro que gostaria de ter em vez de no passado ou no presente, de que não gosta.”

Bill O’Hanlon, psicoterapeuta americano, in “Pequenos passados para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

02 setembro, 2013

Pétala nº 462

“Um boletim de voto tem mais força que um tiro de espingarda.”
ABRAHAM LINCOLN, presidente dos Estados Unidos da América (1809-65)

01 setembro, 2013

Pétala nº 461

“Se não sabe para onde vai, acabará onde nem imagina.”
 
 Bill O’Hanlon, psicoterapeuta americano, in “Pequenos passados para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

31 agosto, 2013

Pétala nº 460

“A dívida é a mãe prolífica de loucuras e crimes.”

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

30 agosto, 2013

Pétala nº 459

“Deixe cair as lágrimas, porque estas permitem saber que está vivo”.

Bill O’Hanlon, psicoterapeuta americano, in “Pequenos passados para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

29 agosto, 2013

Pétala nº 458

“A cobardia é a mãe da crueldade.”

Michel de Montaigne, escritor francês (1533-92)

28 agosto, 2013

Pétala nº 457

“O passado exerce certamente influência sobre nós, mas não temos de deixar que escreva a história do nosso futuro, nem permitir que nos leve a actuar de determinada maneira no presente.”
 
Bill O’Hanlon, psicoterapeuta americano, in “Pequenos passados para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

27 agosto, 2013

Pétala nº 456

“Tenhas o que tiveres, gasta menos.”

Samuel Johnson, escritor britânico (1709-84)

26 agosto, 2013

Pétala nº 455

“Leio livros proibidos. Os livros são proibidos porque dizem a verdade…”
 
Máximo Gorki, escritor russo (1868-1936), in “A Mãe”, Ed. Europa-América, 1978

25 agosto, 2013

Pétala nº 454

“Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.”
 
Eça de Queirós, escritor português (1845-1900)

24 agosto, 2013

Pétala nº 453

"A sorte é o consolo dos que não sabem nada de estatísticas nem da teoria das probabilidades.”.
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

23 agosto, 2013

Pétala nº 452

“Há livros escritos para evitar espaços vazios na estante.”

Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro (1902-87)

22 agosto, 2013

Pétala nº 451

“O que é o tempo? Um acidente! O que é a vida? O tempo. O que é um acidente? Um vida, uma vida nova!”.
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

21 agosto, 2013

Pétala nº 450

“Engolimos de uma vez a mentira que nos adula e bebemos gota a gota a verdade que nos amarga.”

Denis Diderot, escritor francês (1713-84)

20 agosto, 2013

Pétala nº 449

“O amor mostra-nos o caminho, desembaraça-nos de toda a tralha da vida quotidiana e… acaba por nos conduzir rumo ao segredo da criação.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

19 agosto, 2013

Pétala nº 448

“O futuro é a nossa invenção de todos os dias”.

Francisco Assis, político português (1965-)

18 agosto, 2013

Pétala nº 447

“Esses óculos escuros não te fazem ver o mundo negro?”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

17 agosto, 2013

Pétala nº 446

“Interesso-me muito pelo futuro, porque é aí que vou passar o resto da minha vida.”
 
Charles F. Kettering, filósofo americano (1876-1958)

16 agosto, 2013

Pétala nº 445

“Por que é que se pensa com palavras, mas se sofre por causa de imagens?”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

15 agosto, 2013

Pétala nº 444

“Se deixarem fazer as perguntas erradas, não têm de se perturbar com as respostas.”
 
Thomas Pynchon, escritor americano ( 1937-)

14 agosto, 2013

Pétala nº 443

“O tempo é um grande ruído… O acidente é um destino… A vida é um livro…”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

13 agosto, 2013

Pétala nº 442

“Sabendo tecer, não desperdices o fio. Sabendo falar, não desperdices as palavras.”
 
Lao Zi, filósofo chinês.

12 agosto, 2013

Pétala nº 441

“… a memória – o mais precioso dos nossos tesouros.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

11 agosto, 2013

Pétala nº 440

“Quem conhece os outros é um sábio. Quem se conhece a si mesmo é um iluminado.”

Lao Zi, filósofo chinês.

10 agosto, 2013

Pétala nº 439

“Tanto eu como o universo fazemos perguntas: por que existimos, por que estamos aqui a esta hora, interrogamo-nos sobre qual é a nossa finalidade, o nosso desígnio mais importante. Não são muitos os mortais que comunicam com a natureza para reflectir sobre estas questões.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

09 agosto, 2013

Pétala nº 438

“Quantos mais erros faço mais esperta fico.”

Inês, 8 anos.

08 agosto, 2013

Pétala nº 437

“Quando as pessoas contemplam a natureza, encontram nela os seus próprios limites, as suas insuficiências, os seus medos…”.
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

07 agosto, 2013

Pétala nº 436

“Se queres ser feliz amanhã, tenta hoje mesmo”.

Lao Zi, filósofo chinês.

06 agosto, 2013

Pétala nº 435

“Um bom livro é algo que nos lembra o mundo inteiro.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

05 agosto, 2013

Pétala nº 434

“Se o dinheiro pequeno não sair, o dinheiro grande não entrará.”

Provérbio chinês.

04 agosto, 2013

Pétala nº 433

“Não tenhas pena de ti mesmo. Não imagines que a tua pessoa e a tua vida são únicas."
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

03 agosto, 2013

Pétala nº 432

“Um homem que não tenha uma cara sorridente não deve abrir uma loja.”
 
Provérbio coreano.

02 agosto, 2013

Pétala nº 431

“O que é o Amor? Amor significa Submissão. O Amor é a causa do Amor. Amor é compreensão. Amor é Música. O Amor e o coração cheio de nobreza são a mesma coisa. Amor é a poesia da tristeza. O Amor é o reflexo no espelho da alma frágil. O Amor é efémero. Amor é nunca lamentar. O Amor é uma cristalização. O Amor é dar. O amor é partilhar uma barra de pastilha elástica. Com o Amor nunca se sabe. Amor é uma palavra vazia de sentido. O Amor é chegar a Deus. Amor é sofrimento. Amor é o encontro com o Anjo. Amor é o universo inteiro. Amor é dar as mãos na sala e cinema. Amoré embriaguez. O Amor é um monstro. O Amor é cego. Amor é escutar a voz do coração. O Amor é um silêncio sagrado. O Amor é o tema das canções. O Amor é bom para a pele.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

01 agosto, 2013

Pétala nº 430

“Eu não procuro. Encontro.”

Pablo Picasso, pintor espanhol (1881-1973)

31 julho, 2013

Pétala nº 429

“O Amor é a necessidade de abraçar com muita força alguém e de querer estar sempre a seu lado. É o desejo de esquecer o mundo exterior quando se abraça esse alguém. É o desejo de descobrir um refúgio seguro para a alma.”
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

30 julho, 2013

Pétala nº 428

“O dinheiro tem muitas vezes um preço demasiado alto.”

Ralph Waldo Emerson, escritor americano (1803-1882)

29 julho, 2013

Pétala nº 427

“O cérebro é um espelho e reflete o mundo”.
 
Saul Bellow, escritor americano (1915-2005), in “Ravelstein", Ed. Teorema, 2001
Prémio Nobel de Literatura, 1976

28 julho, 2013

Pétala nº 426

“O papa é um ídolo a quem se atam as mãos e se beijam os pés.”
 
Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

27 julho, 2013

Pétala nº 425

“O silêncio é uma resposta demolidora”.

Marco Aurélio, imperador romano (121-180)

26 julho, 2013

Pétala nº 424

“Ao vencermos sem perigo, triunfamos sem glória.”

Pierre Corneille, dramaturgo francês (1606-1684)

25 julho, 2013

Pétala nº 423

“Com as palavras todo o cuidado é pouco, mudam de opinião como as pessoas.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “As intermitências da morte”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

24 julho, 2013

Pétala nº 422

“Roubado que não dá pela coisa furtada é quem, afinal, não foi roubado em nada.”
 
William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

23 julho, 2013

Pétala nº 421

“… de deus e da morte não se têm contado senão histórias…”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “As intermitências da morte”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

22 julho, 2013

Pétala nº 420

“Servir só para si é não servir para nada”.

Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

21 julho, 2013

Pétala nº 419

“Momentos de fraqueza na vida qualquer um os poderá ter, e, se hoje passámos sem eles, tenhamo-los por certos amanhã.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “As intermitências da morte”, Ed. Caminho, 2005
Prémio Nobel de Literatura, 1998

20 julho, 2013

Pétala nº 418

"Apaixone-se por si próprio e viverá um romance para toda a vida.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

19 julho, 2013

Pétala nº 417

“Deixa cair as lágrimas porque estas permitem saber que está vivo.”
Bill O’Hanlon, terapeuta comportamental, in “Pequenos passos para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

18 julho, 2013

Pétala nº 416

“Sócrates afirmou que a vida não examinada não vale a pena ser vivida, mas a vida (sobre)examinada faz com que se deseje a morte. Dada a alternativa, prefiro viver.”
 
Saul Bellow, escritor judeu, nascido no Canadá (1915-2005)
Prémio Nobel de Literatura, 1976

17 julho, 2013

Pétala nº 415

“É preciso aceitarmo-nos e conhecermos os nossos pensamentos, sentimentos e desejos.”
 
Bill O’Hanlon, terapeuta comportamental, in “Pequenos passos para mudar a sua vida”, Ed. Casa das Letras, 2008

16 julho, 2013

Pétala nº 414

“Cultura é o sistema de ideias vivas que cada época possui. Melhor: o sistema de ideias das quais o tempo vive.”
 
José Ortega Y Gasset, filósofo espanhol (1883-1955)

15 julho, 2013

Pétala nº 413

“As pessoas não abandonam uma relação de amor verdadeiro a não ser que estejam inconscientes.”
 
Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “A divina sabedoria dos mestres”, Ed. Pergaminho, 2000

14 julho, 2013

Pétala nº 412

“As oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas.”

Sun Tzu, filósofo chinês (544-456 a.C.)

13 julho, 2013

Pétala nº 411

“Ame-se a si próprio. Não se preocupe com as opiniões dos outros.”
 
Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “O passado cura”, Ed. Pergaminho, 1999

12 julho, 2013

Pétala nº 410

“A crise de hoje é a anedota de amanhã.”

Henry J. Wells, escritor inglês (1866-1946)

11 julho, 2013

Pétala nº 409

“O dinheiro é neutro, não é bom, nem mau. Aquilo que fazemos com o dinheiro é que importa.”
 
Brian L. Weiss, psiquiatra americano, especialista em terapia de vidas passadas (1944-), in “O passado cura”, Ed. Pergaminho, 1999

10 julho, 2013

Pétala nº 408

“A chave de todas as ciências é inegavelmente o ponto de interrogação.”

Honoré de Balzac, escritor francês (1799-1850)

09 julho, 2013

Pétala nº 407

“Por mais satisfatória que seja uma relação a nível emocional e sexual, a falta de dinheiro pode afectar e minar, pouco a pouco, até a maior paixão.”
 
Laura Esquivel, escritora mexicana (1950-), in “Tão veloz como o desejo”, ed. Asa, 2001

08 julho, 2013

Pétala nº 406

“As palavras não são importantes por aí além… Nenhuma relação se alimenta de palavras. Ninguém se transforma só com palavras. Ninguém se torna sábio, unicamente, através das palavras. As palavras são instrumentos: servem para vestir o que sentimos e os raciocínios que fazemos.”
 
 Eduardo Sá, psicólogo português.

07 julho, 2013

Pétala nº 405

“… a perfeição é alcançada não quando nada mais há a acrescentar, mas quando nada mais há a suprimir.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

06 julho, 2013

Pétala nº 404

“Ama-se enquanto se ama, eis tudo. E quando já não se ama, amou-se.”
 
Paul Magueritte, escritor francês (1860-1918)

05 julho, 2013

Pétala nº 403

“Se à primeira vista o deserto não passa de um espaço vazio e silêncio, é porque ele não se entrega aos amantes de um só dia.”

Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

04 julho, 2013

Pétala nº 402

“A saudade é como o banho da fotografia: vira as imagens impressas no nosso coração.”
 
Autor desconhecido.

03 julho, 2013

Pétala nº 401

“A realidade perde terreno perante o sonho…”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

02 julho, 2013

Pétala nº 400

“Quando um jovem morre, é como se houvesse um naufrágio. Quando morre um velho, é como se o navio chegasse ao porto.”
 
Plutarco, historiador romano (45 dC-120 dC)

01 julho, 2013

Pétala nº 399

“O essencial não o podemos prever. Todos temos conhecido as alegrias mais intensas, quando coisa alguma no-las prometia.”

Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

1º aniversário do meu baú de memórias

 

30 junho, 2013

Pétala nº 398

“A poesia é uma água à qual podemos pedir a sede”.

Jean-Yves Masson, escritor francês (1962-)

29 junho, 2013

Pétala nº 397

“Amar não é de modo algum olharmos uns para os outros, mas antes olharmos juntamente na mesma direcção.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

28 junho, 2013

Pétala nº 396

“Nos rios, a água que tocamos é a última que passou e a primeira da que está chegando: o mesmo acontece com o tempo presente.”
 
Leonardo da Vinci, cientista, inventor, pintor, escritor italiano (1452-1519)

27 junho, 2013

Pétala nº 395

“A verdade não é de forma nenhuma o que se demonstra é aquilo que simplifica.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

26 junho, 2013

Pétala nº 394

“Quem sabe amar sabe morrer.”

Victor Hugo, escritor francês (1802-85)

25 junho, 2013

Pétala nº 393

“Porquê odiarmos? Solidários somos, transportados pelo mesmo planeta, tripulação da mesma nave. E se é bom que as civilizações se defrontem a fim de fomentarem sínteses novas, monstruoso é elas devorarem-se mutuamente.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

24 junho, 2013

Pétala nº 392

“O homem pode tanto quanto sabe.”
 
Francesco Bacone, filósofo inglês (1561-1626)

23 junho, 2013

Pétala nº 391

“A verdade para o homem é aquilo que faz dele um homem.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

22 junho, 2013

Pétala nº 390

“Passe ou não passe por ti o tempo, serás jovem enquanto confundires a verdade com os sonhos, medires o teu entusiasmo pelos teus desejos e colheres alegrias nas tuas esperanças.”
 
Autor desconhecido.

21 junho, 2013

Pétala nº 289

“Só o espírito, quando sopra sobre a argila, pode criar o Homem.”
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

20 junho, 2013

Pétala nº 288

“A poesia e a arte em geral foi, é e sempre será, na forma mais pura e estrita, um problema do indivíduo”.
 
E.E. Cummings, poeta inglês (1894- 962)

19 junho, 2013

Pétala nº 287

"… os bens da terra escapam-se-nos por entre os dedos como a areia fina do deserto."
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

18 junho, 2013

Pétala nº 286

“A poesia é qualquer coisa que pode significar uma mudança na respiração.”
 
Paul Celan, poeta alemão (1920-70)

17 junho, 2013

Pétala nº 285

"… só há uma verdadeira riqueza: a das relações humanas."
 
Antoine de Saint-Exupéry, escritor-aviador francês (1900-44), in “Terra dos homens”, Ed. Vega, 1995

16 junho, 2013

Pétala nº 284

“Uma grande dor não se apaga. Mas se atenua, se modifica através do tempo, numa grande e enriquecedora experiência.”
 
Autor desconhecido.

15 junho, 2013

Pétala nº 283

“Aprende antes de morrer.”

Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “A mancha humana”, Ed. D. Quixote, 2004

14 junho, 2013

Pétala nº 282

“O amor recíproco entre quem aprende e quem ensina é o primeiro e mais importante degrau para se chegar ao conhecimento.”
 
Erasmo, humanista holandês (1469-1536)

13 junho, 2013

Pétala nº 281

“…compreender as pessoas não tem nada a ver com a vida. O não as compreender é que é a vida, não compreender as pessoas, não as compreender, e depois, depois de muito repensar, voltar a não as compreender. É assim que sabemos que estamos vivos: não compreendemos.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Pastoral americana”, Ed. D. Quixote, 1999

12 junho, 2013

Pétala nº 280

“A partir do momento em que o homem pratica o crime, entra-lhe o castigo no coração.”
 
Hesíodo, poeta da Grécia Antiga (séc. 7 a.C.)

11 junho, 2013

Pétala nº 279

“Falemos um pouco mais da morte e do desejo – compreensivelmente quando se envelhece um desejo desesperado – de iludir a morte, de lhe resistir, de recorrer a todos os meios para se ver a morte de qualquer forma desde que não com clareza.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Pastoral americana”, Ed. D. Quixote, 1999

10 junho, 2013

Pétala nº 278

“O maior erro que podemos cometer é estarmos constantemente a recear cometer algum erro.”
 
Autor desconhecido.

09 junho, 2013

Pétala nº 277

“Que necessidade tem um homem de ver o seu rumo, se afinal de contas não há modo de lhe fugir?”
 
Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933- ), in “Nas trevas exteriores”, Ed. Relógio d’Água, 2011

08 junho, 2013

Pétala nº 276

“Desventurado é aquele que por tal se julga.”
 
Séneca, filósofo da Roma Antiga (-4/65)

07 junho, 2013

Pétala nº 275

“A tragédia do homem que não está preparado para a tragédia – é esta a tragédia de todos os homens.”

Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Pastoral americana”, Ed. D. Quixote, 1999

06 junho, 2013

Pétala nº 274

“A imprensa é a imensa e sagrada locomotiva do progresso.”
 
Victor Hugo, escritor francês (1802-1885)

05 junho, 2013

Pétala nº 273

“Acho que as pessoas sãs as mesmas desde o dia em que Deus fez a primeira”.
 
Cormac McCarthy, escritor norte-americano (1933- ), in “Filho de Deus”, Ed. Relógio d’Água, 1994

04 junho, 2013

Pétala nº 272

“Os homens preferem geralmente o engano, que os tranquiliza, à incerteza, que os incomoda.”
 
Mariano da Fonseca, escritor e filósofo brasileiro (1773-1848)

03 junho, 2013

Pétala nº 271

“… fui prescindindo, prescindindo, prescindindo sempre até que descobri na solidão uma espécie de liberdade…”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “O fantasma sai de cena”, Ed. D. Quixote, 2008

02 junho, 2013

Pétala nº 270

“Há muitas razões para duvidar e uma só para crer.”
 
Carlos Drummond de Andrade, escritor e poeta brasileiro (1902-1987)

01 junho, 2013

Pétala nº 269

“O homem que tem o domínio das palavras, o homem que toda a sua vida inventa histórias, acaba, depois de morto, por ser lembrado, quando muito, por uma história inventada a seu respeito.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “O fantasma sai de cena”, Ed. D. Quixote, 2008

31 maio, 2013

Pétala nº 268

“A calúnia é como o carvão: se não queima, suja.”

Autor desconhecido.

30 maio, 2013

Pétala nº 267

“A melhor maneira de sermos enganados é julgarmo-nos mais espertos do que os outros.”
 
La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

29 maio, 2013

Pétala nº 266

“Ser feliz é não ter de recordar.”
 
J.M.G. Le Clézio, escritor francês (1940-), in “A música da fome”, Ed. Dom Quixote, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 2008

28 maio, 2013

Pétala nº 265

“Caso um homem tenha pouca imaginação para arranjar provas para a mentira, deve então dizer, de imediato, a verdade.”
 
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

27 maio, 2013

Pétala nº 264

“A vida é um saco muito pesado.”

J.M.G. Le Clézio, escritor francês (1940-), in “A música da fome”, Ed. Dom Quixote, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 2008

26 maio, 2013

Pétala nº 263

“Não incorras na covardia a respeito dos teus próprios actos. Não os repudies depois de consumados.”
 
Autor desconhecido.

25 maio, 2013

Pétala nº 262

“Não escolhemos a nossa história. Esta apresenta-se-nos sem que a procuremos, e não podemos, não devemos rejeitá-la.”
 
J.M.G. Le Clézio, escritor francês (1940-), in “A música da fome”, Ed. Dom Quixote, 2009
Prémio Nobel de Literatura ,2008

24 maio, 2013

Pétala nº 261

“O despotismo impressiona pela estupidez do estilo”.

Stendhal, escritor francês (1783-1842)

23 maio, 2013

Pétala nº 260

“Tentar fugir do casamento é um ingrediente do casamento. Já vi alguns em que é mesmo o ingrediente vital que o mantém vivo.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “Engano”, Ed. D. Quixote, 2013

22 maio, 2013

Pétala nº 259

“Devemos aceitar o que é impossível deixar de acontecer.”
 
William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

21 maio, 2013

Pétala nº 258

“Diz-se que o asno é teimoso como um burro quando afinal do que se trata é de um problema de comunicação, como tantas vezes sucede até entre os homens.”

José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Caim”, Ed. Caminho, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 1998

20 maio, 2013

Pétala nº 257

“As casas são construídas para que se viva nelas, não para serem olhadas.”
 
Francis Bacon, filósofo inglês (1561-1626)

19 maio, 2013

Pétala nº 256

“O caminho do engano nasce estreito, mas sempre encontrará quem esteja disposto a alargá-lo.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Caim”, Ed. Caminho, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 1998

18 maio, 2013

Pétala nº 255

“Possuir é perder. Sentir sem possuir é guardar, porque é extrair de uma coisa a sua essência”.
 
Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935)

17 maio, 2013

Pétala nº 254

“O futuro já está escrito, o que nós não sabemos é ler-lhe a página.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Caim”, Ed. Caminho, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 1998

16 maio, 2013

Pétala nº 253

“Ideias genéricas e uma grande presunção estão sempre em via de causar uma terrível desgraça.”
 
Goethe, escritor alemão (1749-1832)

15 maio, 2013

Pétala nº 252

“A história dos homens é a história dos seus desentendimentos com deus, nem ele nos entende a nós, nem nós o entendemos a ele.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Caim”, Ed. Caminho, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 1998

14 maio, 2013

Pétala nº 251

“Pode ser um defeito meu, mas não me preocupam muito os pecados dos outros, excetuando aqueles que me afetam pessoalmente".
 
Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

13 maio, 2013

Pétala nº 250

“Nos pormenores é que está o sal.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Caim”, Ed. Caminho, 2009
Prémio Nobel de Literatura, 1998

12 maio, 2013

Pétala nº 249

“A justiça pode caminhar sozinha; a injustiça precisa sempre de muletas, de argumentos.”
 
Nicolae Iorga, historiador romeno (1871-1940)

11 maio, 2013

Pétala nº 248

“Quando uma relação termina… não é sobre quem se ama que aprendemos. Aprendemos sobre nós.”
 A.D. MILLER, escritor inglês (1974-), in “Quando a neve começa a derreter”, Ed. Civilização, 2011

10 maio, 2013

Pétala nº 247

“O que é o tempo? Um acidente! O que é a vida? O tempo. O que é um acidente? Um vida, uma vida nova!”.
 
Orhan Pamuk, escritor turco (1952-), in “A vida nova”, Ed. Presença, 2006
Prémio Nobel de Literatura 2006

09 maio, 2013

Pétala nº 246

“Convida um porco para jantar e ele há-de pôr as patas em cima da mesa”.
 A.D. MILLER, escritor inglês (1974-), in “Quando a neve começa a derreter”, Ed. Civilização, 2011

08 maio, 2013

Pétala nº 245

“Na vida nunca se deveria cometer duas vezes o mesmo erro. Há bastante por onde escolher.”
 
Bertrand Russell, filósofo inglês (1872-1970)

07 maio, 2013

Pétala nº 244

“Só nas ratoeiras é que há queijo à borla”.
 A.D. MILLER, escritor inglês (1974-), in “Quando a neve começa a derreter”, Ed. Civilização, 2011


06 maio, 2013

Pétala nº 243

“Há péssimas qualidades que fazem grandes talentos”.
 
La Rochefoucauld, escritor francês (1613-1680)

05 maio, 2013

Pétala nº 242

“Não há limites para as ocorrências de problemas.”
 
David Grossman, escritor israelita (1954-), in “Até ao fim da terra”, Ed. Dom Quixote, 2012

04 maio, 2013

Pétala nº 241

“Nenhuma fronteira é mais tentadora ao contrabando do que a idade.”
 
Robert Musil, escritor austríaco (1880-1942)

03 maio, 2013

Pétala nº 340

“Logo que a busca de sentido de um indivíduo tem sucesso, isso não só o torna feliz como lhe dá a capacidade de lidar com o sofrimento.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

02 maio, 2013

Pétala nº 339

“Aquele que tem uma razão para viver pode suportar quase tudo.”
 
Friedrich Nietzsche, filósofo alemão (1844-1900)

01 maio, 2013

Pétala nº 338

“A salvação dos homens consegue-se no amor e pelo amor.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

30 abril, 2013

Pétala nº 337

“Como o mundo podia ser bonito!”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

29 abril, 2013

Pétala nº 336

“As nossas caras são verdadeiras máscaras que nos foram dadas para ocultarem os pensamentos”.
Oscar Wilde, escritor irlandês (1854-1900)

28 abril, 2013

Pétala nº 335

“Vida - não significa algo vago, mas sim algo muito real e concreto, assim como os desafios da vida são também muito reais e concretos.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

27 abril, 2013

Pétala nº 334

“Aquilo que não me mata torna-me mais forte.”

Friedrich Nietzsche, filósofo alemão (1844-1900)

26 abril, 2013

Pétala nº 333

“A vida significa, em última instância, assumir a responsabilidade de encontrar a resposta adequada aos seus problemas e ultrapassar os desafios que constantemente apresenta a cada indivíduo.
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

25 abril, 2013

Pétala nº 332

"Não se pode apontar uma estrela a alguém sem lhe pousar a outra mão no ombro.”
 
Samech Yizhar, escritor israelita (1916-2006)

24 abril, 2013

Pétala nº 331

“Ter sido é também uma forma de ser, e talvez das mais seguras.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

23 abril, 2013

Pétala nº 330

“Grava-me como selo no teu coração, porque forte como a morte é o amor”.
 
Bíblia Sagrada, Cântico dos Cânticos 8.6

22 abril, 2013

Pétala nº 329

“A vida num campo de concentração rasgava a alma humana e expunha as suas profundezas.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

21 abril, 2013

Pétala nº 328

“Verifica se o que prometes é justo e possível, pois promessa é dívida.”
 
Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

20 abril, 2013

Pétala nº 327

“O corpo tem menos inibições do que o espírito.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

19 abril, 2013

Pétala nº 326

“Olho por olho, e o mundo acabará cego.”
Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

18 abril, 2013

Pétala nº 325

“O optimismo não é algo que possa ser controlado ou requisitado. Uma pessoa não pode sequer ser optimista de forma indiscriminada, contra tudo e todos, contra qualquer esperança.”
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

17 abril, 2013

Pétala nº 324

“Há só uma coisa que eu temo: não ser digno dos meus sofrimentos.”
 
Fiódor Dostoiévski, escritor russo (1821-81)

16 abril, 2013

Pétala nº 323

“Não se pode escrever de estômago vazio por mais que se tente.”
 
Knut Hamsun, escritor norueguês (1859-1952), in “Fome”, Ed. Cavalo de ferro, 2010
Prémio Nobel de Literatura 1920

15 abril, 2013

Pétala nº 322

“O tédio é um tecido cinzento e quente, forrado por dentro com a seda das cores mais variadas e vibrantes. Nele nós nos enrolamos quando sonhamos.”
 
Walter Benjamim, filósofo alemão (1892-1940)

14 abril, 2013

Pétala nº 321

“O amor é o supremo e mais elevado objetivo a que o Homem pode aspirar.”
 
Viktor E. Frankl, psiquiatra austríaco (1905-97), in “O homem em busca de um sentido”, Ed. Lua de papel, 2012

13 abril, 2013

Pétala nº 320

“A gente tem que sonhar, senão as coisas não acontecem.”
 
Oscar Niemeyer, arquitecto brasileiro (1907-2012)

12 abril, 2013

Pétala nº 319

“A poesia (a verdadeira poesia) é assim: deixa-se pressentir, anuncia-se no ar, como os terramotos…”
 
Roberto Bolaño, escritor chileno (1953-2003), in “Os detectives selvagens”, Ed. Teorema, 2008

11 abril, 2013

Pétala nº 318

“Não ir ao teatro é como fazer a toilete sem espelho”.
 
Arthur Schopenhauer, filósofo alemão (1788-1860)

10 abril, 2013

Pétala nº 317

“O que é a vida humana senão um cordão de sofrimento que penduramos ao pescoço?”
 
Philippe Claudel, escritor francês (1962-) , in “A neta do Senhor Linh”, Ed. ASA, 2006

09 abril, 2013

Pétala nº 316

“A cultura não se herda, conquista-se.”
 
André Malraux, escritor francês (1901-76)

08 abril, 2013

Pétala nº 315

“Quando somos novos, o que interessa é a parte de fora do corpo, o nosso aspecto exterior. Quando envelhecemos, o que interessa é o que está cá dentro, e deixamos de nos preocupar com a aparência.”
 
Philip Roth, escritor norte-americano (1933-), in “O animal moribundo”, Ed. D. Quixote, 2006

07 abril, 2013

Pétala nº 314

“Se você pode sonhar, você pode fazer.”
 
Walt Disney, produtor cinematográfico norte-americano (1901-1966)