30 setembro, 2016

Pétala nº 1588

“Somos quem somos, e a vida é pronta e triste.”

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

29 setembro, 2016

Pétala nº 1587

“A calúnia nunca se farta.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

28 setembro, 2016

Pétala nº 1586

“Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já não o tenho.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

27 setembro, 2016

Pétala nº 1585

“O segredo da felicidade é encontrar a nossa alegria na alegria dos outros.” 

Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

26 setembro, 2016

Pétala nº 1584

“Viver é ser outro.” 

Fernando Pessoa, poeta português (1888-1935), in “Livro do desassossego”, Ed. Tinta da China, 2014

25 setembro, 2016

Pétala nº 1583

“Educar a mente sem educar o coração, não é educação.” 

Aristóteles, filósofo da Grécia Antiga (-384/-322)

Pétala nº 1582

“A vida, seja ela qual for, é uma tragédia desde o início.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

23 setembro, 2016

Pétala nº 1581

“A desobediência é a verdadeira origem da liberdade. Os obedientes devem ser escravos.” 

Henry David Thoreau, poeta e filósofo norte-americano (1817-62)

22 setembro, 2016

Pétala nº 1580

“Há muitos sonhos que gostaríamos de ter. Sonhos que, de olhos abertos, desejamos intensamente e que, de olhos fechados, nunca aparecem.” 

Susanna Tamaro, escritora italiana (1957-), in “Para uma voz só”, Ed. Presença, 1997

21 setembro, 2016

Pétala nº 1579

“É próprio da natureza humana, lamentavelmente, sentir necessidade de culpar os outros dos nossos desastres e das nossas desventuras.” 

Luigi Pirandello, escritor siciliano  (1867-1936)

20 setembro, 2016

Pétala nº 1578

“A ordem e o respeito (…) são as únicas coisas que permitem distinguir-nos dos animais.”

SusannaTamaro, escritora italiana (1957-), in “Um país para além do céu azul”, Ed. Presença, 2003

19 setembro, 2016

Pétala nº 1577

“Coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las.” 

Luís Vaz de Camões, poeta português (1524-80)

18 setembro, 2016

Pétala nº 1576

“Um génio não se nota na multidão. É calado e pouco interessante. Está todo ocupado a embeber-se como uma esponja de tudo quanto vê e ouve.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

17 setembro, 2016

Pétala nº1575

“O cinema é o modo mais directo de entrar em competição com Deus.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)

16 setembro, 2016

Pétala nº 1574

“A segunda peste do mundo é a ingratidão. Ela deriva doutra peste, a primeira, que é a vaidade.”

 Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

15 setembro, 2016

Pétala nº 1573

“O medo é o pior dos conselheiros.”

Alexandre Herculano, escritor português (1810-1877)

14 setembro, 2016

Pétala nº 1572

“Se não fosse a ingratidão, ninguém morria. Ela é que nos bebe a água do corpo e nos deixa secos.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

13 setembro, 2016

Pétala nº 1571

“A magia do primeiro amor está em ignorarmos que pode acabar um dia.” 

 Benjamin Disraeli, escritor e político inglês (1804-81)

12 setembro, 2016

Pétala nº 1570

“… o tempo é uma ilusão e não existe verdadeiramente.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

11 setembro, 2016

Pétala nº 1569

“Sei que só há uma liberdade: a do pensamento.” 

Antoine de Saint-Exupéry, piloto e escritor francês (1900-44)

10 setembro, 2016

Pétala nº 1568

“O espírito da mulheres mede-se pela maldade que elas aguentam para com elas mesmas.” 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

09 setembro, 2016

Pétala nº 1567

“A melhor saúde é não sentirmos a nossa saúde.” 

Jules Renard, escritor francês (1864-1910)

08 setembro, 2016

Pétala nº 1566

“… o amor é como um lenço fino, que ao acenar se esfarrapa.”

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

07 setembro, 2016

Pétala nº 1565

“Em arte tudo está naquele «nada».”

Liev Tolstói, escritor russo (1828-1910)

06 setembro, 2016

Pétala nº 1564

“Temei os que muito amam; eles são capazes de horríveis males e de incendiar o mundo”. 

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

05 setembro, 2016

Pétala nº 1563

“Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas.” 

Charlie Chaplin, comediante britânico (1889-1977)

04 setembro, 2016

Pétala nº 1562

“Quem se impressiona muito com uma paisagem está a esconder os seus desejos íntimos”.

Agustina Bessa-Luís, escritora portuguesa (1922-), in “As terras do risco”, Guimarães Ed., 1994

03 setembro, 2016

Pétala nº 1561

“Há o bem e o mal: o primeiro depende de nós; nós dependemos do segundo.” 

Emanuel Wertheimer, filósofo alemão (1846-1916)

02 setembro, 2016

Pétala nº 1560

“Os erros são um ingrediente fundamental da vida, e nestas condições cometê-los significa que se está vivo e activo.” 

Vera Peiffer, psicóloga e psicoterapeuta inglesa (1953-), in “Pensamento positivo”, Ed. Presença, 1996

01 setembro, 2016

Pétala nº 1559

“A única objetividade que eu conheço é a subjetividade.” 

Federico Fellini, cineasta italiano (1920-93)