31 dezembro, 2016

Pétala nº 1680

“A tristeza é a dor silenciosa.” 

Santo António, citado por Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

30 dezembro, 2016

Pétala nº 1679

“O amor, para durar, reclama incerteza.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

29 dezembro, 2016

Pétala nº 1678

“A voz é a nossa alma.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

28 dezembro, 2016

Pétala nº 1677

“A imaginação contribui para um conhecimento vital e inteiro da vida.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

27 dezembro, 2016

Pétala nº 1676

“No fundo da existência apenas há o tédio e a fraqueza. Deus, ao criar o mundo, não conseguiu construir melhor.”

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

26 dezembro, 2016

Pétala nº 1675

“Acreditar em Deus é também imaginar Deus.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

25 dezembro, 2016

Pétala nº 1674

“As recordações pesam muito. É uma pena.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

24 dezembro, 2016

Pétala nº 1673

“Ao conhecimento do mal ou do bem absolutos não se chega sem a imaginação.” 

José Tolentino Mendonça, presbítero e poeta português (1965-)

23 dezembro, 2016

Pétala nº 1672

“Quando já não temos lar, o mundo torna-se muito pequeno.” 

Sándor Márai, escritor húngaro (1900-89), in “A gaivota”, Ed. D. Quixote, 2016

22 dezembro, 2016

Pétala nº 1671

“Os livros nas minhas estantes não me conhecem até eu os abrir.” 

Sócrates, filósofo da Grécia Antiga (-469/-399)

21 dezembro, 2016

Pétala nº 1670

“Ler começa com os olhos”.

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense(1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

20 dezembro, 2016

Pétala nº 1669

“Ler significa aproximarmo-nos de algo que está nesse momento em devir.”

Italo Carvino, escritor italiano nascido em Cuba (1923-85)

19 dezembro, 2016

Pétala nº 1668

“Um livro traz a sua própria história ao leitor.”

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

18 dezembro, 2016

Pétala nº 1667

“Ler para viver”

Gustave Flaubert, escritor francês (1821-80)

17 dezembro, 2016

Pétala nº 1666

“Lemos para compreender ou para começar a compreender. Não podemos deixar de ler. Ler, quase tanto como respirar, é uma das nossas funções vitais.” 

Alberto Manguel, escritor argentino-canadense (1948-), in “Uma história da leitura”, Ed. Presença, 1998

16 dezembro, 2016

Pétala nº 1665

“O homem requer sempre uma inatingível meta, uma esperança vã, um descontentamento, que o incite a caminhar para a frente.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

15 dezembro, 2016

Pétala nº 1664

“Não fugimos por mais que queiramos, à fraternidade universal. Amamo-nos todos uns aos outros, e a mentira é o beijo que trocamos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

14 dezembro, 2016

Pétala nº 1663

“O cinema é um modo divino de contar a vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

13 dezembro, 2016

Pétala nº 1662

“A mentira é simplesmente a linguagem ideal da alma.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

12 dezembro, 2016

^Pétala nº 1661

“A biblioteca é um lugar onde se pode perder a inocência sem perder a virgindade.” 

Germaine Greer, escritora australiana (1939-)

11 dezembro, 2016

Pétala nº 1660

“Escrevo e choro a minha infância perdida.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

10 dezembro, 2016

Pétala nº 1659

“A vida é uma combinação de magia e esparguete.”

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

09 dezembro, 2016

Pétala nº 1658

“A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para especial libertação.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

08 dezembro, 2016

Pétala nº 1657

“O amor eterno é de muito breve duração; podemos odiar eternamente, porém, amar eternamente, não.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

07 dezembro, 2016

Pétala nº 1656

“A amizade que se quebra e se retoma é como o caldo requentado.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

06 dezembro, 2016

Pétala nº 1655

“Hoje, cada qual precisa de uma virtude apenas: dinheiro. Tendo-a, possuem-se todas as outras.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

05 dezembro, 2016

Pétala nº 1654

“Há uma paixão nos homens que supera todas as outra: é a do desprezo.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

04 dezembro, 2016

Pétala nº 1653

“Não há fim. Não há nenhum começo. Existe apenas a infinita paixão da vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

03 dezembro, 2016

Pétala nº 1652

“A vida é assim, o peixe mau não tem espinhas e o bom está cheio delas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

02 dezembro, 2016

Pétala nº 1651

“O maior problema e o único que nos deve preocupar é vivermos felizes.”

Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

01 dezembro, 2016

Pétala nº 1650

“O amor vive de pequenos acontecimentos que dão grandes respostas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

30 novembro, 2016

Pétala nº 1649

“A fotografia é um segredo sobre um segredo. Quanto mais te diz, menos ficas a saber.” 

Diane Arbus, fotógrafa e escritora norte-americana (1923-71)

29 novembro, 2016

Pétala nº 1648

“A virtude cessa de existir quando deixa de se ignorar.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

28 novembro, 2016

Pétala nº 1647

“Não se é menos culpado não fazendo o que se deve fazer, do que fazendo o que não se deve fazer.”

Marco Aurélio, imperador da Roma Antiga, (121-180)

27 novembro, 2016

Pétala nº 1646

“A amizade sofre tanto com a ausência como com a presença demasiada.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

26 novembro, 2016

Pétala nº 1645

“Quem não pode o que quer, queira o que pode.” 

Leonardo da Vinci, cientista, inventor, pintor, escritor italiano (1452-1519)

25 novembro, 2016

Pétala nº 1644

“O mal executa-se no bem, e esse devora os seus próprios efeitos.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

24 novembro, 2016

Pétala nº 1643

“O que sabemos é uma gota de água; o que ignoramos é um oceano.” 

Isaac Newton, cientista inglês (1643-1727)

23 novembro, 2016

Pétala nº 1642

“Só a malícia é inteiramente leal e durável.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

22 novembro, 2016

Pétala nº 1641

“O falhanço é o condimento que dá sabor ao sucesso.” 

Truman Capote, escritor norte-americano (1924-84)

21 novembro, 2016

Pétala nº 1640

“A alma humana é feita de tal maneira que só partilha o que tem de pior.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Memórias laurentinas”, Guimarães Ed., 1996

20 novembro, 2016

Pétala nº 1639

“Os cidadãos de uma democracia não podem ser tratados como um corpo estranho, como intrusos, como gente de segunda ou “sob suspeita”. 

Pedro Mexia, poeta, cronista e crítico literário português (1972-)

19 novembro, 2016

Pétala nº 1638

“Sexo e morte: as portas de entrada e saída do mundo. Como nos estão indissoluvelmente associadas!” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel de Literatura, 1949

18 novembro, 2016

Pétala nº 1637

“Ser velho é como um avião a voar numa tempestade. Uma vez a bordo, não há nada que nos possa fazer parar.” 

Golda Meir, ex-primeira ministra de Israel (1898-1978)

17 novembro, 2016

Pétala nº 1636

“Porque é que um homem não pode ser muito feliz ou muito infeliz? É apenas uma espécie de mistura pálida entre ambos.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel de Literatura, 1949

16 novembro, 2016

Pétala nº 1635

“A palavra “impossível” é uma expressão infeliz: nada se pode esperar daqueles que a usam frequentemente.” 

Thomas Carlyle, historiador inglês (1795-1881)

15 novembro, 2016

Pétala nº 1634

“… não há nada semelhante a um coração jovem: a juventude não tem coração.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel da Literatura, 1949

14 novembro, 2016

Pétala nº 1633

“A ingratidão é o mais horrendo de todos os pecados.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-77)

13 novembro, 2016

Pétala nº 1632

“Aquele que beija e conta como foi não é lá grande cavalheiro.” 

William Faulkner, escritor americano (1897-1962), in “A recompensa do soldado”, Ed. Casa das Letras, 2010 
Prémio Nobel da Literatura, 1949

12 novembro, 2016

Pétala nº 1631

“A mudança é a lei da vida.”

John Fitzgerald Kennedy, estadista norte-americano (1917-63)

11 novembro, 2016

Pétala nº 1630

"A violência , seja qual for, foi sempre para mim uma forma esbugalhada da estupidez humana.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

10 novembro, 2016

Pétala nº 1629

“A maldade pode muitas vezes sacrificar-se a si mesma: é quando renuncia voluntariamente a uma vantagem pessoal para vantagem de outrem.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

09 novembro, 2016

Pétala nº 1628

“A alma humana é um abismo obscuro e viscoso, um poço que se não usa na superfície do mundo.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

08 novembro, 2016

Pétala nº 1627

“Devemos ir buscar a coragem ao nosso próprio desespero.” 

Séneca, filósofo e escritor da Roma Antiga (-4/65)

07 novembro, 2016

Pétala nº 1626

“Com um charuto caro e os olhos fechados é ser rico.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

06 novembro, 2016

Pétala nº 1625

“O governo mesmo quando perfeito, não passa de uma mal necessário; quando imperfeito, é um mal insuportável.” 

Thomas Paine, escritor e político inglês (1737-1809)

05 novembro, 2016

Pétala nº 1624

“Não choro por nada que a vida traga ou leve. Há porém páginas de prosa que me têm feito chorar.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

04 novembro, 2016

Pétala nº 1623

“Se não houvesse injustiça, ignorar-se-ia até o nome da justiça.”

Heraclito, filósofo pré-socrático (-535/-475)

03 novembro, 2016

Pétala nº 1622

“Gosto de dizer. Direi melhor: gosto de palavrar. As palavras são para mim corpos tocáveis, sereias visíveis, sensualidades incorporadas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

02 novembro, 2016

Pétala nº 1621

“O tempo é a substância com a qual estou acostumado.”
Jorge Luis Borges, escritor argentino (1899-1986)

01 novembro, 2016

Pétala nº 1620

“Tenho sono, muito sono, todo o sono!” 

 Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

31 outubro, 2016

Pétala nº 1619

“Eu acredito que as lágrimas foram dadas às mulheres para se rirem dos homens.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

30 outubro, 2016

Pétala nº 1618

“Não o prazer, não a glória, não o poder: a liberdade, unicamente a liberdade.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

29 outubro, 2016

Pétala nº 1617

“Uma verdade sem interesse pode ser eclipsada por uma mentira emocionante.” 

Aldous Huxley, escritor inglês (1894-1963)

28 outubro, 2016

Pétala nº 1616

“Adoramos a perfeição, porque a não podemos ter, repugná-la-íamos, se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

27 outubro, 2016

Pétala nº 1615

“Sofre mais aquele que espera sempre do que aquele que nunca esperou ninguém.” 

Pablo Neruda, poeta chileno (1904-73) 
Prémio Nobel de Literatura, 1871

26 outubro, 2016

Pétala nº 1614

“Os poetas comportam-se como se a verdade fosse eterna, e isso estreita os seus horizontes.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Florbela Espanca”, Guimarães Ed., 1976

25 outubro, 2016

Pétala nº 1613

“Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.”

Edmund Burke, escritor e político irlandês (1729-97)

24 outubro, 2016

Pétala nº 1612

“Não mentir, em amor, é conseguir uma íntima unidade que já não se chama amor.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Florbela Espanca”, Guimarães Ed., 1976

23 outubro, 2016

Pétala nº 1611

“Chorar sobre as desgraças passadas é a maneira mais segura de atrair outras.” 

William Shakespeare, dramaturgo e poeta inglês (1564-1616)

22 outubro, 2016

Pétala nº 1610

“… um miserável não se torna generoso com os anos… torna-se mais miserável.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

21 outubro, 2016

Pétala nº 1609

"Pior do que ciúme é a falta de ciúme.” 

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

20 outubro, 2016

Pétala nº 1608

“… a idade por si só não faz ninguém melhor nem mais sábio, simplesmente evidencia aquilo que as pessoas sempre foram.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

19 outubro, 2016

Pétala nº 1607

“Aquele que conhece as torturas do ciúme, não sente o ferrão de nenhuma outra dor.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

18 outubro, 2016

Pétala nº 1606

“Sem honra a vida teria muito pouco valor.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

17 outubro, 2016

Pétala nº 1605

“Creio que o medo é um sentimento saudável, indispensável, para se gozar a vida.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

16 outubro, 2016

Pétala nº 1604

“O amor e a amizade não envelhecem”. 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

15 outubro, 2016

Pétala nº 1603

“O êxito é fácil de obter. O difícil é merecê-lo.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

14 outubro, 2016

Pétala nº 1602

“Começámos a envelhecer no instante em que nascemos.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

13 outubro, 2016

Pétala nº 1601

“O segredo do sucesso é a constância do propósito.” 

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

12 outubro, 2016

Pétala nº 1600

“A vida é muito curta para sermos pontuais.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

11 outubro, 2016

Pétala nº 1599

“O homem vive de razão e sobrevive de sonhos.” 

Miguel de Unamunoensaísta, romancista, dramaturgo, poeta e filósofo espanhol (1864-1936)

10 outubro, 2016

Pétala nº 1598

“A velhice é o melhor momento para se ser e para fazer aquilo que nos apetece.” 

Isabel Allende, escrito ar chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

09 outubro, 2016

Pétala nº 1597

“A nossa vida é toda ela feita de acasos."

Vergílio Ferreira, escritor português (1916-96)

08 outubro, 2016

Pétala nº 1596

“Depende de nós que o amor seja secreto.”

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

07 outubro, 2016

Pétala nº 1595

“Nascemos para amar. O amor é o princípio da existência e o seu único fim.” 

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

06 outubro, 2016

Pétala nº 1594

“O casamento sem paixão é como a comida sem sal.” 

Isabel Allende, escritora chilena (1942-), in “O amante japonês”, Porto Editora, 2015

05 outubro, 2016

Pétala nº 1593

“Já vivi o suficiente para ver que a diferença provoca o ódio.” 

Stendhal, escritor francês (1783-1842)

04 outubro, 2016

Pétala nº 1592

“Não há felicidade senão com conhecimento.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

03 outubro, 2016

Pétala nº 1591

“De solidão, chega a do ventre que durou nove meses.” 

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

02 outubro, 2016

Pétala nº 1590

“Nunca amamos alguém. Amamos, tão-somente, a ideia que fazemos de alguém.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

01 outubro, 2016

Pétala nº 1589

“Só o que sabe é livre e mais livre é o que mais sabe. Só a cultura dá liberdade.” 

Miguel de Unamunoensaísta, romancista, dramaturgo, poeta e filósofo espanhol (1864-1936)

30 setembro, 2016

Pétala nº 1588

“Somos quem somos, e a vida é pronta e triste.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

29 setembro, 2016

Pétala nº 1587

“A calúnia nunca se farta.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

28 setembro, 2016

Pétala nº 1586

“Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já não o tenho.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

27 setembro, 2016

Pétala nº 1585

“O segredo da felicidade é encontrar a nossa alegria na alegria dos outros.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

26 setembro, 2016

Pétala nº 1584

“Viver é ser outro.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

25 setembro, 2016

Pétala nº 1583

“Educar a mente sem educar o coração, não é educação.” 

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

Pétala nº 1582

“A vida, seja ela qual for, é uma tragédia desde o início.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

23 setembro, 2016

Pétala nº 1581

“A desobediência é a verdadeira origem da liberdade. Os obedientes devem ser escravos.” 

Henry David Thoreau, poeta e filósofo norte-americano (1817-62)

22 setembro, 2016

Pétala nº 1580

“Há muitos sonhos que gostaríamos de ter. Sonhos que, de olhos abertos, desejamos intensamente e que, de olhos fechados, nunca aparecem.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

21 setembro, 2016

Pétala nº 1579

“É próprio da natureza humana, lamentavelmente, sentir necessidade de culpar os outros dos nossos desastres e das nossas desventuras.” 

Luigi Pirandello, escritor siciliano  (1867-1936)

20 setembro, 2016

Pétala nº 1578

“A ordem e o respeito (…) são as únicas coisas que permitem distinguir-nos dos animais.”

SusannaTamaro, escritora italiana (1957-), in “Um país para além do céu azul”, Ed. Presença, 2003

19 setembro, 2016

Pétala nº 1577

“Coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las.” 

Luís Vaz de Camões, poeta português (1524-80)

18 setembro, 2016

Pétala nº 1576

“Um génio não se nota na multidão. É calado e pouco interessante. Está todo ocupado a embeber-se como uma esponja de tudo quanto vê e ouve.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

17 setembro, 2016

Pétala nº1575

“O cinema é o modo mais directo de entrar em competição com Deus.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

16 setembro, 2016

Pétala nº 1574

“A segunda peste do mundo é a ingratidão. Ela deriva doutra peste, a primeira, que é a vaidade.”

 Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

15 setembro, 2016

Pétala nº 1573

“O medo é o pior dos conselheiros.”

Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

14 setembro, 2016

Pétala nº 1572

“Se não fosse a ingratidão, ninguém morria. Ela é que nos bebe a água do corpo e nos deixa secos.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

13 setembro, 2016

Pétala nº 1571

“A magia do primeiro amor está em ignorarmos que pode acabar um dia.” 

 Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

12 setembro, 2016

Pétala nº 1570

“… o tempo é uma ilusão e não existe verdadeiramente.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

11 setembro, 2016

Pétala nº 1569

“Sei que só há uma liberdade: a do pensamento.” 

Antoine de Saint-Exupéry, piloto e escritor francês (1900-44)

10 setembro, 2016

Pétala nº 1568

“O espírito da mulheres mede-se pela maldade que elas aguentam para com elas mesmas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

09 setembro, 2016

Pétala nº 1567

“A melhor saúde é não sentirmos a nossa saúde.” 

Jules Renard, escritor francês (1864-1910)

08 setembro, 2016

Pétala nº 1566

“… o amor é como um lenço fino, que ao acenar se esfarrapa.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

07 setembro, 2016

Pétala nº 1565

“Em arte tudo está naquele «nada».”

Liev Tolstói, escritor russo (1828-1910)

06 setembro, 2016

Pétala nº 1564

“Temei os que muito amam; eles são capazes de horríveis males e de incendiar o mundo”. 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

05 setembro, 2016

Pétala nº 1563

“Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.” 

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

04 setembro, 2016

Pétala nº 1562

“Quem se impressiona muito com uma paisagem está a esconder os seus desejos íntimos”.

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

03 setembro, 2016

Pétala nº 1561

“Há o bem e o mal: o primeiro depende de nós; nós dependemos do segundo.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

02 setembro, 2016

Pétala nº 1560

“Os erros são um ingrediente fundamental da vida, e nestas condições cometê-los significa que se está vivo e activo.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

01 setembro, 2016

Pétala nº 1559

“A única objetividade que eu conheço é a subjetividade.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

31 agosto, 2016

Pétala nº 1558

“Os erros não são algo de que devamos ter vergonha; todos os cometemos regularmente. Os erros são necessários para a nossa evolução; ajudam-nos a progredir, a ganhar novas capacidades e a aumentar os nossos conhecimentos.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

30 agosto, 2016

Pétala nº 1557

“É bom escrever porque reúne as duas alegrias: falar sozinho e falar a uma multidão." 

Cesare Pavese, escritor italiano (1908-50)

29 agosto, 2016

Pétala nº 1556

“O remorso é semelhante à preocupação – a única diferença é que actua ao contrário, levando-nos a estar ansiosos devido a algo que já aconteceu.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

28 agosto, 2016

Pétala nº 1555

"Perder-se é uma maneira de fazer novos caminhos e quebrar a rotina. Ninguém acha um atalho sem se perder antes.” 

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

27 agosto, 2016

Pétala nº 1554

“Não acredite em milagres; conte com eles.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

26 agosto, 2016

Pétala nº 1553

“Envelhecer é passar da paixão à compaixão.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

25 agosto, 2016

Pétala nº 1552

“A irritabilidade, a agressividade e a tendência para corar têm uma coisa em comum, são variantes do medo.”

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

24 agosto, 2016

Pétala nº 1551

“A liberdade nunca pode ser tomada por garantida. Cada geração tem de salvaguardá-la e ampliá-la.”

Nelson Mandela, estadista sul-africano (1918-2013) 
Prémio Nobel da Paz, 1993

23 agosto, 2016

Pétala nº 1550

“Amuar é uma forma de interromper a comunicação de modo a punir os outros por não nos darem o que queremos.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

22 agosto, 2016

Pétala nº 1549

“As lágrimas de piedade consolam quando é um amigo que as derrama.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-77)

21 agosto, 2016

Pétala nº 1548

“Quando se começa a viver no presente, em vez de no passado ou no futuro, descobrem-se muitas coisas que nos podem dar prazer.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

20 agosto, 2016

Pétala nº 1547

“Sem leitura não se pode escrever. Tampouco sem emoção, pois a literatura não é, certamente, um jogo de palavras. É muito mais. Eu diria que a literatura existe através da linguagem, ou melhor, apesar da linguagem."

Jorge Luis Borges, escritor argentino (1899-1986)

19 agosto, 2016

Pétala nº 1546

“Cada um de nós tem de trabalhar para conseguir a sua própria felicidade e o seu próprio êxito.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

18 agosto, 2016

Pétala nº 1545

“O segredo do êxito na vida consiste em aproveitar a ocasião que se depare.” 

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

17 agosto, 2016

Pétala nº 1544

“É a qualidade dos nossos pensamentos que determina a qualidade da nossa vida.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

16 agosto, 2016

Pétala nº 1543

“O mundo está cheio de pessoas com vontade: algumas com vontade de trabalhar e outras com vontade de as deixar trabalhar.” 

Robert Lee Frost, poeta norte-americano (1874-1963)

15 agosto, 2016

Pétala nº 1542

“A diferença entre pessoas com e sem êxito é que a primeira insiste e a segunda desiste.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

14 agosto, 2016

Pétala nº 1541

“O começo e o fim do amor defrontam-se um ao outro como enigmas.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

13 agosto, 2016

Pétala nº 1540

“A paixão é a arte do quotidiano.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

12 agosto, 2016

Pétala nº 1539

“Se é verdade que a religião por um lado liberta o homem do medo, por outro lado gere-o fortemente.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

11 agosto, 2016

Pétala nº 1538

“A verdade, seja a do mérito ou de qualquer outra coisa, causa medo.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

10 agosto, 2016

Pétala nº 1537

“Ter-se a consciência de que se é ignorante, constitui um grande passo na direcção da sabedoria.”

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

09 agosto, 2016

Pétala nº 1536

“A virtude é um crime que deixa vestígios.”  

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

08 agosto, 2016

Pétala nº 1535

“É mais fácil ser fiel a um restaurante do que a uma mulher.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

07 agosto, 2016

Pétala nº 1534

“… o que é afinal o amor senão um sem número de envenenamentos a que se resiste para experimentar outros mais letais?” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão", Guimarães Ed., 1991

06 agosto, 2016

Pétala nº 1533

“A indiferença é uma doença muito mais grave.” 

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

05 agosto, 2016

Pétala nº 1532

“Acusar os outros é a melhor maneira de nos livrarmos das nossas culpas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

04 agosto, 2016

Pétala nº 1531

“Não há ordem sem justiça.”

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

03 agosto, 2016

Pétala nº 1530

“O dinheiro paralisa o músculo do riso.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

02 agosto, 2016

Pétala nº 1529

“A indiferença silenciosa, grave, quase benévola, é a manifestação legítima da morte de toda a crença.”

Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

01 agosto, 2016

Pétala nº 1528

“O ciúme é um receio do prazer dos outros.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão", Guimarães Ed., 1991

31 julho, 2016

Pétala nº 1527

“A ignorância nunca resolve uma questão.” 

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81

30 julho, 2016

Pétala nº 1526

“O amor tem má memória”. 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Vale Abraão”, Guimarães Ed., 1991

29 julho, 2016

Pétala nº 1525

“Todos gostam do poder, mesmo quando não sabem o que fazer dele.” 

Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

28 julho, 2016

Pétala nº 1524

“O peso de sentir! O peso de ter de sentir.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

27 julho, 2016

Pétala nº 1523

"Alguém dentro de mim mente para me proteger."

Fabrício Carpinejar, poeta e jornalista brasileiro (1972-)

26 julho, 2016

Pétala nº 1522

“Para o homem vulgar, sentir e viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar e viver e sentir não é mais que o alimento de pensar.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

25 julho, 2016

Pétala nº 1521

“Todo o mal e amargura pode ser consolado com amor.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

24 julho, 2016

Pétala nº 1520

“Cada um tem a sua vaidade, e a vaidade de cada um é o seu esquecimento de que há outros com alma igual. A minha vaidade são algumas páginas, uns trechos, certas dúvidas.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

23 julho, 2016

Pétala nº 1519

"Os dias prósperos não chegam por acaso. Resultam de muito trabalho e persistência." 

Henry Ford, empresário norte-americano, fundador da Ford Motor Company (1863-1947)

22 julho, 2016

Pétala nº 1518

“… a Humanidade divide-se entre aqueles que sabem amar e aqueles que não sabem.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

21 julho, 2016

Pétala nº 1517

“Raramente confiamos naqueles que são melhores do que nós.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

20 julho, 2016

Pétala nº 1516

“A Humanidade divide-se entre aqueles que gostam de se meter na cama à noite e aqueles a quem ir dormir desassossega.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

19 julho, 2016

Pétala nº 1515

“Não existe testemunha mais terrível, acusador mais poderoso, do que a consciência que habita em nós.” 

Sófocles, poeta da Grécia Antiga (-496/-406)

18 julho, 2016

Pétala nº 1514

“A vida é tenaz. A vida teima cegamente em continuar a viver.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

17 julho, 2016

Pétala nº 1513

“As mulheres amam muito mais tempo antes de confessá-lo; os homens têm já deixado há muito de amar, quando continuam a confessá-lo ainda.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

16 julho, 2016

Pétala nº 1512

“… estamos mortos quando ninguém se preocupa connosco, quando ninguém nos vê, quando ninguém nos traz na memória… Aí, sim, morremos realmente.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

15 julho, 2016

Pétala nº 1511

“Não há que ter vergonha de preferir a felicidade.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

14 julho, 2016

Pétala nº 1510

“…às vezes a vida aperta tanto que não deixa lugar para respirar.”

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

13 julho, 2016

Pétala nº 1509

“A razão não nos diz que a guerra deve desaparecer um dia, mas diz-nos que devemos proceder como se a guerra devesse desaparecer.” 

Immanuel Kant, filósofo alemão (1724-1804)

12 julho, 2016

Pétala nº 1508

“Ah, o triste silêncio dos corpos fartos de se verem. Dos corpos que se ignoram por completo”. 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

11 julho, 2016

Pétala nº 1507

“Para se desprezar o dinheiro, é preciso justamente tê-lo, e muito.” 

Cesar Pavese, escritor italiano (1908-50)

10 julho, 2016

Pétala nº 1506

“Não há nudez mais absoluta que a dos corpos nus que não são capazes de comunicar.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

09 julho, 2016

Pétala nº 1505

“Há o bem e o mal: o primeiro depende de nós; nós dependemos do segundo.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

08 julho, 2016

Pétala nº 1504

“A mágoa possui uma carga magnética negativa, é como um íman que repele em vez de atrair.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

07 julho, 2016

Pétala nº 1503

“O absurdo é a razão lúcida que constata os seus limites.” 
ALBERTO CAMUSescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

06 julho, 2016

Pétala nº 1502

“Tudo o que aprendemos nas nossas vidas breves não é mais do que uma ninharia insubstancial arrancada à enormidade do que nunca saberemos.” 

Rosa Montero, escritora espanhola (1951-), in “Instruções para salvar o mundo”, Porto Ed., 2008

05 julho, 2016

Pétala nº 1501

“Todos os seres humanos têm três vidas: a pública, a privada e a secreta.” 

Gabriel García Márquez, escritor colombiano (1927-2014) 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

04 julho, 2016

Pétala nº 1500

“Um amigo falso e maldoso é mais temível que um animal selvagem; o animal pode ferir o seu corpo, mas um falso amigo irá ferir sua alma. 
BUDA, líder espiritual dos budistas (563aC-483 aC)”

03 julho, 2016

Pétala nº 1499

“Quem fica a olhar para trás, pensando no que aconteceu e não aconteceu, tem um grande passado pela frente.” 

Mário Sérgio Cortella, filósofo, escritor e professor brasileiro (1954-)

02 julho, 2016

Pétala nº 1498

“O mistério da vida dói-nos e apavora-nos de muitos modos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

01 julho, 2016

Pétala nº 1497

"Embora os meus olhos sejam os mais pequenos do mundo, o que importa é que eles vejam o que os homens são no fundo". 

António Aleixo, poeta português (1899-1949)

30 junho, 2016

Pétala nº 1496

“A história pertence aos que a prolongam, não aos que a sequestram.” 

Manuel Vázquez Montalbán, escritor espanhol (1939-2003)

29 junho, 2016

Pétala nº 1495

“A aparência não engana. Ou engana um olho desatento, ou engana quem quer deixar-se enganar.”

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

28 junho, 2016

Pétala nº 1494

“O homem seria digno de lástima se não se amasse a si mais do que ao próximo.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

27 junho, 2016

Pétala nº 1493

“Em geral o invejoso encobre a sua inveja com a máscara da justiça.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

26 junho, 2016

Pétala nº 1492

“A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe” 

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

25 junho, 2016

Pétala nº 1491

"Para se ser bem-sucedido numa dificuldade é preciso uma extraordinária motivação e uma enorme tenacidade.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

24 junho, 2016

Pétala nº 1490

"O talento ganha jogos, mas a inteligência e o trabalho em equipa ganham campeonatos.” 

Michael Jordan, ex-jogador profissional de basquetebol norte-americano (1963-)

23 junho, 2016

Pétala nº 1489

“A coragem é a virtude do começo. A paciência é a virtude do recomeço.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

22 junho, 2016

Pétala nº 1488

“A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota.” 

Jean-Paul Sartre, filósofo e escritor francês (1905-80)

21 junho, 2016

Pétala nº 1487

“Viver significa prever, calcular, dominar o stress.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

20 junho, 2016

Pétala nº 1486

“O olhar educa-se.”

António Filipe Pimentel, director do Museu Nacional de Arte Antiga, Portugal.

19 junho, 2016

Pétala nº 1485

“A verdadeira cultura, a útil, é sempre uma síntese entre o saber acumulado e a observação incansável da vida que é vivida.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

18 junho, 2016

Pétala nº 1484

“Ninguém pode achar que falhou a sua missão neste mundo, se aliviou o fardo de outra pessoa.”

Charles Dickens, escritor inglês (1812-70)

17 junho, 2016

Pétala nº 1483

“O jogo de futebol é uma metáfora da vida.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

16 junho, 2016

Pétala nº 1482

“Estou firmemente convencido que só se perde a liberdade por culpa da própria fraqueza.” 

Gandhi, líder espiritual indiano (1869-1948)

15 junho, 2016

Pétala nº 1481

”O vil é um medroso que esconde o seu medo. Face aos poderosos é servil, humilha-se.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

14 junho, 2016

Pétala nº 1480

“Aos amigos pede-se a verdade e o bom conselho, não o alarmismo e a crueldade.” 

 Pedro Mexia, poeta, cronista e crítico literário português (1972-)

13 junho, 2016

Pétala nº 1479

“O vil esconde o seu medo. Esconde-se e explora-o para tirar dele vantagens e poder, para fazer mal aos outros e ficar ele a ganhar.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

12 junho, 2016

Pétala nº 1478

“Não é o sofrimento das crianças que se torna revoltante em si mesmo, mas sim que nada justifica tal sofrimento.” 

Albert Camusescritor, filósofo, jornalista franco-argelino (1913-1960)
Prémio Nobel de Literatura, 1957

11 junho, 2016

Pétala nº 1477

“Normalmente, a pessoa que não ajuda os outros não só é egocêntrica, como também está cheia de inveja. Uma inveja vigilante, sempre pronta a saltar.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

10 junho, 2016

Pétala nº 1476

“Os políticos dificilmente pedem desculpa às pessoas a quem de alguma maneira ofenderam.” 

José Saramago, escritor português (1922-2010) 
Prémio Nobel de Literatura, 1998

09 junho, 2016

Pétala nº 1475

“Há homens que conseguem sempre valorizar os outros. Há outros que só se valorizam a si mesmos.”

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

08 junho, 2016

Pétala nº 1474

“A intenção de nunca enganar torna-nos vulneráveis ao engano.” 

François de La Rochefoucauld, escritor francês (1613-80)

07 junho, 2016

Pétala nº 1473

“A vida é um processo contínuo de adaptação a novas situações, imprevistas e imprevisíveis.”

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

06 junho, 2016

Pétala nº 1472

“A desigualdade dos direitos é a primeira condição para que haja direitos.” 

Friedrich Nietzche, filósofo alemão (1844-1900)

05 junho, 2016

Pétala nº 1471

“O optimismo e o pessimismo não são apenas duas atitudes em relação às dificuldades e ao futuro. São também duas formas diferentes de nos relacionarmos connosco próprios e com os outros seres humanos.” 

Francesco Alberoni, sociólogo e escritor italiano (1929-), in “O optimismo”, ed. Bertrand, 1995

04 junho, 2016

Pétala nº 1470

“Um sonho é um escrito, e muitos escritos são mais do que sonhos.” 

Umberto Eco, escritor italiano (1932-2016)

03 junho, 2016

Pétala nº 1469

“Tudo o que se protege verdadeiramente exclui o fingimento.” 

 Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “Adivinhas de Pedro e Inês”, ed. Guimarães & Cª., 1983

02 junho, 2016

Pétala nº 1468

“Eu acho que o segredo da nossa personalidade está naquilo que nós ignoramos de nós próprios. Quando pretendemos racionalizar, as coisas escapam-nos.” 

Natália Correia, poetisa portuguesa (1923-93)

01 junho, 2016

Pétala nº 1467

“A impressão que pode causar a beleza humana é semelhante a um choque, um desmaio dos sentidos que os santos relacionam com o êxtase.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-2019), in “Adivinhas de Pedro e Inês”, ed. Guimarães & Cª., 1983

31 maio, 2016

Pétala nº 1466

“Se você ama alguém, deixe-o livre.”

Stanislaw Jerzy Lec, poeta polaco (1909-66)

30 maio, 2016

Pétala nº 1465

“Estou triste abaixo da consciência.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 20145

29 maio, 2016

Pétala nº 1464

“Somos cépticos para milagres e, todavia, acreditamos na gratidão.”

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

28 maio, 2016

Pétala nº 1463

“A sabedoria mais fina é a que distingue imagens no invisível.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Em teu ventre”, Ed. Quetzal, 2015

27 maio, 2016

Pétala nº 1462

“Todos somos iguais perante a lei, mas não perante os encarregados de fazê-las cumprir.” 

Stanislaw Jerzy Lec, poeta polaco (1909-66)

26 maio, 2016

Pétala nº 1461

“Como qualquer ferramenta, também a tristeza tem um uso próprio.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Em teu ventre”, Ed. Quetzal, 2015

25 maio, 2016

Pétala nº 1460

"Não é verdade que as pessoas param de perseguir sonhos porque envelhecem. Elas envelhecem precisamente porque param de perseguir sonhos". 

Gabriel García Marquez, escritor colombiano (1927-2014) 
Prémio Nobel de Literatura, 1982

24 maio, 2016

Pétala nº 1459

“O que há de mais reles nos sonhos é que todos os têm.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

23 maio, 2016

Pétala nº 1458

"O futuro já não é aquilo que costumava ser". 

Paul Valéry, poeta francês (1871-1945)

22 maio, 2016

Pétala nº 1457

“Pedi tão pouco à vida e esse mesmo pouco a vida me negou.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

21 maio, 2016

Pétala nº 1456

“A vida é uma perpétua construção/desconstrução”. 

António Filipe Pimentel, director do Museu Nacional de Arte Antiga, Portugal, 2016

20 maio, 2016

Pétala nº 1455

“Durmo quando sonho o que não há; vou despertar quando sonho o que pode haver.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

19 maio, 2016

Pétala nº 1454

“É preciso ter muita paciência para aprender a ter paciência”. 

Stanislaw Jerzy Lec, poeta polaco (1909-66)

18 maio, 2016

Pétala nº 1453

“Cada vez que viajo, viajo muito”. 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

17 maio, 2016

Pétala nº 1452

"Obstáculos são as coisas assustadoras que vemos quando desviamos os olhos do objectivo". 

Henry Ford, empresário norte-americano, fundador da Ford Motor Company (1863-1947)

16 maio, 2016

Pétala nº 1451

“Sofre ritmicamente.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

15 maio, 2016

Pétala nº 1450

“O importante não é aquilo que fazem de nós, mas o que nós mesmos fazemos do que os outros fizeram de nós.” 

Jean-Paul Sartre, filósofo e escritor francês (1905-80)

14 maio, 2016

Pétala nº 1449

“Os desastres dos romances são sempre belos porque não corre sangue autêntico neles, nem apodrecem os mortos nos romances, nem a podridão é podre nos romances.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

13 maio, 2016

Pétala nº 1448

“O arrependimento sincero é geralmente resultado da oportunidade perdida.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

12 maio, 2016

Pétala nº 1447

"A minha vida é uma febre perpétua, uma sede sempre renovada." 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

11 maio, 2016

Pétala nº 1446

”O melhor governo é aquele em que há o menor número de homens inúteis.” 

Voltaire, filósofo francês (1694-1778)

10 maio, 2016

Pétala nº 1445

“Tive um certo talento para a amizade, mas nunca tive amigos, quer porque eles me faltassem, quer porque a amizade que eu concebera fora um erro dos meus sonhos.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

09 maio, 2016

Pétala nº 1444

“Saia do caminho da justiça! Ela é cega.”

Stanislaw Jerzy Lec, poeta polaco (1909-66)

08 maio, 2016

Pétala nº 1443

“Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma. O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

07 maio, 2016

Pétala nº 1442

“Todos os homens têm medo. Quem não tem medo não é normal; isso nada tem a ver com a coragem.” 

Jean-Paul Sartre, filósofo e escritor francês (1905-80)

06 maio, 2016

Pétala nº 1441

“Toda a vida da alma humana é um movimento na penumbra.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

05 maio, 2016

Pétala nº 1440

“Verifica se o que prometes é justo e possível, pois promessa é dívida.” 

Confúcio, sábio chinês (-551/-479)

04 maio, 2016

Pétala nº 1439

“O dinheiro é belo porque é uma libertação”. 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

03 maio, 2016

Pétala nº 1438

“Acordo sem simpatia dá uma relação antipática.” 

Hugo von Hofmannsthal, escritor austríaco (1874-1929)

02 maio, 2016

Pétala nº 1437

“...a experiência que podemos ter na vida mais próxima do livre-arbítrio, é quando fazemos as coisas ao acaso. Não existe livre-arbítrio. Quando fazemos escolhas ao acaso continua tudo a ser pré-determinado, nós é que deixamos de reparar.” 

Norman Rush, escritor americano (1933-), in “Acasalamento”, Ed. Quetzal, 2015

01 maio, 2016

Pétala º 1436

“As pessoas dividem-se entre aquelas que poupam como se vivessem para sempre e aquelas que gastam como se fossem morrer amanhã.” 

Aristótelesfilósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

30 abril, 2016

Pétala nº 1435

“O pudor é, talvez, a mais violenta, a mais iniludível das manifestações de sexualidade.” 

Agustina Bessa Luís, escritora portuguesa (1922-2019), in “Sibila”, Guimarães Ed., 1954

29 abril, 2016

Pétala nº 1434

"Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir.” 

George Orwell, escritor inglês (1903-50)

28 abril, 2016

Pétala nº 1433

“Amar é sempre um estado de audácia, de êxtase, situação de jogador que lança os seus dados e arrisca.” 

Agustina Bessa Luís, escritora portuguesa (1922-2019, )in “Sibila”, Guimarães Ed., 1954

27 abril, 2016

Pétala nº 1432

“A parte mais importante do progresso é o desejo de progredir.” 

Séneca, filósofo e escritor da Roma Antiga (-4/65)

26 abril, 2016

Pétala nº 1431

“O amor é um estado de lucidez e de vidência”. 

Agustina Bessa Luís, escritora portuguesa (1922-2019-),  in “Sibila”, Guimarães Ed., 1954

25 abril, 2016

Pétala nº 1430

“Todo o escritor que é original é diferente. Mas nem todo o que é diferente é original. A originalidade vem de dentro para fora. A diferença é ao contrário. A diferença vê-se, a originalidade sente-se. Assim, uma é fácil e a outra é difícil.” 

Vergílio Ferreira, escritor português (1916- 96).

24 abril, 2016

Pétala nº 1429

“Nunca se mata um homem que nada diz.” 

Chinua Achebe, escritor nigeriano (1930-2013), in “Quando tudo se desmorona”, Ed. Mercado de Letras, 2007

23 abril, 2016

Pétala nº 1428

”Há coisas encerradas dentro dos muros que, se saíssem de repente para a rua e gritassem, encheriam o mundo.” 

Federico García Lorca, poeta e dramaturgo espanhol (1898-1936)

22 abril, 2016

Pétala nº 1427

“No sorriso de uma pessoa que sabe que está a mentir há certos grupos de músculos do rosto que não são activados. Só ganham vida com a expressão de um sentimento verdadeiro. O sorriso de um mentiroso é defeituoso, insuficiente.” 

Ian McEwan, escritor inglês (1948- ), in “Sábado”, Ed. Gradiva, 2005

21 abril, 2016

Pétala nº 1426

“Não há nada no mundo que esteja mais bem repartido do que a razão: toda a gente está convencida de que a tem de sobra."
RENÉ DESCARTES, filósofo francês (1596-1650)

20 abril, 2016

Pétala nº 1425

“É um lugar comum da paternidade e da genética moderna que os pais têm pouca ou nenhuma influência sobre o carácter dos filhos. Nunca se sabe o que nos vai sair.” 

Ian McEwan, escritor inglês (1948- ), in “Sábado”, Ed. Gradiva, 2005

19 abril, 2016

Pétala nº 1424

“… no quadro sensível do poema vejo para onde vou, reconheço o meu caminho, o meu reino, a minha vida.” 

Sophia de Mello Breyner Andresen (1918-2004), in "Obra poética II", Círculo de Leitores, 1992

18 abril, 2016

Pétala nº 1423

“Quem não dorme de madrugada faz um ninho com os seus próprios medos.” 

Ian McEwan, escritor inglês (1948- ), in “Sábado”, Ed. Gradiva, 2005

17 abril, 2016

Pétala nº 1422

“Quem ama cuida.” 

Caetano Veloso, músico, cantor e escritor brasileiro (1942-)

16 abril, 2016

Pétala nº 1421

“Uma mentira, fina com um cabelo, perturba para sempre a ordem do mundo.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Em teu ventre”, Ed. Quetzal, 2015

15 abril, 2016

Pétala nº 1420

“Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”.

 Antoine de Saint-Exupéry, piloto e escritor francês (1900-44)


14 abril, 2016

Pétala nº 1419

“Uma mentira, mesmo que transparente, perturba o entendimento que os outros têm da realidade, leva-os a acreditar que é aquilo que não é.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Em teu ventre”, Ed. Quetzal, 2015

13 abril, 2016

Pétala nº 1418

“Pequenas oportunidades são muitas vezes o começo de grandes empreendimentos.” 

Demóstenes, político e orador da Grécia Antiga (-384/-322)

12 abril, 2016

Pétala nº 1417

“Uma mentira baralha tudo aquilo em que toca, desequilibra o mundo. É por isso que uma mentira precisa sempre de mentiras novas para se suster.” 

José Luís Peixoto, escritor português (1974-), in “Em teu ventre”, Ed. Quetzal, 2015

11 abril, 2016

Pétala nº 1416

“Não penses para amanhã. Não lembres o que foi de ontem. A memória teve o seu tempo quando foi tempo de alguma coisa durar.”

Vergílio Ferreira, escritor português (1916-96)