31 janeiro, 2013

Pétala nº 248

“O passado alimenta-se dos minutos presentes”.

Sacha Guitry, actor e cineasta russo (1885-1957)

30 janeiro, 2013

Pétala nº 247

“Eu estou sempre contente. Mas por vezes, esqueço-me disso.”
 
Jennifer Egan, escritora americana (1962-), in “A visita do brutamontes”, Ed. Quetzal, 2012

29 janeiro, 2013

Pétala nº 246

“O conselho raramente é bem recebido e quem mais necessita dele é quem menos o aprecia.”
Philip Chesterfield, escrior inglês (1694-1773)

28 janeiro, 2013

Pétala nº 245

“Há histórias de toda a espécie. Algumas nascem ao ser contadas, a sua substância é a linguagem e antes que alguém as ponha em palavras são apenas uma emoção, um capricho da mente, uma imagem ou uma reminiscência intangível.
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “Contos de Eva Luna”, Ed. Difel, 1990

27 janeiro, 2013

Pétala nº 244

“Aos deuses peço só que me concedam o nada lhes pedir.”
 
José Saramago, escritor português (1922-20109), in “O ano da morte de Ricardo Reis”, Ed. Caminho, 1984
Prémio Nobel de Literatura, 1998

Pétala nº 243

“Não é fácil ter paciência diante dos que têm excesso de paciência”.

Carlos Drummond de Andrade, escritor brasileiro (1902-1987)

26 janeiro, 2013

Pétala nº 242

“Há uma fronteira muito estreita entre pensar-se em alguém e pensar-se em não se pensar em alguém”.
 
Jennifer Egan, escritora americana (1962-), in “A visita do brutamontes”, Ed. Quetzal, 2012

25 janeiro, 2013

Pétala nº 241

“Não há comparação entre o que se perde por fracassar e o que se perde por não tentar.”
Francis Bacon, filósofo inglês (1561-1626)

24 janeiro, 2013

Pétala nº 240

“- Conta-me um conto.
- Como queres que ele seja?
- Conta-me um conto que nunca contasses a ninguém.”
 
Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “Contos de Eva Luna”, Ed. Difel, 1990

23 janeiro, 2013

Pétala nº 239

“O discernimento consiste em saber até onde se pode ir”.
 
Jean Cocteau, realizador francês (1889-1963)

22 janeiro, 2013

Pétala nº 238

“O tempo é um brutamontes, não é? Tu vais deixar que esse brutamontes faça de ti o que quiser?”
 
Jennifer Egan, escritora americana (1962-), in “A visita do brutamontes”, Ed. Quetzal, 2012

21 janeiro, 2013

Pétala nº 237

“Ninguém é tão ignorante que não tenha algo a ensinar. Ninguém é tão sábio que não tenha algo a aprender.”
 
Blaise Pascal, filósofo francês (1623-1662)

20 janeiro, 2013

Pétala nº 236

“Tudo é relativo. Um cabelo numa tigela de sopa é de mais, um cabelo na cabeça não é suficiente.”
 
Owen Matthews, escritor inglês (1971-), in “Filhos de Estaline”, Ed. Dom Quixote, 2008

19 janeiro, 2013

Pétala nº 235

“Quando viajo, o que mais me importa são as pessoas, porque só falando com elas se conhece o ambiente”.
 
Camilo José Cela, escritor espanhol (1916-2002)

18 janeiro, 2013

Pétala nº 234

“Não temos o direito de ser fracos. A vida esmaga-nos num segundo e ninguém ouvirá os nossos gritos.”
 
Owen Matthews, escritor inglês (1971-), in “Filhos de Estaline”, Ed. Dom Quixote, 2008

17 janeiro, 2013

Pétala nº 233

“Acredito numa coisa apenas: o poder da vontade humana.”

Josef Stalin, político russo (1879-1953)

16 janeiro, 2013

Pétala nº 232

“Chega-se a ser grande por aquilo que se lê e não por aquilo que se escreve”.
 
Jorge Luís Borges, escritor argentino (1899-1986)

15 janeiro, 2013

Pétala nº 231

“O nosso território não é a nossa família ou o nosso país. É a nossa cabeça. Nós pertencemos aos nossos pensamentos.”
 
Dulce Maria Cardoso, escritora portuguesa (1964-)

14 janeiro, 2013

Pétala nº 230

“As cartas são um pedaço da nossa alma, não devem perder-se.”
 
Owen Matthews, escritor inglês (1971-), in “Filhos de Estaline”, Ed. Dom Quixote, 2008

13 janeiro, 2013

Pétala nº 229

“Uma nação vale pelos seus sábios, pelas suas escolas, pelos seus génios, pela sua literatura, pelos seus exploradores científicos, pelos seus artistas.”
 
Eça de Queirós, escritor português (1845-1900)

12 janeiro, 2013

Pétala nº 228

“Até amanhã. É interessante como levamos todos os dias da vida a despedir-nos, dizendo e ouvindo dizer até amanhã, e, fatalmente, em um desses dias, o que foi o último para alguém, ou já não está aquele a quem dissemos, ou já não estamos nós que o tínhamos dito.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a lucidez”, Ed. Caminho, 2004

11 janeiro, 2013

Pétala nº 227

“Quem sonha de dia, tem consciência de muitas coisas que escapam a quem sonha só de noite.”

Edgar Allan Poe, escritor norte-americano (1809-1849)

10 janeiro, 2013

Pétala nº 226

“Tenho medo da esperança. A esperança pode ser a pior das armadilhas."

Carla M. Soares, escritora portuguesa (1971-), in “Alma rebelde”, Porto Editora, 2012

09 janeiro, 2013

Pétala nº 225

"Cultura é o que fica depois de se esquecer tudo o que foi aprendido." 

André Maurois, escritor francês (1885-1967)

08 janeiro, 2013

Pétala nº 224

“Nascemos, e nesse momento é como se tivéssemos firmado um pacto para toda a vida, mas o dia pode chegar em que nos perguntemos Quem assinou isto por mim.”
 
José Saramago, escritor português (1922-2010), in “Ensaio sobre a lucidez”, Ed. Caminho, 2004
Prémio Nobel de Literatura 1998

07 janeiro, 2013

Pétala nº 223

 “Discordo do que dizes, mas até morrer vou defender o teu direito de o dizeres.”
 
Voltaire, escritor francês (1694-1778)

06 janeiro, 2013

Pétala nº 222

“A força interior advém do facto de nos agarrarmos à única pessoa que nos pode ajudar – nós!”

Sylvia Friedman, citado por Carolyn A. Bratton, escritora norte-americana, in “Gratidão”, Ed. Pergaminho, 2006

05 janeiro, 2013

Pétala nº 221

“O homem de bem exige tudo de si próprio; o homem medíocre espera tudo dos outros.”
 
Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

04 janeiro, 2013

Pétala nº 220

“A vida é um longo inverno, para quem não conhece o amor.”
 
Carla M. Soares, escritora portuguesa (1971-), in “Alma rebelde”, Porto Editora, 2012

03 janeiro, 2013

Pétala nº 219

“Se queres saber o valor do dinheiro, tenta pedi-lo emprestado.”
Benjamin Franklin, escritor e cientista norte-americano (1606-90)

02 janeiro, 2013

Pétala nº 218

“O primeiro passo para se conseguir o amor que se quer é apreciar-se o amor que se tem.”
 
Alan Cohen, citado por Carolyn A. Bratton, escritora norte-americana, in “Gratidão”, Ed. Pergaminho, 2006

01 janeiro, 2013

Pétala nº 217

“Só existem dois dias no ano em que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto, hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e, principalmente, viver.”
 
Dalai Lama, monge tibetano.